PplWare Mobile

Recurso de ECG do Apple Watch 4 parece já ter “salvo” um utilizador

Fibrilhação Auricular - O que é?

A fibrilhação auricular é a arritmia crónica mais frequente com uma prevalência superior a 6% a partir da sexta década de vida. Na FA há uma perda da função mecânica auricular, o que leva à estagnação do sangue e à formação de coágulos nas aurículas, que podem desprender-se e embolizar as artérias cerebrais. A FA é responsável por 15% dos AVCs.

Os fatores de risco mais frequentes são a idade avançada, a hipertensão arterial, a diabetes e a insuficiência cardíaca.

As principais manifestações da doença são as palpitações, a resposta excessiva da frequência ventricular, a falta de ar e intolerância ao esforço, o aumento da mortalidade, etc.

A FA aumenta em 5 vezes o risco de AVC (o principal problema), em 3 vezes o risco de insuficiência cardíaca, em 2 vezes o risco de demência e duplica o risco de morte.

Os objetivos da terapêutica são prevenir o AVC, controlar a frequência cardíaca, restaurar e manter o ritmo sinusal, melhorar os sintomas, prevenir a insuficiência cardíaca e prolongar a esperança de vida.

Atualmente existem novos tratamentos, que podem ser utilizados de forma mais eficaz e segura.


Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

54 Respostas

  1. Filipe Soares says:

    Calor anormal? O AW também mede a temp?

  2. Filipe F. says:

    Muito interessante, a ser verdade porque não existe fonte no artigo. É bom ver que a tecnologia está a evoluir para ajudar em algo realmente útil ao ser humano. Esperemos que sejam mais os casos deste tipo do que os casos falsos que irão causar danos na carteira dos pacientes a irem a correr para médicos porque um dispositivo deu falso positivo, ou entupir urgências desnecessáriamente. Seja como for, uma possível vida salva, vale sempre a pena face a 10 ou 20 casos falsos.

    • Vítor M. says:

      Existe o testemunho do homem em causa. Tem documentos sobre o que diz… a ser verdade, realmente é uma excelente tecnologia.

      • bola says:

        Vitor o meu irmão é Cardiologista e nem lhe falo disto senão sou gozado, achas mesmo que a precisão sequer é perto do que é clinicamente válido.

        Só pode ser para rir…

        Outra coisa, colocas um artigo que devias ter confiança e ser verdade claro, não é o que parece pois assim dizes “…a ser verdade…” mas agora também não podemos acreditar que o PPLWARE coloca artigos verdadeiros, apenas têm fé que assim seja ?

        Enfim….

        • Vítor M. says:

          É nada. Tu imaginas agora O teu irmão como o maior da categoria de cardiologia.

          A Apple é pequena para as ambições do teu irmão. Mas espera lá, no outro dia o teu irmão não era funcionário da Microsoft num outro artigo?

          É sempre bom ter um irmão eclético.

          Bom Natal 😉

        • Dorian says:

          Não é um exame clínico, nem é suposto servir para diagnóstico, é um alerta para ser acompanhado e obter um diagnóstico médico atempado. O facto é que esta tecnologia tem aprovação da FDA nos EUA, o que já deve dizer alguma coisa ao teu irmão.

  3. Vox says:

    Parece-me uma historia com todos os ingredientes para ser fake. Com um proposito, claro, publicitar a tecnologia. Muita gente vai precisar de uma coisa semelhante no pulso e ao mesmo tempo fazer chamadas, etc. Mas historias demasiado romanticas e coincidentes, nao acredito.

    • PTdoNorte says:

      +1
      Detesto iphones, mas apple watch acho o melhor que a apple ja fez, mas estas noticias sao tao estudadas que dá para desconfiar

    • antonio says:

      Inquérito pplware:l. Não acreditas porque:
      1 – Não gramas a Apple;
      2 – O Apple Watch não deteta uma fibrilação auricular
      3 – É impossível que alguém não saiba que tem uma fibrilação auricular
      4 – É impossível alguém dizer “Porra do relógio está-me mas é a enganar e a dizer-me para ir ao médico sem necessidade” – e afinal precisava mesmo de ir

    • Luis Silva says:

      +1
      Comentário mais sensato de todos!!

  4. Jota says:

    É cada notícia encomendada, que até faz impressão!

  5. censo says:

    Vale tudo em publicidade.

