PplWare Mobile

Eh!Fatura 2013 – Aplicação que ajuda a calcular retorno no IRS


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Scalawag says:

    Existe um erro no artigo:
    “ou mais precisamente, para pedir ou não factura.”
    É que pela lei não se pode escolher se sim ou não queremos fatura! A factura É obrigatória. Não percebo as dúvidas….

  2. @dg says:

    Excelente aplicação.
    Pena que não funcione no android 2.3.

    Cumprs

  3. CF says:

    E vou registar cada uma delas? 😐

  4. Redin says:

    Por aqui https://www.portaldasfinancas.gov.pt/pt/external/factemipf/home.action e em qualquer dispositivo móvel 3g/4g não terá uma melhor resposta?

  5. says:

    Acham que eu vou pagar + 23% para “eventualmente” receber 5% quando os bancos com as fugas todas na lei não pagame o que deviam no IRC ????. Quando TODOS pagarem o que é justo cá estarei para contribuir. De outra forma vou continuar sem factura

    • RaCcOn says:

      Exato, eu também acho…

      Enquanto não pagares o que é justo, e todos os teus impostos eu também me recuso a pagar.

      😉

      Bom ponto de vista…

      (Sim estou a ser irónico)

    • Scalawag says:

      Típica mentalidade portuguesa. Que eu saiba por pedir fatura os preços não sobem 23%!!!! Por alguma razão os preçários têm obrigatoriamente de estar afixados. Os 23% já lá estão incluídos no preço afixado. A diferença é que sem fatura os 23% ficam no bolso de alguém que não o estado (que somos nós!). Querem tudo do estado mas contribuir está quieto!

    • Filipe Antunes says:

      (é por causa de gente assim que isto não muda)

      • tiremamaodomeubolso says:

        (também é por causa de gente como tu que isto não muda.. falas porque o que tens de entregar não te faz falta porque se fizesse mudavas de opinião.. tenho dito)

    • pixar says:

      Essa é a típica postura dos portugueses: não pago porque os outros também não pagam. Como os outros pensam da mesma forma, ninguém paga, a menos que seja obrigado. Assim, todos andamos felizes e de bem com a nossa consciência porque temos uma desculpa para não pagar.
      Eu sei que custa pagar quando vemos o vizinho a esquivar-se, mas eu fizer o mesmo, mais vale estar calado.
      Em Portugal temos muitos problemas em ser “bufos”. Quantos de nós já apresentou uma miserável queixa nas finanças que A ou B fogem aos impostos, apresentando dados concretos? Mas depois fazemos manifestações de rua… E sabes porquê? Enquanto houver poeira, temos a esperança de nos safar também!

  6. pixar says:

    Esta aplicação parece muito útil, mas na verdade serve para pouco! Alguém, no seu perfeito juízo, irá dar-se ao trabalho de registar todas as facturas que pede para saber se recebeu mais uns cêntimos? Já não basta estar sempre a fornecer o NIF nos restaurantes, cabeleireiros, etc? O Portal das Finanças já dá essas informações todas, bastando aceder ao e-fatura.
    Quanto à legislação, é um autêntico tesourinho deprimente: limita o benefício a 250€, para o qual é preciso gastar quase 27000€ em restauração, cabeleireiros e mecânicos. Até gostava de saber quantos portugueses gastam esse valor.
    Por outro lado, acho interessante que apenas estejam no rol de benefícios estas actividades. O governo concluiu que as outras actividades, entre elas as liberais, não fogem ao fisco. 😀

  7. Links FTW says:

    Enquanto PS e PSD + PP, (des)governarem, eu, sempre que puder, não pago impostos.
    Enquanto Pingo Doce, Sonae, PT, etc fugirem aos impostos em Portugal, seja com a livre circulação de capitais na europa ou com off-shores (ex: Madeira), eu também não pago.
    Enquanto Portugal pagar juros da dídiva a 5 ou 6% em vez de a re-negociar, para depois os especuladores, agências de rating e bancos (internacionais e nacionais) terem lucros record à nossa custa, eu não pago!!!
    No fundo, se querem continuar na mesma, com (des)governos PS, PSD e PP, eu não pago.

