Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Riscos das vacinas estão cobertos pelos seguros

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. ToFerreira says:

    Não! Não estraguem o negócio aos negacionistas… Assim vão ter ter se inventar umas tretas novas, tipo a história do grafeno nas vacinas.

    • Zé Gota says:

      Não compreendo se o que não sabes é ler ou se escolhes mesmo ser ignorante.
      O que é que isto tem a ver com os “negacionistas”? Tanto quanto sei, eles negam que exista uma doença tão grave quanto a tem vindo a ser noticiada\declarada.
      No máximo isto vinha ajudar os “negacionistas”, pois a vacina que é administrada tem efectivamente efeitos adversos graves em algumas pessoas supostamente saudáveis (se não, não gastavam 2 milhões em indemnizações).

      • ToFerreira says:

        Andas muito distraído. Não sabes que o facto dos seguros não cobrirem as reações das vacinas era um argumento dos negacionistas, de forma a comprovar a perigosidade das reações e o carácter puramente experimental?
        Eu sei que não andas distraído, simplesmente enfiaste o barrete.

      • Sergio says:

        Se fores hipertenso e tomares clortalidona por exemplo, tambem nao efeitos adversos? se calhar numa percentagem bem mais elevada do que as pessoas com efeitos adversos, da vacina

    • Ricardo says:

      Acho uma palhaçada andarem a chamar negacionistas às pessoas que desconfiam da segurança das vacinas, que por sua vez, tem motivos para desconfiar, a vacina é opcional, toma quem quer, apesar de existirem neste momento condições que forçam as pessoas a serem vacinadas, como é o caso das restrições que começaram impostas com os certificados e que devem ser alargados.

      No mais, um negacionista deveria ser aquele que nega o vírus, e não aquele que nega a segurança da vacina, pois a segurança ninguém a pode comprovar ainda, a curto e longo prazo. Entretanto todas as semanas saem novas conclusões sobre as vacinas e efeitos secundários, e neste momento já morreram mais de 20 mil na Europa após a toma da vacina, segundo o site oficial da União Europeia.

      Eu sou daqueles que defende que todos os grupos de riscos devem ser vacinados, porque de facto os benéficos superam os ricos, mas nos jovens e mesmo em jovens adultos, vê-se o contrário neste momento.

    • enfim says:

      é preciso ser um bostejador real para dizer tal coisa…

      achas que se tiveres um ataque cardíaco algum dia consegues provar que foi da vacina?
      chapam-te logo com a morte por covid…

      deves ter qi negativo

  2. Sardinha Enlatada says:

    O que sao negacionistas ToFerreira ? Sao pessoas que nao podem pensar diferente dos outros ? Por acaso ja existe verdade absoluta sobre este virus ? Se sim qual e ? Obrigado pela atencao, ou nao.

    • Marisa Pinto says:

      Negam a ciência sem perceberem nada do assunto.

      • Zé Gota says:

        E os que percebem?

      • Sardinha Enlatada says:

        Podes ser mais especifica Marisa ? A ciencia abrange muitos assuntos e alguns deles sao quase dogmas religiosos. Em relacao ao virus ha muita mentira sim e nao e por a ciencia ou a universidade de harvard carimbar que seja mesmo assim como eles falam.

        • Hugo says:

          E porque não seres tu mais “específico” em vez de dizeres apenas que há “mentiras”? Os cientistas criaram uma “mentira”, sendo tu mais inteligente, está na hora de apresentares a tua tese. Fico a aguardar…sentado ;D

          • LR says:

            Já somos dois…

          • Sardinha Enlatada says:

            Jovem Hugo uma novidade para ti, que ja deves saber isso, a ciencia actualmente tambem ja esta corrompida. Alias todas as instituicoes estao corrompidas. Money always talks. Com isto nao quero dizer que a ciencia e ma ou esta errada em tudo, apenas que a corrupcao esta a chegar a todo o lado, e com isto do virus nao ficou diferente. Ate os padres, e tudo, a natureza humana revela-se nas mais variadas areas. Mas acho que nao te estou a contar novidade nenhuma.

