Utilizadores do Internet Explorer têm QI menor….


Destaques PPLWARE

149 Respostas

  1. Stark says:

    Tendo em conta que o safari é dos browsers mais vulneráveis, não sei até que ponto os seus utilizadores têm um QI assim tão elevado…

  2. Ppietra says:

    Acho que este tipo de artigo é perfeitamente dispensável! Muito provavelmente vai levar a discussões parvas sem fim. Desejo que não!

  3. DC says:

    “Burros” mas fieis! Não é o que se quer!?

    Convinha também efectuar uma análise de QI aos mentores deste estudo 😀 E, já agora, perceber porque têm tanto tempo livre.

  4. Carlos Mendes says:

    Então mas e será que se eu mudar de browser o meu QI aumenta?? =) Just kidding… Bom post! Os estudos que eles inventam! Mas é bom saber que a comunidade científica se preocupa com estas coisas… Mas independentemente de tudo, eu uso Chrome, e penso que irei usar sempre. Isto se calhar acaba por ser uma “despublicidade” para o Explorer.

    Abraços

  5. Rui Campos says:

    Só o facto de o utilizador, tentar saber de novas soluções ao IE já é motivo suficiente de QI superior… os que se deixam ficar por comodismo .. de certo não será a melhor opção na informática! 🙂

  6. PaulOliveira says:

    Um estudo um pouco estranho.
    Mas não deixa de ter a sua piada.

  7. Trambulhao says:

    Menos conhecimento, sim. QI menor não.

  8. kzun says:

    Eu ainda sou do tempo que o Netscape bombava poderes.
    Na altura tinha uma grande vantagem perante ao seu grande rival da altura, o Internet Explorer.

  9. Isto do QI é relativo e pode ter muitos pontos de vista.
    Uma pessoa como o meu pai que usa o pc quando o rei faz anos, e que o começou a utilizar aos 50 e tal anos e que tem medo de clicar numa janela sem me chamar 3 vezes antes a confirmar se não vai estragar nada, é obvio que vai usar o que tiver no pc, nem sei vai lembrar em ir ao google e procurar um browser melhor até porque se lhe perguntar o que é um browser ele não entende. Tenho de lhe explicar tudo, é um mundo novo para ele, mas no ramo onde trabalha à mais de 30 anos, é dos melhores e é um tipo extremamente inteligente.
    Assim como ele, os pais de muita gente que por aqui anda, e de alguns, até os avós.
    Aprender até morrer, se um tipo não sabe uma coisa, sempre a pode aprender. QI baixo ou não…
    ps: lembrei-me agora, há autistas e pessoas com outros problemas deste género, que até podiam tirar 0 num teste de QI e serem por exemplo génios a matemática ou fisica etc

    • xbyt says:

      Concordo plenamente e creio que explica na totalidade os resultados deste inquérito.
      A informática faz parte integrante dos nossos dias mas não é a nossa vida, logo não se pode qualificar uma característica genérica (como o QI) relacionando com os conhecimentos ou capacidades informáticas.

    • Guilherme de Sousa says:

      A eterna confusão entre inteligência e conhecimento!

      Já no ensino se faz constantemente esta confusão, o bom aluno = inteligente.

      cumps

      • zhor says:

        O Einstein era um péssimo aluno.

        • Filipedgb says:

          Na verdade, era tudo menos péssimo. Era mau aluno ao que detestava, e um aluno excepcional a física e matemática (pelo menos, assim o foi na suiça). Quando era criança, ainda na Alemanha, era visto como péssimo aluno apenas porque detestava o sistema de ensino alemão da altura, baseado na sistematização e memória. Assim que lhe deram a liberdade devida, começou a mostrar o que valia 😉

        • LuisF says:

          Tanto quanto sei, segundo os professores e pautas, Albert desinteressou-se por algumas disciplinas e era frequente faltar a essas aulas. Mas péssimo é que não.

    • Filipedgb says:

      Nem mais…já não teria comentado se tivesse visto o seu comentário antes.

      Cumps

    • LuisF says:

      Há autistas que são savants, mas é uma percentagem ínfima.