    • Links FTW says:

      Eu também já fui muito certinho e a favor de pagar sempre os impostos todos, mas o que é demias cheira mal.

      É que realmente os Portugueses têm aquilo que merecem.

      Depois de destruir o país, os partidos culpados por isso, continuam à frente nas sondagens ou a subir.
      Depois de se provar que o comunismo falhou, o PCP continua a ter votos.
      Depois de ouvir o PP a dizer que é contra o salário mínimo porque as pessoas que deviam poder trabalhar por menos de 430 € líquidos por mês, esse partido continua a ter votos…

      Está na altura de mudar, para bem do país, de nós e até para bem dos partidos atuais, que como não são castigados, não se sentem com necessidade de mudar.

      Há tantas alternativas: Bloco de esquerda, Partido dos Animais, POUS, MEP, MPT, PH, PTP ou até mesmo o PPM, etc, mas não, ou votam sempre nos mesmo que nos lixam, ou não votam em ninguém e permitem que os mesmo de sempre nos continuem a lixar sem oposição…

      Assim, não há democracia que funcione.

      • Links FTW says:

        E só mais uma coisinha: dos 132 GENIAIS deputados do PSD e PP que aprovaram esta GENIAL lei das faturas, ainda há pouco tempo, entrevistados por um canal de tv, só 1 (do PP) é que admitiu cumprir esta lei. Os outros nem tinham conhecimento de uma coisa em que votaram ou então ainda não tinham ganho o hábito…
        Dos GENIAIS 74 deputados do PS, que não aprovou, mas a verdade é que se lá estivesse no governo aprovava, também poucos pedem faturas.
        Dos deputados do Bloco e dos GENIAIS deputados do PCP, nem sequer respoderam, pois como pensam como eu no que respeita a este assunto, não quiseram correr o risco de serem perseguidos por um fiscal das finanças quando fossem às compras.

        Agora é só trocar GENIAL ou GENIAIS por aquilo que eles realmente são: %&#!C€NS0R€D!%&#

    • SexOnaSal says:

      AS pessoas deviam votar, nem que fosse em branco…

      Ao nao votar, so lixam o que está lixado, ou seja, fica tudo na mesma

  8. Luis says:

    Eu sou daqueles que insere as faturas no site das finanças e pensava que esta aplicação utilizaria uma interface para injectar as nossas faturas no sistema das finanças mas pelos vistos não.

    Sendo assim não me parece que tenha utilidade.

    Mesmo que o fizesse não iria “entregar” a esta aplicação o meu acesso ao site das finanças e todos os dados das faturas que iria inserir.

  9. FNP.PT says:

    Não sei se o “campo” vai chegar para o que tenho a dizer 😉
    Reparo que para gastos de € 817,58, devolvem em sede IRS
    € 7,64. Excelente, vou já comer à tasca do costume.Mas não sei se chega! Vítor, emprestas algum?

    • pixar says:

      É isso que tenho andado a dizer: quanto preciso gastar em tascas para arrecadar 20€?
      Em diárias gasto ao longo do ano cerca de 1700€. Em benefícios fiscais dá-me pouco mais de 20€. Não paga o trabalho de estar sempre a apresentar o NIF. Mas de uma coisa podem ter a certeza, peço sempre fatura.

  10. Anti fanboys (girls) says:

    Aplicação engraçada, mas inútil e pior… Obriga o user a replicar dados.
    Nos tempos que correm, tempo é uma coisa cara.

  11. Miguel says:

    A mim nada disso me faz confusão, pedir ou não factura com/sem Nif.

    Eu não peço e não quero!
    Não quero que o Sr. Gaspar saiba onde é que andei as gastar o meu dinheiro, ele não tem nada a ver com isso.

    No final do mês o Sr. Gaspar pensa assim: “então mas os portugueses apesar desta crise ainda gastam assim tanto dinheiro em restaurantes, cabeleireiros?? Então vamos aplicar mais cortes”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.