Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Portugal poderá chegar aos 6 mil casos diários até ao Natal

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. André says:

    85% vacinados para isto? 🙂
    ah espera… é o booster!
    ou melhor, lockdown para não vacinados!
    ainda melhor, vacinas obrigatórias! para todos! tbm para o cão e gato de estimação!

    • Tiago r says:

      E agora natal e passagem de ano confinados again, como no ano sem vacinas. Ainda por cima conheco pessoas saudaveis que apos a vacina que ficaram com problemas cardiacos, disfunção eretil e gases compulsivos, chegando mesmo a terminar casamentos.

  2. Gabriel says:

    Pare de espalhar e disseminar medo, senhor. Isto é um site sobre tecnologia, não deveria ser um veículo de propaganda de medo do governo e de uma mega-negociata farmacêutica. Fizemos e seguimos o que o governo impôs e não funcionou e em vez de admitirem que a estratégia fracassou, vieram hoje anunciar mais do mesmo. Sejam sérios e homens e não pensem apenas no dinheiro que vos vai pros bolsos para alimentar estas parvoíces e culpar os outros, a começar por censurar comentários que não gostam e lhe chamarem “moderação”… cresçam!

  3. Messias says:

    3 2 1 e vão começar os comentários cómicos e outros não… espera pelos os próximos episódios

  4. Filipe says:

    A situação não será o número de casos, que isso vai ser para todo o sempre até ao fim da humanidade, a situação será o número de mortes. Quando o número de mortes chegar a um valor irrelevante ou nulo, as notícias sobre o covid-19 deixam de ter importância.

  5. Algo says:

    E agora? Vão fazer como a Madeira?

  6. jorgeg says:

    looolll… e enfiar ja a quarta, quinta e sexta dose de uma so vez, para resolver o problema,… a vacina esta a transmitir o virus, demais… parabens ao”filantropo” gates e ao inimigo do povo os media que ele financia!

  7. Tiago r says:

    Vacina e imunidade de grupo? Ainda bem que não fui na conversa do capitao iglo…afinal a vacina e um embuste para as ovelhas

    • Antonio says:

      Tens razão.
      O pessoal já não se lembra quando os mesmos “especialistas” no início do ano afirmavam a pés juntos, que as vacinas eram “seguras e eficazes”. Eficazes já se percebeu que não são. Seguras, também já se percebeu que começa a haver muitos problemas cardíacos entre vacinados.

      • Há cada gajo says:

        A vacina provou ser eficaz no combate à doença grave e evita o internamento deixando os hospitais livres para o tratamento das outras patologias. Sabem que há outras doenças, não sabem ? Sabem o que são hospitais, não sabem ?

  8. Luís Costa says:

    O português é mesmo um povo mansinho mansinho, primeiro diziam que “é só chegar aos 70% e estamos livres”.. depois os 70% já não chegava, tinha de ser os 85%, agora com quase 90% da pop vacinada vão admitir que o actual PM não cumpra (mais uma vez) o que prometeu quando disse “vem aí a liberdade”?

    • Aí aí ai says:

      Estamos nisto há mais de 100 anos, nada nunca mudou e estão à espera de mudar agora? Haha

      Portugal não vai mudar até a mentalidade mudar, o que não vai acontecer já que o que importa é mostrar o que se tem, e posso garantir que intelecto não se vê muito por ai

  9. (˵ ͡° ͜ʖ ͡°) says:

    Só tenho pena daqueles que defendiam/defendem agarridamente a ciência em prol da realidade que já se previa antecipadamente, que ainda mantêm o mesmo pensamento, prejudicando a saúde das pessoas.
    E isto ainda é o inicio, vamos esperar mais dois anos, para ver o que mais se descobre.
    O medo começa a dissipar-se.

  10. xyr says:

    Estas vacinas não falharam , fizeram aquilo que podiam fazer . Quem percebe mesmo disto , o “veterinário” , disse que elas não bloqueavam a transmissão e que o efeito de redução do numero de mortos se aplica aos que têm o sistema imunitário a trabalhar mal , geralmente idosos , e mesmo assim é um efeito de curto prazo , daí a chamada 3ª dose e depois virá a 4ª e por aí fora , sendo só estas as pessoas que realmente beneficiam destas vacinas . No entanto não podemos só atribuir a redução do numero de mortos , às vacinas , porque os médicos foram aprendendo como tratar estes doentes , vão surgindo novos medicamentos e tudo isto combinado reduz o numero de mortos . Dizer que a redução do numero de mortos se deve exclusivamente às vacinas é chamar incompetentes aos médicos . Quanto à maioria da população , não aquece nem arrefece a toma da vacina . Poderá ser até prejudicial a toma da vacina, uma vez que ficam desprotegidos para novas variantes que ultrapassem a proteção dada pela vacina e sujeitam-se aos riscos de tomar uma vacina que não foi devidamente estudada a nível dos riscos da toma , e segundo o ” veterinário” vacinar toda a população com estas vacinas só contribui só contribui para o surgimento de variantes cada vez mais perigosas . Entretanto Pedro Simas , talvez bem bebido , ou sob o efeito de outras substâncias , declarou na TV que a pandemia existe no resto do mundo , mas em Portugal acabou….. 🙂 :):)

