Git – Sistema de controlo de versões de software (Parte I)

Já há algum tempo que tinha previsto a escrita de um artigo sobre o fantástico Git. Quem desenvolve software tem a noção que normalmente nenhuma aplicação está totalmente acabada. Há bugs que são detectados, algoritmos que são melhorados,interfaces a serem modificados…enfim, um conjunto de situações às quais o programadores tem de dar respostas atempadamente.

E como distribuir essas actualizações de software? O Git pode ser uma excelente opção!

git_00

Para quem não conhece, o Git é um sistema gratuito, open source, rápido e distribuído para controlo de versões de software. Este sistema foi inicialmente desenvolvido por Linus Torvalds que assim disponha de um mecanismo automático para disponibilizar o código referente ao desenvolvimento do Kernel Linux. Além do Kernel Linux, existem actualmente muitos projectos mundiais que usam este sistema de controlo de versões, dos quais destacamos o projecto Perl, Eclipse, Gnome, KDE,QT, Rubby on Rails, Android, PostgreSQl, DEbian, X.org, entre outros.

Cada directório de trabalho do Git funciona como um repositório de informação, que regista todas as alterações e versões de um determinado software. O Git funciona no Windows, MAcOS e Linux.

Como instalar o Git no Ubuntu?

Para instalar o git no Ubuntu, basta abrir o terminal e inserir os seguintes comando:

sudo apt-get install git-core

Para saber onde foi instalado, basta executar o comando:

which git

No meu caso, o git encontra-se instalado em /usr/bin/git

Para saber a versão do git instalado, pode usar o comando:

git –-version

Se tiverem os repositórios actualizados, será certamente instalado o git 1.7.9 (versão mais actual neste momento)

Interessados em começar a usar o git para os vossos projectos? Este sistema é sem duvida uma mais valia para os programadores, considerando todas as funcionalidades que oferece. Nos próximos tutorial iremos ensinar a usar esta fantástica ferramenta e também apresentar alguns clientes gráficos.

Licença: GPL
Sistemas Operativos: Windows/MacOS/Linux
Download: [Windows] Git 1.7.9 [14.4MB]
Download: [MacOS] Git 1.7.9 [10.9MB]
Download: [Linux] Git 1.7.9 [3.4MB]
Homepage: git





  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


29 Comentários

  1. falow poco mas falow bonito! rss

  2. Sugiro falar do GitHub e do ProjectLocker.
    Também seria muito bom falar e mostrar o GITK e o GIGGLE com print-screen para se perceber a 100% o que é isto.

    E talvez de como gerar as chaves ssh para o git.

  3. Seria interessante fazer um comparativo entre os diferentes sistemas de controlo de versões semelhantes ao Git, por exemplo SVN. Assim ficaríamos a perceber quais as vantagens e desvantagens do Git em relação às alternativas existentes.

  4. Surigo que falem tambem do bitbutket (https://bitbucket.org/ ), a versao gratis permite projectos publicos e privados ilimitados, assim como o espaço, a unica limitacao é 5 utilizadores.

  5. Aproveito esta area para divulgar o meu projecto no website da GitHub
    https://github.com/ilidio/Ajax-Loader-for-Google

  6. Exacto… foi devido ao Bitbucket que comecei a usar Mercurial. Entretanto eles começaram a ter Mercurial e Git, mas não vejo razão para mudar para Git.

  7. Desde que comecei a trabalhar ganhei um odeio por natureza ao CVS. Depois de umas breves experiencias com Mercurial, migrei definitivamente para git. Git tem muito mais flexibilidade do que o CVS e já me permitiu poupar imenso tempo.

  8. git é simplesmente o melhor scm.

  9. Bom, eu até tinha interesse em aprender a trabalhar com o GIT, mas depois de ler tantos comentários geek já não sei se quero… ;)

  10. Comecei a usar o gir há cerca de um mês, e é realmente muito útil.
    Indispensável para quando estão várias pessoas a trabalhar no mesmo projecto.
    Venham daí uns tutoriais ;)

  11. Um sistema de controlo de versões é algo que nunca dispenso em qualquer tarefa por mais simples que seja (escrever um relatório por exemplo).

    Se há coisa que me irrita é ver pessoas com uma pasta cheia de backups por data, depois fazem alterações na pasta errada e tentarem ver o resultado da alteração noutra pasta.

    Comecei no RCS depois CVS, SVN e finalmente o GIT. Pelo meio ainda uso o quilt.

    Deixo aqui dois links que tenho nos meus apontamentos quando andei a investigar o git.

    http://www.ralfebert.de/blog/tools/git_screencast/
    http://progit.org/book/

  12. Sim senhor!
    Vamos a isso!
    Também quero aprender a configurar esta maravilhosa ferramenta.

    Cumprimentos.

  13. E então, quando sai a parte II deste artigo? Estou com muita expectativa acerca do GIT.

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.