Quantcast
PplWare Mobile

AirTags da Apple usados para vigiar alegado despejo ilegal de bens dos sem-abrigo

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Filipe C. says:

    Sem duvida que este tipo de dispositivos vao começar a ser muito perigosos na privacidade e controlo de objetos e não só sem consentimento. Imaginem ladroes a colarem isto no interior da cava de uma roda de um carro para saber onde ele para para o roubarem, ou malas de portateis, ou afins. Os perigos destes dispositivos sao interminaveis para espionagem.

    • Vítor M. says:

      Se o dono tiver um iPhone 11 ou 12, vai detetar o dispositivo e anula-o. E seguramente um ladrao não vai usar isto porque iria denunciar-se, dado que ficariam gravados os dados quer do AirTag, quer do seu iPhone. É um cenário em nada viável.

      Em termos de espionagem, também não estou a ver a tua esposa andar com uma coisa destas num bolso sem dar conta, a não ser que tu transformes o AirTag num botão do casaco.

      Pouco provável estes dispositivos serem usados para esses ilícitos, visto que o próprio dispositivo ou se auto denúncia, ou é grande demais para passar despercebido, além de estar ligado a um utilizador e o incriminar imediatamente.

      Não avalias-te conveniente a tecnologia.

      • Fernando Pessoa says:

        Improvável mas não impossível.
        Caso não tenhas um iPhone, alguém te coloca um AirTag na mochila sem perceberes, rouba-te a mochila com o AirTag lá dentro e recupera-o sem dares por nada.
        Corre sempre o risco de o descobrires e não acho que um ladrão com 2 dedos de testa o fosse fazer, mas nunca se sabe.
        Como bem se diz. Só há 2 coisas infinitas: o universo e a estupidez humana

        • Vítor M. says:

          É sempre uma situação possível, mas para isso nem é necessário um AirTag, basta no momento certo, o roubo acontecer e pronto. Aliás, com o AirTag, fica a prova de quem roubou, caso o bem valha uma investigação. Se não for um bem que o valha, também não estou a ver o interesse de colocar o AirTag para seguir a mochila, para depois assaltar a pessoa que a traz. Isto é muito rebuscado.

          Os AirTags, com a enorme rede que possuem, têm muito mais interesse nas funcionalidades de nos ajudar a preservar os nossos bens, eventualmente colocar no nosso animal de estimação, e naqueles objetos que perdemos com facilidade nos espaço onde coabitamos.

          A parte de espionagem é algo rebuscado e que liga o crime ao criminoso com facilidade.

      • Filipe C. says:

        Vitor, sabes bem que na Apple nem se um terrorista matar 1000 pessoas, a Apple facilita o acesso a informaçao dele, portanto achas que a Apple iria denunciar a quem pertence uma AirTag ”encontrada” por terceiros para um crime simples? Nao te esquecas que para o bem e para o mal, a Apple é o melhor ecosistema para o terrorismo e crime dada a sua proteção e inflexibilidade em colaborar com autoridades mesmo quando se tratam de mortes e atentados.
        Portanto nao estás a incriminar-te assim como parece…

        Este dispositivo tem um design bem discreto e pequeno para ser colocado em carros, em forros de mochilas e malas etc e ser dificil de detetar. Se até ha gente que ja o usa para seguir encomendas e perceber se as mesmas nao sao perdidas ou roubadas imagina a quantidade de outros cenários onde estarão a ser usados. São 30 euros apenas ”perdidos”.

        O dono ter um iPhone 11 ou 12 sabes bem que estaremos a falar de uma minoria então num país como o nosso, isso deve ser uns 3 a 4% dos telemóveis em circulação.

