Usamos cookies para garantir a melhor experiência de utilização no Pplware.com - Saiba mais sobre os nossos cookies
Ok

Dica Linux – Como saber qual o hardware da minha máquina?

As vezes somos questionados sobre o hardware da nosso máquina e por incrível que pareça não sabemos muito bem o que temos. Recentemente um colega questionou-me sobre uma aplicação para Linux que permitisse visualizar a informação relativamente ao hardware. inicialmente indiquei-lhe o HardInfo ( que já analisamos aqui), mas depois lembrei-me do popular e completíssimo dmidecode.

hw_00

Devo confessar que já tinha algumas saudade de escrever um artigo sobre Linux e em especial que em algo que necessitasse da linha de comandos. Tal como referi, uma forma de obter rapidamente toda a informação de uma máquina é recorrendo ao comando dmidecode.

O dmidecode permite criar relatórios do hardware do nosso sistema, incluindo informações sobre a própria BIOS. Quem pretender ver um output completo do dmidecode basta carregar aqui.

A informação devolvida pelo comando referido é obtida através da tabela DMI, que mantém um conjunto de informações do sistema e BIOS.

Como usar o dmidecode?

O dmidecode funciona na linha de comandos e disponibiliza alguns parâmetros que permitem filtrar a informação fornecida. Actualmente o dmidecode foi já testado com sucesso nas seguintes arquitecturas:

  • Linux i386, x86-64, ia64
  • FreeBSD i386, amd64
  • NetBSD i386, amd64
  • OpenBSD i386, amd64
  • BeOS i386
  • Cygwin i386
  • Solaris x86

Escrevendo o comando dmidecode sem qualquer parâmetro no terminal, o output apresenta toda a informação contida na tabela DMI.

[root@pplware ~]# dmidecode

dmi_00

No entanto, para quem pretende uma informação específica do sistema, o dmidecode disponibiliza uma tabela com vários tipos de DMI (Esta informação pode ser obtida acedendo ao manual do comando: man dmidecode)

       Type   Information
       ----------------------------------------
          0   BIOS
          1   System
          2   Base Board
          3   Chassis
          4   Processor
          5   Memory Controller
          6   Memory Module
          7   Cache
          8   Port Connector
          9   System Slots
         10   On Board Devices
         11   OEM Strings
         12   System Configuration Options
         13   BIOS Language
         14   Group Associations
         15   System Event Log
         16   Physical Memory Array
         17   Memory Device
         18   32-bit Memory Error
         19   Memory Array Mapped Address
         20   Memory Device Mapped Address
         21   Built-in Pointing Device
         22   Portable Battery
         23   System Reset
         24   Hardware Security
         25   System Power Controls
         26   Voltage Probe
         27   Cooling Device
         28   Temperature Probe
         29   Electrical Current Probe
         30   Out-of-band Remote Access
         31   Boot Integrity Services
         32   System Boot
         33   64-bit Memory Error
         34   Management Device
         35   Management Device Component
         36   Management Device Threshold Data
         37   Memory Channel
         38   IPMI Device
         39   Power Supply

Por exemplo, se pretendermos saber a informação de um determinado item, devemos executar o comando dmidecode – t <item>. Segue um exemplo para saber as informações do processador ou processadores.

[root@pplware ~]# dmidecode –t 4

dmi_01

Vamos considerar que pretendem saber qual a capacidade da vossa máquina a nível de memória RAM.

[root@pplware ~]# dmidecode –t 16

dmi_02

E já agora, quais os slots livre:

[root@pplware ~]# dmidecode –t 17

dmi_03

Como puderam ver, o comando dmidecode é um autentico canivete suíço no que se refere a obter informações sobre o sistema. Esta é uma ferramenta que usa com alguma frequência e os resultados são sempre fiáveis e bastante detalhados. Não se esqueçam que executando o comando man dmidecode podem descobrir muitos outros parâmetros associados a este comando.

O utilizadores Linux ainda andam por aí?


  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


33 Comentários

  1. Também pode ser utilizado o comando $lshw -short, de forma reduzida e operacional.

  2. E também pode ser usado o “lspci” para listar o hardware e “cat /proc/cpuid” para identificar o processador

  3. Não dizem como é que se instala por isso suponho que já deve vir por omissão nas instalações de linux mais comuns…

  4. Show de bola.
    Gostei do detalhamento.

    Excelente artigo. Vlw!!!!
    Linux 4 Ever!

