Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Já há um medicamento para a doença! EMA vai avaliar

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. ToFerreira says:

    Pronto! Os que fugiram à vacina, levam depois com este medicamento para lhes ser implantado o 5G! Eu depois da vacina tenho 5G no meu Nokia 3310.

    • Ricardo says:

      Quem fugiu à vacina foi pelos efeitos adversos desconhecidos e conhecidos, porque ninguém pode comprovar a segurança assim, essas histórias de 5G é apenas e si para tentar ridicularizar as pessoas.

      • Rui says:

        Pode se dizer o mesmo do covid.
        Não se conhece ainda os efeitos todos, sobretudo a longo prazo.
        Mas não se pode negar que as vacinas estão a ajudar, assim como este medicamento e outros ainda em estudo irao.

        • Pedro V says:

          Ainda não saiu mas já se afirma que irá ajudar a combater a doença.
          Negacionustas vs crentes. Quem leva a melhor?

          • Memória says:

            Parece que a crença justifica tudo

          • ToFerreira says:

            “O ensaio clínico da Merck e do seu parceiro Ridgeback Biotherapeutics envolveu 775 pessoas com casos ligeiros ou moderados de COVID-19 com pelo menos um fator de risco que poderia agravar a doença.

            Receberam tratamento nos cinco dias após o aparecimento dos primeiros sintomas. A taxa de hospitalização ou de morte nos doentes que receberam este medicamento foi de 7,3%, em comparação com 14,1% nos que tomaram um placebo.

            Não se registou qualquer morte nas pessoas tratadas com molnupiravir, mas houve oito no segundo grupo, noticiou a AFP.”

            Parece que não leste esta parte e daí não teres compreendido porque se” afirma que irá ajudar a combater a doença”.

          • Rui says:

            Ja vi que nao leste o artigo.

          • rui says:

            Memoria
            Parece que a ignorância justifica os vossos comentários.
            Aprende a ler, e lê a noticia.

          • roger says:

            > Parece que não leste esta parte e daí não teres compreendido porque se” afirma que irá ajudar a combater a doença”.

            Talvez tenha lido um estudo independente sobre a droga e ache que trocar a possibilidade de contrair COVID na sua forma grave não se sobreponha à hipótese de contrair cancro.

            β-d-N4-hydroxycytidine Inhibits SARS-CoV-2 Through Lethal Mutagenesis But Is Also Mutagenic To Mammalian Cells
            https://academic.oup.com/jid/article/224/3/415/6272009

            Estes gigantes da farmácia, parecem todos farinha do mesmo saco, não?

          • Memória says:

            Roger:
            Existe um video no YT do Dr. John Campbell que compara em 20 minutos (e em termos acessíveis para todos) o que se sabe sobre estes 2 conhecidos produtos

            John Campbell é bastante popular e talvez o campeão mundial de esquiva à censura do YT

            Ivermectin or Molnupiravir
            https://youtu.be/hKa3EZqofNo

          • roger says:

            Obrigado Memória 😀

      • Manuel Costa says:

        “efeitos secundários adversos”… segundo 1000% dos negacionistas, quem é vacinado vai ter filhos com 7 braços e 8 pernas, daqui a 10 anos e consegue atrair 7 toneladas de sucata se levantar os braços… são os 2 sintomas que são ditos como 1000% das pessoas vacinadas sofrem.

        • Ricardo says:

          São esse tipo de comentários de extrema estupidez que pessoas como tu usam.
          Quanto aos negacionistas, conheço muitos desde o início da pandemia, e continuo a ver por todo o lado esse pessoal a usar mal a máscara com o nariz de fora, a não cumprir o distanciamento, de fato quem nega o vírus é um negacionista, agora ninguém aqui nega vacinas e que ajudam, simplesmente existem pessoas que não consideram que os riscos superam os benefícios para a sua idade, exemplo crianças e jovens.

        • Memória says:

          Sobretudo o primeiro exemplo acho de um extremo mau gosto.
          Se pedires aos moderadores talvez eles apaguem este teu comentário,
          e este meu

      • Nuno Teixeira says:

        Queres ver que o medicamento também não vai ter efeitos adversos?
        Ou por ser medicamento já pode ser no lugar da vacina?