  10. Já tinha lido essa noticia no FB no Techmundo (grupo do Baixaki) e de facto deu-me vontade de rir.

    Eu até prefiro o Avant Browser só pelo facto de abrir vários separadores ou abas na mesma janela. Já usei o Firefox até à versão 4 (que detestei) e agora ando armado em Chrome 🙂

  11. M says:

    Não dá para ver o gráfico em grande…

  12. Leonardo Macedo says:

    Quem é que paga um estudo desses? Tudo na vida tem seus prós e contras e é só uma questão de escolha pessoal… Nem toda a gente tem tempo nem interesse para descobrir coisas novas num browser. Me parece que é uma campanha contra a microsoft. Eu conheço muita gente que critica tudo o que é feito pela microsoft, Xbox, Windows e até o office. Mas o que é que podemos fazer se essas pessoas são mais “inteligentes”? Se eu passar a usar tudo o que é do google eu aumento a minha inteligencia?

  13. Mário César says:

    Não me espanta nada. Já há alguns anos que não percebo a utilização dos browsers da Microsoft.

    • Filipedgb says:

      É fácil… é o que vem. Há quem não tenha tempo nem pachorra para aprender e assim poder mudar. (e não, nao é o meu caso…passo grande parte da vida no computador e uso chrome)

      Cumps

      • Mário César says:

        Tempo ou pachorra? Que me fales em nem saber sequer que o ícone do IE não é o ícone da “internet”… até aí está bem, agora, quem sabe o que é um browser e continuar a utilizar o IE é………

        • Filipedgb says:

          Pode saber o que é um browser e usá-lo mas não se importar com as “vantagens” que outros possam ter em relação a esse…provavelmente porque isso nem constitui uma vantagem significativa na maioria dos casos. Como já disse algures, para o utilizador banal, se demora mais ou menos 1 segundo a abrir, não faz grande diferença(algo que para mim, pode ser desesperante xD). Segurança também vai tudo dar ao mesmo (basta ter um minimo de cuidado). E o resto a maioria das pessoas nem sabe. às vezes é preciso pensar como se estivéssemos no lugar de outra pessoa, para perceber xD. Dizer que utilizadores de IE são burros é perfeitamente ridículo

  14. Nuno says:

    Enfim, há gente que se lembra de estudar coisas interessantes. Qual será o QI do gerente de uma empresa de estudos sobre QI’s?

  15. Luis says:

    Como é que podem dizer se é maior ou menor? Fizeram algum teste estatístico? Não vejo as barras do D.P. no gráfico, não que isto queira dizer alguma coisa, mas sempre dava para ter uma ideia!

  16. SatoMew says:

    Este estudo é completamente disparatado. A ideia é boa mas os resultados são absurdos. O nível de conhecimento a nível de browsers é um parâmetro distinto do QI da própria pessoa (e o próprio é um elemento relativo).

    Eu uso o IE9 e irei usar o IE10 e não é por isso que sou mais ou menos inteligente. Além disso, já experimentei outros browsers e uso-os com alguma frequência. Desde que a Microsoft lançou o IE9, que o prefiro aos outros. Pode não ser perfeito, pode ainda ter muito a melhorar para se equiparar ainda mais em certos aspectos em relação à concorrência mas não deixa de ser uma enorme evolução para o IE. Além disso, não deixa de ser um bom browser em si mesmo. Logo considero que este estudo não tem qualquer fundamento.

  17. Fernando Mauricio says:

    Será que os administradores e empregados dessa firma, não serão todos umas bestas ao quadrado, para assim falarem de quem não é da família deles?

    • aver says:

      Como golpe publicitário está do melhor. Conseguiram bastante publicidade à borla para a empresa.
      Quanto aos resultados do estudo – é estatística, não é para ofender ninguém individualmente.

  18. euZinho says:

    Estudos que não fazem sentido nem deviam ser alvo de análise! Primeiro há que saber distinguir entre o que são browseres impostos pelo SO (o IE e Safari) e os demais. Depois, há que ter em conta que nem toda a gente é entusiasta das novas tecnologias e nem sabe que pode mudar, nem percebe o porquê de o fazer. É natural que as pessoas com menores conhecimentos aceitem mais facilmente as imposições que o SO fazem, não sendo diminuídos intelectualmente por isso; eu não sou entusiasta do som, contento-me perfeitamente com um sistema de som de mais baixa qualidade que um profissional (duuh!) e não faz de mim menos inteligente que essa pessoa!