          • Hugo says:

            Novidade? Chegaste umas centenas de anos atrasado rapaz. Parabéns pela descoberta. Onde há poder e dinheiro há corrupção, agora faz-te um homem e fundamenta as tuas teorias. O que acabas de dizer é literalmente especulação.

          • Sardinha Enlatada says:

            Especulacao ? Ok entao nao ha nada a acrescentar. Fui especulativo. Agora coloco a bola do teu lado. Consegues provar que e diferente ?

          • Hugo says:

            Do meu lado LOOOL
            “A ciencia abrange muitos assuntos e alguns deles sao quase dogmas religiosos”
            “Em relacao ao virus ha muita mentira”
            “nao e por a ciência ou a universidade de harvard carimbar que seja mesmo assim como eles falam.”
            TUDO isto é especulação. Se não tens uma explicação para o que afirmas então tens graves problemas cognitivos.

          • Hugo says:

            Ou seja, tu descredibilizas todo o conhecimento científicoO ideal seria eu criar uma vacina pra mostrar que estás errado. É isso? Que cromo me saíste. Se isso acontecesse aposto que continuarias a contestar AHAH

          • PORTUGAL says:

            Sabes que os cientistas e a organização mundial de saúde em março de 2020 disseram às pessoas para não usarem mascaras a nao ser que tivessem sintomas de covid certo?
            Podes literalmente ver isso na conta oficial da organização de saúde , ja que tu sabes mais do que os proprios experts.

          • Negacionista says:

            Hugo, as teses existem.
            http://vaersanalysis.info/2021/08/14/vaers-summary-for-covid-19-vaccines-through-8-6-2021/
            Isto é um exemplo, é pena que mal critiques um pouco as decisoes(que mudam como o tempo) da DGS e do PowerRanger que esta sempre na TV fardado és considerado um antivacinas e anti medicina.
            Se eu estou errado, eu é estou mal e morro. Se tu estas errado, o mundo está em perigo(ex. Marek disease)

          • Hugo says:

            Claro que disseram PORTUGAL. Não havia máscaras quase. A usar que usassem os infectados, no entanto, mesmo assim esgotaram em todo o lado. São estas pequenas coisas que estão à frente da vossa cara mas como não percebem nem querem perceber como funciona o mundo falam como se fossem boatos de café.
            A real questão aqui é: Se tivesse sido pedido na altura que TODOS usassem máscara qual teria sido a vossa reacção?
            Aposto um rim em como arranjavam outra coisa pra implicar. Criticar é fácil, quero ver é propostas inteligentes, coisa que pessoas com a tua mentalidade NUNCA mas NUNCA, literalmente, apresentam.
            De nada serviria para as decisões tomadas mas pelo menos era uma forma de vos considerar minimamente inteligentes.

        • ToFerreira says:

          Sardinha, como bom negacionista, não podias deixar de usar as falácias argumentativas, neste caso, inversão do ónus de prova.

          • Sardinha Enlatada says:

            Voces sao uns verdadeiros artistas. Nem responder a uma pergunta directa conseguem.Isso so prova que tambem gostam de atirar postas de pescada ao ar.

          • FAR says:

            Qual pergunta?

            “O que sao negacionistas ToFerreira ?” isto?

            Foi respondido logo a seguir: “Negam a ciência sem perceberem nada do assunto.”

            Mas afinal o que quer que lhe respondam? Comece também você a responder com factos em vez de teorias tiradas da “internet social” sff.

          • Sardinha Enlatada says:

            FAR muito gostam de voces de interpretar mal o comentario dos outros. Ninguem esta a desacreditar a ciencia como um TODO. Apenas questionei e frizo bem esta parte “Qual a verdade absoluta que a cienca revela sobre este virus ? ” Apenas isto, nao vale a pena inventarem mais.

      • Ru says:

        Eu fui tomar a vacina. Mesmo a acreditar que são vacinas altamente experimentais.
        Mas não é por isso que vou deixar de questionar todo este circo à volta do Covid. A ciência (farmacêuticas) tem muito a ganhar. Tal como as politiquices e controle de cidadãos.
        Mas qualquer pessoa que não siga a manada da comunicação social é logo apelidada de negacionista, burra, do contra, etc… É proibido questionar.
        O virus existe, sabe-se lá de onde apareceu e/ou porquê. “Divide and conquer”. E assim somos todos levados de mansinho.

