Quantcast
PplWare Mobile

Funcionários da Apple lançam petição contra o plano de regresso ao escritório

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. Patrik says:

    Quer tudo baldar se lol, trabalho pa que?

    • eu says:

      Deves ter um tipo de emprego que obriga a ser 100% presencial derivado às características do mesmo e por isso fazes este tipo de comentário depreciativo e infundado, sendo o fundamento a tua frustação.
      Tentar ser feliz que a vida é curta senão ainda te mordes a ti mesmo.

      • Patrik says:

        O tuga gosta e de vinho e gajas ja dizia o primeiro ministro holandes. Cultura de trabalho em pt? Zero. Trabalho na Holanda numa multinacional e chego a casa as 16h, em Portugal ganhas um decimo do que ganho e trabalhas ate as 20. Tenta ser feliz ai com salario minimo que eu aproveito bem melhor que tu toto

        • Trabalhador Remoto Burguês says:

          E o que é que esse exemplo tem que ver com o trabalho remoto?
          Se vens para o fórum destilar ódio cheira-me que o dinheiro de facto não trás felicidade…. Podes ganhar 10 vezes mais mas és mais amargo que limão verde.

          E olha, quando aparecer essa modernice da semana de 4 dias, não te esqueças de recusar a titulo pessoal. Aproveita e trabalha na sexta enquanto os teus colegas vão aproveitar

          • Zé Fonseca A. says:

            Por acaso, uma vez que ele trabalha na holanda, muito provavelmente já deve ter a semana de 4 dias há alguns anos.

          • Trabalhador Remoto Burguês says:

            Então a dualidade de critérios é gritante. Trabalhar de casa é gazeta mas 4 dias (no seu entender, não é). Só génios!

        • Porto says:

          Trabalho em PT 8h diárias, multi nacional, full remote, e duvido muito que ganhe só um decimo do que tu. Acho que não deves ter muitos exemplos para comparar.

          • RC says:

            Metam ai os vossos ordenados, só assim saberemos que tem razão.

            Eu posso começar, trabalho em Pt, normalmente 8 horas por dia, as que fizer a mais são pagas à parte, mas dentro das 8 horas e muitas delas remotamente, mais de 50%, ganho o salário mínimo, mas por semana.

          • Zé Fonseca A. says:

            IT, multinacional, remote parcial em PT, 11k

      • Castro says:

        pois mas ter um emprego significa ter um patrão, e cabe ao patrão decidir qual é o local de trabalho e como gerir o seu pessoal. Este tipo de comportamento é algo infantil e um sintoma de algo não muito saudável – se bem que as empresas americanas também não são muito saudáveis!

        • Trabalhador Remoto Burguês says:

          “pois mas ter um emprego significa ter um patrão, e cabe ao patrão decidir qual é o local de trabalho e como gerir o seu pessoal” – Não podia concordar mais, mas depois o tal patrão não fique admirado se de repente os seus processos de contratação não tiverem ninguém.
          A malta fala e fica a saber o que esperar do nível de gestão. Depois tais chefes vão para as televisões chorar que ninguém quer trabalhar. Correcção: as pessoas querem trabalhar, mas não para ti porque tens uma gestão tóxica e agora aguenta-te. Sei que na Apple é complicado mas noutras empresas nem por isso.

          Não nos devemos esquecer, que o trabalho remoto começou devido a um Win-Win durante a pandemia em que a empresa não ia à falência e o funcionário não perdia rendimento…. agora que a situação somente beneficia o funcionário já não interessa….

          Assumindo que haverá outra situação que nos obrigue a trabalhar de casa, o melhor que pode acontecer a essas empresas, é todos mudarem de emprego nessa altura porque já se sabe que nessas empresas só dura enquanto convém à empresa….

          • secalharya says:

            Emprego é para quem não quer trabalhar.

