Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Portugueses fazem descoberta importante sobre o SARS-CoV-2

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Manel says:

    Em Portugal tudo se descobre mas nada se resolve.
    A ligação entre ciência e empresas e investimento de risco não existe em Portugal. Logo fica sempre tudo em águas de bacalhau.

  2. Alpha says:

    Qual é a novidade?
    Também continuam a ignorar o papel das células T na imunidade a longo prazo, que só com a infecção natural ou uma vacina de virus empobrecido pode dar!

    Actualmente focam-se todos nos anti-corpos que duram poucos meses.

    Mas como não interessa tocar nesse ponto (por interesses), fica silenciado.
    Por isso em Israel os únicos que não aparecem no hospital são os recuperados (os poucos que há provavelmente seriam falsos positivos)

    • Adeus says:

      Também existe muita desinformação criada por comentários deste género,um problema maior que o covid19.

      • Vítor M. says:

        Eu acho estranho neste século algumas pessoas ainda terem uma resistência pouco intelectual às vacinas quando para entrarem na escolha tinham de ter o boletim de vacinas atualizado ou nem poderiam ser matriculados. Mas sempre foi verdade que o povo tem memória curta.

        • art says:

          Não é disso que se trata , pelo menos no meu caso…o que eu acho estranho , é que quando um dos maiores especialista mundiais em vacinas (https://www.geertvandenbossche.org/) , diz que este caminho da vacinação em massa no meio duma pandemia , está errado , ninguém o entreviste ,ninguém se refira a ele . O homem e quem o apoia até podem estar errados, mas o que se está passar é simplesmente censura , com o fim de impor uma verdade à força . Em poucos segundos descobri que não há unanimidade sobre a vantagem da vacinação , mas para os canais de informação simplesmente não existem dúvidas ..depois da abertura em Inglaterra , o número de casos caiu a pique , pela lógica da batata , que agora prevalece , os bares e discotecas são mais eficazes que as vacinas ?…

          • Vítor M. says:

            Políticas à parte, é óbvio que a única forma de combater este vírus é a vacina. Não há outra forma. No entanto, no meio disto tudo, acredito que haja negócios e outros malabarismos, o natural dos países e governantes sem escrúpulos. Claro que as pressões económicas são muitas, como se pode gerar dinheiro para alimentar as pessoas? Como podem os governos ajudarem as empresas para as empresas pagarem aos seus funcionários se não estão a trabalhar, a gerar riqueza?

            Só através da vacinação conseguimos ultrapassar esta crise.

            Sobre o Dr. Geert Vanden Bossche, bom ele passou a vida dele a estudar e a desenvolver vacinas, como pode agora dizer que a vacinação em massa não é a solução? Faz algum sentido? Então no caso do Ébola, onde ele esteve nas equipas de investigação, não era a vacinação de massa, num espetro bem menor, mas igualmente em massa, que se continha caso a propagação ficasse descontrolada?

            A vacina da gripe, não se faz todos os anos pelo mundo fora uma vacinação em massa? Quando apareceu a pandemia de gripe A de 2009, nalguns países não houve uma vacinação em massa? Houve pois. Tudo isto é estranho porque muuita gente quer protagonismos, outros querem destacar o seu trabalho, e outros querem ganhar dinheiro. Mas no fundo, se estás vacinado, está imensamente mais protegido.

          • ToFerreira says:

            @ Vítor M
            Bom trabalho no sentido de desmontar a desinformação.

          • Chalupa pela verdade says:

            LOL vá ver a percentagem de pessoas vacinadas no UK e depois venha aqui reescrever a parte da abertura em Inglaterra

          • Filipe says:

            Senhor Art, tanta coisa com esse mimimi todo, que todos gostam de espalhar pela internet como se eles fossem os sabedores de toda a verdade e os cientistas que trataram de nos dar as vacinas não percebem nada disto.
            Mas tal como a gripe que é um corona-vírus também, esta “versão” também é para convivermos com ela como se fosse uma gripe, mais tarde ou mais cedo.
            O que as pessoas não entendem, e vêm ladruzir sobre “ai a minha liberdade” é que as vacinas aceleram esse processo. Quanto mais depressa isto fique controlado, mais rapidamente voltamos a uma vida “normal”, claro que com os devidos cuidados na mesma.
            Mas como tanto percebem disto as pessoas que usam comentários como o teu como quem manda nisto e escolhe as medidas a aplicar, este festim irá continuar por mais uns anos, porque coitadinhos, não podem ser verificados que não estão infectados antes de entrarem num local onde existem grandes ajuntamentos…

            Cuidem-se mas é, em vez de espalhar informação que não é verdadeira, tendo cuidados para não se meterem em “alhadas”. A protecção de todos, com ou sem vacinas, começa por ti. Pensa nisto.

          • paosemsalada says:

            depois da abertura da englaterra os casos cairam a pique? amigo, eu vivo na inglaterra os casos só aumentam! procura nas noticias, esquece o facebook e coisas do genero.. o proprio boris disse que ia morrer mais gente e ter muito mais casos

          • azeitetugalia says:

            @art

            Não há consenço porque esta meio mundo a aldrabar outro meio. Como as campanhas de desinformação dos Russos no Tik tok e facebook. Ou também colaste o télémovel ao braço?

            “depois da abertura em Inglaterra , o número de casos caiu a pique” Claro depois de 90% da população vacinada e porque os internamentos e mortes cairam a pique não os casos diários. Quando anunciaram a anulação das restrições tinham cerca de 50m casos diários.