        • ToFerreira says:

          A indústria farmacêutica tem muito a ganhar com todas as doenças, que é que isso prova?!
          Não é apelidado de tal quem não segue a comunicação social, mas quem nega evidências e factos. Não é proibido questionar, mas é proibido afirmar sem fundamentos.

        • FAR says:

          Não é proibido questionar. Faz sentido, no entanto, fundamentar as questões que se colocam.

          Se alguém se lembra de repente de questionar se o céu realmente é azul (algo que é geralmente assumido como verdade) sem se dar ao minimo trabalho de fundamentar a sua opinião o que é que acha que acontece? É o mesmo com o covid – se é (regra geral) aceite que é uma realidade alguém que apareça a contradizer tem que ter argumentos, se não passa por parvinho.

          Argumentos como ” A ciência (farmacêuticas) tem muito a ganhar.”, “Tal como as politiquices e controle de cidadãos.”, “O virus existe, sabe-se lá de onde apareceu e/ou porquê.”, ““Divide and conquer”. E assim somos todos levados de mansinho.” são chavões sem nexo todas juntas na mesma ideia com uma vaga esperança de que façam sentido para alguém.

          É claro que as farmaceuticas lucram ao fazer vacinas. É o modelo de negócio deles. É assim com o covid, com a gripe e com tantas outras. Onde é que está a novidade aqui?

          Politiquices e controlo de cidadãos? Epah, isto parece o exemplo máximo de um “bitaite”. A mais pura forma da “posta de pescada atirada”.

          Faz lembrar o discurso de um certo ex-presidente loiro (eua) ou de um certo aspirante a demagogo cá dos nossos lados cuja cor partidária é homologa a “Basta”. Vão atirando o barro à parede com estes preconceitos pouco fundamentados e os mal-informados caem que nem uns tolos.

          Informe-se junto de fontes fidedignas e não de fontes carismáticas. Há muita gente que fala bem e de forma convincente, mas que só diz asneira. Separe o trigo do joio. A internet tem imensa informação e dá voz a milhões de pessoas. Convém é ter presente que nem todas essas pessoas são bem intencionadas, sabem do que estão a falar ou sequer tem as competências que dizem ter.

      • Filipe says:

        Gostas de ser cobaia, isto não é uma vacina mas sim um tratamento de emergência.
        Tudo a morrer de paragem cardio respiratória , coagolos etc..
        A maior parte das pessoas so se vacina porque têm a ilusão que ja podem voltar a fazer tudo o que faziam antes, ate DJs metem nos centros de vacinação.
        Alias vêm aio mais duas variantes em que a vacina vai ser worthless
        Viva ao Jornalixo no PPLWARE

    • Cláudio Andrade says:

      Pensar diferente É uma coisa. Ter uma opinião diferente fundamentada é outra coisa e ser estúpido ao ponto de não saberem o que andam a dizer (negacionistas) é outra

  3. Algo says:

    Está bem, mas eu quero que as próprias empresas farmacêuticas se responsabilizem pelos danos causados pelas vacinas.

    Eu não acho justo elas não serem obrigadas a revelar os ingredientes que adicionam às vacinas como serem imunes por cada morte causada pelas mesmas enquanto faturam bilhões.

    Eu também condeno os mainstream “especialistas” pela falta de integridade e transparência ao se venderem como mensageiros/embaixadores das mesmas empresas fabricantes dessas vacinas.

    • Zé Fonseca A. says:

      Nenhuma farmacêutica no mundo revela os excipientes e fórmulas galenicas, nem mesmo quando perdem a exclusividade da patente, para fazerem posteriormente genéricos as restantes farmacêuticas têm de passar pelo processo de R&D e aprovação sozinhas.
      Facturar milhões ou biliões é a pretensão de qualquer empresa que não pertença ao grupo das non-profit, é como o mundo funciona.