        • Ricardo says:

          Todos tem, uns mais outros menos, mas para a vacina atual e tendo como base os dados recolhidos em todo o mundo, parece me que os riscos são grandes na faixa etária jovem, quando vemos mortes e problemas graves a acontecerem pós vacinação. Afinal todas as vidas importam não é mesmo?

        • Rui says:

          Todos têm efeitos secundários.
          Quem não acredita nisso é totó

      • ToFerreira says:

        Espera… Não havia MUITOS a acreditar na história do 5G inventada pelos chalupas?!
        Agora também há negacionistas… De negacionistas… 😀
        E achas portanto que este medicamento não tem “efeitos adversos desconhecidos e conhecidos”… Ainda por cima um retroviral 😀

      • Miguel Ferreira Pinto says:

        Sabes que já deixou de ser experimentál há pelo menos 2 meses certo?

    • João Cartaxo says:

      Aqui vai ter que ser outra dose.. O chip veio com defeito e até agora nada de rede 5G
      PS. Trol ok? Não me batam

      Mas já se sabe que alternativas à vacina vão aparecer algumas

  2. ToFerreira says:

    Pronto! Os que fugiram à vacina, levam depois com este medicamento para lhes ser implantado o 5G! Eu depois da vacina tenho 5G no meu Nokia 3310.

    • Antonio Ferreira says:

      estas equivocado @ToFerreira, este medicamento é para implementar o Wifi 6

    • Memória says:

      Os que fugiram à vacina, em esmagadora maioria não estão doentes, não vão adoecer e também não vão tomar nenhum “remédio”.
      Vit D, zinco, quercitina são excelentes formas de aumentar a imunidade natural.
      Ou seja, ar puro, Sol, e por ex. carne, e cebola

      • Chalupa pela verdade says:

        e alho não?

        • Memória says:

          Alho afugenta os vampiros e zombies. Mas quem seguiu o percurso ainda comum dos portugueses não precisa
          Os rituais eclesiáticos (Baptismo etc.) protegem bem. Para os outros a Pfizer já está a preparar uma ou mais vacinas.

          No fundo é muito simples: Se você for hospitalizado e não for deficiente de Vit. D3 tem uma chance enormíssima de sobreviver. Se for deficiente (caso muito comum um Portugal devido a factores genéticos específicos) passa-se
          exactamente o contrário.

  3. Há cada gajo says:

    Não é suficiente.

  4. Nuno Teixeira says:

    Força! O Trump também recomendava.

  5. Joaquim Sobreiro says:

    Se a avaliação deste medicamento for feito como a dos outros químicos que se estão a utilizar de forma não regulamentar, com evidencia clínica comprovada. O resultado só poderá ser a da confirmação oficial de que só os que continuam em teste com carácter de urgência podem ser utilizados.

  6. ToFerreira says:

    Tem de ser junto com lixivia!

  7. Gabriel says:

    A ivermectina e a hidroxicloroquina, a quercetina e o budesonide funcionam… isto é tudo negociata

    Merck Sells Federally Financed Covid Pill to U.S. for 40 Times What It Costs to Make

    https://theintercept.com/2021/10/05/covid-pill-drug-pricing-merck-ridgeback/

  8. Marisa Pinto says:

    Com as coisas que dizes até julgava que já bebias. 🙂

  9. lapizazul says:

    Carrega isso com cyanide para teres melhores resultados

  10. Nuno Teixeira says:

    Estás muito mal informado.
    “A ivermectina e a hidroxicloroquina, a quercetina e o budesonide funcionam” porque… não exitiram provas concretas que aprovavam a eficácia. Não tem nada a ver com negocionatas.

    Quanto ao suposto preço supervalorizado é uma questão de alternativas aparecerem (porque há muitos mais em estudo) e o preço irá ajustar-se

  11. maxim says:

    Onde andam os covideiros que diziam que só uma vacina funciona contra esse virus?

    • Nuno Teixeira says:

      Já faltava este argumento…
      Nunca se disse que as vacinas eram o único método. Apenas não havia conhecimento de medicamentos eficazes.
      Ainda bem que agora já há mais métodos alternativos caso o vírus passe a barreira da vacina.

