Quantcast
PplWare Mobile

Apple Watch conseguiu detetar problema cardíaco grave que ECG hospitalar não detetou

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. R says:

    Por favor corrijam o título do artigo porque induz z algo que não é verdade: quem lê terá tendência a interpretar que o Apple Watch é mais preciso/detalhado do que o ECG hospitalar, o que é errado (é o inverso).
    O que neste caso aconteceu foi que, no hospital e naquele momento, a actividade eléctrica cardíaca não tinha nenhuma anomalia. O facto de haver um histórico fornecido pelo Apple Watch foi determinante para se investigar mais e descobrir o problema.
    Espero não ter complicado, mas como portal de tecnologia também devem ter o máximo cuidado com os assuntos de saúde/tecnologia.
    Cumprimentos

    • Hugo says:

      Não há forma de o título induzir em tal informação. O facto de haver malta a ler o título e imaginar o resto da história é outra conversa.
      É como eu dizer “consegui fintar o Ronaldo” e de repente assumires que eu sou melhor que ele.

      • Vítor M. says:

        Exatamente. O caso aqui não é de todo (nem está em lugar nenhum) dizer que o Apple Watch é melhor do que um equipamento médico (quem consegue ler isso dessa forma, está com uma visão deformada logo à partida). O que está em causa é a qualidade do equipamento da Apple de poder ajudar as pessoas de forma efetiva. Com esta informação foi possível alguém dizer que, memso não aparecendo nada no ECG hospitalar, algo poderá não estar bem, porque o Apple Watch mostrou informações relacionadas a um qualquer problema.

        Daí em diante, os exames hospitalares são conclusivos. De facto o Apple Watch é um dispositivo que pode salvar (e já salvou) a vida às pessoas.

    • Vítor M. says:

      Não estás a perceber. O Apple Watch detetou algo que o equipamento hospitalar não detetou.

      Não está em lugar nenhum a dizer que o Apple Watch é melhor ou pior, está a dizer que o que o relógio conseguiu detetar foi algo que efetivamente não era fácil de detetar ao primeiro exame e que sem o relógio provavelmente, a senhora poderia não ter sido bem diagnosticada e vir a perder a vida, sendo esta uma doença grave. O resto és tu a viajar na tua imaginação, não tem nada a ver com a falta de qualquer informação.

      Se não sabes interpretar e ler o resto da notícia, não culpes quem te está a dar a notícia. Porque os dados estão todos lá.

    • Joao says:

      Muito bom. Fizeste na tua cabeça a notícia que querias ler e queres obrigar os outros a ler pelos teus olhos. Ele há cada um.

  2. Jota says:

    Todas as semanas aparece aqui notícias que um dispositivo da Apple salvou a vida a alguém!!! Eu parto-me a rir (literalmente)!

    • Vítor M. says:

      Normal, é uma reação típica de quem não sabe o que pode dizer sobre o assunto, que desconhece dobre o que se está a falar e na dúvida… sorri! 😉 mas é melhor do que dizer asneiras.

        • Vítor M. says:

          Estás a ver como tens muita informação sobre o assunto com todos os tipos de gadgets? De smartphones a smartwatches, passando por carros e impressoras 3D. Afinal não tens razão. 😉

          Depois, tal como podes ver em cada um dos artigos, a informação é interessante, dado o desenvolvimento da tecnologia. Por exemplo, combinar sensores de leitura cardíaca, com acelerómetro com GPS. Tens tecnologia que, em caso de queda, podes espoletar um pedido de ajuda de forma automática. Nesse momento, é enviada a tua localização para a pessoas que tens identificado como SOS.

          Por outro lado, se usares o ECG com outros sensores, juntando o histórico de saúde e alguns itens que são solicitamos pela app Saúde, podes traçar certos cenários de possível situação de doença.