            @Filipe vai estudar

            Gripe vem do virus influenza. Outras infeções respiratorias do Rhinovirus.

            “todos gostam de espalhar pela internet como se eles fossem os sabedores de toda a verdade”

            A verdade é não há nenhuma solução sem riscos. Mas ser antivax resolve o que? É melhor apanhar o virus que muito possivelmento foi modificado no laboratório de Wuhan e que continua cada vez mais perigoso com as mutações? Ou arriscar na vacina mesmo que apressada que demonstra a sua eficacia ( e basta olhar para os números)

            Portantes antes de mandar bitaites faxavor ler um bocadinho fazer 2+2, exercitar os neurónios. O povo agradece.

        • aiaiaipt says:

          Eu acho estranho, neste século, as pessoas sujeitarem-se a uma vacina pouco ou nada testada (pelo menos em duração dos testes) e comparar com vacinas que foram testadas exaustivamente durante anos!
          Acho estranho tanta gente se sujeitar a ser cobaia sem ninguém conseguir explicar quais os riscos a médio/longo prazo para a saúde de quem a toma.
          Acho estranho nesta falsa democracia falarem em liberdade de opinião mas esquecerem-se de ouvir quem tem duvidas e principalmente esquecerem-se que ainda existe liberdade de escolha. (mesmo que a queiram condicionar)
          Acho estranho, falar em aumento de eficácia da ‘protecção’ com a 3a dose, para idades entre os 18 e 60 e pedirem autorização para promover essa 3a dose quando o teste foi feito em 23 (vinte e três) pessoas.
          Mais estranho ainda quando nem a própria CE conseguiu dar aprovação final a qualquer uma delas.
          “My 2cents” e não falei em ‘chips’ nem conspirações.

          • Vítor M. says:

            Como é possível dizer que a vacina foi “pouco ou nada testada”? É completamente mentira, falso, deturpado. Usou-se agora uma tecnologia super avançada, o mRAN que é estudado e aperfeiçoados desde 1960. É uma tecnologia completamente revolucionária que vai mudar por completo o futuro tratamento das doenças.

            Além disso, as vacinas têm um princípio usado em tantas com tantos anos de experiência. Mais que isso, nunca houve tanta tecnologia a decifrar este vírus como se aplicou ano passado. Nunca se fez uma vacina com tanta eficácia como estas. Como é possível que alguém digas nos dias de hoje que estas vacinas não tiveram tempo de teste? Nunca houve nenhuma vacina com tantos testes e com tanta tecnologia como esta. Nunca houve tantos laboratórios e especialistas, cientistas e virologistas a trabalhar em conjunto, nunca.

            Ainda não se sabe tudo, não, ainda não se sabe, mas tem a ver com o facto do ser humano ser diferente de país para país, de continente para continente e com hábitos de saúde e higiene diferentes. Além disso, o tempo em que a doença se propaga sem ser atacada. O mal é não haver uma taxa de vacinação no globo com a mesma incidência que há nos países mais ricos. Por isso as variantes vão surgindo, mas ainda nenhuma ultrapassou a eficácia das vacinas.

            As vacinas são a única forma de nos protegermos e da sociedade voltar a uma normalidade, mesmo com novos hábitos de higiene social.

          • Artur Peralta says:

            Apenas um reparo, querem nos vender que a única solução é a vacina. Se houver um tratamento profilático atempadamente e eficiente é muito melhor que a vacina. Não se investiu foi no tratamento, apenas nas vacinas. “Um doente curado é um cliente perdido”.

            Não sou contra as vacinas, mas esta doença é a única que não se trata antecipadamente. é “vá para casa e venha ao hospital qundo tiver quase a morrer”. E outra coisa que não se entende é porque raio a imunidade natural não presta, mas a forçada é a melhor?

            Isto não é negar nada, são questões válidas e a ciência é feita de dúvidas e questões. Hoje em dia é que não se pode questionar nada…

          • Chalupa pela verdade says:

            Artur Peralta, a imunidade natural não presta? Claro que presta, o pequeno problema é que até lá ias ter 1 ou 2% das pessoas a morrer mesmo com tratamento, fora as pessoas que iam morrer por não poderem recorrer a tratamentos por termos os hospitais completamente entupidos. Ou a tua solução era estarmos confinados vários anos até conseguirmos ter a população completamente imunizada sem ser à “força”? Que ridículo.

            Pode usar os tratamentos muito badalados por Trumps, Bolsonaros e ver se resulta.

            Pode questionar, agora faça perguntas válidas, não são perguntas que qualquer pessoa com um QI normal consegue responder rapidamente.

            O que você está a perguntar está ao nível de alguém perguntar porque é que um jogo de futebol começa com o apito do árbitro.

            Pode-se questionar como funcionam as vacinas, como é que conseguiram chegar num tempo recorde ao mercado (se calhar vai ficar aliviado com as respostas), isso são perguntas normais.

          • Nuno Teixeira says:

            @Chalupa pela verdade +1000

          • Artur Peralta says:

            @Chalupa pela verdade, lá está, partes de premissas que vês na televisão. Tratamento paleativo desde antecipado não tem nada a haver com “entupimento de hospitais”… por só irem ao hospital “quase a morrer” é que morrem mesmo. O tratamento inicial é justamente para tentar não avançar para casos graves.

