Quantcast
PplWare Mobile

Cientista sugere que variante Ómicron resultou de uma colisão entre a COVID-19 e o VIH

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Luis says:

    atenção, quer dizer que a sida pode pega-se pelo ar. Tudo a vacinar-se

  2. Abilio Martinho says:

    Se houve colisão a culpa é do motorista.

  3. pinoquio says:

    ja desconfiava que tinha havido uma parceria entre COVID-19 e o VIH acho com essa parceria ninguem vai escapar seremos todos contaminados

  4. Antonio says:

    Que coincidência: as teorias da conspiração afirmam que o VIH foi criado em laboratório e que alguma coisa correu mal quando foi testado em África.
    Agora o Ómicron surgiu desta colisão? Poderá haver alguma verdade. Que grande encontro!

  5. R says:

    Mais um à procura de fama.

  6. Tony says:

    Mais um enriquecimento cultural a assombrar a Europa.

  7. falcaobranco says:

    O VIH era como o outro… “era um mero passageiro…” 🙂

  8. Memória says:

    Como foi descoberta a variante Omicron

    How South African scientists discovered Omicron and set off a global chain reaction
    https://edition.cnn.com/2021/12/02/world/south-africa-omicron-origins-covid-cmd-intl/index.html

  9. RatazanaDoPunjab says:

    O que aconteceu, isto de fonte segura ( Lusa), é que o vírus do covid 19 e do HlV tiveram um affair de uma noite e vai daí nasceu o rebento Omicron uns meses depois.
    Ora digam me lá que não é a hipótese mais plausível…

  10. Eu sei lá says:

    A variante Ómicron já foi detetada em 40 países.
    Fatalidades associadas: zero.

    “O Público”:
    “A Ómicron lançou o pânico? Nos políticos e nos mercados, sim, nos cidadãos nem por isso”
    “Alguns administradores de empresas de biotecnologia fizeram declarações alarmadas – ou alarmistas – dizendo-se convencidos de que as mutações desta variante vão afectar a eficácia das suas vacinas ou tratamentos para a covid-19. Houve tombos nas bolsas, os cidadãos sofrem mais medidas de controlo e restrições de viagens impostas pelos governos – mas era inevitável esta reacção?”

    Já só faltava mesmo alguém inventar o “encontro” com o HIV.

    • Tadeu says:

      A teoria é apenas sobre haver pessoas em que o virus do Covid persiste mais tempo, não tem nada a ver com o virus do Covid “misturar-se” com o virus do HIV.

      • Tempo ao tempo says:

        Sabes ler? Se sim, sabes interpretar uma frase com mais de 3 palavras?
        “O cientista responsável pelo alerta sobre a nova variante do SARS-CoV-2, Ómicron, desenvolveu uma teoria acerca do seu surgimento. Na sua opinião, é provável que aquela se tenha formado depois de correr através do corpo de uma pessoa não vacinada, e positiva para o VIH.”

        • Tadeu says:

          Saberás tu interpretar, investigar, ler os links?
          O que o cientista fala é que nalgumas pessoas com SIDA (a doença), o virus do COVID persiste mais tempo por estarem imunodeprimidas. A teoria é que persistindo mais tempo no corpo o virus do COVID pode sofrer mais mutações.
          Não há misturas entre virus, até porque os virus atacam células diferentes, e um é um virus de RNA e o outro de DNA o que dificulta ainda mais qualquer mistura de material genético.

          • Tempo ao tempo says:

            “Na sua opinião, é provável que aquela se tenha formado depois de correr através do corpo de uma pessoa não vacinada, e positiva para o VIH.”

            Lê a frase com calma. Como é que se deu a formação? (De acordo com a teoria do cientista)?

          • Tadeu says:

            Tempo ao tempo,
            se calhar deverias tu ler com calma o que eu disse, e ires ver os links para ler a citação na língua original, e assim desfazias essa tua confusão, até porque a frase que usas não diz o que queres. A teoria do cientista é aquela que apresentei.