  5. Eu não conhecia, obrigado.

    $ sudo dmidecode -t
    dmidecode: option requires an argument — ‘t’
    Type number or keyword expected
    Valid type keywords are:
    bios
    system
    baseboard
    chassis
    processor
    memory
    cache
    connector
    slot

  6. porreiro, desconhecia, vou instalar no meu arch penso que nao venha instalado.

    que venha mais artigos deste genero!!

  7. Queria deixar outra dica
    $ sudo dmidecode > bla
    grava o resultado do comando (output) no ficheiro “bla”, é bastante útil, evita que tenhamos de copiar da linha de comandos se quisermos guardar os dados obtidos.
    E espero que os utilizadores linux andem por aí :) e cada vez mais de preferência

  8. Engraçado, cada um que chama 64-bit do seu próprio modo:

    debian-6.0.2.1-amd64-netinst.iso
    ubuntu-11.04-desktop-amd64.iso
    FreeBSD-8.2-RELEASE-amd64-disc1.iso
    gentoo-livedvd-amd64-multilib-11.0.iso

    Fedora-15-x86_64-Live-Desktop.iso
    CentOS-5.6-x86_64-LiveCD.iso
    openSUSE-11.4-DVD-x86_64.iso
    mandriva-linux-free-2010.2-x86_64.iso

    linuxmint-11-gnome-dvd-64bit.iso
    slackware64-13.37-install-dvd.iso

    • assim nao estas limitados escolhes o que te agrada mais :p, ja viste até nos nomes!!

    • Boas…
      Embora existam 32 bits e 64 bits, os 64 bits deveriam todos de se chamar Amd64, pois a tecnologia 64bits quer da Intel quer que a Amd usa, são da Amd, daí muitas distros respeitarem e incluírem o nome da tecnologia, Amd64, no nome do iso.

      cmps

  9. Uepa,

    Parabéns, uso todo dia o DMI… e não sabia disso do parâmetro -t…

    Isto ae, vamos colocar mais dicas de LINUX — =D

    REDHAT…

    Abraço!

  10. Estou no trabalho (windows :S) e não tenho a certeza do nome mas em GUI o melhor que temos um +- isto

    Ferramenta de hardware e benchmarking

  11. Ha coisas simples que o linux ja tras e sao mais completas do que muitas aplicacoes graficas que se quer instalar. As vezes complica-se mais com instalacoes de mais aplicacoes e “roubamos” espaco precioso para outras coisas sobretudo se temos uma maquina antiga e que nao suporta muitos GB. Para mim tudo o que for possivel fazer na linha de comandos e sempre um extra e ate mais eficaz. E verdade que e necessaria alguma perda de tempo e gostar.
    Linha de comandos e poesia!!!

  12. Excelente, só conhecia o lspci.
    Parabéns, pelos vossos artigos :)

  13. Muito obrigado! Será muito útil! Isto já vinha instalado só não sabia que cá estava lol

  14. Desculpem mas não é 100% correcta esta ferramenta, poix ontem tive a usa-la para saber que tipo de ram tinha o pc do meu trabalho e dizia-me DDR e eu fdx? Fiquei incredulo, então abri o pc e não é q descobri q era DDR3, lol
    Por isso não se fiem mto nesse comando, maioria das informações sao preenchidas por fabricantes, e outras sinceramente é algo aleatorio acreditem.

    • Boas..
      a especificação do hardware é sempre difícil, pois depende de muitos aspectos, existem fabricantes que nem colocam info nos seus periféricos com a designação do que se trata.
      O importante a reter e acho que é essa a ideia do artigo, é fazer um reconhecimento do hardware.
      E por existir info incompleta, com outro nome não quer dizer que a mesma não funcione, apenas que não aparece o nome do que queríamos numa forma mais user friendly, mas isso pode ser culpa dos fabricantes o que acontece na maioria dos casos pelo motivo explicado.

      cmps

  15. Pedro Pinto tem como contactar com você…
    meu emesene é: kingpenha@hotmail.com

  16. Parece-me ser uma óptima forma de saber rapidamente o que realmente queremos… Simples e eficaz :D
    Obrigado

  17. Muito bom artigo! Parabéns!

  18. Viva. Bom artigo, especialmente por terem detalhado o dmidecode.
    Neste artigo que fiz há alguns meses (http://aventux.blogspot.com/2010/01/conhecer-melhor-o-hardware-do-pc.html#more) , para além do dmidecode, tem outros. Pode ser que interesse à malta.

    Cumps,
    Paulo Gomes

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.