            No entanto a tua resposta demonstra que não se pode mesmo perguntar sem saber antes se é uma pergunta válida ou não… enfim… o “parolo” afinal é quem ridiculariza qualquer questão… No meu ponto de vista, TODA a questão colocada é válida, seja ela qual for. Se um acha ridícula, outros tantos podem ter essa mesma questão por responder…

          • Chalupa pela verdade says:

            Conheço um caso de quem só foi para o hospital por estar mesmo mal porque ouviu gente ignorante a dizer que isto do covid era uma treta, felizmente sobreviveu. Agora já passamos a fase do covid é uma treta para a fase da vacina é uma treta.

            Do que vejo na televisão? Ou de que pessoas que trabalham nos hospitais públicos me disseram? Mal vejo televisão, portanto isso da carneirada e tudo mais deixa para outro.

            Então se eu te perguntar se Deus é um grande macaco que passa a vida a atirar dejetos a seres humanos que se portaram mal durante a vida térrea é uma pergunta válida?

            Claro, mas tu não vens perguntar, vens antes desinformar. Que dados é que tu tens para afirmar esta barbaridade: “Se houver um tratamento profilático atempadamente e eficiente é muito melhor que a vacina. Não se investiu foi no tratamento, apenas nas vacinas. “Um doente curado é um cliente perdido”.”

            Estás a dizer que quem teve hpv não estaria melhor tendo sido vacinado antes? Estás a dizer que quem teve hepatite não estaria melhor tendo sido vacinado antes? Estás a dizer que quem teve tétano não estaria melhor tendo sido vacinado antes?

            Só para veres o ridículo do que afirmas.

          • Artur Peralta says:

            enfim… tens razão sim, que ridículo da minha parte… discutir contigo…

          • Chalupa pela verdade says:

            Percebe uma coisa: existem coisas que podem ser discutidas, depois existem os factos.

            2+2 =4 por mais que alguém diga que é 5 e queira discutir que não é 4.

            O problema das pessoas é que pensam que podem discutir factos. Podemos discutir se o socialismo é melhor que o capitalismo, se o Porto é melhor que o Benfica ou se os políticos em Portugal são todos corruptos, porque lá está são opiniões e não há nada consensual que indique que é uma coisa ou outra.

            Não podes discutir se são as vacas pretas que fornecem leite com chocolate, se a terra é redonda ou se a vacinação foi um grande passo para a sobrevivência da humanidade. São factos.

          • Miguel Gomes says:

            Artur Peralta, obviamente que nunca trabalhaste num hospital…

            Eu feliz ou infelizmente tenho muitos profissionais se saúde chegados, na sua maioria enfermeiros, e efetivamente fiquei assustado com relatos, com fotos de raio-x a pulmões de doentes covid, aos doentes com sintomas leves que, poucas horas depois, descompensam e vão diretos para os intensivos, e não falo só de idosos.

            conheço atletas de futebol que nunca recuperaram os indices físicos depois do covid, não aguentam um jogo como antigamente dizem eles… Entre outras pessoas que ficaram sem paladar ou cheiro durante meses, e ainda hoje acham que não estão a 100%.

            Pensei que essa ideia do que o covid é uma doença perigosa só para os idosos já tinha sido completamente destruida, mas infelizmente não…

          • Cucu says:

            Ganda chalupa

        • Lecas says:

          Vítor M. , tem de se informar melhor. Não ouça tanto os “comentaderios” das TVs e fale com direções das escolas básicas/secundarias.
          O boletim de vacinas NUNCA foi impedimento de matricular ou não crianças.
          A escolaridade até ao 12º ano é OBRIGATORIA.
          Mais depressa a GNR bate á sua porta para levar a criança á escola do que alguém o impede de matricular a criança pq nao tem vacinas.
          Elas são obrigatórias mas só em letra de texto . Não há penalizações nem podem impedir de frequentar a escola.
          Nisso vai ter que se informar melhor.

          • Vítor M. says:

            Estás enganado. Eu era criança e sem o boletim em dia não era permitida a matrícula. Os país tinham de levar os filhos para estes terem o plano de vacinação em dia. Aliás, era uma obrigatoriedade a apresentação do boletim nos documentos para a matrícula escolar. Isso nem tem discussão.

            Atualmente pode já não ser uma obrigatoriedade, mas no meu tempo de escola, principalmente na primária e posteriormente no segundo ciclo, sem as vacinas em dia, nada de matrícula. Hoje, porque muita doenças estão erradicadas graças à vacinação, o boletim de vacinas já nem é necessário. Mas isso graças ao plano nacional de vacinação.

            Por isso, malta, deixem-se de tretas, vacinem-se e deixem de conversa fiada.

          • Filipe says:

            Ai não? Então para que pedem o boletim de vacinas para a matrícula? Para as universidades também pedem o boletim de vacinas. Até para darem contrato de trabalho pedem o boletim de vacinas!
            Não pedem só para olhar para ele, obviamente… Achas tu que não impedem! Informa-te.

          • TóSousa says:

            Eu não era criança, mas em 1980 tinha de ter as vacinas do tétano em dia para poder matricular na faculdade….
            Era obrigatório ter um conjunto de vacinas até há uns anos, depois é que veio a moda de não ser obrigatório e agora vemos algumas doenças praticamente erradicadas na Europa a voltarem por falta da imunidade de grupo que as vacinas conferem.

          • Lecas says:

            Vítor, a escolaridade obrigatória de 12 anos tem 15 anos. Estás a falar de um passado remoto que já não existe há muito tempo. Atualiza-te. Escolaridade obrigatória não combina com obrigatoriedade de vacinas. Eu sei do que falo, estou no meio.