  4. XneloX says:

    Na primeira vacina pfizer nada se passou, na segunda tive 1 dia a recuperar pois parecia que tinha gripe… não arrisco na 3a. Os defensores das vacinas que levem , por mim dispenso

    • Hugo says:

      É perfeitamente normal. Isso são sintomas comuns. Coágulos por exemplo já seria outra história.

      • XneloX says:

        Dispenso essa normalidade , no meu plano de vacinação nunca existiu tal normalidade com outras vacinas.

        • Zé Fonseca A. says:

          Aposto que existiu, lembro-me da vacina da hepatite B, deixava o braço bem mais duro e com mais dor, muita gente teve febres ou outros sintomas.
          Para quem já teve de viajar pelo mundo também sabe como são vacinas para febre amarela, febre tifóide, encefalite, tenho as vacinas de quase todos os continentes, não faço efeitos adversos a nada e tive febres com N vacinas dessas e nada com a do covid, então e medicamentos? É melhor nem falar, tens comprimidos com efeitos 1000 vezes piores, as pessoas são é umas flores de estufa pouco viajadas e mal informadas.

        • João says:

          Febre é um efeito secundário comum nas vacinas…

        • Sergio says:

          Eu com a da hepatite B tive febre, por exemplo… Antes de ir até à Angola levei com a vacina da febre amarela.. febre e dor no braço
          eu compreendo que não queiras levar a 3º ou 4º dose, mas por favor lê um pouco sobre o assunto.
          Qualquer um de nos lembra-se dos pais ou do pediatra, até mesmo na escola, alertarem que em muitos casos o corpo reage à vacinação seja ela qual for.

        • Tuaregue says:

          Nunca tiveste levar de levar vacinas para ires a Cabo Verde, Angola, Moçambique, senão não dizias essas coisas. Assim como tb deves estar esquecido das dores no braço que a vacina contra o tetano provoca.

    • Naopossodizer says:

      EU nao tive nada, custou mais a
      a dor no braço da primeira dose.

  5. Pedro V says:

    “A base de dados europeia de notificações de reações adversas medicamentosas suspeitas contabiliza, em 500 milhões de doses de vacinas, 394 mortes, 13 075 incapacitados permanentes e 330 com sequelas.”

    Desde que não morram de covid não há problema. O resto não interessa para nada.
    Resta saber até que ponto martelam os dados.
    Para aqueles que confiam cegamente em instituições compostas por semelhantes, sugiro-lhes que abram os livros de história e vejam do que somos capazes de fazer e até onde somos capazes de ir por interesses pessoais. Assim de repente, quem compõe as instituições são só pessoas de bem, altruístas e filantrópicas! É isso e o pai natal.
    As elites não precisarão de tantos escravos. Não passamos de números. A robótica, a IA e toda a panóplia de tecnologias existentes e na gaveta são suficientes para substituir os excedentários que representam uma pegada ecológica brutal e que só andam cá a consumir recursos tão necessários ao salutar desenvolvimento da espécie.
    Além de acreditarem no pai natal, acreditam que as elites têm algum respeito e consideração pela ralé. Somos lixo para eles, meras máquinas produtivas. Alguns acham-se diferentes, importantes. Acham que na hora da verdade irão ser incluídos! Aqui na Holanda são chamados de pijpen.

    • Nuno Teixeira says:

      Não sei de onde tirou esses números mas dando de barato que estão correctos.

      Ora, como era estimado que a taxa de mortalidade do Covid fosse de 1% para 500 milhões seria 5 milhões. É um número bem acima de 394.

      Nunca se disse que as vacinas não têm efeitos secundários mas os casos de fatalidade são bem raros. Além disso, não há total garantia que proteja do vírus.

      • Pedro V says:

        Repare nas aspas. Os números estão na notícia.

        • Nuno Teixeira says:

          Sim, está no último parágrafo do artigo. Não tinha reparado.

          E em relação ao que interessa? A vacina tem ou não menos riscos do que o vírus?

