YouTube para MP3 – Google ameaça processar sites…


Destaques PPLWARE

80 Respostas

  1. Jose says:

    Eu no lugar da Google já tinha feito isto a muito tempo, espero que não voltem atrás.

    • Jacinto says:

      Porquê Jose? Qual é o mal de sacar os mp3 dos videos?

      • rand says:

        Depende do vídeo, se o vídeo mestiver protegido por copyrigth é ilegal caso contrário deve-se pedir autorização ao uploader do vídeo em questão

      • Jose says:

        Porque usam estes serviços para fazer downloads de musicas ilegalmente, se eu tivesse um serviço tipo Youtube, e me fizessem uma coisa dessas, não ficava nada feliz.

        • Blizard says:

          O serviço que prestam é obviamente ilegal… por isso a Google está a agir normalmente.

        • says:

          Querem la ver agora! Então todo o conteudo do youtube é legal?
          A google ou os utilizadores pagam os direitos do material que lá é colocado?

        • =) says:

          Lol estes comments são sempre para rir…

          Como disse o utilizador acima disse o youtube tem muitos conteúdos pirateados.

          Se és assim tão contra a pirataria porque usas esse site? Ou melhor porque usas outros que tb têm conteúdos pirateados que te babas todo?

          Cheira-me que o teu problema e do youtube é só a musica.

          O problema é que é duvido que isso acabe.

          Sou a favor dos direitos de autor, mas muita coisa é absurda e tb não há dinheiro para tudo.

          Ficavas mais feliz se não houvesse pirataria, mas eu não acredito nisso.

  2. Rui Carriço says:

    Estes gajos não têm mais nada para fazer? Existem literalmente milhões de programas que fazem isso…

  3. Legion says:

    Muito sinceramente… acho bem.

    Não acho que seja “morder a mão que o alimentou” porque acredito que a grande maioria desses 1.3 milhões de visitantes/dia não contribuem para o crescimento do Youtube.
    Usam-no como fonte de mp3…

  4. Além disso, Cohen destaca o facto de que, para “separar, isolar, ou modificar os componentes de áudio ou vídeo de qualquer conteúdo audiovisual YouTube disponibilizados através do API do YouTube” é proibido, assim como também é proibido armazenar externamente cópias de conteúdos do YouTube.
    Por esta ordem de ideias, 90% dos proxys que estão a correr estão ilegais, pois fazem cache do conteudo…
    Na minha opinião o youtube devia permitir sacar directo em mp3…

    • Jose says:

      Não aprovo, se faço um video com uma musica minha, eu tenho o direito de querer partilhar ou não, o ficheiro MP3, não me podem obrigar.

      • Marco Faria says:

        Corrige me se estiver errado… Ao colocares um video no YouTube com “uma música tua” não a estás a partilhar?
        Qual é a diferença de estar sempre a dar “refresh” na página ou sacar para ouvir?
        Concordo que deve haver protecção de dados especialmente com conteúdos protegidos por direitos de autor, mas francamente, os motivos que apresentas só influencia o número de “views” :|

        • Manel says:

          Deves usar outras palavras (partilhar)

          Quando colocas um video no youtube que não seja privado! ESTÁS AUTOMATICAMENTE A PARTILHAR!

          • Rui Costa says:

            Não percebi esse do “privado”. Da para meter um vídeo sem que ninguem tenha acesso ao mesmo?

            Se me disseres que é so para o amigo ver, então já está a partilhar!

          • Rui says:

            Engraçado, não sei porque é que então, fotos, textos, etc, são protegidos por direitos de autor.

            Pela tua “lógica”, eu compro um livro e posso a partir daí começar a copiar e a distribuir livremente o trabalho de outros. Está partilhado numa livraria, não?

            Experimenta copiar uma imagem dum site e colocar num site teu, e depois vê se te podem processar ou não por uso indevido de material privado.

            Esta lógica de partilha tem muito que se lhe diga… Se fosse assim como tu pensas, tudo era gratuito.

        • Jose says:

          Claro claro, isso é o mesmo que ires a uma papelaria e começares a levar as coisas sem pagar e sem concentimento do dono, está ali, é para partilhar tambem, mas não faz mal, é para partilhar podes levar, é exactamente a mesma coisa.

        • Tiago Cruz says:

          +Marco Faria,
          estás-te as esquecer do serviço de parceiros do youtube: se eu partilhar um video no youtube, e for pareceiro, eu quero que as pessoas o vão ver, e partilhem, no youtube. Nunca fora dele.
          Quantas mais views, melhor para o meu projecto.