          • Vítor M. says:

            Tens de te informar. Olha um link que deixaram sobre a obrigatoriedade das vacinas. De nada 😉

          • k says:

            Tirado de um site governamental sobre o assunto (link abaixo) e não de comentários aleatórios:

            As vacinas contra a difteria e o tétano são obrigatórias.
            O cumprimento da toma das vacinas do Programa Nacional de Vacinação, na generalidade, não é obrigatório. Contudo, existem exceções como a vacina contra a difteria e o tétano, que se aplicam nos seguintes casos:

            – Para fazer a matrícula num estabelecimento de ensino precisa das vacinas atualizadas contra a difteria e o tétano.

            – Para realizar um exame num estabelecimento de ensino também precisa de ter as vacinas atualizadas contra a difteria e o tétano.

            https://eportugal.gov.pt/cidadaos-europeus-viajar-viver-e-fazer-negocios-em-portugal/cuidados-de-saude-em-portugal/saude-preventiva-em-portugal-vacinas-e-programas-de-rastreio

            Não só era preciso ter vacinas em dia antigamente como continua a ser obrigatório hoje em dia, pelo menos de duas (embora as outras também sejam recomendadas), para te poderes matricular.

            Vai-te tu informar melhor antes de dizer asneiras.

    • Nuno Teixeira says:

      Se sabes tanto porque é que não submeteste um artigo e verias o teu nome na boca do mundo?

    • Luis Rosalino says:

      Oh Alpha vai-te f****, não há meio termo. Grande trabalho desta equipa de cientista entre outras e tu num misero artigo de uma rede social banalizas esta pesquisa como quem muda de camisola. Não vale tudo para se ser o maior no mundo virtual por meros 5 segundos!

    • ToFerreira says:

      Qual foi o estudo com resultados concretos que foi silenciado? Ou estás a falar de opiniões? É que os opiniões são como os cus, cada um com a sua, e sem factos que a suportem, a do vencedor do prémio nobel vale tanto como a do trolha.

    • Miguel says:

      É a primeira vez que se usa vacinas mrna em larga escala. Lembrando que este tipo de vacinas é chumbado constantemente á mais de 15 anos devido á ineficácia apresentada e perigos posteriores.
      O armazenamento e transporte é extremamente dificil sendo as vacinas mrna estremamente frágeis. As probabilidades da vacina estar “danificada” na hora da toma são consideráveis dependendo de cada país.

      Foram lanºadas estas vacinas mrna sobe o acordo de “emergência mundial” que foi acordado.

      • Chalupa pela verdade says:

        Tomas a Johnson visto que não é mRNA e usa o que as vacinas normais usam.

        • Miguel says:

          E onde é que se pode escolher? A Astra também não é mrna.

          • Nuno Teixeira says:

            Vou-te dar um conselho: a melhor vacina é a japonesa AkiTem

            Ou vens agora dizer que quando tomas a da gripe ou a do tétano vais escolher a marca

          • Chalupa pela verdade says:

            Eu ia receber a Johnson e pedi para alterar para a moderna e fizeram esse favor. Não sei qual é a tua idade, mas homens abaixo de 50 está tudo a ser corrido a Johnson. A Astra é só para pessoas mais velhas.

  3. DataSmurf says:

    https://www.cnbc.com/2021/07/30/cdc-study-shows-74percent-of-people-infected-in-massachusetts-covid-outbreak-were-fully-vaccinated.html
    CDC study shows 74% of people infected in Massachusetts Covid outbreak were fully vaccinated
    The new data, published in the U.S. agency’s Morbidity and Mortality Weekly Report, also found that fully vaccinated people who get infected carry as much of the virus in their nose as unvaccinated people.

    https://www.wsj.com/articles/some-vaccinated-people-are-dying-of-covid-19-heres-why-scientists-arent-surprised-11625227200
    As the Delta variant of the coronavirus surges through the U.K., almost half of the country’s recent Covid-19 deaths are of people who have been vaccinated.

    https: //observador.pt/2021/08/02/hospital-de-sao-joao-42-das-pessoas-em-enfermaria-com-vacinacao-completa-no-resto-do-pais-sao-2/
    Hospital de São João: 42% das pessoas em enfermaria com vacinação completa.

    https://www.geertvandenbossche.org/post/why-the-ongoing-mass-vaccination-experiment-drives-a-rapid-evolutionary-response-of-sars-cov-2
    Why the ongoing mass vaccination experiment drives a rapid evolutionary response of SARS-CoV-2

    https://www.geertvandenbossche.org/post/not-covid-19-vaccine-mediated-but-naturally-acquired-immunity-enables-herd-immunity

    Atingir a imunidade de grupo com este tipo de vacinas é a piada do século!

    • Chalupa pela verdade says:

      A piada do século é tu pegares em títulos sensacionais e não leres lol não sei se tens problemas cognitivos ou se tentas criar desinformação porque és do Chega.

      1 Noticia: “Roughly 97% of new hospitalizations and 99.5% of deaths in the U.S. are among unvaccinated individuals” – Check Donkey Completed

      2 Notícia: “And Delta is spreading among a population that is among the most highly vaccinated in the world: 85% of adults have had at least one vaccine shot and 63% have had two.” “On the contrary, they say the figures so far offer reassurance that vaccines offer substantial protection against the variant, particularly after two doses. “But ministers are increasingly confident that the unlocking will take place as planned because vaccinations have broken the lockstep between new cases, later hospitalizations and deaths.”Data from Public Health England show that there were 117 deaths among 92,000 Delta cases logged through June 21. Fifty of those—46%—had received two shots of vaccine.” Check Donkey Completed

      3º noticia: “15% das pessoas nos cuidados intensivos são vacinadas” “Hospital de São João: 42% das pessoas em enfermaria com vacinação completa. No resto do país são 2%” Check Donkey Completed

      As últimas duas já comentei acima, mas se não queres viver em sociedade tens bom remédio: vai para o meio do monte e aí ganhas imunidade a muitas coisas ou acabas por morrer por seres o elo fraco.