      • triste com isto tudo says:

        +1

      • Ricardo says:

        O vírus já passou a barreira da vacina faz tempo, simplesmente continua a afetar apenas e só os grupos de risco, embora na maioria dos casos exista uma boa proteção que com o tempo acaba por cair.

        • RicM says:

          Parece que custa muito entender que as vacinas não são fatos nem máscaras de proteção que impedem a entrada dos vírus no corpo; nem as vacinas da gripe o fazem. Este tipo de vacinas serve para treinar o corpo a identificar os diferentes tipos de vírus e muni-lo de anticorpos para os combaterem. Os vírus entram sempre, os corpos podem é estar mais ou menos preparados para os eliminarem.
          Agora existem diversos fatores que influenciam a resposta do corpo ao ataque do vírus: quantidade de carga viral de quem transmitiu o vírus (alguém vacinado, mesmo infetado tem menor carga viral), robustez do sistema imunitário, existência de anticorpos (devido a infeção prévia ou vacina), existência de outras doenças ou debilidades que diminuem a resposta ao ataque viral MESMO tendo tomado a vacina.

    • Manuel Costa says:

      Por agora só a vacina funciona (67% de média entre as 4 vacinas autorizadas na Europa). Mesmo este medicamento é bastante inferior, pois os testes iniciais conseguiram 53% de resultados positivos, algo que é natural vir a descer quando começar a ser testado em maior escala.

    • ToFerreira says:

      Sim, onde andam? Alguma vez existiram?

  12. Hélio Musco says:

    Espero que estejas a referir-te à aguardente.

  13. Memória says:

    Eu também. mas com moderação. E se conduzir não beba

  14. Sardinha Enlatada says:

    Ola bom dia a todos. Se se vier a verificar a entrada de medicamentos no mercado para o combate ao covid. Face ao panorama actual isso nao sera um pouco contraditorio para algumas pessoas ? Quero com isto dizer, sera que algumas pessoas nao se vao sentir enganadas por terem tomado a vacina, quando na verdade nos bastidores estavam a desenvolver outro tipo de medicamentos no combate ao covid ? Obrigado.

    • Nuno Teixeira says:

      Só gajos como tu que vê em tudo teorias da conspiração é que se podem sentir enganadas.
      Qual é o problema de haver medicamentos nesta altura? É mais uma forma de combater a covid.
      Se fosse o inverso também te ias sentir enganado?
      Numa pandemia o que achas que deveria ser prioritário: tentar travar as infecções ou encontrar um medicamento que cure da doença quando se fica infectado?

      • Memória says:

        Este é um exemplo bastante bom da falácia da “Falsa Dicotomia”

        Falsa dicotomia
        Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

        Falsa dicotomia, falso dilema, pensamento preto e branco ou falsa bifurcação é uma falácia informal que descreve uma situação em que dois pontos de vista alternativos, geralmente opostos, são colocados como sendo as únicas opções, quando na realidade existem outras opções que não foram consideradas[1]. Essa falácia é usada para defender pontos de vista em geral, ela muitas vezes é usada em uma comparação em que uma das opções é completamente descartada pelo seu proponente, restando apenas a que lhe interessa.

        Definição
        Um número limitado de opções (geralmente duas) são oferecidas, enquanto na realidade há mais opções. Um falso dilema é um uso ilegítimo do operador OU. Colocar problemas ou opiniões em termos de “preto e branco” são exemplos comuns desta falácia.

        Estrutura lógica
        Sendo A e B duas opções para responder a uma proposição:

        Se A é verdadeiro, então B é falso.
        Se B é verdadeiro, então A é falso.

        Exemplo
        Marcos está atrasado para o trabalho. Ou seu carro quebrou, ou dormiu demais. Ligamos para ele e não estava em casa, então seu carro deve ter quebrado.

        Esse argumento é um falso dilema, pois há muitas outras razões pelas quais Marcos poderia estar se atrasando para o trabalho. Se fosse de alguma forma provado que não há outras possibilidades, então a lógica apareceria. Mas até lá o argumento é falacioso

        Você prefere uma mulher cheirando a alho, cebola e frituras ou uma mulher sempre arrumadinha?

        Você não suporta seu marido? Separe-se!