    Creio que estes estudos apenas querem denegrir certas marcas, ridicularizando os seus utilizadores. É lamentável que assim seja.

  19. cartoon says:

    Este tipo de estudo não tem base científica nenhuma. Beethoven era um génio da música, mas não percebia patavina de matemática: tinha um QI inferior?
    Einstein era um génio da matemática, mas não percebia patavina de música: tinha um QI inferior?
    ps: Einstein, quando jovem estudante era um mau aluno a matemática…

    • TiMadeira says:

      Einstein não era um génio a matemática, de tal ponto que até pedia ajuda à sua mulher em algumas contas.. Mas sim era um génio da física, isso sim 🙂

    • OTLW says:

      Cartoon,

      Ao menos fala com a base que exiges ao artigo, pois base não tens nenhuma!

      Einstein tinha conhecimentos de música e até tocava violino, tendo tido aulas. E em tenra idade já dominava (antes dos quinze anos!) cálculo diferencial e integral, que no caso do diferencial, em Portugal, é dado no final do liceu, e o integral é dado nos primeiros anos da faculdade. Por isso, Einstein estava estava era com avanço relativamente a estas matérias.

      Podes ver aqui como o que dizes é lixo (ainda por mais devido a teres acesso a essa informação de forma imediata e fácil):

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Albert_Einstein

      • cartoon says:

        Meu caro amigo OTLW, em primeiro lugar não percebo o porquê de tão agressiva resposta da tua parte: “não tenho bases nenhumas”, “o que digo é lixo”. Que eu saiba, não disse nada que te ofendesse, portanto tem um bocado de calma contigo. Combinado? Em segundo lugar, quando eu dei o exemplo do Einstein não perceber patavina de música, nem sequer me dei ao trabalho de verificar se ele tocava violino porque não é isso que está em causa. Ele pode ter aprendido a tocar violino (ou dar uns toques), e não é isso que faz dele um (grande) músico. E o exemplo da música, foi em comparação com a genialidade de Beethoven, que Einstein no possuía nesse aspecto. Em terceiro lugar, pelos teus altos conhecimentos sobre Einstein (que se calhar nem tinhas há meia hora atrás antes de consultares a Wiki), parto do princípio que és um crânio, os meus parabéns pelo facto. Com muita pena minha, sou mais limitado. Para finalizar, a Wikipedia é realmente um ponto de referência seguríssimo e de confiança para ir buscar informações… Mais, nunca coloquei em causa que ele não dominasse o cálculo diferencial e integral, simplesmente referi que era um mau aluno a matemática quando jovem estudante. A matemática e não só.

        “Einstein foi sempre crítico dos métodos de ensino praticados na escola. Apesar de ter fracos resultados escolares, Einstein tinha uma enorme curiosidade em compreender o universo.”
        http://www.e-escola.pt/personalidades.asp?nome=einstein-albert

        • Eduardo says:

          O próprio Einsten foi questionado da falsa história de que ele reprovava em matemática, no qual ele mesmo desmentiu.

          • OTLW says:

            Exactamente!

          • Filipedgb says:

            Isso também não é verdade…POrque chegou a tirar negativa a matemática na universidade. Não por não saber matemática, mas sim pelas suas atitudes de desprezo para com o professor (desprezo mútuo). Esse professor chegou a chamar-lhe cão preguiçoso, por não querer trabalhar. Ironicamente, mais tarde chegou a fazer trabalhos baseados na relatividade de Einstein

        • OTLW says:

          Cartoon,

          Nem sou «teu amigo» ou «caro amigo», nem combino nada contigo, lamento. Só escrevo para mostrar que o que dizes, a outros que o leiam, é treta, e que não se propague mais esse mito, por preguiça laxista de se fazer uma procura por sites de referência.

          Relativamente à música (ele tocar violino) fiz essa referência e não referi que estarias errado ou não. Foi simplesmente uma referência que eu coloquei, como pode ser constatado, não tirei dai nenhuma conclusão ou opinião, achei oportuna, somente.