      • Miguel says:

        Lembro que muitos “sensionalistas” “negacionistas” em 2019 inicios de 2020 diziam que as mortes por gripe e pneumonia comum seriam todas registadas com covid-19 para justificar numeros ,

        Adivinha quantas mortes por gripe e pneumnia houve! Áhh…pois… foi da mascaras. Lol

      • Tanso Mor says:

        Muito bem respondido! Eu não teria perdido 1 minuto a atirar perolas a porcos mas gabo-te o serviço público!

  4. Lecas says:

    estas vacinas não dão imunidade de grupo, os governos ja o deveriam ter dito na tv
    mesmo vacinados há transmissão
    o que é que não percebem?

    • Nuno Teixeira says:

      O que não percebes é que sempre se disse que mesmo vacinados o vírus pode circular mas (vou-te dar uma novidade) as vacinas fazem com que tenhas muito menos chance de morrer ou ter complicações graves caso sejas infectado, aliviando assim as morgues e as UCI.

    • DataSmurf says:

      Lecas, essa é que é a verdade!
      O objetivo é admitir que a imunidade de grupo não funciona com este tipo de vacinas apenas quando quase toda a população já estiver vacinada.

      Em relação ao comentário do:
      Nuno Teixeira 4 de Agosto de 2021 às 18:08
      O que não percebes é que sempre se disse que mesmo vacinados o vírus pode circular…

      Respondo da forma mais simples que consigo:
      DataSmurf 8 de Junho de 2021 às 01:08
      Uma vacina no verdadeiro sentido da palavra, evita a infeção do vírus ou bactéria para o qual foi concebida, as “vacinas” para o coronavírus não impedem essa infeção e a posterior disseminação/transmissão/contágio a outras pessoas, funcionando apenas como supressores de sintomas. Estás algo equivocado em relação a esta matéria.

      resposta dos negacionistas da altura:
      Rui 8 de Junho de 2021 às 05:18
      Vacina serve como supressor de sintomas?
      Não impedem a propagação do virus?
      As pessoas vacinadas apanham o virus mas nao tem sintomas e continuam a passar o virus aos outros?
      Nao fazes a minima ideia do que andas a falar. Apenas andas a espalhar boatos do youtube.
      Tu andas completamente equivocado sobre o que é uma vacina para o Coronavirus e sobre a eficácia das mesmas.

      Seria cómico se não fosse tão trágico!

      • Chalupa pela verdade says:

        Então se cientista, porque é que temos gripes todos os anos e são dadas vacinas da gripe que na melhor das hipóteses tem 60% de probabilidade de darem imunidade?

        • DataSmurf says:

          Mas ouve lá, estás mesmo a comparar a vacina da gripe com as vacinas para a covid-19? Vai estudar as diferenças, e depois conversamos. De outro modo, não vou perder o meu tempo contigo.

          • Chalupa pela verdade says:

            “Uma vacina no verdadeiro sentido da palavra, evita a infeção do vírus ou bactéria para o qual foi concebida, as “vacinas” para o coronavírus não impedem essa infeção e a posterior disseminação/transmissão/contágio a outras pessoas, funcionando apenas como supressores de sintomas. ”

            A vacina da gripe faz mesmo o quê? É que se não não percebo como é que temos mortes de gripe.. se os grupos de risco tomam a vacina porque é que morrem se segundo vossa santidade as vacinas tem que garantir imunidade imediata e total?

            Deixa de desinformar

          • Chalupa pela verdade says:

            Aí que ela está a ficar irritada quando os vidros começam a partir.

        • C.S. says:

          Estás a comparar as vacinas da covid com as vacinas da gripe?
          Ou estás a querer dizer que o vírus da gripe é igual ao vírus da covid?

        • TóSousa says:

          Chalupa, a ignorância é a mãe de todas as mentiras.
          Então não sabes que há montes de variantes do virus da gripe?
          Por cada ano as vacinas escolhem os virus que pensam ir ser mais prevalentes, e por vezes não acertam, por isso as baixas taxas de sucesso da vacina da gripe.
          Eu sou dos que deviam tomar a vacina da gripe mas com baixa proteção não a tomo, a da Covid já a tomei e se for preciso reforços tomo, porque tem uma taxa de sucesso na proteção bastante superior.

      • Chalupa pela verdade says:

        É que vocês além de pelos vistos não saberem o conceito de vacina, ainda se vangloriam da verborreia que vem para aqui escrever.

        Porque é que será que crianças que não são vacinadas com a vacina do sarampo não podem frequentar escolas públicas? Será que é por poderem apanhar e depois transmitir a quem a vacina do sarampo não funcione ( não existem vacinas que garantem 100% de imunidade) e daí começar uma nova corrente de casos? Ahahahah tão hilariante os burros que nós fomos em ser vacinados e nem nos garantirem a 100 % que ficamos imunes!

        É isto o vosso nível de demência

        • Lecas says:

          Vou dizer pela última vez. Em Portugal já há muitos anos existe escolaridade obrigatória de 12 anos. Não há nenhuma NAO TOMA de vacina 1ue impeça alguém de se matricular no ensino básico/secundário.

