Quantcast
PplWare Mobile

A duração da bateria dos Macs com M1 é tão boa que na Apple pensaram que havia um bug

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. adbu says:

    Estranho, pois na utilização do dia a dia, não é bem isso que acontece: https://markellisreviews.com/a-day-in-the-life-of-the-m1-macbook-airs-battery/

  2. ZE says:

    Testes de laboratório

  3. Tomás says:

    Claro que o Vítor falar com conhecimento de causa e já tem um.
    Podes fazer nos um favor Vítor?
    Carregas a bateria toda, depois sacas o Chromium, não o binário mas o código e compilas o mesmo?
    As instruções estão no próprio site do projecto.
    Depois escreves um artigo com screenshot do antes e do depois em termos de bateria, do tempo que demorou a compilar, e se tiveres medidor de calor, vai medindo para saber exatamente se aquece ou não.
    E aproveitas e toma atenção ao aumento da temperatura e ao óbvio throttling feito para manter baixos níveis de calor.
    Temos artigo Vítor?

    • Vítor M. says:

      Eu tenho e vejo o que ele vale. Não estou a falar porque alguém me disse 😉

      • Fusion says:

        Acho a ideia do Tomás incrível, era artigo que via com muito gosto e interessante. Óbvio que com o Mac e com outros computadores da mesma faixa de preço.
        Podes fazer o artigo?

          • ChiNelo68 says:

            com sorte ainda se cria um benchmark ou espécie de “à le PPLWare”.
            aproveita e referencia o rapaz no artigo 😉

            Ter um post/zona para este tipo de teste e comparação era engraçado para quem quer PC’s p’ra trabalho e está interessado em outros aspectos que não a performance em jogo ou nas típicas benchmark’s.

            proponho o seguinte:
            -Teste realizado sempre na mesma sala e com condições parecidas (deves informar a temperatura da sala no início do teste bónus seria o nível de humidade também, nada de PC’s ao sol e assim queremos os testes o mais uniformes quanto possível e simples).

            – Caso as máquinas a testar tenham S.O’s distintos deveram ser feitos os passos equivalentes e tentando ao máximo que a carga de trabalho seja o mais idêntica quanto possível.

            – brilho no máximo (não é modo automático…e deixas o pc ao longo do tempo ajustar conforme ache necessário para manter a produtividade/bateria dependendo apenas das configs do fabricante).

            -Teste cronometrado desde o momento em que ligas o pc até desligar assim que terminar de compilar (o pc deve estar limpinho, nada de programas ou outras coisas a rolar sem ser o compilador e o que vem de fábrica no pc).

            -média da temperatura em cº (ou grafico ao longo do tempo)

            – média das freq. CPU (o impacto da temperatura na performance).

            -sistema de SCORE/pontos do teste deve ser o tempo total de realização do teste, a % de bateria que sobrou (se sobrou) e não nota de 1-10. (não estamos a avaliar design, ergonomia nem nada que se assemelhe apenas a performance em carga e duração da bateria e isto também dava um gráfico bonito).

            -especificar build do S.O (ex: Win10 build 987.654, osX 987.654) e versão dos programas utilizados.

            – camara a filmar todo o processo (video playback em 4x/8x pra malta ver o que aconteceu como fazem lá fora).

    • Tadeu says:

      Não faltam videos na internet de pessoal a compilar código (com ferramentas nativas) em MacBooks com o processador M1. Sobressai o baixo consumo a compilar na maioria deles.
      Throttling num MacBook Pro com M1 é coisa rara.

    • Miguel A. says:

      De que vale eu compilar o Chromium, se aquilo que eu preciso mesmo é de produção áudio ou renderizar um vídeo 4k? Você não pode estar a bater sempre na mesma tecla da compilação, se a utilização da maiorias dos compradores dos Macs não for essa. Se acha que os processadores M1 não servem para si, não compre, vivemos num país livre e com muito oferta disponivel. Adquira um System 76.

    • Soares says:

      não sei o que é que tu fazes na vida, mas eu nos meus 10 anos de programação raramente tive de buildar um projeto desse tamanho. então agora no mundo dos micro-serviços cada vez tenho projetos mais pequenos e modulares para buildar, e a parte maçuda da coisa acontece no Jenkins/GH Actions. Portanto esse teste serve a quem mesmo?

  4. asdasa says:

    Essa é boa, o macbook tem uma bateria razoavel porque nem para jogar serve. O meu thinkpad tem o dobro da bateria do mac e faz trabalho a serio. Apple e so para enganar o povinho

    • Tadeu says:

      Mas que grande confusão que há por aí…

    • Rodrigo says:

      o unico enganado aqui ‘es tu..em vez de cerebro enganaram-se e puseram uma mosca

    • Miguel A. says:

      Por essa ordem de ideias, jogar é que é trabalho a sério? Então e o trabalho propriamente dito? Fica onde?