          E o que dizes, relativamente a ele ser mau aluno, não tem base nenhuma e é efectivamente lixo devido a ficar exposto que o é tendo em conta que a tua afirmação, que passo a citar novamente:

          «ps: Einstein, quando jovem estudante era um mau aluno a matemática…»

          Não só é falsa como é fácil que verificar que o é, portanto é lixo (falsa) e não tem base nenhuma (pois se tivesse base não seria falsa). Portanto, tudo o que digo é sustentado com as tretas que disseste, e isso não é culpa minha, mas sim tua. Além de propagar um mito que vive em pessoas que não se dão ao trabalho (como tu) de fazer uma pesquisa no Google.

          Mas pior é ainda a tua resposta que passo a citar:

          «Mais, nunca coloquei em causa que ele não dominasse o cálculo diferencial e integral, simplesmente referi que era um mau aluno a matemática»

          Sabes o que é uma contradição??? Ou seja, ainda consegues escrever mais lixo do que o inicial, pois o dominar cálculo diferencial e integral, antes dos 15 anos, mostra, categoricamente, que se está na presença de um bom aluno a matemática, pois estas matérias são ensinadas mais tarde por serem difíceis e não só)… Efim… Mas mesmo que isso não fosse notado por ti, estaria escrito que ele foi bom aluno a matemática.

          E às tantas colocas dúvidas da fiabilidade da Wikipédia e, por arrasto, de forma implícita, no artigo. Se assim é, o único que tem de provar que o artigo da Wikipédia tem erros é teu (não é só dar o palpite que pode estar errado sem qualquer prova), e deves mostrar com fontes credíveis que assim é. Se não o fizeres mostras que só estás a escrever ainda mais lixo, especulando sem base nenhuma (novamente).

          Relativamente a eu ser um crânio (ironia tua), ou ter obtido essa informação há poucos minutos, supondo que isso tinha ocorrido dessa forma, em nada invalida (nada) o que eu disse, e as tuas afirmações, relativamente a Einstein, quando jovem estudante era um mau aluno a matemática, continuam a ser lixo, independentemente de eu ser ou não crânio em assuntos de Einstein ou ter visto o artigo há minutos. Esse teu argumento é simplesmente irrelevante, portanto, mais lixo…

          Relativamente à tua resposta, há uma citação (pode variar um pouco devido à tradução) de Einstein que se aplica:

          “Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta.”

          • cartoon says:

            Que idade tens OTLW? 15 anitos? Não deves ter muito mais 😀
            Quando souberes interpretar um texto, volta cá 😉

      • zhor says:

        Apenas dei integrais na faculdade.
        No 12º ano dei só derivadas a matemática, no entanto a física era necessário integração, então a professora improvisava com com umas fórmulas, que no ensino superior deu-se mais completamente a matemática.

        • OTLW says:

          Respondo aqui pois já não é possível responder mais acima ao comentário do Cartton de 1 de Agosto de 2011 às 5:11 pm o botão não está disponível para clicar)

          Cartton,

          Já que achas que eu não interpretei correctamente o lixo que escreveste, deves justificar como chegaste a essa conclusão mostrando a minha discrepância nas na minhas respostas ao teu comentário.

          O que é algo que faço à tua resposta, pois eu afirmo que nem ler sabes e justifico porquê com base no que escreveste.

          Mesmo após terem-te de dado referências que mostram que escreves lixo continuas a escrever coisas como, e passo a citar:

          «simplesmente referi que era um mau aluno a matemática quando jovem estudante»

          Que é lixo, e só serve para propagar um mito, e sobre isto ainda tens a coragem de dizer, e passo a citar:

          «Quando souberes interpretar um texto, volta cá»

          Quando acabaste de mostrar que nem ler sabes… Efim…

    • Filipedgb says:

      Eu primeiro lugar, percebi a tua ideia…(e concordo com ela)

      Em segundo lugar, usaste um péssimo exemplo. Einstein era brilhante a matemática… Apenas não detinha conhecimento matemático suficiente para acompanhar as suas descobertas na física, de maneiras que chegou mesmo a dizer “não se preocupem com as vossas dificuldades a matemática…asseguro-vos que as minhas são ainda maiores”. Não se entenda por isto que ele tinha dificuldade em resolver equações de 2º grau 😉
      PS: Einstein percebia de música, aliás, ponderou ser violinista a certa altura da sua vida e isso foi algo que o acompanhou ao longo da vida.