    • Memória says:

      Excelente!
      “…No entanto não podemos só atribuir a redução do numero de mortos , às vacinas , porque os médicos foram aprendendo como tratar estes doentes , vão surgindo novos medicamentos e tudo isto combinado reduz o numero de mortos . Dizer que a redução do numero de mortos se deve exclusivamente às vacinas é chamar incompetentes aos médicos …”

  11. Aí aí ai says:

    E quantos estão constipados? Epa parem la com isto do covid sff… esta nova e simplesmente para mudar o mundo.

    Pessoas com a flu são contadas como se tivessem covid…e depois e por medo em vez de segurança – espera, a vacina era para trazer calma…mas ainda há milhares de casos diários…ah são os não vacinados….

    Sinceramente… xD

  12. Samuel MGor says:

    As vacinas protegem (95%) da morte por Covid e reduzem as possíveis sequelas de ter estado infetado!! Elas não foram feitas para prevenir infeções.

  13. eu2 says:

    “Pessoas com a flu são contadas como se tivessem covid”
    Quem?
    Até parece que já não existem testes em todo o lado…

  14. Eu sei lá says:

    Da mesma reunião no Infarmed:
    “Estamos a duplicar o número de casos de covid-19 a cada 15 dias. Encontramo-nos com 203 casos por 100 mil habitantes, com uma tendência crescente em todas as regiões do país. No entanto, o cenário é menos grave do que há um ano. E isso deve-se à vacinação.

    Com elevada adesão em Portugal, a vacinação evitou 2300 mortes e 200 mil infeções desde maio, concluiu Henrique Barros, epidemiologista e investigador do ISPUP (Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto). Além disso, também permitiu evitar 55 mil dias de internamento em unidades de cuidados intensivos e 135 mil dias de internamento em enfermarias, “libertando esses serviços” para outros doentes.”

    O que vale é que ninguém liga nenhuma aos anti-vacinas.

    • CRP says:

      O que vale é que ninguém liga nenhuma a esses especialistas comprados.

    • xyr says:

      Henrique Barros , o tal que diz que as crianças devem ser vacinadas 🙂 ….vê-se mesmo que ele percebe disto $$$$…Estas vacinas não impedem disseminação das infeções nem as infeções , e isso está bem provado , basta por exemplo ver a Áustria que nunca tinha tido tanta gente infetada como agora que tem 65% de vacinados…portanto essa das 200 000 infeções evitadas , deve ser em sonhos…quanto à redução do numero de mortes , como a garga viral de um vacinado infetado é igual à de um não vacinado infetado , só se pode explicar isso porque se tratam sobretudo de idosos e imuno deficitários , no curto prazo poderá ser assim , mas já se viu que estas vacinas perdem rapidamente o efeito nos idosos , o que obrigará a doses de reforço constantes , caso contrário a mortalidade aumentará . Concluindo maioria da população não precisa para nada destas vacinas , não lhe trazem benefícios , antes pelo contrário . Isto é lógico e só não percebe , quem não for “veterinário “….. 🙂 … a propósito segundo ouvi da boca do investigador no infarmed o nº de mortos aumentou 40% em comparação com o período homólogo….estranho , tive de repetir 10 vezes a gravação para perceber se tinha ouvido bem…estranho , muito estranho…ou o sujeito se enganou ou então fiquei sem perceber nada …e ninguém reparou ? Estavam todos a dormir ? Deve ser para isso que servem estas reuniões , zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

      • Eu sei lá says:

        Ó xir, mas não é preciso repetir a gravação 10 vezes, vais ao Worldometers COVID:
        18/11/2021 – nº de mortos 12
        18/11/2020 – nº de mortos 79
        Será algum problema de cera nos ouvidos ou vontade de ouvir o que se quer ouvir?
        Quanto aos indicadores dos infetados, os que mais importa são os caso graves (que se traduzem em internamentos em cuidados intensivos) e de mortes. O que se sabe, quanto às mortes, é que para o mesmo número de pessoas vacinadas e não vacinadas, por cada pessoa que morrer com a vacinação completa morrem 4 não vacinados (ou seja, a letalidade nos não vacinados é quatro vezes maior).
        Quanto à vacinação das crianças dos 5 aos 11 – tendo em conta que o vírus está a circular fortemente nesta faixa etária mas as crianças transmitem mas não são significativamente afetadas, as questões que se colocam são:
        – há vacinas seguras para esta faixa etária e já foram homologadas?
        – e outra de ordem moral: é legítimo vacinar estas crianças, não para as proteger a elas mas aos outros?
        Henrique de Barros, desde que haja vacinas seguras, pronuncia-se pela vacinação das crianças dos 5 ao 11 anos, sem que isso tenha que ser levado ao que apregoas, de um raciocínio por $. É uma questão em aberto que é preciso resolver, e que vai depender da evolução da pandemia.
        Quanto aos outros re-nhó-nhos que apregoas não vale a pena perder tempo. Pessoalmente conheço alguns anti-vacinas, acho-os sem interesse nenhum: reaças da pior espécie, racistas e xenófobos e que acreditam em todas as teorias da conspiração.