        • Lecas says:

          Vou dizer pela última vez. Em Portugal já há muitos anos existe escolaridade obrigatória de 12 anos. Não há nenhuma NAO TOMA de vacina 1ue impeça alguém de se matricular no ensino básico/secundário.

        • Sardinha Enlatada says:

          O Chalupa e daquelas pessoas quando colocam-lhe questoes pertinentes troca-se todo nos comentarios. Realmente e perca de tempo falar contigo. Tu e que sabes tudo ficas sempre a responder aos comentarios das pessoas como se todas elas estivessem erradas ja reparaste ? Nem te consegues ler a ti proprio.

  5. Joaquim Sobreiro says:

    1. Se fica doente depois da primeira é porque lhe faltava a segunda.
    2. Se fica doente depois da segunda é porque não tinham passado 21 dias.
    3. Se fica doente depois de 21 dias é porque “a injeção é para que não seja grave”
    4. Se for grave é porque ” a injeção é para que não morra”.
    5. Se morrer ” nenhuma injeção é 100% segura. .. é culpa dos assintomáticos que não se querem injetar. “

  6. Nuno Teixeira says:

    Comentário do dia? Deixa de ser burra/o é que já chateia!

    A vacina é para que tu e outros não MORRAM! Por isso, o que vai acontecer se fores infectado, é que ficas doente com sintomas leves

    • C.S. says:

      Deves estar muito preocupado comigo.
      Se a vacina não é obrigatória para que é que é este assédio moral?

    • Sardinha Enlatada says:

      Ou tambem com a imunidade natural pode nem lhe acontecer nada. Escapou-te essa parte.

      • Nuno Teixeira says:

        Não, não me escapou essa parte mas prefiro ser infectado à força do que naturalmente.

        • Sardinha Enlatada says:

          Temos masoquitas comentadores lol. Entao preocupa-te contigo e deixa os outros em paz. A vida e deles nao e tua. Tambem ainda nao percebeste essa parte.

          • Nuno Teixeira says:

            És tão limitado que nem percebes o que quis dizer e dizes que sou masoquista.
            Continua a olhar para o teu umbigo e passa bem!

          • Zé Fonseca A. says:

            Quando ele for a uma entrevista de emprego e for deixado de lado por não estar vacinado depois chora.

          • Sardinha Enlatada says:

            Ze Fonseca sabes que isso e descriminacao nao e ? E muitas pessoas ja perceberam que este virus nao e tao letal como a comunicacao social quer fazer crer. Mas so voces e que insistem nisso. Devem estar a pagar-vos para continuarem a espalhar desinformacao.

          • Zé Fonseca A. says:

            Claro que é descriminação, e então? Hoje em dia descrimina-se por tudo, eu olhando para a pele de uma pessoa consigo facilmente perceber se fuma e se bebe e numa entrevista de emprego é logo riscada, não precisei de perguntar se fumava ou bebia, por isso a descriminação nunca é real nem compravada.
            Isto faz-se em todo o mundo e vai continuar a fazer-se.

  7. Daniel Sousa says:

    Ainda não perceberam todos que as pessoas com vacinação completa têm uma drástica redução de probabilidade de desenvolver covid grave, que obrigue a hospitalização, quando comparadas com as pessoas não vacinadas? Essa coisa da vacina não servir para nada, etc, já passou no tempo, já é passado. É ridículo o que se lê por aqui. Ainda não perceberam que este é um assunto encerrado e que têm mais é que ser vacinados e motivar a família a fazê-lo? Já não é sequer racional ser contra a vacina, já passou toda a margem lógica ser contra a vacina gente. Sejam mas é civilizados, ou então mudem-se todos para uma gruta sem eletricidade e água potável. Podíamos estar todos aqui a discutir qual é a tecnologia da vacina mais interessante, e estamos para aqui a ter conversas “do passado”.

  8. Cucu says:

    A todos os que são contra a vacinação, espero que tenham noção que são a vergonha da humanidade. O vosso ego é tão grande que acham que uma vacina que foi administrada no Papa, Biden, Putin, Trump, Kim Jong-Un, Cristiano Ronaldo, Madonna e por aí adiante não tem estudos suficientes para ser administrada em vocês. Parabéns, estão a pôr todos em risco e a ter discussões ridículas em que quem está informado tem de perder 1 hora valiosa do seu dia a responder só para combater a desinformação e ver se isto anda para a frente. Manquem-se e deixem de atrapalhar, a humanidade agradece.

  9. Daniel Sousa says:

    É mesmo isso caro Nuno. E sabes o que acho? Que estas pessoas que continuam teimosa e orgulhosamente anti-vacina, quando já é ridículo sequer ser anti-vacina, deverão ser simplesmente pessoas orgulhosas, pouco humildes, paranóicas. Ou então estamos a falar é de políticas. Pessoas anti-sistema, pessoas anti-capitalismo. Só que depois disso, desejava muito que cada uma dessas pessoas me falasse um pouco da sua vida. E porquê? Porque me parece que: adoram viver com a ciência – mas só a parte boa dela, adoram viver na democracia – mas só na parte boa dela, e adoram viver no capitalismo – mas só na parte boa dele. Porque na verdade, vêm para aqui mandar umas bocas, mas não percebem nada do assunto para começar, e nem sequer têm um estilo de vida coerente com aquilo que andam para aqui a pregar. E portanto, eu gostaria que todos os “antis” que estão aqui, e que gostam muito de falar do que não percebem, nos falassem um pouco sobre as suas profissões, e nos falassem um pouco do seu estilo de vida. Quem sabe têm toda a razão e vivem de forma tão coerente que todos nós nos vamos converter em “antis”.