          • Castro says:

            não deixa de ser comportamento infantil, o que também não abona muito a favor do empregado por não assumir todas as suas responsabilidades.
            a gestão tóxica não está em ter que ir trabalhar para um local de trabalho!
            E posso até acrescentar, a sociedade vai acabar por se arrepender se o hábito se torna generalizado. Se há coisa que a pandemia também mostrou é que o contacto humano é insubstituível.

          • Trabalhador Remoto Burguês says:

            Não é comportamento infantil. Ir à procura de uma empresa que oferece o que se quer não é infantil. Se uma pessoa for valiosa para o sucesso da empresa, estarem a fazer uma petição já é uma prova de humildade desses funcionários pois não entregaram a carta na hora (como uns da própria Apple já fizeram).

            É haver um entendimento entre o que o trabalhador quer e o que a empresa quer, nada mais. O facto de haver mais procura que oferta fez com que parecesse errado as pessoas terem opinião sobre o ambiente de trabalho, pois agora já não é assim. É tudo uma relação de quem mais precisa de quem. Como disse, durante a pandemia também beneficiou a empresa então fez-se como agora já não benificia a empresa, é para acabar. Cada um colhe o que semeia

    • Rrrrrr says:

      nem todas as culturas de trabalho sao iguais em todos os paises?
      trabalhei em varios países e posso dizer que em PT era onde passava mais tempo no escritorio, tinha menos trabalho feito, e tinha uma quantidade enorme de pausas, almoços demasiado longos…
      anyway, é cultura.
      num outro espectro, no uk foi onde trabalhei menos horas, onde tinha pausas mt pequenas, e saía por volta das 4-5 da tarde.

      • Zé Fonseca A. says:

        Quem acha 1h de almoço um almoço longo é porque não vai almoçar a um restaurante.
        Eu cá vou sempre ao restaurante, quer esteja em casa ou no escritorio, e como sempre as entradas, prato principal e sobremesa, quando estou com outros colegas até demora mais do que 1h, no entanto esse “reset” é essencial para uma boa produtividade.

        • Rrrr says:

          O problema não é o almoço… mas sim se se bebe álcool ao almoço, as pausas que se fazem para café, pausas para fumar, pausas para chamadas.
          Como deves perceber não me refiro a ti pk nem te conheço, mas antes pela generalidade que presenciei é que tb fui participante. É claramente de cultura.

          • Zé Fonseca A. says:

            Eu não vejo nada contra isso, em muitas culturas isso acontece e muitas vezes não está relacionado só com a cultura mas com a pessoa em si, eu por exemplo trabalho de acordo com os meus proprios objectivos, e há dias em que trabalho 16 porque tive de trabalhar e há dias que em 4h consigo fazer o mesmo que outros em 8h e até nem trabalho mais esse dia, há muitos elementos que entram para além das pausas, para mim o importante é cada um perceber quando produz mais e aproveitar aí para produzir o que não produz nas pausas ou no time off.
            Isto falando de empresas privadas onde existe avaliação de desempenho e a tua carreira pode beneficiar ou ser prejudicada de acordo com esse desempenho, porque se formos para empresas da esfera publica ou até trabalhos em areas como ensino e saúde, concordo plenamente contigo, isso é uma cultura enraizada.

    • Trabalhador Remoto Burguês says:

      Meus caros amigos, estamos perante o típico invejoso que não consegue trabalhar de casa e acha, como outros, que os trabalhadores remotos são burgueses.

      Quando consegues trabalhar de igual (ou melhor) forma em casa que no escritório… Poupando o meio ambiente pois não gastas combustível, não perdes anos de vida no trânsito, consegues fazer refeições mais saudáveis pois comes em casa, assim que sais do trabalho estás logo com a tua família… Acho que faz todo o sentido não regressar ao escritório ou escolher um ou dois dias por semana para manter o contacto com a equipa (que também faz falta).

      Quem quer trabalhar, trabalha até numa cave escura, quem não quer trabalhar … não é por estar no escritório que o vai fazer.

      Obrigado bom dia

    • SteveRobs says:

      Muita gente passa 8h no escritório mas passam a vida no cafézinho, a fumar e ver os sites desportivos com os colegas!

