Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Vacina da Pfizer é autorizada para crianças dos 5 aos 11 anos

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Bruno Mota says:

    “Em Portugal, comunidade científica pediátrica está a trabalhar num parecer sobre a imunização na faixa 5-11 anos, a pedido da DGS. ”

    Imunização? É do conhecimento geral que as vacinas anti COVID não imunizam. Os vacinados continuam a ser infectados e a ser contagiosos.

  2. Gonçalo Ribeiro says:

    Na minha opinião, é fundamental garantir vacinas para a população mundial, em particular idosos e pessoas com comorbidades. Pensar em vacinar crianças dos 5-11 anos numa altura destas, é só concebível à luz da postura egoísta dos países ricos.
    Acho tão útil esta vacina para as crianças, como acho a da gripe. Só que ninguém vacina crianças para a gripe, a não ser eventualmente crianças com doenças associadas que, por recomendação médica, sejam aconselhadas a tal.
    No meu entender, crianças no mesmo patamar, por aconselhamento médico, questões de debilidade imunológica ou outras comorbidades, sim senhor, sejam vacinadas. As restantes, uma vez que não evita o contágio e vamos continuar a ter turmas em casa em confinamento, sinceramente acho um valente desperdício de recursos.

    Foquem-se em quem realmente necessita.

  3. Zorro says:

    O FDP que tentar dar essa injeção aos meus filhos será morto. Acrescentem isso à lista dos efeitos secundários

  4. Zed says:

    Não os vou vacinar enquanto não houver uma explicação clara dos benefícios que possam superar os riscos, tendo em conta que as crianças saudáveis não desenvolvem doença grave, e a vacina não evita a infecção.

    • Pe@ce says:

      E estás à espera que a informação te caia no colo? Existem vários estudos que mostram que a vacinação, apesar de não proteger a 100% reduzem drasticamente a probabilidade se vir a contrair a doença.

    • eu2 says:

      A arredondar 0.1% para 0 e 90% para 100% (preto e branco, como disse acima) assim não vamos a lado nenhum.

  5. xyr says:

    Hehehe…esta é que ninguém pode negar que é uma decisão só a pensar no $$$$$$$$$$$..fica a opinião do “veterinário” escrita há já algum tempo

    Unless virology and immunology are being rewritten, I cannot imagine how mass vaccination of our youngsters and children will not lead to an even more disastrous outcome of all the scientifically irrational and unjustifiable vaccination efforts. Not only will this dramatically increase the children’s risk to succumb to (accelerated) Covid-19 disease but it will also take away the highly efficient capacity of healthy, unvaccinated people to diminish the dangerous, ever rising viral infectious pressure in the population. By vaccinating our youngsters, children and, even more generally, all people in excellent health, we deprive an important part of the population from its ‘anti-viral’ capacity and instead turn them into a breeding ground for more infectious and increasingly NAb-resistant variants. In other words, mass vaccination of children will inevitably obstruct the process of building herd immunity in the population. While unvaccinated children who contract Covid-19 disease in the vast majority of cases don’t suffer severe disease and contribute to the buildup of herd immunity in the population, mass vaccination campaigns in children will prevent them from contributing to herd immunity, because more infectious viral variants are increasingly escaping from neutralization by vaccinal anti-S Abs and gaining a significant fitness advantage in such an immunological environment.

  6. Rudi says:

    Analisando os dados disponíveis, o risco de morte nessa faixa etária é de 0.019% nos EUA, onde a obesidade infantil bate recordes, por consequência obesidade é o grupo de risco para morte por COVID.
    Alias o CDC americano confirmou que 78% dos hospitalizados tinham excesso de peso…

    portanto caso alguém queira ajustar as estatísticas para esta faixa etária em relação com os grupos de risco muito provavelmente o risco beneficio para a vacinação em massa desta faixa etária é contraproducente e irresponsável.
    Além do mais não sabemos os riscos a longo prazo destas vacinas.
    Em termos de transmissão da vírus a OMS confirma que a vacinação só reduz 40% na variante Delta, para piorar a situação ao fim de 6 meses a vacina perde metade ou mais da sua eficácia.