      Cumprimentos 😉

      • Filipedgb says:

        PS2: A minha informação não veio do sr. Wikipedia… Mas sim de “Einstein Cosmos”…uma biografia de escrita por Michio Kaku. =D

        Abraço

        • OTLW says:

          No entanto a Wikipédia permite que se coloque aqui, de forma fácil, o link, por isso coloquei aqui esse link, enquanto a biografia desse excelente divulgador, e comunicador, não tem as referência directas para o exterior de forma fácil, como se pode ver aqui:

          http://pmpcorreablog.wordpress.com/2010/06/29/albert-einstein-biography-by-michio-kaku/

          Ou via Britannica:

          http://www.britannica.com/nobelprize/article-11330

          E a Wikipédia, pelo menos na área das ciências, é considerada que ao nível do rigor não deve nada Britannica.

          A vantagem da Wikipédia é que é colaborativa (vários pares estão atentos aos erros dos outros e em constante revisão – revisão em tempo real, o que não ocorre com a biografia de Michio Kaku, mesmo na Britannica, embora tenha vários revisores), e no fim estão sempre, ou quase sempre, os links que servem de base às várias partes do artigo. No caso do artigo de Einstein, podes ver no fim, por exemplo, os links para o site do Nobel onde está o perfil de Einstein, etc…, e que assim credibiliza o artigo da Wikipédia, que nos permite validar a informação que estamos a ler e, eventualmente, conhecermos mais sobre esse artigo.

          Refira-se que os artigo em inglês, normalmente, são sempre melhores e mais completos, no entanto optei por colocar em português pois nem toda a gente ler inglês, ou sabendo, prefere ler em português.

          No meu caso, tomei conhecimento destes factos numa cadeira de história associada à ciência.

          • Filipedgb says:

            @OTLW

            Creio que interpretou mal o meu comentário. Não pretendia de todo descredibilizar a wikipedia. (algo a que recorro quase diariamente)

            Apenas me pareceu que houve pessoas que não acreditaram na credibilidade da informação que apresentou aqui. POr esse motivo apresentei uma outra fonte, confirmando o que disse, que decerto tem também grande credibilidade.

            Cumprimentos

        • OTLW says:

          Filipedgb,

          Respondo aqui ao teu comentário de 1 de Agosto de 2011 às 8:48 pm por não ser possível responder no devido lugar.

          Eu não tomei que descredibilizasses a Wikipédia, no entanto como subtilmente ela foi descredibilizada pelo cartoon, eu não quis que quem lesse a tua mensagem fosse a reboque dessa descredibilização que o cartoon tentou fazer, e que outros poderiam assumir, por mais uma pessoa (tu) poder parecer que o afirmava, facto que eu não disse que tenha sido feito por ti.

          • cartoon says:

            Olha, meu caro OTLW. Eu não era para intervir mais nestes teus comentários porque já não tenho idade para andar com este tipo de histórias e turra-turras de escola primária. Mas o meu nome voltou a ser aqui referido e acho que já chega. A Wiki tem os seus aspectos positivos, e em relação isso nada a dizer. Agora, é preciso ter cuidado com as informações que lá aparecem, simplesmente. E para te refrescar a memória, basta recordar-te as alterações que foram feitas à biografia do nosso antigo primeiro ministro José Sócrates. Já entendeste desta vez?

          • OTLW says:

            Cartoon,

            Não sei se tens algum “caro”, mas eu não sou teu “caro” de certeza…

            O teu nome faz justiça à forma como comentas… É pura comédia.

            Respondo ao teu comentário de 2 de Agosto de 2011 às 12:51 am.
            Comento aqui pois já não é possível responder no locar devido.

            Primeiro dizes:

            «Eu não era para intervir mais nestes teus comentários porque já não tenho idade para andar com este tipo de histórias e turra-turras de escola primária.»

            Admites, para ti, que estas a comentar com um nível abaixo à da tua idade! Hilariante… Eu ia dizer que começas logo com lixo, mas tu fazes esse trabalho melhor do que eu.

            Depois vens com o seguinte afirmação.

            «Agora, é preciso ter cuidado com as informações que lá aparecem, simplesmente. E para te refrescar a memória, basta recordar-te as alterações que foram feitas à biografia do nosso antigo primeiro-ministro José Sócrates. Já entendeste desta vez?»