      • Gonçalo Pimenta says:

        Permite-me discordar, pois se estamos a publicar algo no youtube é porque queremos divulgar/partilhar o conteúdo, logo à partida estamos a “concordar” com esses métodos paralelos de partilha/recolha.
        Percebo a posição da Google mas não acho bem, até porque quem quiser converter o que seja que haja no youtube vai arranjar sempre forma de o fazer.

        Cumprimentos.

    • Paulo Costa says:

      Isso é realmente curioso…

      Eu ao visualizar qualquer vídeo o YouTube, o browser está automaticamente a colocá-lo em cache/temp files, ou seja, a armazená-lo localmente de forma externa ao serviço do YouTube, enquanto este me é transmitido para o ecrã. Isso também seria armazenamento externo de cópias de conteúdos do YouTube e, consequentemente ilegal, certo?

      Por esse prisma técnico/lógico, nos nossos computadores, a partir do momento em que clicamos Play num vídeo do YouTube, este começa a colocá-lo na cache local e estamos então a cometer uma infração punível por lei.

      • Rui says:

        Não estás a cometer infracção porque técnicamente é necessário colocar o video em cache para a reprodução, o que é bem diferente de colocares em “cache” numa Pen USB para levares no carro ou no mp3 para depois ouvires noutro lado qualquer, ou até mesmo partilhares.

        • N. Roque says:

          Não é muito diferente, passas o video TODO para o TEU disco (pasta Temp), e não para uma cache (volátil) logo a Google acha que quem acede ao Youtube é um criminoso, pois esse é um repositório estático de vídeos que devido à sua implementação não pode ser utilizado externamente.
          Boa sorte Google.

          • Rui says:

            Aquilo que escreves-te não tem nada a ver com aquilo que escrevi nem com o que está no artigo.

            Se queres continuar a acreditar que converter videos em mp3 para uso pessoal ou partilha com amigos não é pirataria, é contigo, no entanto se algum dia chegares a ter trabalho feito e pirateado, provavelmente aí irás perceber o significado da partilha ilegal de conteudos.

  5. Miguel says:

    Não vai fazer moça já que se as pessoas não usam este serviço usam um outro dos milhentos disponíveis.

  6. Zé Miguel says:

    Eu até percebo a posição da Google, o site só dá prejuízo ao Youtube, gasta largura de banda e os anúncios não geram receita.

    Mas sinceramente a qualidade de audio do youtube não é a melhor (falando de forma generalizada) e há tanto site para piratear musica em “condições”…

    • Káká Aveiro Dos Santos says:

      Há? Em tempos usei o emule mas agora está complicado arranjar um programa de partilha que permita procurar músicas, pelo menos as que não são comerciais..

      • N. Roque says:

        Paraste à muito tempo então. Desde o emule já apareceram (ou expandiram-se) coisas como os torrents e os sites de partilha (megaupload, rapidshare, etc…).

  7. Matheus says:

    Processa o realplayer entao google…. vamos ver no que dá….

  8. Almirante says:

    Entendo que hoje em dia não há necessidade de sacar as musicas. É preferível fazer playlists, não é ilegal e a musica fica “mais rica”…

  9. Ric says:

    Se o problema é proteger os direitos de autor supostamente certos conteúdos não deveriam estar no Youtube. Posto isto a conversa da Google é para enganar o ceguinho.

  10. fiendmost says:

    casa de ferreiro…

  11. Maxim says:

    Por acaso já usei estes serviços, mas isso não vai parar com a pirataria, eu entendo que o que a Google quer é que outros enriqueçam nas suas costas, porque programas há muitos, mas nenhum deles deve gerar receita….digo eu.

  12. RCS says:

    Iniciativa da Google, ou pressão das produtoras ?

  13. fernando martini says:

    ah fala serio varios programas fazem isso,e varios sites tb, é que esse do post ta popular, oh google deve estar querendo dinheiro ou vao me dizer que é alguma novidade converter os videos do youtube p\ mp3

  14. Dois dos principais programas que uso, quando pretendo fazer download dos videos do youtube, RealPlayer e VDownloader…

    Será que eles vão também processar estes programas?? Hummmm…

  15. sérgio says:

    sinceramente a qualidade do áudio do youtube é muito fraca, para isso vou ao google e pesquiso onde sacar a música com boa qualidade(ups)..

    Se não fosse a “pirataria” a google nem existia pois grande parte do seu negócio vem daí…

    em parte é bom para eles pois poupam largura de banda, porque para ouvir música directamente do youtube não vou estar a ver anúncios..

    A google que até criticou a SOPA e ACTA etc vem agora com mesquinhices…

    A web foi criada a pensar numa partilha livre de informação, onde muitos tentaram tirar proveito com negócios.. é o mundo que temos..