    Temos de procurar ser mais científicos e perceber que o vírus vai ser endémico e temos de apostar a prevenção nos grupos de risco e continuar a investigar situações como a possível correlação da falta de Vitamina D com o vírus em si.
    A desculpa do não “acredito na vitamina” não é facto muito menos cientifico!

    • Ricardo says:

      A vacina não reduz transmissão, a carga viral é a mesma, a única coisa que faz é reduzir o tempo com que vais ter a doença no teu corpo, e isso se a vacina estiver a funcionar ainda com a eficácia toda. Por isso, vacina não é segurança para ninguém, basta ver os números em Portugal, se 87% da população está vacinada, então não devia existir tantos infectados e sempre a aumentar, continuem a abrir todo e a não testar as pessoas dando livre acesso com os certificados que não atestam nada. O pobre coitado que tiver de fazer um teste para o restaurante, é que vai estar em risco ao entrar no restaurante com os vacinados a transmitir entre eles.

      • Rudi says:

        Não tenho conhecimento de tudo, apenas das declarações publicas no que toca às vacinas experimentais.
        Posso falar da vitamina D e o quanto ela é importante para o sistema imunitário porque regula a acção das células B e T do sistema imunitário, que são que precisamos para combater o virus, portanto mesmo que tenham as vacinas se o sistema imunitário não responde adequadamente vai continuar a aumentar infectados.

        Basta fazermos a pergunta porque é que o vírus é sazonal, não hiberna no verão à espera do inverno quando no verão as pessoas não têm tido cuidado nenhum!

        São perguntas que parece que a comunidade medica e os governos não querem responder.

    • Carlos Fernandes says:

      falta de vitamina d em Portugal? Menos FIFA, mais futebol de rua.

      • Rudi says:

        A população portuguesa tem falta de vitamina D, além de que cerca de 60% tem uma mutação genética para produzir menos Vitamina D.
        Existe um estudo português sobre esse assunto:
        Eu já sabia em maio de 2020 que dezembro de 2020 ia ser muito mau antes de sequer aparecer os estudos de relação da vitamina com o vírus em si.
        Desde Janeiro de 2019 que ando a dizer que temos uma pandemia de falta de Vitamina D.

        Se pensares bem as pessoas passam a maior parte do tempo dentro de edifícios.

        • Poupa-me says:

          Aqui está mais um médico de teclado! Porque andamos nós com vacinas e médicos a tirar 6 anos de curso e especialização quando por e simplesmente devíamos vir consultar os fóruns da internet e as faltas de vitamina D!

          • Rudi says:

            Este “medico de teclado” teve problemas por falta de vitamina D, onde passou por N médicos que disseram que não tinha nada a haver, até descobrir vários estudos de Médicos com M bem grande, investigadores, com décadas de trabalho a explicar o assunto.

            Se 6 anos de medicina não torna um medico num ás do sabe tudo, senão não haveria especializações, no que toca à endocrinologia ninguém os ouve, porque é uma porcaria de uma vitamina, só podem estar a gozar…
            Pois este “medico de teclado” tenta ao menos usar o cerebro, pois o “não acredito” não é facto, diagnostico, ou mesmo científico!

            Mas olha podes começar a ler, ao menos fico contente se deixares de ser ignorante.
            https://www.nature.com/articles/s41598-021-99952-z

          • poupa-me says:

            Para o Rudi (uma vez que não é possível responder diretamente): meu caro, ainda bem que sou ignorante. Sabe porquê? Porque fui ler os estudos. E li-os com cuidado. Se os leu também, com cuidado, deverá perceber que é a lógica da batata. Pessoas com mais de 60 anos (e não todos como o caro anda para aí a espalhar) são pessoas que naturalmente (como é indicado no estudo) têm menos vitamina D. Assim como também têm outras vitaminas ou menos células T ou outras. Menos tudo. É normal, o sistema imunitário perde as duas defesas, olhe, veja lá, envelhecemos. Por outro lado sabemos que o Covid mata mais na camada mais idosa da população. Dizer que a falta de vitamina D é o link que minoria uma resposta exagerada do sistema imunitário e provaria uma maior prevalência de morte na camada idosa não fica provado. Sabe porquê? Pela causalidade. Duas variáveis podem estar correlacionadas e até fortemente correlacionadas e poderá ser apenas coincidência de dados. Estatisticamente válido, cientificamente incorrecto. Mas se funciona para si vá em frente. Mas evite generalizar para os restantes. Ah, já agora, viva mais a vida, vá apanhar mais vitamina D que estar ao teclado não o está a ajudar.

          • Rudi says:

            Vamos à lógica da batata, se um idoso tem falta de ferro, é anemia, reforças com um suplemento de ferro, se tem falta de vitamina D é da idade e não devemos reforçar para reforçar o proprio sistema imunitário?
            Fora a vitamina D interage com o ACE2 e o suprime que é exatamente a que o virus se “liga” à celula para infectar, a tal “spike protein”, isto está mais que estudado, tens duvidas fala com um especialista!

            Disseste e bem “pela causalidade. Duas variáveis podem estar correlacionadas e até fortemente correlacionadas e poderá ser apenas coincidência de dados.”
            Ora como é que chegamos à conclusão que o tabaco aumenta o risco de cancro do pulmão? Esse argumento foi usado tanta vez pelas tabaqueiras, só que ao fim de umas quantas centenas de estudos e um gráfico em floresta, chegou-se à conclusão que era estatisticamente muito significante, e assim por consenso fumar aumenta o risco de cancro do pulmão.
            Mas a Vitamina, a maldita da vitamina, é só uma vitamina certo?
            A vitamina depois de ser processada pelo figado anterior uma pré activação nos rins, ciclo bastante peculiar, é na realidade uma hormona, se não precisas dela, boa sorte.
            Portanto com os estudos que são mais de 200 só em relação ao covid e vitamina D com um grafico de floresta muito significante, fora os outros que fazem relação entre vitamina D, doenças pulmonares, cancro, humor, etc, a função da vitamina D no nosso corpo como hormona que interage com mais de 2500 genes… Oh pa… vamos o seguinte, risco de suplementação de vitamina D é 0 (ZERO) e é ridiculamente e estupidamente barato, um tira teimas era fácil, não fazem porque não querem e ficaríamos todos a ganhar no geral da saúde publica.

            Agora diz-me onde é que está cientificamente incorrecto, dizer é barato, prova!

          • Rudi says:

            Mais um para quem quiser ler, se não gostam do que diz, provem o contrario!

            https://www.mdpi.com/2072-6643/13/10/3596

          • Rudi says:

            e Poupa-me tenho mais uma para ti, sabes aquela gotinha que damos aos bebés para prevenir o raquitismo?
            O Vigantol tas a ver? é vitamina D.
            podia se dar aos idosos nem que seja para manter densidade óssea, porque pelo menos isso sabemos sem duvida da vitamina D porque felizmente conseguiram associar deficiência ao raquitismo!

            A hipocrisia desta situação é mesmo esta, a serio não percebo a resistência a uma vitamina.

  7. Mitra says:

    Já vários médicos de pediatria dizeram que não recomendam dar a crianças porque não existe benefícios nem para as crianças nem para os adultos, primeiro porque as crianças não tem sintomas a taxa de internados anda nos 0.01 qualquer coisa e os que são internados as vezes é por precaução ouvi ontem uma médica a explicar isso.
    Por outro lado a vacina não faz com que as crianças apanhem o virus e andem na mesma a espalhar o virus, logo não estou a ver o beneficio.

    Por outro lado se existe crianças com doenças acho que deveriam levar a vacina.

  8. Ricardo says:

    Xiii tantos negacionistas nos comentários, eu bem disse, com o tempo o pessoal vai cair na real.