        Quem não está a favor de mim está contra mim.[2]

        • Nuno Teixeira says:

          Eu sei o que é falsa dicotomia mas não percebo onde é que a usei. Podes indicar onde?
          Só queria saber porque é que a Sardinha se sente enganada e, além disso, qual deveria ser a prioridade face a pandemias.

          • Rui says:

            Ele tambem nao sabe
            Andou a ver a Wikipedia e achou giro postar
            🙂

          • Memória says:

            “Um número limitado de opções (geralmente duas) são oferecidas, enquanto na realidade há mais opções”

            É bastante subtil, por isso disse que é um exemplo bastante bom.

            Acho interessante que a primeira parte do teu post está lógicamente correcto e era promissor (tirando é claro a asserção que só “conspiracionistas como o Sardinha podem ter este sentimento de serem enganados”.

            Muitos outros, sem serem “conspiracionistas” podem sentir-se enganados.

            Eu diria mesmo que *sobretudo quem tomou a vacina* poderia muito mais fácilmente sentir-se enganado e talvez até querer retaliar contra os que não tomaram a vacina e portante “foram à boleia” até aparecer um “remédio”.

            Disfarçado com a capa “do que devia ser prioritário” é sugerido que só há as duas opções “tentar travar as infecções ou encontrar um medicamento”

            Primeiro: (Mas não directamente forma de “falácia da dicotomia) travar as infecções é evidentemente uma forma de tratamento, visto que se trata duma epidemia, assim como encontrar um medicamento sugere que não *existem já* vários medicamentos e outras formas de tratamentos suficientemente efectivos.

            Segundo: A imunidade natural (que é a terceira via que eu defendo) não “trava as infecções” porque a imunidade natural *impede* que haja infecções.
            Não é preciso arranjar e estimular formas de travar um carro estávelmente parado e trancado em superfície horizontal etc. etc. (bom entendedor …)
            E por isso pode ser legítimamente considerado uma terceira via – que foi excluída

            Este tipo de afirmações e a sua refutação não ficariam mal num teste para pessoas de alto QI.

          • Nuno Teixeira says:

            «’Herd immunity’, also known as ‘population immunity’, is the indirect protection from an infectious disease that happens when a population is immune either through vaccination or immunity developed through previous infection. WHO supports achieving ‘herd immunity’ through vaccination, not by allowing a disease to spread through any segment of the population, as this would result in unnecessary cases and deaths.»

            https://www.who.int/news-room/q-a-detail/herd-immunity-lockdowns-and-covid-19

            Como dizes, há várias formas de se combater uma pandemia mas acredito que a sugestão da OMS em seguir a via da vacinação (não havendo provas evidentes de medicamentos preventivos) seja a mais correcta pois irá levar a uma redução dos casos e mortes. Aliado a isso, havendo menos circulação reduz o número de mutações.

            Acho incrivel que depois deste tempo todo ainda haja dúvidas que as vacinas são o meio mais seguro (clinicamente falando) de se combater pandemias

      • Sardinha Enlatada says:

        Nuno Teixeira que pandemia ? Isto ? Isto e uma brincadeira de criancas, e voces vao no conto do vigario. Sim existem mortes, sim existem contagios, sim existem sintomas, mas morrem as pessoas ? NAO. ou seja nao morrem as suficientes para isto se tornar pandemico. E ainda bem gracas a Deus. Havias de viver tu numa pandemia verdadeira e achas que as pessoas passavam a vida a passear e ir aos restaurantes, ui ui. Ficava tudo em casa com medo do virus. Mas espera o virus em casa tambem entra ou nao ? Estou na duvida!!

        • rui says:

          Pandemia? Alguma vez?
          ISto é tudo um embuste da OMS, e amigos.

          Isso de não ser uma verdadeira pandemia é se fores comparar com as anteriores onde a medicina estava mais atrasada, informação muito mais lenta, etc
          Neste momento qualquer virus que apareça é notificado com um tempo muito inferior e sao tomadas medidas para evitar que se espalhe.