          Por exemplo, este smartwatch é cada vez mais usado por alertar o utilizador em caso de fibrilação auricular. O que já salvou alguns utilizadores, segundo cada um deles que viveram a situação. Mas além destas funcionalidades, tal como tens noutros smartwatches, existem vários sensores importantes. Não tens como rebater e contará factos não tens argumentos. Por isso vende muito e tem um grande investimento por parte da Apple. Além disso, as outras marcas estão igualmente a fazer um bom trabalho, como por exemplo, alguns que já têm oxímetro, importante para saber o nível de oxigenação no sangue. Supostamente, a Apple estará a colocar essa tecnologia no AW6. 😉

  3. xoninhas says:

    Pois, o ECG do hospital não detetou porque não está permanentemente ligado ao paciente conforme está o relógio. Isso é que terá de ser dito. A circunstância de o Apple Watch ser um dispositivo portátil permite a deteção destas anomalias. O equipamento hospitalar também o deteta. Mas é preciso que o paciente esteja mais tempo ligado ou ter a sorte de a anomalia se manifestar no momento em que está a fazer o ECG. Com rigor e sem fundamentalismos também é possível fazer boas noticias.

    • Vítor M. says:

      Não, o que está dito é que o dispositivo da Apple detetou porque está sempre ligado, tornando-o numa ferramenta importante. Certo? 😉

      Claro que o equipamento hospitalar também o deteta e com muito mais qualidade. Mas como não está sempre ligado, pode falhar no diagnóstico. E o que poderia acontecer se o médico a mandasse embora? A notícia está bem fundamentada e com rigor, mas tu é que não conseguiste perceber, porque te incomoda alguma coisa. Mas o problema é teu, não nosso.

      • Galo says:

        “…o que está dito é que o dispositivo da Apple detetou porque está sempre ligado, …”

        Peço desculpa mas isso não é dito nem escrito…

        Obviamente que quem percebe de tecnologia sabe que o Apple watch ajudou no diagnostico porque providenciou um histórico de medições fundamental (é por isso que
        alguns doentes com problemas cardiacos usam em casa durante 24 h a 1 semana um equipamento portatil cedido pelo hospital).

        Por outro lado, neste caso foi um Apple watch, mas poderia ter sido qualquer outro equipamento portatil, seja smartband ou smartwatch, que registe ECC, e que tenha alguma qualidade no sensor (há vários no mercado).

        Na minha opinião, alem de reencaminhar uma mensagem, a missão deveria ser ensinar quem não sabe, deixar a mensagem clara a menos cultos para não induzir em interpretações erradas…e como tal, essas duas ressalvas deviam vir no texto.
        Cumps.

        • Vítor M. says:

          Ó! Mas não sabes como funciona o Apple Watch? Não me digas que tem de ser explicado como é que funciona a recolha de informação por parte do smartwatch (o que já foi feito n de vezes ao longo dos anos deste que apareceu esta tecnologia). Tu sabes que isso é inerente ao funcionamento. Achas que preciso explicar isso? É claro que não.

          Se poderia ser qualquer outro? Sim, mas qual outro Smartwatch que tens que traz tecnologia que permita fazer um ECG?

          Depois, a mensagem passou para a maioria dessa forma. Como boa informação.

          • Galo says:

            Eu sei como funciona…e muitos dos leitores também saberão.
            Mas muitos outros poderão não perceber 2 pontos fundamentais: 1º o AW não é melhor que o equipamento do hospital, apenas tinha guardado um histórico de dados, que indicou um problema não detectado na medição feita no hospital; 2º esta função ECC do Apple watch não é exclusiva deste gadget. E por favor não me peças para que indicar outro que tenha… Mas eu é que sou responsável por um blog tecnologico? 😛
            Fora a brincadeira, eu por acaso até tenho uma smartband que tem essa funçao.