    Entretanto, voltam os certificados que não conferem SEGURANÇA NENHUMA para entrar em restaurantes. Só o pobre coitado que não aceitou a vacina atesta a segurança com o teste…

  9. Str says:

    Se as vacinas não evitam o contagio nem a transmissão da doença e se as crianças não desenvolvem doença grave vão vacina-las para quê?

  10. Sergio says:

    Sou completamente a favor da vacinação em adultos, até porque foram feitos imensos estudos e testes.

    Neste caso concreto, tomar esta decisão nas crianças com base em apenas um só estudo, não me parece correcto.
    O facto de serem as crianças neste momento a maior fonte transmissão de covid em Portugal, em vacinados e não vacinados, não tem que motivar uma injeção precoce sem se fazer mais estudos.

    • Sujeito says:

      As crianças serem a maior fonte de transmissão não é facto. Nem sequer o serem sequer fonte de transmissão significativa sequer.

      Quanto aos adultos, há mais testes, há mais estudos. E nenhum conclusivo.
      Não admira, pois continuam em fase de testes. Parece que ninguém se lembra.

      • Sergio says:

        Foram dados que vi transmitidos a semana passada no Porto Canal e a fonte era a DGS..
        E à aquele dia a maior percentagem de infetados, no mes de outubro, tinham tido como origem de contacto infectuosa escolas e crianças.

        Quantos aos adultos para mim é mais que conclusivo os estudos apresentados, sejam europeus ou americanos. Ter um especialista em 1000 que faz uma interpretação diferente é normal em qualquer area da ciencia.

        Tenho várias vacinas no meu corpo, sou diabético ha 28 anos e injeto-me diariamente, se nao fosse a confiar na ciencia, já estava debaixo de um caixão.
        E olha que a primeira insulina que foi injetada no meu corpo aos 4 anos, já foi descontinuada por não ter a mesma qualidade e não ser tao modular. E não foi por isso que deixei de crescer de forma normal.

        Mais do que estudos, olha para os mortos em Portugal em Novembro de 2020 e compara com 2021. Isso para nos já é uma grande vitoria, acho que ninguem aqui gostaria de estar a ver 80 pessoas a morrer por dia como o ano passado

        • Pe@ce says:

          O problema dos teclistas deste site é que não vêm ninguém a morrer, para eles 80 é apenas um número, e possivelmente uma falácia.

        • Rudi says:

          Eu também tenho varias vacinas, mais do que a maioria dos portugueses, entretanto a sua comparação é ridícula porque não damos insulina a quem não precisa, a insulina tem décadas de uso, estas vacinas têm meses!

          No quadro mundial andar a gastar vacinas quando temos muitos países com dificuldades em sequer conseguir vacinas apenas para os grupos de risco é ridículo.
          Além do custo adicional para o SNS que depois peca por exemplo nas outros serviços, como oncologia, porque disso não se fala, agora é só covid, não existe mais doença nenhuma!

          Portanto para uns sou anti vacinas, para outros devo ser filantrópico, para mim quem está com histerismos de que temos de vacinar as crianças para um vírus que vai ser endémico, além de egoísta é ignorante que não sabe o que fala.

          A redução da transmissão é tão ridiculamente baixa com a variante delta mesmo vacinado, que ainda consegue ser pior que a original.

          Portanto quem está no grupo de risco para COVID? Obesos, diabéticos, doentes renais, idosos, pessoas com pele escura!

          Quanto à tua ultima de 80 pessoas a morrer por dia, quantas temos a morrer sem tratamento para outras doenças?

          informe-se!

          • Sergio says:

            Está a misturar alhos com bugalhos..
            Falei da diabetes não como comparação, mas como exemplo de que a ciência vai evoluindo.

            Quanto ao último parágrafo, o senhor é que não deve estar informado.. mas eu relembro
            Tinha mais pessoas a com covid e de outras doenças.