          Comparar 2020/2021 com as pandemias anteriores é muito bom para justificar a tua ideia……

        • Nuno Teixeira says:

          Não é uma pandemia? Então o que é que chamas a uma coisa que é de fácil contágio e que pode entupir os serviços de Cuidados Intensivos dos hospitais?
          Só consideras pandemia quando morre toda a gente? Se for só os velhos que se f#da?
          Só te falta comparar com a Gripe Espanhola ou a Peste Negra onde é cura era fazer sangrias.

          • Sardinha Enlatada says:

            Nuno se entope o SNS isso e justificacao para ti de pandemia ? Andas com as definicoes todas trocadas de facto. Para mim pandemia tem de estar associado a numero de mortes elevados. Como isso nao se verifica no caso do covid entao nao e pandemia. Foi apenas alguem que se lembrou de chamar pandemia a isso e muita gente vai atras. Se nao consegues entender isso nao posso fazer nada. Ficas com a tua opiniao que eu fico com a minha. Simples assim.

          • Nuno Teixeira says:

            Sim, pandemia não tem a ver só com mortes mas também com a capacidade de tratamento ou cura das pessoas.
            Se o teu problema é o se chamar pandemia ok chama-lhe outra coisa qualquer.
            Mas dizer que não o número de mortes não elevado? 700 mil nos EUA e 600 mil no Brasil é pouca gente? Imagino como seria sem a vacina…

          • rui says:

            Não é pandemia por causa do numero de mortes?

            Acima dos 4.5 Milhões no mundo (em 219 milhões de casos positivos). Qual é o valor que achas que se possa chamar de pandemia? 50 ? 60 Milhões? ou Mais?

            pan·de·mi·a
            (grego pandemía, -as, o povo inteiro)
            nome feminino

            Surto de uma doença com distribuição geográfica internacional muito alargada e simultânea

            Não tem a ver com os números de mortes……
            Apesar de achar que 4.5 milhões é muito.

          • Chalupa pela verdade says:

            Rui não vale a pena.. quando existem pessoas com uma inteligência tão rara que se permitem a dar os significados que querem às palavras está tudo dito lol

        • Sardinha Enlatada says:

          E nao ha duvida nenhuma isso nao e inocencia da vossa parte. E pura maldade e desinformacao. Nao adianta justificar o injustificavel, por mais voltas que deem a verdade e so essa sobre a pandemia. E o mesmo que eu dizer que a agua e composta por H2O e voces virem dizer o contrario. Ridiculo no minimo. E o que voces passam a vida a fazer aqui no forum. Melhor e mesmo deixar voces a falarem sozinhos.

    • Sergio says:

      O mundo não para de girar, se calhar tens um emprego com teletrabalho, consegues proteger-te no dia a dia com alguma eficácia.
      Eventualmente não tens que prestar cuidados a pessoas mais velhas como pais e avós, provavelmente não tens nenhuma doença como a diabetes que te obriga a ter mais atenção ao exercicio fisico.
      A meu ver estás bem enquadrado e apto para aguardar pelo trabalho de bastidores e ignorar a vacina.
      Mas repara, isso é um estilo de vida que nem 10% da população tem.

      “Enganado com a vacina?”
      A vacina salvou o meu negocio no comercio local em Aveiro, a vacina permite-me visitar os meus avós na sua fase descendente da vida. A vacina permitiu ao meu avô iniciar fisioterapia após partir uma perna, e vamos ver se ainda vai a tempo.
      Sou Diabético, a vacina permite-me ter mais opções para fazer exercício e não ficar alapado no sofá enquanto engordo à espera de um AVC.

      Todos os dias olho para os números e comparo com o mesmo dia de 2020, sabes qual a principal diferença? V-A-C-I-N-A
      Quanto ao medicamento, se a entidade reguladora achar que é uma mais valia, venha ele.

      E obrigado vacina do tétano, que tanta febre e dores no braço me deste, por me teres salvo quando saltei para o chão e pisei um prego cheio de ferrugem, que me perfurou o pé 🙂

      Na próxima pandemia, se me deres 5 mil euros por mês por cada mês de pandemia, eu não tomo a vacina ;).. fico em confinamento 2 anos de pandemia

    • rui says:

      Sabes a diferença entre vacina e medicamento?
      Entre prevenção e tratamento?