    • Marco Faria says:

      GOD! Era de por essas palavras em Outdoors nas rotundas a ver se esta gente abre os olhos.

      Só acrescentava a expressão (não sei se conhecem) “Pimenta no c# dos outros é refresco” é exactamente a atitude da Google e outros gigantes neste momento.

    • diogo says:

      eu também já saquei muita música ilegalmente aparti do youtube, mas para ser sincero até concordo.
      E criticar a SOPA e a ACTA não vai contra isto que ela quer fazer. Pois esta ameaça está a proteger os autores dos videos que grande parte das vezes não estão inscritos em nenhuma coisa como a SPA, querem partilhar o seu trabalho, para ser ouvido, mas se pensares, podem não querer o as outras pessoas o saquem para elas.

      Claro que aquilo que a google devia fazer é o que o Marco Faria escreve num comentário abaixo (:

  16. Marco Faria says:

    O YouTube devia seguir um pouco o exemplo do Vimeo. É dada a possibilidade de download quando o autor assim o permite. Agora num site com o YouTube em que a “alimentação” do mesmo parte dos seus utilizadores, acho um pouco “desesperado” este movimento, visto que o YouTube já não está em “BOOM” tecnológico como estava na altura em que foi adquirido pela Google, isto é um passo de “frustração” na minha opinião.

    Agora um dilema, eu tenho no meu site um script que impede o visitante de salvar as imagens por meios “tradicionais”, não devia a Google ser processada por indexar as minhas imagens e possibilitar o download na pesquisa de imagens?

    Enfim, o meu ponto é que vivemos numa era em que “rula” a partilha de informação e não a compra. Não querem que usem/saquem os vossos recursos? Simples, não os ponham na Web.

    Afinal de contas para que é que serve a internet? Não é para partilhar?

    • m4x says:

      Apenas quanto à parte do google partilhar coisas do teu website, tu podes impedir o “spider” da google de fazer “scan” ao teu site e indexar o que não quiseres que vá lá parar.

      Mas mesmo assim concordo contigo porque eu não devia ser obrigado a bloquear o acesso… é bonito ver que direitos de autor para as pessoas normais é da seguinte forma – quero usar, peço permissão ao autor ou compro, etc… – para a google é – uso quando e como me apetece, partilho para milhões usarem quando e como lhes apetecer, mas caso não queiras tu é que me tens de pedir…… é para rir… os famosos “double standards”.

      • Marco Faria says:

        Mas esse é o sentido inverso das coisas, é como toda a gente entrar em tua casa quando lhe apetecer, mas se tu não quiseres que entrem tens de colocar alta fechadura, e estendendo o assunto, 90% dos utilizadores mundiais lá sabem fazer esse tipo de bloqueios.

        Eu sou Designer/Webdesigner já há alguns anos e deparo-me com este tipo de problemas várias vezes. A Google, e outros gigantes, são como a religião (sem ofensa) o que eles dizem é o que é e mais nada.

    • sérgio says:

      Exacatamente, a google indexa tudo o que lhe aparece, será que pediram autorização a todos??não, nem é assim que funciona senão a google só contratava pessoal para tratar disso!

      outra questão: a google diz que é proibido separar o vídeo do áudio, faz-me lembrar as 1ªas proteções anti-cópia nos cd´s áudio, podem inventar seja o que for qualquer PC tem e terá a possibilidade de gravar aquilo que reproduz e nem é preciso separar nada, apenas se gravou!

      Off-topic:Eu entendo que a Google apenas queira criar uma proteção do utilizador que faz o upload, não entendo é como é que grandes empresas com grandes lucros afectam-se por coisas destes género(pirataria).
      Mas expliquem-me porque é que estas tretas de direitos de autor só atinge Torrent?? Porque é que deixam engordar grandes empresas como a MegaUpload e vão lá de longe a longe para rapar o dinheiro, quem não se lembra da multa aplicada ao RapidShare? http://sol.sapo.pt/inicio/Tecnologia/Interior.aspx?content_id=5956

      “Apartir de hoje será tudo diferente”, diziam os tipos da RIIA. Tudo ficou igual ou pior e foram lá buscar 150M de uma só vez, será que os autores lesados foram recompensados????

  17. Joel Paiva says:

    Se os videos que são colocados no Youtube não são para disponibilizar aos internautas, são para quê.

    Se os autores não querem o download, não ponham os videos no youtube.

    Qu saudades da cassete. Nessa altura ninguem se preocupava com as cópias ilegais…

    • m4x says:

      Exactamente, nessa altura não havia 1% do stress de agora e no entanto já havia pirataria por todo o lado, não devia haver uma pessoa (que usa-se cassetes claro) que não tivesse cassetes gravadas.