            Olhando para a proporção entre os comentários aqui que fazem apontamentos à mensagem e os comentários totais diria que está errado na parte da mensagem 😉

            E não se trata de amores ou ódios… Eu não sei qual o posicionamento que o pplware quer ter. Eu acredito que seja o de transmitir conhecimento tecnológico a curiosos e a menos informados. E como tal, deveria haver mais rigor…mas eu sou um homem da ciência, talvez seja disso.

          • Vítor M. says:

            Heheh tens uma smartband que tem ECG certificado? 😀 está certo! Não estou nada errado, aliás, os número mostram que é um gadget imensamente usado e com muito mercado, aliás, é o que tem mais mercado (dentro dos smartwatches), por isso, estou certíssimo 😉 além porque é um fantástico gadget.

            O rigor é sempre no máximo, aliás isto não é novidade e combate este tipo de ignorância que por vezes aparece nos comentários. Porque contra factos não há argumentos, nem dos haters. Aliás, não inventamos a informação, está muito bem detalhada e com a devida fonte 😉

            Sim, é uma fonte da ciência 😉 por isso o que falas de rigor… é o que temos.

  4. Joaquim Mestre says:

    Não tirando mérito ao AW (tenho um) de facto não havia necessidade destes títulos

    • Vítor M. says:

      Heheheh mas se foi o que aconteceu, porque não deveria ser este o título? 😀

    • Joca says:

      Necessidade de obter clicks… é o problema dos meios de comunicação atuais! Ainda há tempos um jornalista de um jornal desportivo assumia que só assim conseguia manter o jornal, com títulos facilmente pesquisáveis e que dêem clicks… há quem assuma e há quem não assuma!

      • Joao says:

        O pplware não é um meio de comunicação, é um blog. Não é membro da CPMCS, os “autores” dos “artigos” não são jornalistas/não têm carteira profissional.

        • Vítor M. says:

          Estás meio certo e meio errado. O Pplware é um meio de comunicação registado e tem jornalistas a colaborar sim, pese o facto de grande parte da sua equipa ser constituída por especialistas (técnicos, engenheiros, psicólogos, economistas, médicos, etc.) nas áreas que se debruçam.

      • Vítor M. says:

        Essa baboseira de sempre até te fica mal. Nota-se que não percebeste, e que te consome esse sentimento 😀 apenas estamos a falar de tecnologia e dá boa 😉 logo, é algo que pode servir todos. Isso dá gozo para voltar ao tema, sei que gostas.

        Quando ao pplware… está bem de visitas, basta ver, por exemplo que este artigo só aqui foi partilhado mais de 120 vezes. E noutros lados, tanto ou mais. Tem muita gente com interesse. Amanhã se calhar fazemos um top de possíveis novidades no AW6.

      • Hugo says:

        Não digas asneiras. Uma página precisa de visualizações, é um facto.
        Se há títulos clickbait…este não é um deles, no entanto, se o achas e caíste na “armadilha” …não preciso dizer mais nada.
        Ainda acerca de clickbait, o problema nem é o clickbait.. são vocês. Considerem o clickbait como aquela pessoa que toda a gente sabe que é muita chata e mentirosa. Eu afasto-me o quanto antes… façam o mesmo em vez de a tentarem convencer de que está errada.

      • Fiu says:

        Sim mas, é para isso que serve o ad block. Problema resolvido. E as imagens do lado direito sempre bloqueadas.

  5. rikardo pereira says:

    eu so queria um Apple Watch em forma de relogio ( redondo ) e comprava um só pelo bem da minha saude

  6. LG says:

    Eu não quero estar a dizer que o a história está mal contada mas…

    O facto do teste ECG hospitalar ter dado negativo… pronto… acredito que aconteça … Fiquei mesmo muito surpreendido do teste troponina também ter dado negativo pois este é um teste muito eficaz num diagnóstico de um enfarte

    • Vítor M. says:

      A história está devidamente documentada pela instituição. Pode naquele momento não terem conseguido detetar.