      São coisas diferentes.
      Se este medicamento funcionar como parece, será bem vindo.
      Só mesmo vocês é que só vêm conspiração em tudo.
      Eu tomo a vacina da gripe, e posso apanhar certo? ai faço um tratamento…..

      • maxim says:

        Não vejo mal nenhum nas vacinas, mas não sei se se recorda que início, sempre que alguém vinha dizer que podia haver um tratamento eficaz, a hipótese era logo descartada e classificada como conspiratória à priori.

        A razão era simples: só a vacina pode prevenir, curar covid é negacionista. Acho que por causa desta abordagem agressiva muitas pessoas sentem-se enganadas e estão desconfiadas.

        Agora q tanta gente ja tem a vacina, já se dão ao luxo de permitir curas.

        • rui says:

          Maxim
          Acho que estas enganado, mas…
          A vacina é a maneira mais rápida de tentar acabar com a pandemia, dai ter se avançado para essa opção. Não te esqueças que esta doença é altamente contagiosa e conseguiu sobrecarregar vários sistemas de saúde. E ainda vamos ver o que vem ai a longo prazo (seja desta ou de outras doenças que não foram tratadas entretanto, seja por incapacidade dos hospitais seja por medo que as pessoas tinham de ir as consultas e tratamentos).
          Sempre houve tentativas de tratamento, e continua a haver moléculas em estudo.
          Basta ver os medicamentos referidos nos posts. Foram ou estão ainda em estudos.
          Se fores pesquisar, por exemplo vais ver que (se não me engano) a merk tentou fazer uma vacina e desistiu, mas no medicamento parece que esta a correr bem.
          O importante aqui (na minha modesta opinião) é que haja possibilidade de prevenção (vacinas) e tratamento (medicamento).
          A partir de ai a escolha de tomar a vacina ou um tratamento após ficar doente é da escolha de cada um (como tipo a gripe, só se vacina quem quer).
          Cumps

    • ToFerreira says:

      Sentes-te enganado por estarem a desenvolver medicamentos quando já existe a vacina? Sentes-te enganado por (ter de) usar cinto de segurança e capacete quando existem hospitais e tantos tratamentos disponíveis?
      De nada.

    • Memória says:

      Sardinha:
      Excelente pergunta, mas o problema é que vai ser muito difícil encontrar boas e honestas respostas à pergunta “mas afinal ninguëm vê o gorila de 500 kilos no meio do quarto?” quando toda a gente faz (ou vai fazer) o possível e impossível por ignorá-lo.
      E depois ainda vamos ter de lidar com o “sindrome de estocolmo” ….

  15. Joaquim Sobreiro says:

    Ainda não se sabe a origem do vírus, se os testes foram criados antes do vírus, se o vírus foi isolado e purificado, porque há quem ainda nunca tenha sido sintomático apesar de ter estado “desprotegido” com centenas de pessoas, se a utilização do respirador hospitalar é o último meio de tratamento, porque não morrem mais loucos que utilizam meios não reconhecidos oficialmente. As respostas mais credíveis serão encontradas nos meios de comunicação subvencionados, porque só uma única verdade.

  16. Jose says:

    e um medicamento para a estupidez ????? , isso é que era, e os comentários aqui colocados desciam 90%

  17. A.F. says:

    Não sei como há malta que ainda se dá ao trabalho de vir para aqui comentar contra os covideiros, deixem-nos a falar sozinhos, o que eles querem é atenção, quem não fica muito contente é Pplware, mas não se pode ter tudo.
    Eles (covideiros) ficam com o triciclo e nós com F-16, para mais tarde “bombardear”.
    Mas cada um sabe de si, se pretendem contrariar as retóricas, be my guest.
    Sejam pacientes.

    Fui e já não volto.

    1º13562º1748

    • rui says:

      E porque os chamados “negacionistas” vêm comentar?
      Se calhar também querem atenção….
      Basta ver que em geral o primeiro post é de pessoal contra a vacina, contra o tratamento, que negam o virus, etc……
      Mal o pplware publica um artigo com a palavra Covid, lá vêm eles……

  18. Oiiiii says:

    Off topic
    Quando isto estiver ”terminado” alguem que faça Uma compilação Dos melhores comentarios dos ”medicos da internet” 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.