    • Eu sei lá says:

      Até se podem combinar várias teorias – a variante Ómicron desenvolveu-se na África do Sul numa pessoas com HIV e com gripe.
      A questão é por que é se foi pegar no que diz o cientista, há meses, e se foi buscar, agora, juntando a Ómícron ao vírus da Sida? Para aumentar o sentimento de ameaça da Ómicron, obviamente.
      Diz o mesmo artigo d’ “O Público”:
      “Este sentimento de que há uma nova ameaça não é completamente negativo, quando estamos no meio de uma pandemia. “Se reparar, nos últimos dias anda mais gente de máscara na rua. Não podemos dizer que isto seja uma coisa boa, mas esta apreensão perante a novidade tem um efeito benéfico nas pessoas que as levou a ter mais medo e a ter mais cuidado”, sublinha Américo Baptista. “O desconhecimento perante a novidade desencadeia as reacções de medo, de ansiedade, mas tem um efeito positivo de aumentar os comportamentos de protecção.”
      No mesmo artigo também é dito que, em termos de comunicação era, preferível: “dizer claramente quem são as pessoas que estão a morrer com a covid-19 hoje em dia. “Se formos olhar quem está a morrer, são pessoas com co-morbilidades, o que afecta mais as idades avançadas, e pessoas que não foram vacinadas. Ponto final. As proporções são completamente desiguais nestes grupos. Era importante transmitir isso às pessoas, porque promovia a vacinação”, explica Osvaldo Santos”.

      • Tadeu says:

        Meu caro. Quem está para aqui a combinar teorias e a criar medos serás tu, que ficas assustado por ouvir HIV antes sequer de ler o que o homem diz.
        O que o cientista disse é uma observação válida para as autoridades tomarem prestarem atenção a alguns grupos de risco, algo que ele repetiu agora! Não foram os jornais que foram rebuscar o que ele disse no passado.
        Quanto a quem morre, não deixam de ser pessoas só porque têm co-morbilidades, e as pessoas morrem porque existe elevada transmissão entre pessoas, algo que pessoas vacinadas também podem fazer, assim como há pessoas vacinadas que podem morrer pelos mais diversos motivos! Aqui a questão é de se poder tomar medidas equilibradas de protecção de saúde pública, todos temos que fazer a nossa parte.

  11. Luís Silva says:

    Acredito! Porque o IVH não usa camisinha 🙂

  12. Sardinha Enlatada says:

    Com esta variante fica provado que anda a fazer cocegas as pessoas, e que alguem anda a brincar com isto e a ganhar dinheiro. Mais do mesmo. Novidades ? Para quando o terminar desta palhacada ? NUNCA ? A fala serio.

    • Marisa Pinto says:

      Podes sempre apresentar uma solução em vez de perderes tempo, sem acrescentar nada de relevante.

      • Sardinha Enlatada says:

        Marisa solucao e simples. E pedir a comunicacao social que deixe de falar de covid que ele desaparece em tres tempos. Agora se nao gostas da solucao essa e outra questao.

        • Marisa Pinto says:

          Já reparaste que falas tu tanto ou mais também? E não é por deixar de se falar de uma coisa que ela desaparece. lol. Onde aprendeste esse truque de magia?

          • Sardinha Enlatada says:

            Marisa isto nao e um forum publico ? Nao sou eu que estou a ser julgado. E engracado como voces arranjam argumentos quando nao os teem. Foi mentira o que falei ? Muitos certamente que concordam comigo. Mas tambem nao ando a procura de seguidores. Cada um sabe de si Deus de todos. Agora e mesmo facto, a comunicacao social deixar de falar destas tretas ja ajudava muito na vida das pessoas.

          • Marisa Pinto says:

            Sim é um fórum público e ninguém te proibiu de falar. Mas a minha liberdade de expressão também me dá direito de comentar os teus comentários públicos. E sim, 99% das coisas que aqui tens escrito sobre este tema são faltas. Portanto, para ti vai continuar a ser treta mas na realidade continua a ser verdade. Logo, como disse, não acrescentas nada que possa alterar isso. O conselho é não perderes então tempo, que certamente deve ser precioso e necessário à tua contribuição fundamental no mundo e na evolução humana, nestes assuntos.

            Bom domingo.

          • Hugo says:

            Incrível sardinha. O tempo passa e a ignorância evolui ficando cada vez mais crónica.

          • Memória says:

            Não vejo qualquer vantagem em fazer “desaparecer” o Covid por não falarmos dele.

            É necessário apurar as responsabilidades do aparecimento do virus, (laboratórios?) e da forma errada como a ele se reagiu do ponto de vista científico/médico e do ponto de vista político e social na sua generalidade.