      • Dr says:

        Em qualquer sistema de saúde europeu, esta doente iria fazer um Holter e o problema iria ser detectado de qualquer forma, com ou sem apple watch. Além disso o Apple Watch não tem certificação para Síndromes Coronários Agudos (como o próprio avisa “o apple watch não detecta ataques cardíacos) mas sim apenas eventos arrítmicos que dependam unicamente da onda P.
        Qualquer ECG de 12 derivações é melhor que o Apple Watch de 2. Fim de conversa.

        • Vítor M. says:

          E não é dito de outra forma. Contudo, no caso em apreço, o que é dito pelo hospital é que a mulher tinha sintomas, depois fez análises no hospital e não foram detetados esses sintomas e ela mostrou os relatórios do Apple Watch ao seu médico. Tudo poderia acontecer, naquele momento ela poderia ter sido enviada para casa sem qualquer outro exame, ela poderia ser levada a um exame com recurso a outros métodos (holter, ecocardiograma, etc.) mas no caso não foi isso que aconteceu.

          Como tal, aqui o importante é salientar a qualidade da informação que o Apple Watch recolheu que foi essencial para levar os médicos a insistir em mais exames e resultou na deteção de um problema cardíaco grave e respetiva intervenção médica.

          Um ECG de 12 derivações é melhor que o Apple Watch de 2, pois claro, isso é óbvio, nem tem conversa mesmo.

  7. Nuno José Almeida says:

    Ao contrário de muitos comentários aqui expostos, o título está correcto e nem sequer é exagerado. O desenvolvimento é que poderia explicar melhor que, obviamente, qualquer relógio com esta função tem a vantagem de fazê-lo constantemente, ao contrário de um ECG de curta duração. Que o diga o Vítor Gamito. Alguns médicos já o fazem não só com o Apple Watch que nem sequer tem a tecnologia mais avançado neste capitulo. E se quiserem fazer um estudo mesmo avançado, existe mesmo ECG que estão ligados 24h dia. Um médico inteligente sabe usar a informação, sabendo as devidas limitações, que os smartwatch proporcionam.

    • LG says:

      Concordo excepto que o Apple Watch não te faz um ECG constantemente. Somente enquanto o utilizador fizer o teste e o resultado é igualmente só desse teste. Mas sim, o utilizador pode fazė-lo quando quer…

    • Galo says:

      Exato. O titulo não é incorrecto nem perfeito. Da forma como está, pode levar a más interpretações, que o texto em baixo deveria eliminar por completo, o que não acontece…

      • Vítor M. says:

        Não acontece? Ai isso é que acontece. Porque no texto está totalmente explicada a situação, detalhada com pormenor, ilustrada e referenciada. Isso que dizes é pura mentira e falta de honestidade.

        • Galo says:

          Não está não. Basta ler a quantidade de comentários que aqui faz referencia a isso! Onde é dito que esta é uma função que vários dispositivos no mercado têm? E onde está claramente dito que o sensor no Apple não é superior ao do Hospital?
          Além do mais se quisesse ser picuinhas e ir a uma questão de semantica, o titulo estaria profundamente errado “Apple Watch conseguiu detetar problema cardíaco…” AW não detetou nada…Como o Dr ja referiu nem certificado está…quem detetou foi o médico que analisou os dados!

          ps: o teu comentário seria o típico comentário que noutro forum seria eliminado pois insulta outro leitor. Mentiroso e desonesto?! Devias ter mais cuidado no que dias…tens uma responsabilidade acrescida. Que tremenda falta de humildade e poder de ouvir critica. Neste caso critica construtiva..

  8. Joao says:

    O título está correto dado que se assume um exame hospitalar contra todos os dados recolhidos pelo relógio. Efetivamente não vejo onde esteja o problema, em lado nenhum se está a comparar a qualidade e fiabilidade do relógio sobre o cardiógrafo.

    Deixem de ser haters, curtam a tecnologia independente da marca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.