PplWare Mobile

COVID-19: Estudos que desaconselham uso de hidroxicloroquina podem ter fonte falsa


Autor: Vítor M.


  1. miguel says:

    Esta OMS é uma anedota, prefiro ler o que diz a CDC.

  2. Carlos Braga says:

    Nesta guerra suja do vírus da China, vale tudo, e se possível atacar ao mesmo tempo o Trump. A credibilidade da OMS é que esta de rastos, como é que é possível aceitar um estudo de uma empresa fake… Só se for para tentar atacar o Trump… Enfim quando a guerra politica se sobrepõe a necessidade de se resolver o problema central que é o vírus da China, quem se lixa é o mexilhão…
    Tem que se parar de uma vez por todas esta mistura explosiva de saúde com politica.

    • Esmeraldo FREIRE says:

      Nem mais

    • saldoso says:

      Não foi a OMS que fez o estudo, nem foi a OMS que aceitou o estudo, nem o estudo se pode designar como sendo por uma empresa – o estudo foi feito por um conjunto de instituições usando dados clínicos que supostamente esta empresa teria conseguido obter por acordos com hospitais.

      O estudo foi aceite por uma revista com revisores, e se é aceite por uma revista após revisão por outros cientistas não se tem à partida ideia de que existe uma fraude destas nos resultados. A falha foi primeiro de quem usou os dados e não questionou, e depois da revista que não verificou os autores envolvidos.

      • algrivão says:

        Excelente comentário, mas receio que muita desta gente não consiga decifrá-lo…

        • Avlis says:

          Até entendo, o que não se entende é a OMS mudar de opinião e ideias como quem muda de camisa. Eles devem ser independentes e deveriam continuar com os testes, ai é que os critico, andarem ao sabor de notícias e de outros países, como aconteceu em relação à China e não com uma linha de pensamento e rumo eficaz. Deveriam aproveitar o de bom, mas nunca deixar de ter os seus próprios estudos.

          • saldoso says:

            o quê? pensa bem no que dizes, estamos a falar da saúde das pessoas, não de tecnologia!
            O que a OMS fez foi suspender parte dos estudos (nem foram todos)) para avaliar a nova informação. É a atitude responsável quando há uma forte suspeita de que um medicamente pode aumentar a mortalidade, com base num estudo alargado, envolvendo dezenas de milhares de pacientes.
            Ou será que querias que continuassem a fazer tratamentos sabendo à partida que teria uma alta probabilidade de aumentar o risco de morte? Achas isso ético?

    • David Guerreiro says:

      Acho que se o Trump disser amanhã que tomou uma aspirina para a enxaqueca, vão logo arranjar forma de dizer que a aspirina mata e não trata os sintomas e sei lá mais o quê.

      • Robin Hood says:

        Ele fez isso, disse q detergente era eficaz contra o vírus

        • Avlis says:

          Ele foi irónico com os jornalista, sabes o que é ironia certo? É claro que se fosse um cómico como o Ricardo Araújo Pereira era o melhor do mundo, grande piada, etc, como é o Trum, toca a descascar em cima dele. Atenção que eu até nem gosto muito dele, mas fez o que disse e os EUA , antes desta crise estava com os níveis de desemprego mais baixos de sempre, (mesmo em “guerra económica” com a China) o que não interessava para muita gente.

          • saldoso says:

            E sabes o que é mentir?
            Basta ver e ouvir o que ele disse! Ele não disse aquilo falando para os jornalistas, ele disse aquilo como pergunta a cientistas que estavam ao lado dele, aliás fez várias perguntas e sugestões aos cientistas naquela situação.

  3. Donadel says:

    E o Bolsonaro que é o burro, ditador que mandou o exercito brasileiro produzir milhões de doses para distribuir gratuitamente pelos hospitais brasileiros.

    A hidroxicloroquina não interessa porque o tratamento não custa mais do que 10€… E a sua produção é extremamente barata, logo, não interessa ao lobby das farmacêuticas e políticos corruptos… Uma das razões de em Portugal nem se falar nesse medicamento.

  4. jorgeg says:

    Looooollll,… podes ser?!!!
    #Trump2020 lanslide

  5. Sílvio Pinto says:

    Estranho isto ter acontecido depois do Trump ter dito que ia deixar de fazer parte da OMS

  6. jo says:

    A empresa The Lancet é a maior fraude que existe adivinhem quem é o proprietário……G.SOROS, parece-me que está tudo dito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • saldoso says:

      The Lancet não é uma empresa, é uma revista científica, de prestígio! Uma revista que pertence à Elsevier que publica dezenas de outras revistas científicas conceituadas.
      Não tem nada a ver com G. Soros!

  7. Dark Sky says:

    A história dos testes com hidroxicloroquina, incluindo o anúncio pela OMS, em 22/05, da suspensão do seu programa testes clínicos e o anúncio, em 3/06, do reinício desse programa – está bem explicados pelo “DN”.

    A grande trapalhada contada no post existiu. Agora não se pode é concluir: “Houve grande trapalhada – afinal Trump e Bolsonaro é que estão certos!” – porque continua a não existir provas dos benefícios da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 e continua a só pode ser usada em ensaios clínicos, porque o perigo de complicações cardíacas é real. O que muda, apenas, é o número de casos mortais atribuíveis à hidroxicloroquina, publicados pelas duas revistas médicas com base em dados falseados.

    https://www.dn.pt/edicao-do-dia/05-jun-2020/hidroxicloroquina-um-risco-um-placebo-ou-uma-solucao-possivel-12277398.html

  8. Rafael says:

    Enganaram direitinho os trouxas. kkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.