            Eu não sou anti vacina, nem obsecado pelo uso. Eu tento seguir aquilo que possa ser mais factual possível.
            Mas por mim chega de resposta a comentários porque aqui mistura-se tudo para parecer que se tem razão.. como falar dos custos das vacinas a nível mundial, quando apenas comentei o caso português.
            Mas já agora posso lhe dizer que as mais básicas custam em média 11 cêntimos, já ajudei a UNICEF para esse efeito

          • Rudi says:

            A vacina do covid custa mais de 19€ por dose!

            https://expresso.pt/coronavirus/2021-04-12-Covid-19.-Preco-das-vacinas-da-Pfizer-disparou-custa-agora-quase-20-euros-por-dose-706ce27a

            as mais basicas são faceis de fazer e já não têm patentes!

            informe-se e pense que não existe só COVID, agora temos um surto de bronquites com as crianças devido a não terem sido expostas a nada, tudo a entupir hospitais.
            Imunidade natural é a melhor imunidade que se pode ter, se não temos o nosso organismo saudável e o sistema imunitário reforçado a vacina vale zero!

    • André Silva says:

      Ora nem mais.
      Nas crianças o sistema imunitário está ainda em desenvolvimento e certamente ganhará imunidade ao vírus.
      Agora daí a dizerem que a vacina não evitou mortes…. É só negar o evidente.
      Para isso eu também nego que a pneumonia não existe. Afinal sao só as pessoas que querem ficar em casa

      • Zorro says:

        Em 2020 morreram em todo o mundo 1.9 milhões de pessoas com covid. Até hoje já morreram 5 milhões, ou seja, depois de aparecer a injeção morreram 3.1 milhões. Ainda acha que salva vidas? De qualquer maneira, se truncarmos a percentagem de mortes por covid nas milésimas dá a módica quantia de…0.000%. Para aparecer o primeiro dígito relevante temos de acrescentar mais um dígito, ou seja, a percentagem de mortos por covid é de 0.0006%. A conta é fácil de fazer, divide-se o total de mortos pela população mundial, que está na casa do 8 mil milhões: 5 ml/8000 ml. Apendam a pensar pela vossa cabeça, não peguem em tudo já pensado.

        • Rodrigo says:

          Tenha calma Zorro, ja lhe garanti que iremos vacinar o seu filho para o proteger o mais rapido possivel. Garanto lhe que eu mesmo irei estar presente na escola para o fazer o quanto antes e voltarmos a normalidade

  11. B@rão Vermelho says:

    Os cintos de seguranças nos automóveis também não são um garante que não se morra num acidente, se eu for contra um muro a 200 km hora, o mais provável é que morra, certo?
    As vacinas são mais ou menos assim que funcionam, até certo ponto são seguras.
    Eu até sou contra o uso de cinto de segurança, se eu tiver um acidente e não levar cinto de segurança aumento a probabilidade de matar mais alguém para além de mim?
    Mas com as vacinas não é bem assim, quantas pessoas é conhecemos que dizem nem sei como apanhei o vírus.
    Embora seja contra o uso de cinto de segurança sempre que conduzo ponho o cinto, não é porque quero mas sim porque sou obrigado, mas não por isso que deixo de conduzir.
    As pessoas são livres de escolher, para podermos viver em sociedade já sabemos que temos de ter regras, é assim, não há volta a dar,” à a minha liberdade”, mas és só tu que tens direito a tua liberdade, e antão os outros, que te rodeiam.
    Se há pessoas que tomam de livres consciência a decisão de não se vacinar, ok, estão no direito delas, mas também têm de compreender que ao tomar essa decisão podem ou não por em risco a segurança/saúde dos outros em perigo.
    Eu se for tentar atravessar a A5 a pé o mais provável é ser colhido por um carro, na melhor das hipóteses, ou não, mas vale a pena arriscar?
    Todas as nossas decisões, escolhas e acções, acarretam consequências, temos de viver com as nossas escolhas e respeitar as escolhas dos outros.
    Não é uma questão de sermos carneiros ou não é uma questão de civismo.
    O que não acho correto é andar a distorcer factos para espalhar desinformação porque vimos uma publicação no FB, ou Youtube a dizer que a vacina altera o nosso DNA.

