GNS3 1.3 – A ferramenta perfeita para quem gosta de redes


Destaques PPLWARE

19 Respostas

  1. transcendez says:

    Muito fixe.;)

    • lmx says:

      Alguém me sabe dizer qual o parser usado para JSON??

      Estou num projecto em que estou a usar um parser JSON, no fundo para os mesmos efeitos( o XML para estas coisas…já era! ), o problema do meu parser é que é LGPL…mesmo usando este perser numa shared lib…não sei não…devido claro há licensa..

      Por isso gastava de saber qual o parser usado no GSN3.. se souberem agradecia 😉

      cmps

  2. Fábio Ribeiro says:

    Para simular redes de grande escala arranjem uma boa maquina 😉

  3. Daniel says:

    GNS3 + VirtualBox = Perfeito.

    Só tenho pena da limitação do VBox em 4 NICs, mas quanto ao GNS3, juntado os IOS da cisco, é fantástico para prototipar redes.

    • lmx says:

      Há ja muito tempo que nõ uso gsn3…

      Para mim o problema está na emulação do IOS..não percebo porque é que a malta usa o Virtualbox??

      Eu usava gsn3 directamente na minha maquina linux…claro para as imagens usava qemu, mas tirando as imagens, porque teem que correr utilizando Virtualbox??

      correm as imagens em virtualbox?Virtualbox já tem suporte a arch MIPS??

      cmp

      • Daniel says:

        O VBox tem sempre a opção de usar as redes internas, mas até por questão de facilidade e escalabilidade, é mais facil para mim usar um router cisco dentro do GNS3 e fazer as configurações para ter conectividade que andar a definir rotas sempre que preciso de alterar ou acrescentar alguma coisa.

        Eu uso o GNS3 no Windows nativo da máquina, não dentro da VBox, a pergunta era essa ?

        • lmx says:

          “Eu uso o GNS3 no Windows nativo da máquina, não dentro da VBox, a pergunta era essa ?”

          era mais ou menos 😀

          A malta refere o Virtualbox, mas ainda não percebi porquê…

          O que correm eles no Virtualbox? as imagens do ios?
          Se não correm nada para que precisam do mesmo??
          É para usar as interfaces virtuais do mesmo??
          Ou correm o GSN3 virtualizado no Virtualbox?mas ai fica ainda uma questão…como emulam então as imagens do IOS?
          qemu dentro do SO que corre no virtualbox?

          Nesse caso usam uma maquina virtual(virtualbox), que por sua vez contém uma maquina virtual desntro(qemu)..

          Eu para as imagens do IOS usava qemu, porque emula processadores MIPS…nos quais correm as imagens do IOS…e depois usava o GNS3 na meu SO Linux

          • Daniel says:

            Falo do VBox, porque instalo o Windows Server (exemplo), na VBox, e depois nas ligações de rede, as NICS do Server são geridas pelo GNS3.

            Ele (GNS3) cria as ligações e configura para que haja conectividade. Em vez ver usar as “intranets” do VBbox, ele configura os nics como “generic”.

    • Luís GOmes says:

      Viva,
      “Estou à luta” já há alguns dias para por a correr esses dois programas no meu MacBook mas atrações nada. Por acaso não sabe onde posso procurar os passos para uma boa configuração? Estou a praticar para o Ccna e isto é imprescindível para o meu estudo. Obrigado

  4. Rei do gado says:

    troco isso por 1l de azeite.só dá dores de cabeça!

  5. paulo g. says:

    Pelo que eu vi a licença do programa é: GNU General Public License version 2.0 (GPLv2)… logo é diferente de freeware.

  6. Nádir says:

    Com certeza uma das melhores ferramentas para simulação de redes 😀

  7. Ricardo says:

    Procurem por Cisco Packet Tracer, super fácil de usar… exelente…

    • Daniel says:

      Não tem nada a ver.
      Aqui simulas a rede, podes ter maquinas física e virtuais.

      • José says:

        Pelo contrário, o GNS3 é um emulador. Packet tracer é que simula uma rede e por isso mesmo está limitado.
        Na maior parte dos cenários básicos, e estudo, o packet tracert chega e sobra, se for para simular cenários reais já se tem q usar algo tipo GNS3 ou IOU.

        • Hélio Cabral says:

          Embora o PacketTracer seja um simulador muito bom é limitado a nível de equipamentos e comandos no próprio IOS. Já o GNS pode acabar por ser muito mais completo, isso porque é possível emular por completo os próprios IOS da CISCO. O mais espectacular na minha opinião é o facto de ser possível criar um cenário qualquer com routers, switchs e até firewalls no GNS e interagir com qualquer máquina na rede , por outras palavras se precisar de ter uma firewall na minha rede, configurar roteamentos ou mesmo umas ACLS, bastará criar e configurar um cenário no GNS3, mapear as interfaces dos equipamentos com as físicas e voilá. Na altura que estive a fazer a minha certificação em CCNA Security corríamos VMware em 3 máquinas virtuais ubuntu (1 para GNS, outra designada como servidores, para correr serviços diversos, como TFTP, APACHE entre outros e uma ultima designada de clientes com aplicações do tipo wireshark entre outros) através desta configuração foi possível ter um ambiente de testes bem completo sem limitações excepto com os licenciamentos dos ASA na configuração IPS e IDS, mas fora isso 5*

        • Daniel says:

          Alhos, Bugalhos… mas sim, é isso. Obrigado pela correção.

  8. Ricardo Tavares says:

    ppl alguém sabe me dizer as melhores apps para administração de redes para debian (não para sistemas baseados em debian mas pro próprio debian) obrigado 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.