PplWare Mobile

Dica Linux – Como saber qual o hardware da minha máquina?

Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

Deixe um comentário

33 Comentários em "Dica Linux – Como saber qual o hardware da minha máquina?"

avatar
  Subscreva  
Notify of
Paulo
Visitante

Viva. Bom artigo, especialmente por terem detalhado o dmidecode.
Neste artigo que fiz há alguns meses (http://aventux.blogspot.com/2010/01/conhecer-melhor-o-hardware-do-pc.html#more) , para além do dmidecode, tem outros. Pode ser que interesse à malta.

Cumps,
Paulo Gomes

Hugo Costa
Visitante
Hugo Costa

Muito bom artigo! Parabéns!

Nuno Oliveira
Visitante
Nuno Oliveira

Parece-me ser uma óptima forma de saber rapidamente o que realmente queremos… Simples e eficaz 😀
Obrigado

Aislan Penha
Visitante
Aislan Penha

Pedro Pinto tem como contactar com você…
meu emesene é: kingpenha@hotmail.com

Nuno Gonçalves
Visitante
Nuno Gonçalves

Desculpem mas não é 100% correcta esta ferramenta, poix ontem tive a usa-la para saber que tipo de ram tinha o pc do meu trabalho e dizia-me DDR e eu fdx? Fiquei incredulo, então abri o pc e não é q descobri q era DDR3, lol
Por isso não se fiem mto nesse comando, maioria das informações sao preenchidas por fabricantes, e outras sinceramente é algo aleatorio acreditem.

@lmx
Visitante

Boas..
a especificação do hardware é sempre difícil, pois depende de muitos aspectos, existem fabricantes que nem colocam info nos seus periféricos com a designação do que se trata.
O importante a reter e acho que é essa a ideia do artigo, é fazer um reconhecimento do hardware.
E por existir info incompleta, com outro nome não quer dizer que a mesma não funcione, apenas que não aparece o nome do que queríamos numa forma mais user friendly, mas isso pode ser culpa dos fabricantes o que acontece na maioria dos casos pelo motivo explicado.

cmps

Revenge
Visitante
Revenge

Muito obrigado! Será muito útil! Isto já vinha instalado só não sabia que cá estava lol

P.Guerreiro
Visitante
P.Guerreiro

Excelente, só conhecia o lspci.
Parabéns, pelos vossos artigos 🙂

Ryan
Visitante

Ha coisas simples que o linux ja tras e sao mais completas do que muitas aplicacoes graficas que se quer instalar. As vezes complica-se mais com instalacoes de mais aplicacoes e “roubamos” espaco precioso para outras coisas sobretudo se temos uma maquina antiga e que nao suporta muitos GB. Para mim tudo o que for possivel fazer na linha de comandos e sempre um extra e ate mais eficaz. E verdade que e necessaria alguma perda de tempo e gostar.
Linha de comandos e poesia!!!

Nuno José
Visitante
Nuno José

Estou no trabalho (windows :S) e não tenho a certeza do nome mas em GUI o melhor que temos um +- isto

Ferramenta de hardware e benchmarking

R. Campachi
Visitante

Opa! Eu uso o CPU-Z e o PC-Wizard:

http://www.cpuid.com/softwares/cpu-z.html
http://www.cpuid.com/softwares/pc-wizard.html

O Windows traz uma ferramenta própria, mas me escapou o nome.

Lipek
Visitante
Lipek

Uepa,

Parabéns, uso todo dia o DMI… e não sabia disso do parâmetro -t…

Isto ae, vamos colocar mais dicas de LINUX — =D

REDHAT…

Abraço!

R. Campachi
Visitante

Engraçado, cada um que chama 64-bit do seu próprio modo:

debian-6.0.2.1-amd64-netinst.iso
ubuntu-11.04-desktop-amd64.iso
FreeBSD-8.2-RELEASE-amd64-disc1.iso
gentoo-livedvd-amd64-multilib-11.0.iso

Fedora-15-x86_64-Live-Desktop.iso
CentOS-5.6-x86_64-LiveCD.iso
openSUSE-11.4-DVD-x86_64.iso
mandriva-linux-free-2010.2-x86_64.iso

linuxmint-11-gnome-dvd-64bit.iso
slackware64-13.37-install-dvd.iso

gramer
Visitante
gramer

assim nao estas limitados escolhes o que te agrada mais :p, ja viste até nos nomes!!

@lmx
Visitante

Boas…
Embora existam 32 bits e 64 bits, os 64 bits deveriam todos de se chamar Amd64, pois a tecnologia 64bits quer da Intel quer que a Amd usa, são da Amd, daí muitas distros respeitarem e incluírem o nome da tecnologia, Amd64, no nome do iso.

cmps

carlosf
Visitante
carlosf

Queria deixar outra dica
$ sudo dmidecode > bla
grava o resultado do comando (output) no ficheiro “bla”, é bastante útil, evita que tenhamos de copiar da linha de comandos se quisermos guardar os dados obtidos.
E espero que os utilizadores linux andem por aí 🙂 e cada vez mais de preferência

gramer
Visitante
gramer

porreiro, desconhecia, vou instalar no meu arch penso que nao venha instalado.

que venha mais artigos deste genero!!

R. Campachi
Visitante

Eu não conhecia, obrigado.

$ sudo dmidecode -t
dmidecode: option requires an argument — ‘t’
Type number or keyword expected
Valid type keywords are:
bios
system
baseboard
chassis
processor
memory
cache
connector
slot

Mandrake
Visitante

Show de bola.
Gostei do detalhamento.

Excelente artigo. Vlw!!!!
Linux 4 Ever!

Pedro A.
Visitante
Pedro A.

Não dizem como é que se instala por isso suponho que já deve vir por omissão nas instalações de linux mais comuns…

lmx
Visitante

Boas…
eu penso que já vem por omissão na maioria das distros
Continua o bom trabalho Pedro 😉

cmps

lmx
Visitante

ps:porque é que o meu avatar nunca aparece?? 🙁

cmps

R. Campachi
Visitante

Pensei o mesmo, e é verdade.

já veio com o Fedora 15.

cool-man
Visitante

E também pode ser usado o “lspci” para listar o hardware e “cat /proc/cpuid” para identificar o processador

Jos.
Visitante

e já agora o “#sudo deixem_se_de_tretas -fku” e valorizem o artigo, que me parece muito útil. Parabêns 🙂

NT
Visitante

Já agora o lsusb para as “usbêzes” :p

João Pedro
Visitante

Também pode ser utilizado o comando $lshw -short, de forma reduzida e operacional.