Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Mais de 5.660 suspeitas de reações adversas às vacinas em Portugal

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Artur Peralta says:

    Há uma coisa que não entendo muito bem no dias de hoje. O C0VlD veio mudar muitos aspectos do nossos dias e intriga-me como basta uma pessoa dar positivo para ser dada morte por C0VlD (em que “não está demonstrada a relação causal” ), mas com as vacinas, as mortes afirmam “que não está demonstrada a relação causal com a vacina administrada”, e aqui já pode…

    Se não se sabe investigue-se.

    • airtup says:

      Quando se vacina a população inteira, a começar por idosos, é normal que alguém morra no mês a seguir não?
      A vacina não dá vida eterna!!!

      • Artur Peralta says:

        Não percebi o que isso tem a haver com o que eu disse, mas… a tua premissa está certa “A vacina não dá vida eterna!!!”

        • knight says:

          Perfeito o seu comentário Arthur, aqui no Brasil no fim de semana morreu um prefeito, pasme voce, foi o único em 1 ano+ de pandemia que morreu por câncer, com direito a enterro e tudo mais. NãO se morre mais por morte natural, por doenças ou que for, O ‘airtup’ é da banda comuna por isso ele nunca vai entender.

          • GdOeS says:

            @knight, você não sabe bem o que fala, as mortes por outras causa continuam praticamente iguais a 2019 (exceto algumas como acidentes de transito, já que muita gente ficou em casa em 2020), basta ler as estatísticas dos cartórios e verá que o aumento de mortes de 2019 para 2020 (entre 15-20%, ja que os numeros oficiais de 2020 do governo ainda nao foram finalizados), corresponde quase que exatamente ao numero de mortos por Covid em Dezembro 2020 (~200 mil). Ou seja, as outras causas continuam “matando” normalmente, só não são noticiadas como a Covid (e já não eram antes, ou vc se lembra de ver no jornal qtas pessoas morreram de cancer por dia?). Portanto, pare de exportar notícias falsas, já chega as que dominam o Brasil.

    • John says:

      Se calhar sabe-se e por isso não se investiga.
      “Immunization with SARS coronavirus vaccines leads to pulmonary immunopathology on challenge with the SARS virus “

      • John says:

        https pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22536382/

      • Brutosaurus says:

        John Doe, meter noticias de 2012, que se referem a ensaios clínicos referentes ao SARSCov1 é do maior respeito pela inteligência das pessoas que acreditam na ciência, pá!

        • John says:

          Os efeitos são equiparáveis numa doença equiparável. Só não vê quem não quer e “willfull ignorance” é também uma forma de ignorância.;)

          • Brutosaurus says:

            és tu que dizes ou baseado em algum artigo cientifico? é que se os lês para criar conspiraçõezinhas também tens que procurar os mais recentes. Referires-te a opinião contrária à tua como “ignorância” só por achares que sabes pesquisar no google e te baseias em artigos científicos datados, ou pior, limitas-te ao copy/paste, redefine um bocado o conceito de ignorância, mas tá bem, pá!

          • John says:

            Ignorância é apenas não ter acesso a informação, estava a dar-te o benefício da dúvida. A alternativa é ter acesso a dados e não conseguir interpretá-los. Isso é chamado de burrice. Tu escolhes.

          • Brutosaurus says:

            referes-te a interpretar dados de 2012 referentes ao SARSCov1? pois, conceito de burrice não preciso redefinir, tu já o preconizas. Passa um bom dia e lê muito

          • Louro says:

            @John,
            Gosto muito de ver estes virologistas de teclado…

            SARSCov1 é equiparável a SARSCov2…
            Usa a cabeca, se fossem iguais, entao nao tinham nomes diferentes, no máximo podeira ser uma variante diferente que continuaria igual.
            Depois, entao logo do inicio já teriamos vacinas e nunca teriamos de ter os problemas que tivemos e ainda hoje temos a nivel mundial.

            Pior que ter acesso a informacao, é nao saber filtrar a mesma…é chamado burrice, tu é que escolhes claro.

          • John says:

            @Louro presumo que sabes interpretar isto:
            blast.ncbi.nlm.nih.gov/Blast.cgi#alnHdr_1798174254
            😉

          • John says:

            ou faz apenas o blastn em qualquer outro local com o NC_004718.3 alinhando com NC_045512.2

          • John says:

            E já gora, só para termo de comparação com variantes do H1N1 (uma gripe forte)… faz o mesmo com:

            NC_002023.1
            Influenza A virus (A/Puerto Rico/8/1934(H1N1)) segment 1

            NC_026438.1 (rna)
            Influenza A virus (A/California/07/2009(H1N1)) segment 1

            Vê a % de identidade.

            Ignorância ou estupidez. Escolham.

    • John says:

      https vaers.hhs.gov/data/datasets.html?

    • Jorge Carvalho says:

      “basta uma pessoa dar positivo para ser dada morte por C0VlD”

      Não se processa assim. Não é automático. A declaração de causa de morte é bastante mais complexa.

      Abc

    • Louro says:

      Sinceramente passado mais de um ano que estamos a conviver com este virus no nosso dia-a-dia ainda fico chocado com as pessoas continuarem a insistir em teorias que nao fazem qualquer tipo de sentido.