          • Joaquim Sobreiro says:

            Que cada um assuma livremente os riscos que entender. Os riscos que o outro queira assumir são da sua responsabilidade. Ponto.

          • Pedro V says:

            Não sei, que tenha conhecimento, o vírus ainda não me tocou. “Vacina” contra a covid não tomei nem tenciono tomar. Daqui a 5 anos talvez. Entretanto, prefiro morrer da doença do que da cura.

            Nem se deu ao trabalho de ler a notícia. É apenas mais um que só aqui vem para meter lenha na fogueira. Não há mesmo hipótese, Portugal é mesmo pequenino nas mentalidades. Tudo é motivo para contraditório, esmiúçam todos os assuntos até ao tutano, apesar de se centrarem apenas em palha. Desliguem as TVs que os 5 canais informativos dão-vos cabo da cabeça. É muito débito de informação. Depois é isto, de 5 em 5 minutos a contabilização dos mortos, internados, maricas e aspirantes a. Enquanto aí em pt discutem o sexo dos anjos, de Paris para cima age-se mais e fala-se menos. É só bla bla, renheunheu.

          • João says:

            “Não sei, que tenha conhecimento, o vírus ainda não me tocou.”

            Típica resposta evasiva e desonesta de quem não sabe o que responder. É óbvio que, ainda pra mais quando no teu comentário referes a mortalidade derivada da vacina, que a pergunta do Nuno é referente à comparação entre a mortalidade da vacina e do vírus.

            Dito isto, afinal em que ficamos? A vacina acarreta ou não menos riscos que o vírus, dado que a letalidade da mesma é várias ordens de magnitude inferior?

          • Nuno Teixeira says:

            Quando o argumento é que cada um faz o que quiser, mesmo tratando-se de uma pandemia, não é preciso dizer mais nada. Isso só mostra que nunca irão perceber que isto só se combate colectivamente.

          • Joaquim Sobreiro says:

            Bem, se cada um não pode fazer o que pensa e o que quer, assumindo voluntariamente os riscos da decisão. Os seguidores da sua verdade absoluta, da única solução possível, a vacina em que eles creem, sejam mais modestos e peçam com educação para os outros os ajudarem com os seus medos.

          • Nuno Teixeira says:

            Quem é que está a falar de medos? Muitos, certamente, tomam a vacina por medo de contrair o vírus. Mas acredito que a maioria toma a vacina como forma de acção colectiva, mesmo sabendo que até poderia nem ter sintoma nenhum se apanhasse o vírus.

        • Pedro V says:

          Vocês lêem todos a mesma bíblia ou são a mesma pessoa com nicks diferentes? “Vamos ao que interessa”. Ao que vos interessa. Leu a notícia ou faz como o Nuno Teixeira que nem isso faz?
          E o meu primeiro comentário, leu ou também não?
          Tomem as doses que quiserem, não me vão é obrigar a isso. Repito, prefiro morrer da doença do que da cura. É uma opção minha. Os vacinados não estão protegidos? Qual é o vosso problema? Não vivo em comunismo. Por isso é que não vivo em pt. Longe disso. Coletivo! O coletivo não me dá nada, só me tira para bancar boas vidas a parasitas que preferem nada fazer. Desde que estejam vacinados não há stress. Minha nossa, as televisões fazem milagres. Quem controla a informação controla gente que não gosta de analisar e pensar por si. Dá trabalho.

          • João says:

            Continuas sem responder colega, mas eu vou voltar aqui a colocar:

            “A vacina acarreta ou não menos riscos que o vírus, dado que a letalidade da mesma é várias ordens de magnitude inferior?”

            “Os vacinados não estão protegidos? Qual é o vosso problema?”

            Uma vacina não impede a infecção, impede sim desenvolvimento da mesma no hospedeiro, por conseguinte reduzindo não só a transmissibilidade da mesma como reduzindo drasticamente as hospitalizações e mortes.
            Em um contexto pandémico, onde o vírus está muito presente numa comunidade virtualmente sem imunidade uma simples abertura (como a que vimos no natal) conduz a um surto de casos e consequentemente um surto de hospitalizações e mortes.
            Como vimos também, nenhum sistema nacional de saúde está preparado para tamanho fluxo de doentes podendo colapsar e indirectamente provocar mortes a outros doentes que não terão apoio médico derivado desse colapso.

