Quantcast
PplWare Mobile

CoviVac: A terceira vacina para a COVID-19 da Rússia chegou…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. David Guerreiro says:

    Acho caricato que a Rússia tenha desenvolvido tanta vacina e tem das mais baixas taxas de vacinação, além de que continua com muitos caos.

    • Robin Hood says:

      Os dois casos não têm nenhuma correlação, uma questão é o país investir em pesquisa (tanto público quanto privado), outra questão é a população se conscientizar e se prevenir.
      (A própria população se nega a se vacinar)

      • David Guerreiro says:

        Devem saber a “qualidade” das vacinas do país…

        • miguel says:

          A qualidade foi validade pelos estudos publicados na The Lancet, como outras vacinas reconhecidas pela comunidade centifica.

          Quanto a questão de andarem a vender em vez de dar aos Russos, o mesmo se passa na Europa as farmaceuticas europeias venderam 3x mais caras a outros países fora da UE e isso fez com que o plano de vacinação fosse alterado para a Europa.

          Infelizmente é assim que as coisas funcionam no Mundo Real, quem tem $$$ passa a frente de todos!

        • Pirata das cabernas says:

          Possivelmente bem melhores que Oxford por exemplo…. Estar a falar sem saber

        • João Lemos says:

          as vacinas russas são dadas atrás da orelha da mesma maneira como eles matavam os velhinhos e injetam nano martelinhos e foicezinhas no sangue e daqui a um ano estamos todos na festa do Avante a cantar a internacional Socialista e a comer criancinhas ao pequeno almoço, convertidos a comunas

    • João Lemos says:

      Rússia é o país com maior área do planeta. É também o nono país mais populoso, com 142 milhões de habitantes.

    • AlexAlex says:

      No posto da GUM (centror comercial) em Moscow estão a vacinar literalmente qualquer um que lá apareça e ainda ganha um gelado. Ironicamente várias das pessoas que estão aplicando as vacinas não foram vacinadas pois, como disseram, acreditam que tem o sistema imune forte o suficiente…

  2. mojorisin says:

    Há sempre aquela estória dos americanos que gastaram milhões de dólares a desenvolver uma caneta que escrevesse num ambiente sem gravidade para poder levar para o espaço, os russos, levaram um lápis.
    Já no que diz respeito à vacina, quando os russos a lançaram em primeiro lugar, ninguém ligou e ninguém acreditou neles, o que é certo é que entretanto ela já foi aprovada para uso na Europa.
    Já no que diz respeito aos números, aquilo por lá não será muito fácil, território imenso, bastante disperso e questões políticas muito complicadas.
    Tendemos sempre a não receber com muita confiança aquilo que vem da russia, mas eles já provaram diversas vezes que são inteligentes e muito capazes.
    Após o colapso da URSS e o fim do programa espacial, os motores deles eram já tão avançados e superiores aos dos americanos, que até lhe passaram eles a vender os motores aos concorrentes.
    Resumo, nem tudo o que eles é bom, nem tudo é mau. Não sei se a vacina é boa ou má, o que é certo é que eles já vão numa terceira versão, melhorias deve ter, digo eu.

    • j says:

      E para terminar foram eles os causadores do vírus e ninguém sabe.

    • Jomi says:

      A da caneta é uma grande estória, atenção que escrevi com e, não com h. Os lápis poderiam causar problemas de incêndio caso o grafite fosse parar ao lugar errado.

    • David Guerreiro says:

      Não é verdade que a vacina Sputnik V tenha sido aprovada para uso na Europa. Ainda nem foi submetido à Agência Europeia do Medicamento nenhum pedido de aprovação (https://www.ema.europa.eu/en/news/clarification-sputnik-v-vaccine-eu-approval-process)

      O problema das coisas russas é que é tudo feito às 3 pancadas, com muito secretismo, e essa vacina até saltou a fase 3 de ensaios clínicos. Para que uma vacina seja aprovada na UE e EUA necessita de rigor científico.

      • ... says:

        Caro @david,a Hungria é Europa,a Sérvia idem,e aprovaram o uso da Sputnik V,a Europa resume-se à EMA?

        • mojorisin says:

          Hoje em dia parece que a Europa resume-se à UE, até a Russia é Europa.
          @Jomi, a diferença entre historia e estória é bem simples. Quer um conselho? não saia do seu concelho, não saia do seu concelho 🙂

        • David Guerreiro says:

          Belo exemplo, a Sérvia.. Um país que é uma sombra da Rep Popular da China. Ruas de Belgrado com milhares de câmeras da Huawei, inclusive polícias chineses nas ruas em conjunto com os sérvios. A Hungria infelizmente é uma nação rebelde, que também se tem virado para a China e a Rússia. Viktor Orban com todas as suas virtudes, também tem defeitos e anda a brincar com o fogo.

          • ... says:

            Caro @david,ambos os países são EUROPEUS,independentemente do seu preconceito!Tudo o que escreveu não demonstra que ambos sejam párias nem que a Europa se resume à EMA.Nem a Europa se resume à UE,como bem disse o @mojorisin,a Rússia ainda é Europa,além de outros,como a Suíça.

      • AlexAlex says:

        O continente Europeu tem ~10.180.000 km² sendo que ~3.995.315 km² ficam na Rússia… Assim, somente a parte Europeia da Rússia já a coloca como o maior país da Europa.

    • João Lemos says:

      Não é muito divulgado mas os motores russos RD-180 são usados nos lançadores americanos Atlas V e Atlas-III e o RD-181 no Antares. Chegou se a pensar fazer los sob licença nos USA.

      • David Guerreiro says:

        Porque não se quiseram dar ao trabalho de desenvolver os próprios motores como fez a SpaceX. Os motores do Delta IV Heavy são americanos ( RS-68)

        • João Lemos says:

          se “não se quiseram dar ao trabalho”, não sei, mas se os utilizaram durante dezenas de anos é porque tinham qualidade
          acho piada a esse “não se quiseram dar ao trabalho”…. eu por acaso também não

    • ruben says:

      Claro que sim, e depois afiavam os lápis de x em x minutos pra dentro de um saquinho e partiam os bicos dos lapis, já para não falar na grafite a flutuar e a ir para onde não deve…
      Essa historia é engraçada para contar só que está mal contada!
      Falar de borla nunca foi boa solução.

      • João Lemos says:

        Os russos usaram um lápis simples. Até 1967, os astronautas americanos usavam canetas hidrográficas ou lapiseiras para escrever, a ponta foi tirada de um lápis comum, e o corpo de metal leve. Os cosmonautas soviéticos usaram lápis de cera já que os lápis eram uma fonte de detritos finos e poeira condutora. A NASA não subsidiou a Fischer para produção caneta espacial AG7. A Fisher a desenvolve ás suas custas e a deu para testes à NASA que acabou por comprar 400 por $6. Quanto aos gastos da Fisher no seu desenvolvimento, há muitos mitos urbanos mas não deve ter sido pouco. Mas eles continuam a vender la e a ganhar dinheiro com o projeto ao fim destes anos todos
        https://www.spacepen.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.