Usamos cookies para garantir a melhor experiência de utilização no Pplware.com - Saiba mais sobre os nossos cookies
Ok

Comandos Linux para Totós – Tutorial nº13

Criar utilizadores pela linha de comandos

Ora vivam caros linuxianos!!! Cá estamos nós para mais uma rubrica “Comandos Linux para Totós”. Pelo feedback que temos tido de muitos leitores sobre esta rubrica, concluímos que esta “pequena” documentação sobre Linux tem ajudado muitos a darem os primeiros passos no mundo do terminal preto. Era esse o nosso objectivo e ficamos muito satisfeitos com todos os comentários.

Apertem os cintos que vamos descolar para mais uma viagem no terminal preto!

totos

Depois de termos aprendido já alguns conceitos e comandos básicos do terminal Linux, hoje decidi preparar um artigo a ensinar como criar utilizadores no Linux. Como sabemos, o Linux é um sistema multi-utilizador já que permite o acesso simultâneo de vários utilizadores.

Mas como criar um utilizador no terminal Linux?

Para criar um utilizador no Linux via terminal podemos usar um dos seguintes comandos: useradd ou adduser. A função do useradd e adduser no Fedora / Centos é igual. Já em distribuições baseadas em Debian, o adduser disponibiliza um método interactivo para criação de contas (várias questões sobre parâmetros do utilizador).

Criar utilizadores com useradd

Vamos então criar um utilizador com as seguinte definições com o comando useradd:

  • UID (user ID): 301
  • GUI: 301
  • shell=bash
  • home=/home/ppinto
  • username=ppinto

Utilização do useradd

useradd -u 301 -g 301 -s /bin/bash -d /home/ppinto ppinto

onde:

  • u – UID (Numero entre 0 e 65535 que identifica cada utilizador)
  • g – GUI  (Numero entre 0 e 65535 que identifica o grupo a que cada utilizador pertence)
  • d – Home Directory  a ser criada para o utilizador)

Nota importante: De referir que para definir  uma password através do comando useradd é necessário incluir o parâmetro –pxxxxx (onde xxxx é a password). Caso contrário podemos usar o comando passwd <utilizador>:

[root@pplware ~]# passwd ppinto

De seguida devemos definir a pasword e confirmar a mesma  (no linux a password não aparece no standard-output a password introduzida).

[root@pplware ~]# passwd ppinto
Changing password for user ppinto.
New UNIX password:

Nota2: Caso não definam qualquer parâmetro (simplesmente useradd ppinto) o utilizador é criado com base nas definições do ficheiro /etc/default/useradd

Criando utilizadores com adduser

Usando o comando adduser, é disponibilizada uma forma interactiva para criação de utilizadores:

pplware@pplware:~$ sudo adduser ppinto
Adding user `ppinto' ...
Adding new group `ppinto' (1002) ...
Adding new user `ppinto' (1001) with group `ppinto' ...
Creating home directory `/home/ppinto' ...
Copying files from `/etc/skel' ...
Enter new UNIX password:
Retype new UNIX password:
passwd: password updated successfully
Changing the user information for ppinto
Enter the new value, or press ENTER for the default
Full Name []: Pedro Pinto - Pplware
Room Number []: 13
Work Phone []: 12321
Home Phone []: 456654
Other []:
Is the information correct? [Y/n] Y

Fácil não é? Experimentem agora criar dois ou três utilizadores e experimentar autenticarem-se com credenciais dos mesmos no sistema.

Artigos relacionados



  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


17 Comentários

  1. Boas! Muitos parabéns pela rubrica :)

    E que tal um tutorial para adicionar uma máquina linux a um domínio windows?

    Fica a ideia.

    Keep the good work :)

  2. Nunca percebi bem isto de “o Linux é um sistema multi-utilizador já que permite o acesso simultâneo de vários utilizadores.”.

    Alguém mais entendido me pode elucidar quanto ao significado dessa afirmação?

    Os outros SO, o Windows por exemplo, também não permite vários utilizadores?

    Obrigado desde já :)

    • Em simultâneo o windows não permite (acho que a versão server é a única com isto).

      Em Linux podes ter quantos utilizadores quiseres ligados em simultâneo. Por exemplo podes ter inúmeros utilizadores logados em ssh. Todos estão a utilizar a máquina ao mesmo tempo.
      Alias há até maneira de só com uma máquina teres dois ecrãs, com dois teclados e dois ratos e cada ecrã logado utilizadores diferentes; ou seja, tens uma máquina para dois utilizadores!

      cumps

      • @tfae Aproveitando a explicação do Guilherme, adicionar so mais uma coisa: Um sistema operativo poder criar vários utilizadores é diferente de ser multi-utilizador. Como o Guilherme disse, em Linux tens a possibilidade de ter vários utilizadores a interagir com o mesmo sistema.
        Exemplo: o MS-DOS é um sistema operativo mono-utilizador e o Linux é multi-utilizador.

    • Sim. O Windows também é multi-utilizador. No entanto, há um mito que consiste em afirmar que o Windows, ao contrário do Linux, apenas permite uma sessão por utilizador simultaneamente. De facto, o Windows vem limitado de fábrica a este cenário, mas basta alterar uma configuração e passa a permitir várias sessões por utilizador simultaneamente, tal como acontece em Linux.

  3. Boa dica a do /etc/default/useradd. Quando se têm de introduzir alguns utilizadores, torna-se chato ter de andar a escrever todos os argumentos para o programa, ainda com o risco de nos enganarmos em algum, e ter de fazer tudo de novo…

    Uma dica que deixo para um futuro tutorial desta rubrica é a utilização de links, com recurso ao ln. Seria uma excelente oportunidade para explicar os diversos tipos de ligações, e como cada um pode ser útil numa determinada situação.

    Cumps.

  4. O controle de usuários é a essência para uma boa administração da máquina.
    Só uma ressalva:
    Onde se lê GUI na verdade é GID (Group ID), identificador do grupo.
    GUI me fez interpretar com Graphical User Interface (Interface Gráfica do usuário) :).

  5. “De facto, o Windows vem limitado de fábrica a este cenário, mas basta alterar uma configuração e passa a permitir várias sessões por utilizador simultaneamente”

    Alguem explicar como se faz isso?

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.