    • Zé Fonseca A. says:

      Eu estou a gostar de assistir à segregação dos não vacinados, fora de jantares de grupo, fora de convivios, fora de casamentos, fora de férias em grupo/familia, fora de entrevistas de emprego, quarentenas e testes.. estou a adorar ver esse pessoal queimar-se, por isso se forem a um centro de vacinação hoje em dia é só pessoal da faixa 30-50 sem agendamento a ir à casa aberta desesperados para voltarem a ter vida social.

  10. meister says:

    Bom, sobre o pretesto de informar existe aqui muitos posts que estão a fazer precisamente o contrario.
    Se queremos informar devemos dizer tudo e não só abordar factos que defendem a nossa tese.
    Gostava de referir também que não há fatos eternos, como não há verdades absolutas.

    Factos comprovados (penso que unanimemente por todos):

    – As vacinas protegem as pessoas do risco de desenvolver doença grave ou morte.

    – a vacina para covid-19 como qualquer outra vacina não protegem totalmente mas são eficazes.

    – As vacinação não nos vai conduzir a imunidade de grupo e aqui posso dar a minha opinião baseada no que tenho lido.

    Estas vacinas para covid-19 (ao contrarios das vacinas para sarampo, rubéola, varicela, etc) não são estrelizantes,
    ou seja, são boas para prevenir doenças, mas não tão boas para o controle da circulação do vírus na comunidade.
    Protegem o indivíduo, mas têm pouca eficacia ou nenhuma no controle da transmissão da doença”.
    estudos recentes dizem isso mesmo.
    https ://multinews.sapo.pt/atualidade/covid-19-estudo-sobre-carga-viral-mostra-que-certificado-digital-nao-substitui-uso-de-mascara/

    As minhas preocupaçoes(A dúvida é o princípio da sabedoria):

    – Como ja referi em topicos anteriores as minhas principais preocupaçoes são com os efeitos secundarios a longo prazo.
    ninguem com honestidade intelectual pode responder a isso.

    Ninguem me pode dizer se daqui por um ano ou dois não possa vir a desenvolver uma doença autoimune qualquer.
    Podem dizer que a probabilidade é baixa, aceito isso baseado em estudos de vacinas desenvolvidas para outras doenças,
    mas não podem dizer que não é possivel.
    Estas vacinas tem uma aprovação condicional para uso de emergência pela razão de não se saber ainda todos os dados.

    – Vacinação de crianças saudaveis.
    Penso que tambem é mais ou menos unanime na comunidade cientifica que as crianças correrm poucos riscos.
    Uma vez que como ja referi a vacina não impede a transmissão aqui não estou a ver qual será beneficio em função do risco.

    O facto de uma criança poder desenvolver miocardite devido a vacina é preocupante, a miocardite está em muitos estudos associada
    a morte subita em idade adulta, muitos desportistas que sofreram de morte subita em idade adulta veio a descobrir-se que tiveram miocardite
    na infancia.

    Podem me dizer que os casos de miocardite são raros, pois é, mas como diz o ditado:

    Pimenta no rabo dos outros para mim e refresco.

    Estas preocupações são legitimas assim como as pessoas que não tem duvidas nenhumas tambem tem a sua legitimidade.

    • Zé Fonseca A. says:

      Uma resposta informada às tuas preocupações.

      – Sim, é verdade que a vacina não impede a propagação do virus, mas como diminui em muito a carga viral diminui igualmente a possibilidade de transmissão, principalmente se estiverem ambos, infectado e receptor vacinados.
      – A miocardite é um não tema que só serve de alarmismo, possivelmente tu e muita gente já tiveram miocardita pela toma de outras vacinas, medicamentos, procedimentos medicos ou até simplesmente por stress ou outros problemas de saúde ou até por contrair outros virus que não covid, a miocardite surge inclusive em alguns casos de crianças que contraíram covid por isso quem apanhar pela vacina também apanha QUANDO contrair o virus, além disso a miocardite trata-se com repouso e recuperas muito rapidamente, só em casos rarissimos precisas de tomar beta blockers.
      – Os efeitos secundários a longo prazo da vacinação ninguém os conhece, assim como ninguém conhece os efeitos a longo prazo do covid, já se está a desenvolver a especialidade long-covid e sabe-se que em alguns casos pode levar anos a existir uma recuperação completa ou até nunca existir, da mesma forma que não sabemos os efeitos a longo prazo de fumar haxixe ou canabis, de N suplementos, batidos, e até drogas descritas como naturais, tens muitas incognitas na vida e aquilo que a vivência nos demonstra é que não sabemos nada de nada, nem nós nem a comunidade ciêntifica, quando sabemos já foi tarde, isso até é verdade para alimentação, e o ser humano alimenta-se há mais de 300 mil anos. Por isso resta-nos entrar no barco todos juntos, se se desenvolver alguma doença auto-imune que mate e não consigam encontrar tratamento, melhor ainda, sabemos sempre que 10% da população sobrevive naturalmente, talvez assim o planeta consiga encontrar o seu equilibrio novamente.

      • meister says:

        @Zé Fonseca A.

        “– Sim, é verdade que a vacina não impede a propagação do virus, mas como diminui em muito a carga viral diminui igualmente a possibilidade de transmissão, principalmente se estiverem ambos, infectado e receptor vacinados.”