            Quais as alternativas para impedir estes surtos? Confinamentos. Mas confinamentos rebentam com a economia (e também causam mortes indirectamente) pelo que devem ser apenas uma medida temporária de emergência.

            Qual a solução? Vacinar a população. Porquê? Porque com a vacinação não só se reduz a transmissibilidade e por conseguinte “aligeiramos” a curva nos surtos, como reduzimos drasticamente o numero de hospitalizações, podendo assim o nosso SNS aguentar muito mais. É por isto que a vacinação é tão importante em um contexto pandémico.

            Quanto ao resto do teu comentário, conversa vaga e oca.

  6. Marco Duarte says:

    Gostava de saber o que um Negacionista vos afeta na vossa vida ,ao que parece um “negacionista” consegue mudar o mundo ,até parece que nunca existiu os “anti vacina “, esta pandemia só veio mostrar o PIOR do ser Humano, dos sites de noticias/informação. Eu nao tenho medo do virus ,tenho medo é da ignorância geral das pessoas.

    • Zé Fonseca A. says:

      Afecta-me o bom senso, tal como um fumador, cenas estupidas de pessoas pobres de espirito.
      Por mim podem morrer à-vontade desde que não prejudiquem os outros.

      • Marco Duarte says:

        E o bom senso deixa te sair de casa onde continuas a infetar quem ainda nao se vacinou ou por opção ou porque quem esta a espera de ser chamado hahaha hipocrisia no seu melhor, fica em casa protege as pessoas da tua presença

  7. Joaquim Sobreiro says:

    “De acordo com números recentes do Infarmed, entre mais de 11 milhões de vacinas administradas em Portugal, até 22 de julho, o foram contabilizados 4015 casos graves de reação adversa.”
    Quanto foi pago pelas seguradoras?

  8. João Luís says:

    Com tanta informação existente sobre o assunto admira-me ver aqui tanta conversa sem sentido … sem pensar e tentar perceber não admira Portugal / Mundo estar como estão …

  9. PORTUGAL says:

    Outra vez com teorias de conspiração pplware? As vacinas são seguras , não há riscos com as vacinas do covid!

  10. meister says:

    Antes de mais queria dizer o seguinte (embora já o tenha feito em outras noticias aqui publicadas):

    – Não nego a pandemia, ela existe.
    – Não nego a eficácia atual das vacinas, me parece que isso esta mais ou menos provado.
    – Não tomei ainda a vacina.

    Agora, o que é ser negacionista?

    Ser negacionista e aquela pessoa que tem medo de efeitos secundarias a medio longo prazo?
    Efeitos esses que devido a urgência das vacinas não estão devidamente referenciados?

    Devo dizer que nos últimos meses tem vindo a aparecer novos efeitos secundários preocupantes, efeitos esses que são precisamente os que me fizeram ter duvidas em relação a toma da vacina.

    Nos últimos 2 meses por assim dizer tem aparecido desde:

    – trombocitopenia imune
    – eritema multiforme (inflamação alérgica cutânea)
    – glomerulonefrite (um tipo de doença renal)
    -síndrome nefrótica (problema renal que causa a excreção excessiva de proteínas pela urina)

    Eu próprio conheço duas senhoras de 69 e 65 anos que duas semanas após a toma da segunda dose da pfizer começaram a sentir dores nas pernas etc, etc, e hoje estão diagnosticadas com artrite reumatoide.

    Eram duas pessoas saudáveis, (dentro do que se possa considerar saudável na sua faixa etária), não tinha problemas de artrite antes.

    Foi coincidência? E possível, mas será ilegítimo pensar que esteja associado a vacina?

    Todos sabemos que em ciência o que hoje é verdade amanha pode não o ser.

    Vou dar aqui um exemplo:

    Á muitos anos a trás eu tomava um medicamento para a síndrome gripal que se chamava “Ornade Spansule”, era um medicamento aprovado pelo infarmed tomei sempre que precisei e diga-se em abona da verdade era excelente.