    • ervilhoid says:

      Quando é que aprendem que a vacinação não impede a transmissão?? porque é que acham que só o não vacinado é que coloca os outros em risco?

      maior lavagem cerebral da história

    • Jamaral says:

      É exactamente essa falta de visão que alimenta os negacionistas.

      Não devias ser contra o cinto de segurança por seres um Rambo de peito aberto sem medo da morte. Deves usar o cinto por respeito daqueles que vão passar o resto dos teus dias a limpar-te a bába e a lavar-te o cú. Lembrastes deles????

      • B@rão Vermelho says:

        Eu todos os dias me lembro deles, é por isso mesmo que uso o cinto de segurança, mesmo não gostando.
        Por motivos de saúde até posso ter declaração médica para não usar o cinto, mas nunca pedi, e mais uma vez relembro, não gosto mesmo de usar aquilo, mas se é a regra então tenho de utilizar e utilizo.

  12. Elton says:

    Não vou vacinar os meus filhos.
    Não há necessidade nenhuma disso.
    Além de que pode desenvolver inflamações no coração.

    • Nuno Teixeira says:

      Sabes o que também pode desenvolver inflamações no coração? A covid-19.

    • Pe@ce says:

      À pala deste tipo de mentalide, ainda antes de aparecer o covid, conseguiram que uma doença que se pensava extinta voltasse a existir, o Sarampo. Sabes o que é?
      Sarampo: O sarampo é uma infeção provocada por um vírus, caraterizada por febre, tosse, conjuntivite, corrimento nasal e manchas vermelhas na pele. Transmite-se por contacto direto com gotículas infecciosas ou por propagação no ar quando a pessoa infetada tosse ou espirra. Habitualmente a doença é benigna, mas, em alguns casos, pode ser grave ou levar à morte.

      Soa muito aos sintomas do covid, no entanto a larga maioria da população foi vacinada em criança. Mas o covid é que é o papão.

  13. Elton says:

    As crianças podem ser infetadas e transmitir SARS-CoV-2, mas a evidência científica revela que a sua participação na transmissão é menos importante do que a dos adultos”, acrescenta a OE, que adverte que a covid-19 é geralmente “uma doença leve em crianças, com menos de 2% sintomáticas a necessitarem de internamento hospitalar.

    • meister says:

      “a evidência científica revela que a sua participação na transmissão é menos importante do que a dos adultos”

      A evidência científica só e válida quando dá jeito a quem decide.

  14. Elton says:

    Ordem dos Enfermeiros não recomenda vacinação de crianças dos 5 aos 11 anos

  15. meister says:

    Noticia de 10 de Agosto de 2021 no JN a proposito da vacinação universal das crianças dos 12 aos 15 anos:
    https ://www.dn.pt/sociedade/dgs-recomenda-vacinacao-universal-das-criancas-dos-12-aos-15-anos–14021261.html

    Destaco esta parte:

    “Luís Graça, membro da Comissão Técnica de Vacinação Covid-19 e presente na conferência de imprensa, lembrou que nesta faixa etária os efeitos da doença são pouco graves e por isso a vacinação dos jovens tem como objetivo “reduzir a transmissão do vírus” e garantir o bem-estar deste grupo etário.

    Luís Graça explicou que para este grupo etário que não tem outras doenças o “maior benefício que recebe [ao ser vacinado] é do seu bem-estar de saúde mental, social e educacional”.

    “objetivo reduzir a transmissão do vírus”:

    https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2021.09.28.21264262v1#disqus_thread

    Benefício de saude mental:
    Não vejo como, mas enfim…

    Benefício social:
    Aqui é onde vai estar a coação aos pais claro.
    Vai ser necessario certificado para poder acompanhar os pais em restaurantes e outro eventos, deve ser isso…

    Benefício educacional:
    Na realidade, na escola, mesmo que estejam todos vacinados a existir um caso vai tudo para casa na mesma.