        Isto era verdade com a estirpe original.
        Dados recentes dizem o contrario.
        https://www.dn.pt/sociedade/vacinados-podem-ter-a-mesma-quantidade-de-virus-que-os-nao-vacinados-13993871.html

        “– A miocardite é um não tema que só serve de alarmismo, possivelmente tu e muita gente já tiveram miocardita pela toma de outras vacinas, medicamentos, procedimentos medicos ou até simplesmente por stress ou outros problemas de saúde ou até por contrair outros virus que não covid, a miocardite surge inclusive em alguns casos de crianças que contraíram covid por isso quem apanhar pela vacina também apanha QUANDO contrair o virus, além disso a miocardite trata-se com repouso e recuperas muito rapidamente, só em casos rarissimos precisas de tomar beta blockers.”

        Acho que estas a encarar a miocardite de animo leve.
        Em crianças tendo em conta o risco beneficio devemos ser mais prudentes.
        http://rmmg.org/artigo/detalhes/1352

        “– Os efeitos secundários a longo prazo da vacinação ninguém os conhece, assim como ninguém conhece os efeitos a longo prazo do covid, já se está a desenvolver a especialidade long-covid e sabe-se que em alguns casos pode levar anos a existir uma recuperação completa ou até nunca existir, da mesma forma que não sabemos os efeitos a longo prazo de fumar haxixe ou canabis, de N suplementos, batidos, e até drogas descritas como naturais, tens muitas incognitas na vida e aquilo que a vivência nos demonstra é que não sabemos nada de nada, nem nós nem a comunidade ciêntifica, quando sabemos já foi tarde, isso até é verdade para alimentação, e o ser humano alimenta-se há mais de 300 mil anos. Por isso resta-nos entrar no barco todos juntos, se se desenvolver alguma doença auto-imune que mate e não consigam encontrar tratamento, melhor ainda, sabemos sempre que 10% da população sobrevive naturalmente, talvez assim o planeta consiga encontrar o seu equilibrio novamente.”

        Nisto ate posso concordo contigo na maioria das coisas.
        Agora face a toda a informação disponível não podemos censurar as pessoas que pretendem enveredar numa perspetiva de gestão de risco entre o que se consegue controlar e o que não se consegue controlar.

        Liberdade não é fazermos aquilo que queremos, mas querer-se aquilo que se pode.
        Se qualquer pessoa quer ou não ser vacinadas face as informações cientificas disponíveis é uma escolha de cada um, cada um assume o risco que pretende assumir.

        Se estas vacinas fossem esterilizantes a discussão sobre todo este tema era completamente diferente.

        cumprimentos.

        • Zé Fonseca A. says:

          “Liberdade não é fazermos aquilo que queremos, mas querer-se aquilo que se pode.
          Se qualquer pessoa quer ou não ser vacinadas face as informações cientificas disponíveis é uma escolha de cada um, cada um assume o risco que pretende assumir.”

          Se há algo que os menos informados deviam ter aprendido com esta pandemia, é que aquilo que temos como direitos fundamentais, sendo um deles a liberdade, podem ser postos em causa quando prevalece o direito maior que é a saúde e segurança publica.
          Cabe ao estado definir quando e como devem ser aplicadas as vacinas, embora seja dificil em portugal a obrigatoriedade devido à nossa constituição nada impede que a constituição seja alterada para fazer valer novas medidas. Também da mesma forma que é exigido o boletim de vacinas para inscrição de alunos na escola, pode passar a ser exigido o boletim de vacinas pela entidade empregadora e quiça a uma descriminação positiva aos vacinados, podendo mesmo haver lugar a não renovações de contratos ou “obrigatoriedade” de teletrabalho para trabalhadores e até como já eu, muitos chefes e muitas entidades patronais andam a fazer (off the record) não aceitar contratar alguém que não esteja vacinado.
          Microsoft US por exemplo já estabeleceu que trabalhadores não vacinados não voltariam a por os pés nos escritórios, muitos países estão também a deixar de comparticipar testes para quem não foi vacinado, as diferenças cada vez se vão acentuar mais.

          • meister says:

            “Se há algo que os menos informados deviam ter aprendido com esta pandemia, é que aquilo que temos como direitos fundamentais, sendo um deles a liberdade, podem ser postos em causa quando prevalece o direito maior que é a saúde e segurança publica.”

            Mas uma vez que os vacinados podem transmitir a mesma quantidade de vírus que os não vacinados e que as vacinas não são esterilizantes( ou seja só os protegem a eles próprios), achas que se adequa enveredar por este caminho?

            Quanto ao resto que referes não tenho a menor duvida que vai ser, alias, é o que já esta a acontecer.

            Agora não quer dizer que concorde, como referi se as vacinas fossem esterilizantes a conversa era outra.

            Em termos de fundamento legal na obrigatoriedade da vacina tenho duvidas que enquanto as vacinas tenham uma aprovação condicional de emergência possa ser declarada obrigatória.
            Se bem que atendendo ao que tenho assistido nos últimos tempos tudo é possível.

            Mas isso é uma outra discussão, é uma discussão politica ainda mais complexa que esta de ser vacinado ou não vacinado.

            Agora não tenho duvidas em uma coisa, a gestão desta pandemia a muito que deixou de ser cientifica, passou a ser por convicções politica e pessoais.

            De uma forma geral o que tenho assistido nos últimos tempos é que o fundamentalismo antigamente estava do lado dos não vacinados
            neste momento já esta do dois lados. 🙂

            cumprimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.