      – Uma pessoa que esteja infectada e que acabe por morrer, nao é, óbviamente qualificada automaticamente como morto por Covid, no entanto existem determinadas patologias que sao relacionadas com Covid e mesmo que a pessoa as tivesse antes, se morrer por alguma dessas, irá ser considerado morto por Covid, já que o facto de estar infectado levou a morte precosse.
      Covid só por si próprio nao mata ninguém, da mesma forma que HIV também nao mata ninguém, pelo menos directamente, no entanto causa ou agrava determinados problemas no sistema imunitário que causam outras doencas que levam ou poderao levar a morte.

      – Nas vacinas será exactamente o mesmo, se a pessoa tomou a vacina e morreu a seguir, nao é necessáriamente uma causa de ter tomado a vacina, e como foi dito, dado que estao a vacinar pessoas já com mais idade, é natural que elas morram, caso contrário daqui a nada comecavamos a atribuir mortes a determinadas comidas do dia-a-dia… exemplo: O manuel comeu duas laranjas da quinta do joaquim, passado dois dias morreu, logo a causa da morte foram as laranjas.

      • Artur Peralta says:

        Bem, acabaste de constatar que:
        – se houver uma morte com C0VlD positivo, pode-se extrapular que a morte foi por covid.
        – se houver uma morte potencialmente causada pela toma da vacina não se pode extrapular o mesmo.

        A minha questão portanto permanece. Se não se sabe investigue-se. Apenas dizem, “aparentemente não foi por causa da vacina”, “não têm necessariamente uma relação causal com a vacina administrada”, … uma panóplia de se’s

        Deveríamos ter a causa exacta da morte, seja ela qual for, apenas isso.

        • David Guerreiro says:

          Ele não extrapolou nada. Claro que para ser dado como morte por Covid precisa estar positivo não? Uma pessoa para ser dada morta por Covid tem de estar positiva em vida. O que ele disse é que é uma conjugação de fatores, e um deles
          e que a pessoa precisa de estar com o vírus no organismo.

          • Artur Peralta says:

            ai ai ai, não esntendeste nada… Quando dizes:
            – “Ele não extrapolou nada”, mas eu disse que foi ele? onde? quando?
            – “Uma pessoa para ser dada morta por Covid tem de estar positiva em vida”, esta frase é a Lili Caneças “Estar vivo é o contrário de estar morto”
            – “O que ele disse é que é uma conjugação de fatores, e um deles
            e que a pessoa precisa de estar com o vírus no organismo.” Constatação do obvio mais uma vez.

            Em relação à morte ou não ser por C0VlD (parece que é mais isso que vocês estão centrados), podem discutir com a OMS ou com a Ministra (que adoptou as recomendações da OMS) em que casos de morte que dêm positivo para o C0VlD são reportados como mortes por C0VlD.

            O que estou a dizer é bastante simples e resume-se em averiguar até ao limite se a morte foi ou não pela vacina. ponto final.

    • David Guerreiro says:

      É uma conjugação de ter o vírus e falecer por problemas respiratórios, que é o que este vírus mais afeta.

  2. Halo says:

    Fora as reacções adversas não notificadas, só eu conheço 3 pessoas…

  3. JR says:

    Já conheci uns quantos casos de vizinhos meus que tiveram estas mesmas reações após receberem a vacina da Astra ou da Pfizer
    Creio que é algo que ja toda a gente deveria esperar.
    Há quem sofra mais que outros
    Na primeira vacina que os bebes recebem tambem ficam da mesma forma e ate existem maiores riscos que esta

  4. Cláudio Andrade says:

    E aquele pessoal que toma vacinas normais é tem reações adversas? Não se fala disso? Digamos que são vacinas admistradas há anos…

    • rui says:

      Pois.
      Parece que as reacções adversas só agora apreceram…. 🙂
      Todos os medicamentos têm. Vacinas tambem.

      Pessoal gosta é de criar/inventar conspirações

  5. Eu sei lá says:

    É grave, é 😉
    4.653.370 doses administradas.
    Mortes: 35 => 0,00075% => 7,5 por milhão (mas não se sabe se morreram por causa da vacina)
    Reações graves: 2.418 => 0,05% => 5 em 10.000
    Reações menos graves: 3.212 => 0,07% = 7 em 10.000

    4.649.740 (99,9%) das doses administradas não provocaram reação.

    • John says:

      1. Essas percentagens, para ser conta certa têm de ser multiplicadas por 10.
      2. Problemas reportados são só uma porção das reações totais, princialmente quando o sistema de contabilizam assim o incentiva.
      3. Os ensaios clínicos do passado que duravam 4 anos mínimo. A conceber efeitos secundários possíveis como os mencionados no artigo acima (suscetibilidade ao vírus depois da toma), ou outros que por norma só se revelam a longo prazo, o valor aumenta proporcionalmente, possívelmente com progressão geométrica.

  6. informado says:

    O Almirante a dizer que estava tudo a correr bem mas escondeu bem tudo isto! 35 mortos é muitoooooooooooooooooOO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.