    • Vítor M. says:

      Essa conversa também apareceu quando foi lançado o recurso de monitorização da frequência cardíaca há uns anos nos relógios desportivos. Hoje, vemos que realmente é um recurso válido e útil, em muitos casos, vital mesmo. Por isso…. deixa ver no que vai dar 😉

  6. Manuel says:

    É possível fazer ECG com apenas um eléctrodo?

    • antonio says:

      É o que o Apple Watch 4 faz – mas com a advertência de não se fazer qualquer tratamento com base nessa informação. É um alerta – a confirmar através de exames adequados.

    • Tiago C says:

      Meu caro sao dois eléctrodos da acesso a uma derivação chamada de D2. Por isso sim é possível. O braço esquerdo mais o braço direito (através do dedo).

  7. Pastilhas says:

    Sinceramente não me parece nada de mais. Nada mais fez que alertar para arritmia ( frequência cardíaca irregular) causa que hoje em dia todos ou cause todo os relógios com sensor de batimento cardíaco alertam.
    Mas se os sintomas já iam no que diz…nem devia ter precisado de relógio..o resto foi diagnostica mais tarde por exames..nada a ver com salvamento de vidas….

  8. Vera Lucia says:

    Será que é mesmo eficaz ? Os meus pais já tem certa idade não sei se não seria boa ideia comprar uns relogios destes para cada um deles…

  9. Sérgio says:

    Isto é para ir ler antes de deitar, assim podemos sonhar em ter um exame ao coração 24h por dia. Brilhante, não fossem charlatões.
    Vítor, que granda estória. Conta outra que ainda não deu para adormecer.

    • Vítor M. says:

      Se não percebes a tecnologia e não percebeste o que se passou, pronto fica como estás. Tens esse direito de não querer acreditar, mas como tu estavam muitos quando outras tecnologias apareceram, como por exemplo a da monitorização cardíaca num relógio. Portanto, hoje começa acser bando, na altura era um “estória”. Tens esse direto.

      • Sérgio says:

        E o que te qualifica a ti para saberes mais da tal tecnologia do que eu?
        Existe um exame medico chamado holter, que se calhar quererás pesquisar, até para corrigir um pouco a estória bonita que escreveste. Até te pago um café se encontrares algum laboratório que faça o exame com o tal relógio aqui ou nos EUA.

        • Vítor M. says:

          Disparate. A Apple submeteu à FDA a documentação tecnológica. Está descrito o que existe no Apple Watch e recebeu a devida autorização. Se sabes mais que eles, força aí, mete-os na justiça. Agora estares a teorizar sobre o que é um holter ou um ECG médico…

          • Sérgio says:

            Submeteu exactamente o quê e para quê? Foi para ser usado como aparelho com capacidades de diagnóstico médico?
            E recebeu autorização para quê? Para poder realizar algum tipo de diagnóstico?
            Eu estou a teorizar exactamente o quê? Que a tua estória impele para algum tipo de diagnóstico médico que não faz sentido? Se é isso, não estou a dar nenhuma teoria, estou a afirmar o ridículo que é um sensor de pulso ter sequer a capacidade de alguma vez conseguir colectar um conjunto de dados fiáveis para qualquer tipo de diagnóstico ligado ao estudo do coração.
            E só mesmo para teres uma ideia assim pro simplória, agarras no teu belo relógio e vais fazer uma corrida, e ao mesmo tempo, agarras nos melhores sensores de peito, daqueles que vês os jogadores de futebol das grandes equipas usarem, fazes uma corrida de 30 a 60 minutos e depois comparas os resultados.

          • Vítor M. says:

            Se perguntas isso tudo é porque não sabes do que falas, se não sabes, para que estás a opinar sobre algo que desconheces? Mania de mandar bitaites da bancada. 🙂 Primeiro vai ler sobre a tecnologia, depois vai ler sobre a autorização da entidade reguladora, e depois vai ler a história lá do protagonista… assim já não fazes perguntas depois de criares uma teoria. Falas já com conhecimento de causa, em vez de mandar um bitaite para o ar 😉 depois, até podemos falar sobre o assunto com argumentos técnicos à altura esplanados por vários especialistas em cardiologia.

            Mas primeira vai então ler um pouco sobre isso.

            Abr.

          • Sérgio says:

            Sabes por acaso o porquê de te quando fazer um exame holter te meterem os eletrodos onde te metem? Sabes porque são aquele número e não outro?
            Sabes porque não te metem um elétrodo no pulso, na região onde fica o teu belo relógio da Apple? Sabes lá tu não é? Mas sabes de tecnologia, bravo.