  18. Mr. Antunes says:

    Não devem estar propriamente preocupados com as receitas que estão a perder. A SOPA já está a ser servida, mas há gente que não a quer comer…

  19. Paulo Costa says:

    O utilizador “Ric” acima, disse e disse bem: “Se o problema é proteger os direitos de autor supostamente certos conteúdos não deveriam estar no Youtube. Posto isto a conversa da Google é para enganar o ceguinho.”

    Eu acrescento isto – Partindo do princípio que existem centenas de uploads de músicas copyrighted por minuto, uploads esses feitos por milhares de utilizadores sem terem sido autorizados para isso, então só o facto de estarmos a ver/ouvir (=consumir) esses mesmos vídeos, estamos automaticamente a cometer um crime sem saber, certo? Pois supostamente não poderiamos sequer vê-los/ouvi-los, pois por lei é proibida toda e qualquer a forma de reproduçao não autorizada de uma obra bla bla, algo que já do tempo das K7 se sabia.

    Agora na minha opinião, qual a diferença disso para um Click + Download? Por lei e posso estar enganado: ver ilegalmente = punição/coima; download ilegal por programa ou site externo = punição/coima, ou seja: consumo ilegal = punição/coima, correcto? E como todos nós vemos e ouvimos centenas de vídeos que supostamente serão ilegais…sem falar que ao estarmos no YouTube e clicarmos em Play num vídeo, o browser coloca o mesmo em cache no computador, ou seja, é feito automaticamente um download enquanto os vemos. É feito armazenamento do conteúdo do YouTube, externo ao serviço do mesmo.
    Por exemplo, o JDownloader só com o Copy+Paste do URL do vídeo, captura as streams de audio/vídeo que iriam ser colocadas em cache, faz o download e converte-as em ficheiros multimédia úteis e reproduzíveis, MP4, MP3, WebM…

    Acho que o YouTube deve ter mais prejuízo a nível de recursos, com todos os milhares de utilizadores a acederem constantemente e repetidamente aos mesmos vídeos e playlists e isso gasta muito mais largura de banda que apenas 1 download em fomato mp3 por cada utilizador, por exemplo.

    Isso não deve agradar nada ao YouTube porque faz com que os utilizadores deixem de ser assíduos, não vejam as publicidades e tudo o resto que lhes dá lucro. Ou seja, assim os utilizadores não necessitam de estar constantemente dentro do YouTube para clicar em Play e ouvir as músicas “legalmente”, pois assim os utilizadores só tiram apenas o que necessitam e que iam normalmente obter através do YouTube, à excepção de vídeos restringidos regionalmente.

    No entanto, o prejuízo que o YouTube tem com os recursos usados, é contra-balançado com o facto de estes quererem que os utilizadores permaneçam no site, existindo através destes, retorno com toda a publicidade, marcas e canais pagos, clicks, receitas…

    Abraços

    • Jose says:

      Não concordo, então a MTV tambem era ilegal, é a mesma coisa, eles so mostram, não ficas com ficheiros MP3 no PC, só vês no Youtube, e as produtoras que pôem lá os videos, se outro coitado puser la os videos de musicas e afins, é logo avisado que o conteudo não lhe pertence.

  20. Mahovis says:

    E assim, em breve, mais uma fonte – e uma das melhores – para se conhecer músicas novas e artistas desconhecidos secará, graças à ganância de alguns.
    Em troca disso, pra quem usa esses sites, mp3 em qualidade sofrível, no máximo 128kbps e olhe lá.
    Haja estupidez.

  21. Virus says:

    Concordo plenamente! E digo mais, devia ser proibido os computadores terem colunas e écran, para impedir que algum espertinho grave o som para um gravador, ou a imagem para uma câmara de video.

  22. André Sousa says:

    Tudo muito certo da parta da Google, mas sendo assim, como já disseram, grande parte musical no YouTube é completamente ilegal, pois há muitos vídeos/músicas que ainda nem estão no mercado e já se encontram por lá, incluindo álbuns completos… E quanto a isso, que está o Google a fazer? Nada…

    Isto é apenas uma jogada económica/financeira, de um lado por causa da publicidade que não é gerada da parte da Google e por outro, parece que vamos ter um novo “serviço”: a POSSIBILIDADE DE COMPRA dos mp3 da música do vídeo em questão directamente na página do vídeo, através da sua “recente” loja de música. Obviamente para concorrer com o gigante deste mercado, o iTunes.