        Vamos aguardar pelas noticias não apenas de casos ”bons” em que muita gente vai ser salva por este dispositivo mas pelo mau uso que o ser humano lhe vai dar, e nao é por ser Apple, é por ser um dispositivo que nao carece de cartão SIM, tem uma enorme autonomia e está protegido por uma politica de privacidade que nem a LEI consegue quebrar

        • Vítor M. says:

          Como de costume, não sabes o que estás a dizer. Mas eu ajudo-te:

          Vitor, sabes bem que na Apple nem se um terrorista matar 1000 pessoas, a Apple facilita o acesso a informaçao dele, portanto achas que a Apple iria denunciar a quem pertence uma AirTag ”encontrada” por terceiros para um crime simples? Nao te esquecas que para o bem e para o mal, a Apple é o melhor ecosistema para o terrorismo e crime dada a sua proteção e inflexibilidade em colaborar com autoridades mesmo quando se tratam de mortes e atentados.
          Portanto nao estás a incriminar-te assim como parece…

          A Apple explicou muito bem que se algum crime fosse cometido com a tecnologia AirTag as informações são disponibilizadas às autoridades, porque não ficam inclusas no iPhone, mas sim na Rede Encontrar que faz parte do iCloud. Logo, não tem nada a ver com a informação que o terrorista tinha dentro do iPhone e da segurança máxima que o iPhone oferece aos seus utilizadores.

          Tu confundes a informação dentro do iPhone, que a Apple não permite que ninguém lá entre, com a informação do iCloud, que a pedido da justiça, a Apple fornece as informações. Isso jé foi explicado N de vezes.

          Este dispositivo tem um design bem discreto e pequeno para ser colocado em carros, em forros de mochilas e malas etc e ser dificil de detetar. Se até ha gente que ja o usa para seguir encomendas e perceber se as mesmas nao sao perdidas ou roubadas imagina a quantidade de outros cenários onde estarão a ser usados. São 30 euros apenas ”perdidos”.

          É caro para fazer o que com outros já podias fazer e com GPS e SIM card. Há muitos outros recursos melhores que este para espionagem. E este, estando ligado a um utilizador, facilmente as autoridades, em caso de crime, chegam ao criminoso. Portanto, podes colocar o AirTag em qualquer lado, mas serás sempre visado em caso de crime, porque não há utilização anónima desta tecnologia.

          O dono ter um iPhone 11 ou 12 sabes bem que estaremos a falar de uma minoria então num país como o nosso, isso deve ser uns 3 a 4% dos telemóveis em circulação.

          Atualmente existem já milhares de iPhones 11 e 12 no nosso país e com o passar dos meses, esse número crescerá com a saída de mais uma unidade com as mesmas capacidades. De agora em diante, terás equipamentos com estas capacidade de deteção em caso de stalking. Mas o crime não vai aumentar com esta tecnologia, como te disse, usar um AirTag é denunciar o criminoso. Não acredites que quem quer perpetrar estes crimes vá usar algo que os incrimina. Há formas mais baratas e bem mais anónimas de o fazer.

          Vamos aguardar pelas noticias não apenas de casos ”bons” em que muita gente vai ser salva por este dispositivo mas pelo mau uso que o ser humano lhe vai dar, e nao é por ser Apple, é por ser um dispositivo que nao carece de cartão SIM, tem uma enorme autonomia e está protegido por uma politica de privacidade que nem a LEI consegue quebrar

          Há anos que existem dispositivo GPS com SIm card tão pequenos como um AirTag. Com bem mais funcionalidades de tracking em tempo real. Sabes de algo que tenha aumentado e que os casos sejam assim tão cabeludos? Não, mas percebo a tua preocupação com o sucesso deste dispositivo.

    • Polo says:

      Isso já podem fazer com um localizado gps

      • Filipe C. says:

        Podes mas nao desta forma, com baterias que duram semanas a meses, sem necessidade de um cartão SIM e que possívelmente, se encontrares uma airtag perdida duvido que consigas saber quem é o dono porque Apple=privacidade e portanto se te andarem a controlar os veiculos, os bens, etc etc boa sorte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.