  16. Hugo says:

    Ganham 1000 euros por segundo, mas pelos vistos não é suficiente. Entretanto a vacinação também vai ser obrigatória para os gatos, cães, canários e todo o tipo de animais de estimação

  17. Pedro L. says:

    Já estão em teste final as vacinas pfizer dos 2-5 anos.

  18. Pedro L. says:

    Acho que só vai parar quando chegar aos bichanos . Aí começa a haver protestos por experiências médicas em animais

  19. Eu sei lá says:

    A posição da Sociedade Portuguesa de Pediatria:

    “As vacinas contra a COVID-19 são seguras e eficazes, protegem contra doença grave e reduzem a transmissão da infecção, embora não a impeçam por completo. A vacinação contra SARS-CoV-2 foi avaliada num ensaio clínico em crianças dos 5 aos 11 anos de idade, no qual foram vacinadas 1517 crianças. Os resultados mostraram que é segura e eficaz contra a COVID-19, tal como noutros grupos etários, pelo que foi já aprovado o seu uso pela FDA e se aguarda aprovação pela EMA [que foi conhecida hoje].

    Nas crianças a COVID-19 é habitualmente uma doença assintomática ou ligeira e, felizmente, continuam a ser raros os casos graves que obrigam a internamento ou admissão em unidades de cuidados intensivos, ocorrendo estes maioritariamente em crianças com fatores de risco. Contudo as crianças têm sido fortemente prejudicadas na pandemia devido aos confinamentos sucessivos que afetam seriamente a sua aprendizagem e saúde mental e aumentam o risco de pobreza e de maus tratos.
    (…)”.

    Esta questão tem que ser vista com o máximo cuidado. Não se sabe ainda qual vai ser a decisão da DGS. Agora, as atoardas dos anti-vacinas nos comentários – não passam disso.

  20. ervilhoid says:

    coincidência ou não a quantidade de atletas com problemas nestes últimos tempos é alarmante
    https://www.theguardian.com/football/2021/nov/25/wigan-athletic-charlie-wyke-stable-in-hospital-after-training-collapse

  21. Pedro L. says:

    Deviam fazer um estudo sobre a percentagem de filhos pequenos de médicos que são vacinados. Na CMTV logo após o discurso do “camarada Costa” a jornalista faz uma pergunta a uma médica comentadora sobre isto e ela meio engasgada e honestamente disse que não iria vacinar a sua filha (Com o bastonario a sorrir amarelo ao lado)

  22. meister says:

    JN:

    “Vacinas para crianças contratadas antes de a DGS decidir”

    Decidir o que já esta decidido, apenas fazer um compasso de espera para deixar amadurecer a ideia na cabeça das pessoas, assim dá mais credibilidade ao processo:

    https://www.saudemais.tv/noticia/35942-covid-19-graca-freitas-ficara-muito-satisfeita-se-puder-recomendar-vacinacao-de-criancas

  23. Algo says:

    Jovens portugueses já faleceram horas após administrarem essas vacinas, mas nenhuma cobertura.

    Eu pergunto me quantos pais vão submeter os filhos aos mesmos sintomas pós vacina: os próprios adultos sofreram dores musculares, desmaios, vómitos, outros mal levantavam da cama.

    Eu sinto muito pelas crianças e jovens. Sinto mesmo. Péssimo ano letivo, férias horríveis, e agora isto.

  24. Rudi says:

    Para quem é a favor das vacinas porque dizem que está tudo ok, vamos por partes.

    1º- a empresa que fez os ensaios para crianças e gravidas contratada pela FDA está de momento a ser acusada de só fazer asneira e ter dados completamente errados de outros ensaios para a mesma vacina! Nada alarmante ou duvidoso.

    https://www.bmj.com/content/375/bmj.n2635

    2º – a FDA não diz nem NUNCA disse que eram 100% seguras, o que a FDA diz é que os riscos da vacina são inferiores à do virus com a informação que têm actualmente, dai aprovarem uso de emergencia.