            É caricato e irónico que acabes com um «Já entendeste desta vez?», pois o exemplo que deste é, tão-somente, um exemplo flagrante de como a Wikipédia é dinâmica e eficiente a detectar os erros (alterações à biografia de José Sócrates) por via dos colaboradores que foram rápidos e eficientes a corrigir os conteúdos alterados e, como a Wikipédia é aberta, além dos colaboradores houve ainda o público que apontou esse erro, o que é possível devido ao funcionamento particular da Wikipédia. O exemplo que deste é um valente tiro no pé, que mostra essa mais-valia da Wikipédia que permite a permanente revisão dos conteúdos de forma eficiente. Devoto-te assim a tua afirmação: «Já entendeste desta vez» como é lixo o que tu escreves? Não dás uma para caixa… Ainda por cima em público.

          • OTLW says:

            Errata: na minha resposta ao cartoon de 2 de Agosto de 2011 às 12:09 am, no fim, onde está «Devoto-te» deveria figurara «Devolvo-te».

          • cartoon says:

            Ainda por aqui meu caro amigo OTLW? 😀 Sabes, no fundo até começo a simpatizar um bocadinho contigo, mas só um bocadinho. Perfil definido: rapaz acabado de sair há pouco da fase da adolescência, ainda inseguro de si, tentando forjar uma personalidade e alguma aceitação social pública, não pela subtileza das suas ideias, mas pela agressividade das palavras de forma a demonstrar um determinado estatuto no anonimato, porque na vida real, estaremos, o mais provável, perante um individuo frágil.
            Voltando agora à Wikipedia, segundo as tuas palavras, no caso Sócrates, “a Wikipédia é dinâmica e eficiente a detectar os erros (alterações à biografia de José Sócrates) por via dos colaboradores que foram rápidos e eficientes a corrigir os conteúdos alterados e, como a Wikipédia é aberta, além dos colaboradores houve ainda o público que apontou esse erro, o que é possível devido ao funcionamento particular (querias dizer “peculiar”, não era? :)) da Wikipédia”.
            Bem, segundo um artigo do “Público” (é suficientemente credível para ti, não é?), cujo link segue (http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/licenciatura-de-jose-socrates-gera-polemica-na-wikipedia_1290225), só ao fim de 15 dias e mais de 70 versões/alterações é que os administradores decidiram tomar a medida de ordenar uma protecção excepcional à página do nosso ex. Entretanto, quem possivelmente tenha feito uma pesquisa, levou com mais de 70 informações diferentes! E falas em ” permanente revisão dos conteúdos de forma eficiente”? E se leres o artigo do público com cuidado, só 450 dos 250 mil artigos em português estão efectivamente protegidos contra alterações de dados. E não me venhas com a história que há uma vigilância cerrada, porque não há. As alterações a erros são feitas quando detectadas e isso pode demorar tempo. No entretanto, alguém já levou com uma falsa informação. Bem, agora só falta classificares a minha intervenção de lixo (começo seriamente a desconfiar que és funcionário da Moody´s) :D. Estás à vontade 😀

  20. tff says:

    Sempre achei que o IE é um browser bem chato para fazer qualquer coisinha precisa de 10 cliques por isso não me espanta esta pesquisa aliás para conseguirem estar naquilo todos os dias são e masoquistas .

  21. Nelson Roque says:

    Ando a ficar (ainda) mais inteligente.

  22. Malamen says:

    Que estudo mais parvo…

  23. Gerardo says:

    Lá vêm os fanáticos de esquerda dizer que somos todos iguais e que inteligência não existe. Inteligência existe. Ponto. Pode depois não ser aproveitada, mas é um quociente potencial. Existe pessoas que nunca irão perceber a teoria da relatividade por mais anos que passem a estuda-la, simplesmente porque a sua inteligência não o permite. Outra irão perceber à primeira. Existem pessoas menos inteligentes do que eu e outras mais. É um facto. É um facto que devido a politicas de esquerda do tipo “trabalhos iguais, salários iguais”, é que estamos como estamos…

    • SatoMew says:

      Compreendo a tua posição mas acho que a principal crítica aqui é a de que a escolha de browser (ou falta dela devido a ignorância de alternativas) não tem relação directa com o QI ou a capacidade intelectual da pessoa mas sim com o seu conhecimento do assunto.