            Covid abriu os olhos a muita gente que pensava viver num regime democrático e liberal, num Estado de Direito,
            Quando as consequências catastróficas da resposta totalitária – vacinação universal e obrigatória – se tornarem ainda mais evidentes então toda a humanidade vai perceber que tem vivido numa inacreditável , inaceitável, ilusão.

            Eu vivi em Portugal nos últimos tempos de Salazar e nos tempos do Marcelo Caetano e da Guerra Colonial.

            Havia muito que podia ser discutido, mas a Guerra era Tabú. Por vezes apareciam nas páginas internas dos jornais entre os reclames de “remédios para os calos” ou “cadela bonita oferece-se” pequeníssimas notícias, de Mortos ao Serviço da Pátria, nunca mais de uma dúzia de casos. e por vezes nem se dizia onde.
            A televisão passava por vezes curtíssimos filmes de propanda heróica e vitoriosa

            Devemos fazer todo o possível para evitar que esses tempos voltem, mas agora numa escala mundial

        • Filipe says:

          Falaste de deus no teu comentário. Acabaste de perder toda a credibilidade. Volta para dentro da lata que é onde estás bem. Ou em cima de uma fatia de pão.

        • Tadeu says:

          Será que deixarmos de falar de Sardinhas elas também desaparecem?
          Será que se não ouvirmos uma árvore a cair ela não caiu?

        • Sardinha Enlatada says:

          Marisa queres ficar bem na fotografia nao e ? Entao responde-me la a isto se conseguires, porque eu acho que deves ser alergica a determinadas perguntas que sao feitas. Entao porque e que com 18000 e poucas mortes ao longo de 2 anos( e isto e importante frizar, dois anos) isso foi considerado uma pandemia a nivel nacional ? Responde com argumentos validos ou factos e nao historias da carochinha. Se nao responderes e obvio que ja respondeste e fica definida a tua posicao.

          • Vítor M. says:

            Não ataques quem te respondeu educadamente, isso é sinal que ficaste sem argumentos. Como foi já muitas vezes dito, perdes tempo a tentares enganar-te a ti próprio, porque não apresentas ideia nenhuma sobre como resolver a pandemia. Meter a cabeça na areia não é resolver o problema, é fugir dele.

          • Sardinha Enlatada says:

            Vitor tambem tu ? Responder as perguntas e que nada. Eu ja apresentei uma solucao, e a mais viavel posssivel. Porque isto de pandemia nao tem nada. Pensei que alguns de voces ja tivessem percebido a forma como comento. Nao comento sobre ciencia porque entendo pouco, apenas comento sobre a manipulacao do covid na comunicacao social e como prejudica a vida das pessoas apenas isso. E outra forma de abordar o assunto. Todas as opinioes sao validas certo ? A pergunta fica tambem para ti Vitor se quizeres responder, mas tambem deves ser alergico. E nao fiques ofendido por dizer isto ok ? Nao te tratei mal.

          • Vítor M. says:

            Eu? Mais que responder deixei muita informação sobre o tema, e não procuro teorias de conspiração, textos truncados e falta de rigor científico. Devias fazer o mesmo.

          • ervilhoid says:

            ainda nao vi resposta À questão de porque querem vacinar as crianças para evitar trasnmissao mas agora nos voos nada de testes Às crianças

  13. Tempo ao tempo says:

    Em 2022 poderemos, caso não martelem os números considerando todos os que morram com COVID terem morrido de COVID, comparar o número de mortos por morte súbita e por AVC com os anos anteriores.
    Claro que a causa da morte nunca poderá ser a vacina contra a covid. Os crentes dirão sempre que não, até começarem a ver familiares ou amigos a tombar.

    Testes de imunidade não? Nada? Não servem o propósito?
    Até à vacinação em massa quantos mortos abaixo de 60 anos houve? E após a vacinação em massa? Porque motivo estes dados não são públicos? De que têm medo as autoridades?

    • Memória says:

      Excelentes perguntas.

      Na Holanda temos tido um aumento inexplicável de mortes em relação à media multi-anual antes da Covid p.ex. no mês de Novembro 3.500 mais do que a média, enquanto que oficialmente por Covid (ou com Covid) não foram de certeza mais que 1.500.
      Numa província do Sul da Holanda (Limburgo) o excesso de mortes foi de quase 50%.

      Estes números foram dicutidos no Parlamento e deram origem a aguerridas discussões, e agressões, por enquanto apenas verbais.