      • João Magalhães says:

        Depende do ponto de vista, o negócio dos jogos não é pequeno e certamente tão milhares de pessoas que o trabalho é jogar. Mas ele tem alguma lógica, o titulo de via ser ” Mac para programar o chip é tão bom que a bateria dura mais” e depois devia estar comparado com outros a fazer a mesma função, depois relação preço/qualidade e teríamos realmente o resultado da qualidade do processador. Ora eu não programo mas uso muito o photoshop , o Davinci Resolve e gosto de uns joginhos ora se dou 2000€ por um portátil espero que esse portátil tenha capacidade para… se é só para programar certamente tens outros que sejam tão bons de bateria por um preço muito mais acessível.

      • Luís Costa says:

        Realmente há muito velho do restelo por aqui e pensava eu que isto era um forum de tecnologia, ao que parece enganei-me, parece que andam por aqui só trogloditas.. então o mercado dos “jogos” que tu disseste que não era trabalhar a sério, sabes que valor tem esse mercado hoje em dia? A sério, vai lá ver e depois volta aqui para pedires desculpa pela tua ignorância

        • Miguel A. says:

          Estás a baralhar tudo e queres à força chamar-me ignorante. Eu respondi a um comentário que dizia que o “Macbook nem para jogar serve. O meu thinkpad tem o dobro da bateria do mac e faz trabalho a serio.”. Ou seja, pelo entender deste comentário, quem não tem um computador que “sirva para jogar”, também não serve para trabalho a sério. Em nenhum momento menosprezei o “gaming” como fonte de trabalho, mas convenhamos, quando alguém comenta que um computador não serve para jogar, deduzo que a pessoa não esteja a falar de desenvolvimento de jogos. Ou a sua opinião é que um computador que seja bom em gaming, é bom em tudo? Há coisa que me farto de ver aqui são anti-Apple a dizer mal dos Mac apenas porque não dão para jogar, e chama-me a mim velho do Restelo? Quando vejo um Macbook Air M1 a renderizar vídeo melhor que estações de trabalho i7? Ou ver um M1 com 8gb de RAM com projectos de produção com dezenas de faixas áudio sem engasgar? Porquê continuam a insistir em ir contra a Apple usando os argumentos do jogos? Se já toda gente sabe que as máquinas Windows são melhor para isso? Você usa um Ferrari para acartar uma carrada de areia, ou usa um camião? Ambos têm 500cv. Que fique bem claro, uso Windows na minha secretária do trabalho, mas uso Mac no estúdio de gravação. O meu portátil pessoal tem Linux com dual boot. Sou eu o velho de Restelo? Só porque não me importo de usar vários sistemas conforme a necessidade? Afinal quem é aqui o Fanboy?

          • asdasa says:

            Es muito ignorante nao ha duvidas. O mac n serve para gaming mas tb n serve para muita coisa devido as limitacoes do m1 ser arm. È um excelente substituto do ipad mas pouco mais faz.

          • Miguel A. says:

            ARM é uma limitação? Então onde é que é limitado, o que é que um X86 faz que o ARM não faça? Ilucide este ignorante por favor.

          • Rodrigo says:

            @asdasa
            lol chamar ignorante ‘a outra pessoa e acabaste de ser ainda mais ignorante. ta boa essa!
            basta pesquisar no YouTube números vides de pessoas a jogarem no seu M1.

  5. mojorisin says:

    Eu queria trocar o que tenho cá por casa, que já é de 2012, mas estava a espera que saísse a nova geração, que dizem que já traz mais portas e vem sem a Touch Bar.
    Tirando o cabo dos carregadores, que se corta junto ao carregador, nunca se portou mal.
    carregadores, ja vou para o terceiro

  6. jorge says:

    Tenho um macbook pro de 2012 e ainda tem o cabo do carregador de origem, nao sei como as pessoas fazem para estragarem os cabos, tenho ipad 2 cabo de origem, iphone 4s cabo de origem, o material tem de ser estimado, como estimamos as esposas.

    • nuno a says:

      aquilo que se cuida dura, e isto é valido para tudo.
      Relacionado com os cabos, o truque é dobrar os cabos sempre na mesma maneira como vinham embalados, se os dobrarem de maneira oposta aumentam o risco de os quebrarem, sempre tive esse cuidado e tenho cabos com 10 anos que ainda estão bons

  7. Jorge says:

    Os computadores quando foram inventados nao foi para jogar, foi para se trabalhar com eles, vieram a substituir as maquinas de escrever manuais, e para muitas outras tarefas, depois é que vieram os jogos para os anormais, aos macs se meterem uma placa gráfica com metem nos pcs, são superiores em tudo, design, fiabilidade e estabilidade, depois cada um gosta do que gosta.

  8. Apoca says:

    Ainda não me convencem a trocar de OS. Mas parece-me bem para o utilizador que faz trabalhos mais leves e que tenha-se deslocar muitas vezes ao dia. Pode ser daqui uns belos anos…mude a minha opinião quem sabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.