    Em 2005 aparece isto:
    https://www.infarmed.pt/documents/15786/1090503/Suspens%C3%A3o+das+Autoriza%C3%A7%C3%B5es+de+Introdu%C3%A7%C3%A3o+no+Mercado+de+medicamentos+contendo+fenilpropanolamina/6b25b0b5-ef5a-4bbc-b7c4-57a1fe90406b?version=1.1

    A ciência esta em constante evolução, o que hoje e uma verdade absoluta amanha pode não o ser.
    Agora podem-me dizer: A pensar assim não se deve tomar medicamentos.
    Claro que temos de tomar medicamentos mas o ponto não e esse, o ponto é que o medicamento que referi esteve vários anos no mercado e só ao fim desse vários anos e que foi detetado alguns efeitos secundários considerados graves.
    Portanto quando estamos a falar de vacinas que tem pouco mais de um ano e que a cada “dia” se conhecem novos efeitos secundários (alguns preocupantes), não podemos nos questionar sobre a toma das mesma sem sermos apelidados de negacionista, não me parece correto.

    Quanto a acreditar nos especialistas, isso de especialistas há para todos os gostos.

    Alguns dos ditos especialistas que nos entram pela casa a dentro através dos meios de comunicação sociais são pessoas bem remuneradas pela industria farmacêutica para dar palestras sobre medicamentos, terapias etc, etc.

    Embora não tenha nada contra, uma vez que toda a gente deve ser remunerada pelo seu trabalho, posso e devo me questionar se o que esses especialista dizem está correto ou pelo menos no limite atendendo a informação que possa ou não ter, se faz sentido, se parece logico etc.

    Por exemplo, a mim parecia-me correto que esses especialistas quando dão entrevista aos diferentes meios de comunicação social fizessem as devidas declarações de interesses.

    Aqui podemos ver quanto é que alguns desses especialista receberam por dar as ditas palestras para as farmacêuticas:

    https://placotrans.infarmed.pt/Publico/ListagemPublica.aspx

    Mias uma vez refiro que e justo serem remunerados pelo seu trabalho, mas a pergunta que posso fazer a mim mesmo é se esse especialista esta a ser imparcial ou não.

    Será que ele vai cuspir no prato que come?

    Como tenho dito a muito que esta pandemia deixou de ser gerida pela ciência e passou a ser gerida pela politica, o que para quem se identifica com as minhas duvidas não favorece nada.

    Ter estas duvidas e ser negacionista?
    Se sim, então sou negacionista.

    Cumprimentos.

  11. Antonio says:

    “Custos das indemnizações pagas pelas seguradoras portuguesas por incapacidade ou morte aumentaram 22%, em junho”
    Não deturpem a notícia Pplware. Refiram o artigo todo e não a parte que interessa.
    Claro que o risco das vacinas estão incluídos, com o aumento dos prémios, é óbvio.
    Fonte: https://expresso.pt/coronavirus/2021-08-17-Covid-19.-Reacoes-adversas-as-vacinas-estao-cobertas-pelas-seguradoras-4b8d43b3

  12. Sardinha Enlatada says:

    Acho engracado muito deste pessoal que fica preocupado porque os outros nao tomam a vacina e ate parece que nos querem ajudar. Se calhar muitos de voces nem dao lugar as velhinhas no autocarro e vem para aqui preocupados que toda a gente deve tomar a vacina e e importante para nos livramos do virus. Vou dizer isto em letras bem garrafais para nao haver duvidas VOCES SAO E UMA CAMBADA DE IDIOTAS.

    • Hugo says:

      Sim, dar o lugar no autocarro é comparável a meter um velhote a correr risco de vida. Cada vez estás mais burro.

      • Sardinha Enlatada says:

        Tu e que estas mais parvo, nem entender o contexto nos comentarios dos outros consegues. Nao admira que muitos de voces tentam distorcer os comentarios dos outros, voces e que sao os verdadeiros trolls e depois e esta guerra de palavras e semantica que e uma coisa doida.