      Espremido o dia ….. ZERO!

  2. Joao Ptt says:

    Pode ser uma boa altura para a Apple começar a contratar novos funcionários e despedir os actuais que não querem ir trabalhar para a empresa.
    Por outro lado, com menos gente no mesmo local, existe menos assédio, deveria ser uma motivação para meter toda a gente a trabalhar remotamente a menos que seja algo que exija estar fisicamente presente para concretizar, ou trabalhem numa área onde o segredo industrial seja fulcral.

  3. J Martins says:

    Uma coisa é certa – trabalhar a partir de casa não é para todos.
    Trabalho em casa vai fazer mais de 5 anos e os primeiros tempos foram dificeis. Dificil focar (ainda não tinha um bom local de trabalho em casa) e dificil desligar (“é só acabar mais uma coisinha…” ).
    No entanto, anos passados, tenho muito mais produtividade a trabalhar a partir de casa do que quando estou no escritório. Encontro mais distrações no escritório do que em casa; nem que seja o ruido de fundo, que se torna chato, por se trabalhar em openspace. Sim podemos usar headphones mas isso não é propriamente bom para os ouvidos ao fim de muito tempo e quanto mais barulho no openspace mais tendencia se tem a ouvir musica alto.
    Como trabalho com equipas a nivel global, ir ao escritorio ou estar em casa a mim vai dar ao mesmo porque reuniões é sempre por zoom ou teams.
    Agora, para quem gosta de “ir para os copos” com os colegas no fim do trabalho, ou a equipa esta localizada no mesmo sitio e trabalham melhor juntos então trabalho remoto pode não ser a solução mais viável. O que se deve compreender é que o estilo de trabalho não pode ser “chapa 5” para todos. Enquanto que uns, como eu, trabalham melhor em casa e produzem muito mais em casa, outros produzem muito mais no escritorio e, a meu ver, as empresas e colaboradores têm de começar a compreender isso.

    Depois temos a liderança. Quem gosta de “micro-managing” não vai querer os colaboradores a trabalhar em casa porque não confiam neles (normalmente estas inseguranças têm como base os problemas do proprio em ser de confiança).

    Para rematar. Algo que já me canso de ouvir é a desculpa da “cultura da empresa”. A cultura da empresa devia ser produzir e ser capaz de manter o, agora na moda, “well being” dos seus colaboradores num formato que dê para todos e não de uma forma forçada igual para todos.
    Por exemplo, porque é que sou obrigado a ir 1-2 vezes por semana ao escritório quando a minha equipa está noutro país? Vou ao escritório apenas dizer que lá estou? È ridiculo.

  4. SANDOKAN 1513 says:

    Só faltava agora esta !! Era bom,era…

  5. AndroidPolice says:

    Defendo, quando seja possível, dias presenciais e em teletrabalho.
    O que a Apple propõe – dois dias presenciais obrigatórios, que podem ser três, se as equipas o entenderem – parece-me um solução equilibrada.
    Só discordo de dias alternados, do tipo 2ª, 4ª e 6ª. É mais adequado em blocos: 2ª, 3ª (4ª) ou (4ª), 5ª e 6ª)
    Com os chefes a ir todos os dias. É assim que estamos a funcionar, com as equipas em espelho Funciona bem.

  6. aj says:

    Tas se bem no Facetime

  7. iDespairing says:

    Simples. Muitos deles mudaram para longe dos headquarters.

    • Nuno says:

      Se assim foi deviam ter falado com a empresa primeiro, na minha empresa algumas pessoas fizeram isso falaram com o chefe delas e o chefe disse que podiam ir que ficavam em teletrabalho

  8. Infinity says:

    Era engraçado todos os funcionarios se despedirem no mesmo dia como forma de protesto

  9. papagaio says:

    ..era..se o pessoal não precisasse do guito

  10. secalharya says:

    Não querem fazer nenhum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.