          • Vítor M. says:

            Por caso sei, pela atividade desportiva de há uns anos, tivemos de fazer, holter, ecoCG, ECG, prova de esforço, mapa, etc… e, como normalmente faço, interesso-me pelas tecnologias e, por isso, ao contrário de ti, quando a Apple lançou esta tecnologia, tive a curiosidade de perceber até onde esta tecnologia serviria para alertar, após detetar algo, o utilizador. E tu também podes ler, há imensa literatura sobre o assunto, há inclusive detalhes que alguns cardiologistas que falaram no assunto na altura que a Apple lançou o produto.

            Lê, vê o que a Apple lançou sobre o tema quando registou a tecnologia no Apple Watch e o que descreveu para a FDA. Depois opina 😉

          • Jroberto says:

            A FDA não aprovou nada, isso é falso. Disponibiliza lá o link onde a FDA aprovou sff.

          • Vítor M. says:

            Vamos começar pelo princípio? Primeiro eu falo em autorização 😉 mas foste ler algo que nesse comentário não existe 😉 depois, basta irmos ao Google e pesquisar o documento, de vários, onde tudo isto começa 😉 https://www.alivecor.com/press/press_release/fda-clears-first-medical-device-for-apple-watch/

          • Jroberto says:

            Vítor, isto foi dito por ti numa mensagem *Primeiro vai ler sobre a tecnologia, depois vai ler sobre a autorização da entidade reguladora, e depois vai ler a história lá do protagonista…
            O link que deixaste, tal como os demais que se encontram numa pesquisa, têm a palavra clearance que não tem nada a ver com approval.

          • antonio says:

            Bem, sem me querer meter na briga, aqui fica a distinção entre “FDA approved” e “FDA cleared”.

            – “FDA approved” – apenas para medicamentos e equipamentos de suporte de vida (como os desfibriladores) ou de tratamento. Não é aplicável a equipamentos como o Apple Watch/medidor de arritmia cardíaca.
            – “FDA cleared”, menos exigente, é aplicável a outros equipamentos. Significa que foi submetido a testes pelo FDA e que é “substancialmente equivalente a um produto existente a que foi dado FDA-cleared, o que significa que o dispositivo tem o mesmo uso pretendido e características técnicas aproximadas” .

            Em conclusão, como não é um equipamento médico de suporte de vida nem de tratamento, ao Apple Watch/medidor de arritmia cardíaca foi dada a autorização que está prevista o FDA dar: “FDA approved”

            https://www.medicalnewstoday.com/articles/272986.php

          • Vítor M. says:

            Foi o que referi, alias, está na explicação aquando da chegada do Apple Watch Serie 4.

          • Vítor M. says:

            Jroberto lê um pouco sobre o que foi autorizado pela FDA, depois verás que há diferenças entre um equipamento médico e um equipamento como este da Apple, e outros que anteriormente a FDA já havia autorizada a sua comercialização com determinada ação para a saúde.

            Já deixei várias vezes esses documentos, basta lerem assim ficamos todos a falar do mesmo.

        • antonio says:

          Também já me baralhei.
          Na última frase , onde escrevi “FDA approved” leia-se “FDA-cleared” 🙂

        • Vítor M. says:

          antonio, é isso mesmo. É simples de perceber.

  10. alguem por ai says:

    nao vai chegar é a portugal mas isso é outra historia… compra se as coisas,mas em portugal devia ser mais barato porque nunca temos acesso a todo o potencial dos equipamentos,estou a falar disto,do apple pay do samsung pay.. enfim..

    • Vítor M. says:

      Vai chegar sim, mas tem de haver uma aprovação da UE.

      O Apple Pay só não chegou por culpa das instituições bancárias, até porque isto tecnologicamente não tem nada de especial, repara que o MBWay já faz algo muito parecido.

  11. Je says:

    Ter fibrilha¢ao auricular sem saber e’ brincadeira, altera todo estado geral do individuo. Ja’ tive e ninguem quer ter, garanto. E’ certo que tem tratamento, mas nada de muitos abusos: trabalho excessivo, preocupa¢oes, etc. Ninguem falou que este smartwach le tensao arterial, isso e que nao se sente.

  12. Cortano says:

    E aqui vem novamente a bullshitada do costume.
    Até pode ser verdade e a função é útil, mas fazerem disto noticia é, nada mais que marketing.

  13. Miu says:

    Mais um passo para colocarmos definitivamente um chip no corpo. Pela saúde e pela segurança! Quem não deve não teme!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.