  24. bruno says:

    sinceramente axo este estudo muito mal feito…
    Como e possivel uma pessoa so por utilizar IE tem um QI baixo em relaçao a uma pessoa que tenha, por exemplo, Safari?
    Ca para mim este estudo e so pra deitarem abaixo o IE, talvez por concorrencia -.- nao sei mas podera ser…

  25. Hélder Ferreira says:

    Se formos avaliar estes gráficos em relação à dificuldade de “penetração” dos browsers, os utilizadores do Safari deveriam ter o QI mais baixo, uma vez que é o mais fácil de ser penetrado.

    Também, se formos avaliar estes gráficos ao pormenor, os utilizadores do Chrome deveriam ter um QI superior ao génio Einstein.

    Estes resultados devem estar relacionados com a tecnologia do browser e até onde os programadores podem aproveitar a tecnologia do mesmo para estudar novos sistemas de programação, se assim for, os utilizadores do IE têm de certeza um QI menor, uma vez que o IE é um browser de todo avançado, conflituoso, problemas estruturais, regras absurdas.

    O IE para pessoas que programam para a plataforma Web é horrível. Apesar do IE9 estar muito mais avançando do que o IE8, continua a ter muitos problemas com Ajax, se fosse aqui nomear os problemas que já encontrei, nunca mais saiamos daqui.

    É por isso que a maior parte das aplicações web, funcionam a 100% no Firefox e / ou no Chrome, o processador de Javascript destes browsers é algo fenomenal.

    Se a Microsoft realmente quiser entrar em concorrência com os browsers Firefox, Chrome, Opera e Safari, terá de trabalhar arduamente. Já não falo superar a tecnologia deles, mas pelo menos igualar, já dava algum tempo para pensarem em algo superior ou mesmo revolucionário.

  26. Ricardo Fernandes says:

    Já foi provado que o teste de QI nada significa pois depende de diversos factores que incluem, a título de exemplo, a motivação do individuo.

    É necessário acabar também com esse mito que o Einstein era mau aluno a matemática. Isso é mentira. Ele simplesmente era melhor a outras disciplinas.

    Há que ver o que é perceber de matemática. A matemática em si é uma linguagem/ferramenta. Deste modo a sua compreensão depende de praticar e não da inteligência de um individuo.

    O IE é um excelente Browser para aqueles que não exigem a capacidade de gestão de marcadores avançada ou extensões!

    Para terminar tenho a dizer que a inteligência de um individuo pode ser mais eficazmente analisada avaliando as suas opções de vida e o seu comportamento em sociedade. Isso sim define o sucesso de um pessoa. Neste mundo actualmente repleto de informação verifico que o que existe cada vez mais é desinformação. A informação está disponível mas pouca gente a consulta e menos gente ainda a filtra.

    • cartoon says:

      “Einstein foi sempre crítico dos métodos de ensino praticados na escola. Apesar de ter fracos resultados escolares, Einstein tinha uma enorme curiosidade em compreender o universo.”

      http://www.e-escola.pt/personalidades.asp?nome=einstein-albert

    • OTLW says:

      Ricardo,

      Não é bem assim… Também estás a propagar um mito, em parte. O que revelas que não sabes bem do que falas.

      Pelo menos leiam tudo dos artigos… Enfim…

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Albert_Einstein

    • Filipedgb says:

      Ricardo: “Há que ver o que é perceber de matemática. A matemática em si é uma linguagem/ferramenta. Deste modo a sua compreensão depende de praticar e não da inteligência de um individuo.”

      Isto que dizes aplica-se à matemática escolar. De facto, um aluno que tira boas notas a matemática na escola não precisa de ser inteligente. A matemática que aprendemos na escola é sim dependente de prática. Não podes dizer de modo geral, no entanto, que qualquer pessoa pode aprender TODA a matemática. Há matemática com raciocínios tão rebuscados que muitos não seriam (nem são) capazes de compreender, acredita em mim. Ao contrário do que posssa parecer, matemática (a avançada, não a básica que aprendemos) requer muita inteligência… nunca subestimes matemáticos 😉

      • OTLW says:

        Filipedgb,

        «A matemática que aprendemos na escola é sim dependente de prática»

        Dito assim, e só assim, isso é falso. É também, mas não só: depende da prática e da inteligência e motivação.