    Alias a aprovação da vacina para crianças está com titulo:
    “FDA Authorizes Pfizer-BioNTech COVID-19 Vaccine for Emergency Use in Children 5 through 11 Years of Age”

    Alerto para onde diz EMERGENCIA! Não diz à confiança!

    “The FDA has determined this Pfizer vaccine has met the criteria for emergency use authorization. Based on the totality of scientific evidence available, the known and potential benefits of the Pfizer-BioNTech COVID-19 vaccine in individuals down to 5 years of age outweigh the known and potential risks. ”

    Enfase no “outweigh the known and potential risks”, ou seja e em suma, os beneficios da vacina pesam mais que os potenciais riscos conhecidos!

    https://www.fda.gov/news-events/press-announcements/fda-authorizes-pfizer-biontech-covid-19-vaccine-emergency-use-children-5-through-11-years-age

    Parem com os histerismos e a pressa de vacinar as crianças, toda gente vai apanhar o virus por muitos cuidados que tenham, eu sei o que é guerra NBQ (nuclear, biologica e quimica), tive curso disso, nenhum cidadão está preparado para isto porque acontecem sempre pequenos erros, para piorar a vacina só tem metade eficacia ao fim de 6meses na pfizer e menos do que isso na jonhson, além de que são apenas reduzem a transmissão em 40% da variante delta que é 225% mais transmissível que a original, mesmo com a vacina é pior do que a original, nem mesmo vacinando crianças se dá certo.

    A vacina é experimental, não sabemos problemas a longo prazo e já há muitas queixas de reacções extremamente adversas nas crianças.

    Informem-se e metam na cabeça que o vírus vai ser endémico.
    Mais facilmente desaparece por si com uma descoberta que fizeram no Japão, além de que eles têm uma mutação genética que lhes permite combater melhor este tipo de virus.
    https://www.the-sun.com/health/4117893/delta-variant-mutated-itself-into-extinction-japan/

  25. roberto says:

    Num Futuro próximo , muito, politico, medico, cientista e mais uns quantos sentar-se-ão em Haia Julgados por imposição de genocídio em massa.

  26. DuH says:

    Partindo do respeito pelas opiniões até agora aqui expressas (porque ainda existe liberdade de opinião em Portugal…acho eu), passo a dar um exemplo prático.
    Por esta altura será estatísticamente difícil a restante parte da população não vacinada, não ter já tido contacto com o vírus e ter ganho imunidade. Afinal, o Covid-19 propaga-se a um ritmo aparentemente maior que a gripe, e os infectados nem sempre exibem sintomas, os chamados assintomáticos, lembram-se?
    Gostando eu de respeitar as liberdades dos outros, exijo no mínimo que respeitem as minhas. Pelo que este tipo de imposição da vacinação desde o início me soou mal. Como tal, optei por não me vacinar, já que o risco era para mim e pela minha rotina diária habitual, já desde antes da pandemia, apenas saio de casa para trabalhar e fazer compras. Pelo que, usando sempre máscara (ainda hoje sem a obrigatoriedade), continuei a fazer a minha vida normal.
    Considerando vir a vacinar-me, optei por ANTES desse acto, pagar um teste para saber se tinha ou não anticorpos contra este vírus. Afinal, se alguém já tiver anticorpos, já estará protegida e pode poupar a vacina para outra pessoa que precise. Mas esta é a minha forma de pensar.
    Ora, o resultado do teste demonstrou-me que já estive exposto e tenho defesas, sendo que não senti qualquer sintoma.
    A informação que obtive na clínica onde fiz o teste, é que os testes que o Estado anda a pagar, são mais caros que o teste que fiz (e paguei do meu bolso) e que se estão a desperdiçar vacinas em pessoas que muito provavelmente já terão imunidade natural.
    Quanto a mim, estou seguro que não corro risco, embora sem acesso a um certificado digital porque, não participei a infecção (logo não tenho registada a recuperação), nem me vacinei. Mas não morro por isso, nem por não ir a discotecas, concertos, ou outros eventos sociais onde se aglomeram muitas pessoas.
    Fiquem bem.
    R E S P E C T

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.