    • Memória says:

      Alguns “Graphics and Maps” estão em
      https://www.euromomo.eu/graphs-and-maps#excess-mortality

      Muitos destes gráficos não são de leitura fácil 🙁

      • Tempo ao tempo says:

        A dgs, até determinada data, colocava o número de mortos por escalão etário com os dados exatos, com números, ao invés do gráfico, que não permite uma análise exata dos dados.

        “Quem está a morrer em Portugal com covid-19? A pergunta tem sido feita por especialistas e não só. Mas os dados concretos, disponibilizados diariamente pelas autoridades de saúde, só permitem perceber em que faixas etárias é que se morre mais. O bastonário dos médicos já pediu publicamente à Direção-Geral da Saúde (DGS) que divulgue a informação com mais detalhes (por exemplo, se estas pessoas estavam ou não vacinadas e há quanto tempo ou se sofriam de outras doenças), até para apoiar a comunidade científica na análise da evolução da doença. Mas isso não tem acontecido. O problema é que a esta questão juntam-se outras, como em que idades está a ocorrer o maior número de casos, quem está a chegar aos hospitais para internamento em enfermarias e nas unidades de cuidados intensivos? Quantos dos infetados e internados estavam ou não vacinados e há quanto tempo? O DN também enviou estas perguntas à DGS , mas a resposta que chegou foi que tais dados só são atualizados mensalmente, devendo ser conhecidos na sexta-feira.”

        Fonte dn 18nov2021

        O número de RAM graves por vacinação COVID em idades abaixo dos 60 anos está muito mas muito acima do número de óbitos que havia ocorrido nesse escalão etário. Ou seja, pessoas que dificilmente iriam ter repercussões caso fossem infetadas pelo vírus, tiveram reações adversas graves pela toma da vacina.
        Em relação ao escalão etário dos 12 aos 20 anos ainda mais absurdo é vacinar essa gente. Os benefícios não superam os riscos.

        • Mico says:

          Bem, só encontrei dados de maio, onde. de forma global
          para 3.943.979 de vacinas dadas na altura, os RAM foram 0,1156% e destes 40,9% foram graves (27).
          Os RAM incluem vermelhidão no local da vacina, febre etc…. Uma toma de vacina pode incluir várias RAM conexos, portante o número de RAM contabilizado é superior ao n.º de casos de RAM contabilizados.
          fonte: Relatório de farmacovigilância de junho de 2021 do Infarmed

  14. Zé Fonseca A. says:

    Isto é treta, já surgiu identificação que foi da colisão com o simples vírus da gripe por isso esta variante poderá ser mais infecciosa e mais resistente às vacinas actuais mas no entanto é a mais fraca até agora detectada, ainda nao existem mortes associadas à mesma e os sintomas são mais ligeiros.

  15. Petrus says:

    Não é verdade! A variante Ómurcon já existia no Porto há muito tempo.

  16. Joaquim Sobreiro says:

    Quem é aqui a cientista que julga quando uma opinião ou afirmação é treta?

  17. Joaquim Sobreiro says:

    A ciência reconhecida oficialmente pelos meios de comunicação subsidiados sabe calcular, com precisão, qual a redução de gravidade de sintomas em quem tomou a vacina e SE… não a tivesse tomado.

  18. Joaquim Sobreiro says:

    Tomar e não tomar são sinônimos na gramática Covid.O importante é alimentar o medo e confusão.

  19. Memória says:

    *. . .O Sistema vai inevitávelmente colapsar . . .*

    Geert Vanden Bossche sends a message to people of Austria

    The only fight you should have, is the fight for your health
    https://rumble.com/vpzaet-the-only-fight-you-should-have-is-the-fight-for-your-health.html

  20. jack says:

    E se algum dos nossos sábios políticos se lembra de cobrar imposto sobre a ignorância?

  21. Joaquim Sobreiro says:

    Não lembres isso. A Comissão de avaliação já está criada pelos meios de comunicação subsidiada e da verdade única e inquestionável.

  22. Guilherme Lino says:

    (Fev 2020) Cientistas indianos encontram partes de VIH no covid, forçados a remover os estudo por corroborar a teoria de origem num laboratório
    https://www.opindia.com/2021/06/indian-scientists-had-found-unique-insertions-in-covid-19-virus-genome/

    (Dec 2020) Vacina australiana para covid-19 gerou resultados falso-positivos para HIV
    https://exame.com/ciencia/vacina-australiana-para-covid-19-gerou-resultados-falso-positivos-para-hiv/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.