  23. André Sousa says:

    Actualizem o artigo com a resposta do site em questão:

    “Clarification:
    – We never used the YouTube API to pull any videos from them.
    – We truely believe that our service is legal. German Courts have ruled that an online recording tool is not different from any tv recorder or something compareable.
    – The German Department of Justice publicly adviced to download content off YouTube.
    – Press contact: press@youtube-mp3.org

  24. Rui says:

    As desculpas que as pessoas utilizam para justificarem legamente a pirataria…:)

  25. Sharp Random says:

    ClipConverter também dançou !

    http://www.clipconverter.cc/

    lamentável… :{

  26. Já que o google está emblado nos processos porque não processar também a google por conteudo ilegal no youtube ?

    Faz-me rir o google

    Cumprimentos
    César Oliveira
    http://www.profissionalweb.net

  27. Canelas says:

    A Google é patética. Quem usa o atube catcher sabe pode fazer isto e mt mais. Já agora, pessoal do pplware ponham a notícia sobre a Dinamarca que está no Torrentfreak. Leiam porque é o exemplo a seguir.

  28. serj says:

    E qualquer dia processam os criadores de add-ons que bloqueiam a publicidade antes do video…

  29. Pedro H. says:

    Creio que se devem considerar os seguintes pontos:

    1 – Se a Google na quer este tipo de operações, que desactive a API. Se mantém a API e condena os sites por tirarem tráfico ( e por consequinte lucro de publicidade à Google, também deviam condenar programadores que desenvolvem plugins ( e outro software ) à volta da API ). Fica bem esta atitude perante os donos dos vídeos, mas no final não fica em efeito.
    2 – Como disseram e muito bem, o acto de fazer cache e partilhar no FB, por exemplo é ilegal?
    3 – Eles não são psicólogos, mas se o fossem, pensariam que ao ouvir um mp3, as pessoas podem ter curiosidade de ver o vídeo e a primeira coisa que lhes vem à cabeça será o Youtube, logo ganham visualizações ( e dinheiro ). Também acontece com CD’s originais, mas não vou entrar por aí.
    4 – Concordo com o comentário dos demais que dizem “Epah, se posso gravar um vídeo em MP3 ( ou até mesmo gravar o vídeo”, porque não? A minha cópia é local e é para uso privado ( eheheheh )

    Volto a re-iterar… Esta acção da Google fica bem no papel. Se avançarem de facto com isto, vão ter dores de cabeça… :)

  30. Rui F. says:

    Não percebo o que é que a Google vai, ou pretende ganhar com isto…mas pronto.

  31. Luna says:

    Qual é a diferença entre enviar um link do YouTube (que é grátis) para um amigo para que este ouça uma música ou fazer download e enviar ou entregar a esse amigo numa pen? Nenhuma. O conteúdo é disponibilizado de graça no YouTube por isso ninguém está a perder nada… Se um autor coloca alguma coisa dele no YouTube tem sempre que ter em conta que esta a disponibilizar o seu trabalho a todo o mundo de graça, dai que não faz absolutamente diferença nenhuma fazer download ou ver no YouTube… Tem se acesso à música e aos vídeos na mesma, e o consumidor vê os vídeos e ouve as musicas da mesma forma que no CD quer seja directamente através do YouTube ou feito o download de lá e ouvindo depois. Há que ter consciência disso, quem não quer oferecer os seus projectos simplesmente não os devia colocar no YouTube, pelo menos não de forma publica…

  32. JoeX says:

    É tão bonito ver falsos moralistas defensores quando é 100% óbvio que de todos os intrevenientes nesta “tertúlia”, já fizeram pelo menos uma vez na vida, downloads ilegais fosse do que quer que fosse. É tão engraçado ver as editoras discográficas quererem processar tudo e todos por causa dos downloads ilegais, quando uma grande parte das bandas que têm hoje sucesso foram conhecidas porque as suas musicas forma partilhadas em p2p,torrents e outros e assim sairam do anonimato… ainda que legalmente tenham razão, moralmente deveriam era estar agradecidos pela liberdade que há na internet, e que só graças a elas, deixam de ser bandinhas de garagem de fim de semana… é como aquela historia da Playstation One que foi a consola mais vendida da SOny.. pk? porque toda a gente comprava e depois punha-lhe um “chip” para comprarem jogos a 500 paus… Fulos com a pirataria de jogos, mas ficavam com o “papo cheio” de tantas PS ONE que vendiam… as editoras dos jogos é k levavam por tabela… isto é tudo uma selva dos grandes que querem ganhar até ao ultimo centimo… Tudo que existe na internet deveria ser livre.. quem assim não o quizesse, não a usa-se… continuem a vender os cd’s na FNAC, que vão longe…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>