        • xyr says:

          Acho que nem percebeste , mas repetiste no fundamental tudo o que eu disse por outras palavras , mas com alguns erros que distorcem a realidade : vacinar crianças não protege ninguém de ser infetado , porque as crianças vacinadas podem ficar tão infetadas como as não vacinadas e portanto transmitem tão bem como as crianças não vacinadas .Utilidade de vacinar crianças ? ZERO , mas para as farmacêuticas valem milhões…. Outro erro , vai ver quem são os não vacinados que morrem ? Idosos e pessoas com problemas de imunodeficiência , a probabilidade de um vacinado saudável morrer é igual à de um não vacinado saudável morrer , por outras palavras , para pessoas saudáveis as vacinas servem para quê ? Para nada , mas são mais milhões para as farmacêuticas . Pessoas como tu , que se acham muito racionais e científicos ,são na realidade os maiores ignorantes .

          • Eu sei lá says:

            O pessoal anti-vacinas é muito mentiroso.
            É mentira que a vacinação não proteja da transmissão do vírus, embora a proteção seja parcial.

            Dados da reunião do Infarmed:
            “Desde maio até agora, a adesão dos portugueses à vacina terá poupado à volta de 200 mil infeções, menos 135 mil dias em enfermaria, menos 55 mil dias em unidades de cuidados intensivos e pouparam-se cerca de duas mil vidas”.

            Face aos dados o que dizem anti-vacinas: ” Propaganda dos médicos comprados pelas farmacêuticas”.
            No teu caso acrescento mais um adjetivo: completa insensibilidade social – não vale a pena a vacinação dos saudáveis porque só os idosos é que morrem! Também morrem saudáveis, não idosos e, além disso, a vacinação reduz significativamente a transmissão do vírus da COVID.

          • meister says:

            ” a vacinação reduz significativamente a transmissão do vírus da COVID.”

            Não digas asneiras…
            https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2021.09.28.21264262v2

            Queres tu ver que o aumento dos casos ainda é culpa dos não vacinados?

            Tanto ódio acumulado…

          • Eu sei lá says:

            Lá abri o link que diz “Este artigo é preliminar e não foi revisto por pares. Ele relata novas pesquisas médicas que ainda não foram avaliadas e, portanto, não devem ser usadas para orientar a prática clínica.”
            Também é típico dos anti-vacinas. Como não encontram fontes científicas – inventam-nas.

            Sim, os anti-vacinas não fazem tudo o que está ao seu alcance para evitar a propagação da COVID – que é vacinarem-se. ou realizarem testes periódicos (pagos do seu bolso)
            Dá-se o caso de a propagação de doença infecciosa ser um crime.

            Sim, acho os anti-vacinas uns cretinos da pior espécie. Os que conheço já o eram antes da COVID. Agora têm a oportunidade de inundar blogues com disparates. A mim não me interessam minimamente – mas onde trabalho (e em todos os locais de trabalho) considero que todos deviam apresentar certificados de vacinação ou comprovativos da realização de testes periódicos (pagos do seu bolso).

          • meister says:

            Poderia colocar aqui mais 10 artigos, mas para quem não tem honestidade intelectual não adianta.

          • João says:

            Vacinar ou não crianças, não comento… não sou técnico da coisa. Se a DGS se pronunciar sobre a vantagem de vacinação das crianças, vacinarei a minha filha.
            Mas as pessoas vacinadas têm uma percentagem elevada (diminui com o tempo) de não infecção e de não contágio a terceiros. Para já não falar de menos complicações de saúde em caso de contágio/doença. A estatística existe e só quem for egoísta e achar que tudo lhe passa ao lado é que nega.
            Neste momento a grande origem dos surtos são as crianças abaixo de 10 anos (obviamente não vacinadas e que, na sua maioria não usam máscara), se calhar dá que pensar que afinal a vacinação dos restantes alguma coisa fez. E como as escolas estão a ter um papel absolutamente ridículo e incompetente, não admira. Deixaram cair as medidas todas (ou melhor, são recomendadas, mas se eu vejo professores sem máscara nos recreios ao magote com os alunos, que raio de educadores são estes?).
            Bem sabemos que a maioria dos que morrem são idosos, têm outras doenças, blah, blah, blah… mas são pessoas, não? Eu conhecia alguns deles e não admito que banalizem assim as suas mortes!
            Mas também morrem pessoas supostamente saudáveis. Outras têm sintomas e sequelas graves. Outras ainda, têm sintomas muito ligeiros ou nenhuns e mais tarde aparecem problemas associados como AVCs (que são relativamente comuns em doentes pós covid).
            Mas afinal, usar sempre máscara prejudica alguma coisa? Faz engordar, cair os tintins ou causa impotência? Que bando de gente sem egoísta e sem sentido de solidariedade. Usar máscara é o mesmo que dar dois dedos de conversa e uns trocos a um sem abrigo ou levar um rafeirito para casa. Ou o importante na vida das pessoas é beber uns beirões e uns mocaccinos? Quanto mais somos no mundo, menos liberdade temos. Não que haja quem a tire, mas porque temos que ter noção que temos de dar espaço aos que nos rodeiam. E se são cada vez mais e mais juntos, mais apertadinhos ficamos. Senão, sigam para o alasca e fiquem lá!

      • Há cada gajo says:

        Nem sei porque precisas da vacina do tétano, da tuberculose ou do sarampo, só para te dar um exemplo. As tuas conclusões são formidáveis. Compara os números do ano passado, sem vacina, com os deste ano, já que és tão especialista…

  15. Bernardo duro says:

    Anti vaxers são idiotas perigosos sem noção

  16. Zed says:

    Se não se prevê “sobrecarga dos serviços de saúde”, o número de infecções é pouco relevante.

    • Eu sei lá says:

      Não se pode ver as coisas assim. Numa estrutura hospital e centros de saúde, o que está afeto à COVID – os médicos, enfermeiros e outro pessoal, para vacinação, tratamento e acompanhamento das pessoas que estão em casa com COVID, e o espaço físico, camas e equipamentos de saúde – não está disponível para consultas e tratamentos de outras doenças. Não há maneira de se fazer as duas coisas ao mesmo tempo.
      A pandemia e os recursos dedicados ao seu combate deixou, noutras doenças, muitas consultas, cirurgias e tratamentos por fazer. Para fazer a recuperação é preciso que o número de casos da doença COVID não aumente significativamente (Dizem os médicos e faz sentido).

    • João says:

      Já há serviços (outra vez) a alocar recursos para os covid. Não há “sobrecarga”, mas há decréscimo de capacidade nos outros serviços, o que vai dar ao mesmo. Aliás, num país onde antes da pandemia os cuidados intensivos estavam sempre sobrecarregados, levarem ainda com isto, é dose. Só quem lá está sabe o que se passa, e o que se passa não é nada bom. Pior para quem precisa de lá ir. Na semana passada uma amiga (uma pessoa que existe, não me chegou pelo facebook) minha foi á urgência com sintomas de “gripe”. Fizeram teste rápido COVID na ambulância gelada e ficou lá uns 20 minutos à espera que lhe viessem dizer que era negativo. Encaminharam para uma sala de espera apinhada e ficou sentadinha até que apareceu uma médica para a “ver”… na sala de espera. Como a pessoa se queixava de dores de garganta e a médica não tinha trazido a lanterna, pediu o telemóvel à paciente para ver a garganta…. e tudo isto na sala de espera!!!
      No meio disto tudo, o mais triste é pensar que a utilização de máscara, higienização das mãos e algum distanciamento são as medidas mais simples, mais eficazes e mais baratas… e ainda assim há quem não as queira por em prática. Xiça penico!

      Agora que o governo andou a dormir na sombra e a liberalizar demasiado as coisas andou. Vamos ter um repeat do Natal 2020 onde estava tudo bem e passados uns dias ai Jesus, ai Jesus!

  17. Sardinha Enlatada says:

    Eu sabia. Afinal havia outra.

  18. Tokyo says:

    Tanta conversa e eu so pergunto, se a vacina nao acaba com a transmissao e apenas diminui os efeitos do virus porque o capitao iglo e todo o governo andou sempre a falar em imunidade de grupo aos 70% e agora nem com 90? E so isso que pergunto…

  19. KeyboardWarrior says:

    Tanto acesso à informação e cada vez mais burros. À medida que a tecnologia avança maior será a informação disponivel…. e também maior o número de jumentos.

    • Sardinha Enlatada says:

      Ok ja que percebes de numeros exactos e tens acesso a essa informacao detalhada, pelo que percebi do teu comentario. Diz-me la quantos estao internados na UCI de doentes covid e nao covid ? Cof cof.

  20. Memória says:

    disponivel ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.