        • Hugo says:

          Não distorci nada. Foram palavras tuas. Dás importância às prioridades no autocarro mas vacinar-te para pelo menos tentar poupar vidas esquece, os outros que se vacinem LOOOL

          • Zé Gota says:

            Vacinar para poupar vidas além da tua?
            Que eu tenha conhecimento, tanto um vacinado como um não vacinado poderá eventualmente transmitir o vírus.
            A única benesse é que o vacinado poderá não ter sintomas mais acentuados, o que em algumas pessoas com o sistema imunitário mais debilitado poderá levar à morte.

            Não sou contra a vacina e até defendo que pessoas com o sistema imunitário débil ou idoso deverão tomar a vacina o mais rápido possível, mas tentar incutir a outra pessoa que não ser vacinado mete em risco a saúde de terceiros, é no mínimo descabido, pois se a pessoa é de risco e não toma a vacina, o ónus da responsabilidade passa para essa mesma pessoa.

            Sou da opinião que quem toma a vacina, poderá andar mais “livre” pois poderá não ter sintomas que permitam a proliferação do vírus de uma forma mais fácil (independentemente de poderes transmitir à mesma), mas também sou da opinião que se estás doente, deverás ficar em casa afastado de todos, até estares devidamente recuperado, fazendo com que desta forma que não transmitas o vírus (seja COVID ou não) a terceiros. Se já se fazia isso com a gripe, porque não fazer com o COVID?

            Uma pessoa não querer ser vacinado porque tem uma taxa de incerteza elevada e querer ser mais reservado, não significa que seja um novo “assassino”, com mania da perseguição e\ou “negacionista”. Acho que temos respeitar a opinião de todos, independentemente se vai contra a nossa ou não.

            Por enquanto escolho não ser vacinado, e caso venha a ter o mínimo sintoma associado ao COVID, faço o teste e fecho-me imediatamente em casa avisando qualquer pessoa que eu tenha estado em contacto para se prevenirem caso sintam alguma coisa (sejam vacinados ou não). De qualquer das formas, sigo a risca todas as recomendações para não apanhar e transmitir COVID (máscara, distancia de segurança, mãos higienizadas, etc.).

            É a minha opinião. Não estou a atacar ninguém nem a dizer que a minha opinião é a certa. Apenas é o que é.

          • Hugo says:

            Não condeno o facto de não confiares na vacina pois pareces uma pessoa consciente mas não falta por aí muito boa gente que sabe que está infectada e faz a vida normal. Outros não sinalizam contactos de risco para não “chatear” as pessoas. É esta canalha que devia ser responsabilizada pois por muito baixa que seja a taxa de mortalidade estamos a falar de uma pandemia e não de uma virose qualquer.

          • Zé Gota says:

            Concordo.

          • Sardinha Enlatada says:

            Hugo estas todo queimadinho da cabeca. Vamos la esmifrar o teu ultimo comentario. Entras em constante contradicao sem te aperceberes disso. “Nao condenas ele por nao confiar na vacina” Entao e condenas os outros por nao a tomar ? Primeira contradicao. “Por muito baixa que seja a mortalidade estamos a falar de uma pandemia” Entao nao estou a perceber ? Os numeros sao o que sao nao podes inventar o que la eesta, e logo a partida nem devias chamar a isto de pandemia com estes numeros ridiculos. Segunda contradicao. Agora podes ripostar que eu nao vou responder. Nessa tua cabecinha oca nunca vais conseguir entender a importancia que se deve dar a este numero de mortos. Que e zero.

          • Hugo says:

            Exactamente sardinha. Ele tem um ponto de vista e uma atitude perante a sociedade. Há que respeitar. Tu és só ignorante e egoísta. O teu último comentário mostra precisamente isso. Tenho amigos que não levaram a vacina e entendo os pontos de vista mas são pessoas que estão alguns níveis acima das tuas teorias. Talvez não te saibas exprimir, também pode ser isso mas tenho dúvidas.

          • Hugo says:

            Uma pessoa que diz que não existe pandemia só pode ter um nome: BURRO (e olha que já te deixei aqui uma vez a definição de pandemia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.