        • Filipedgb says:

          Prática só existe com motivação, logo ao dizer prática incluo motivação. Quanto à inteligência… Não sei como era no teu tempo. Mas hoje em dia, tira boa a nota a matemática quem pratica muito. Os exercícios são todos iguais (como faz sentido serem, na escola) e não requerem inovação, logo inteligência. Queres problemas de matemática que requerem inteligência e perspicácia não procures nos exames nacionais ou testes…procura antes em exercícios das olimpíadas de matemática, por exemplo.

          • OTLW says:

            Filipedgb,

            Quando dizes que «Prática só existe com motivação», tenho que dizer que essa afirmação é trivialmente falsa, pois basta pensar na prática que é exercida por obrigação/coacção (o aluno é obrigado a praticar por não ter motivação), e isso é de tal forma frequente que pode ser verificado de forma simples. Grande parte dos pais obrigam os filhos a «praticar» o estudo das cadeiras que não gostam, por exemplo, e a matemática será, certamente, umas das disciplinas onde isso mais se verifica.

            Mantenho o que disse, a matemática que aprendemos na escola depende da prática, mas não só, tem de depender igualmente da inteligência, caso contrario uma pessoa que ainda não tivesse pratica nunca conseguiria chegar ao nível de uma pessoa com pratica, pois no início nunca a tem, e nessa escalada crescente de desempenho, que inicia no nível zero de prática, tem de recorrer necessariamente à inteligência para poder integrara a regra para só depois adquirir a prática (a prática só pode mesmo vir depois). Um macaco, por mais prática que tenha não faz derivadas, pois não tem inteligência para isso. A prática serve para automatizar processos. Com a mesma dose de prática dois alunos mostram resultados distintos.

          • Filipedgb says:

            @OTLW

            Começas logo a enterrar-te com a seguinte afirmação “pois basta pensar na prática que é exercida por obrigação/coacção”, pois isso vem apenas demonstrar que para ter uma boa nota não é necessário motivação, mas sim prática. A prática pode provir de motivação ou obrigação(ou outra coisa qq que não me recorde agora). Logo motivação não é um “must”, tal como referi. O “must” é sim, prática (independentemente do que origina essa prática). Portanto, alterando um bocadinho, para clarificar: Prática é essencial, com motivação OU não – contrariamente aquilo que afirmaste, motivação não é necessária, e se existir já é incluída na prática pois motivação é UMA DAS causas da prática.
            Espero ter sido mais claro em termos de português, desta vez.

            Segundo, e volto a repetir: matemática a nível escolar requer muito pouco de inteligência. Com isto quero dizer: ou tens realmente dificuldade (muita), e então não vês nada à frente – e nesse caso tens razão, de facto nem com prática vais lá; ou então, a partir de um determinado valor de QI (baixo, mas dentro do normal), consegues fazer tudo com relativa facilidade desde que o mecanizes.

            Para finalizar:

            “tem de recorrer necessariamente à inteligência para poder integrara a regra” –> “Trivialmente falso”. Ninguém precisa de perceber uma regra para a decorar. Aliás, não percebes quase nenhuma, para dizer a verdade. Praticamente todas as formulas que usas em matemática são simplesmente dadas, e tens que memorizá-las. Parece que não estás muito ao corrente do que é o ensino hoje em dia…

            Quanto ao exemplo do macaco, estamos a falar de diferenças de QI abismais. Portanto nem me vou alargar acerca disso, apenas: Falsa analogia.

            “Com a mesma dose de prática dois alunos mostram resultados distintos.” Claro está, devido muitos factores, como por exemplo, mau ensino: um aluno inteligente consegue perceber as coisas sozinho, um menos inteligente não. Com um bom professor, tanto o menos como o mais inteligente consegue fazer as coisas. Muito (mas muito) em principio. Digo isto porque tenho o privilégio de ter um professor (como deve haver muito poucos) de matemática que consegue por literalmente uma turma inteira a ter boas notas tanto nos testes como em exame nacional. E sei bem quem é mais e menos inteligente, no entanto isso não é o mais significativo num teste. (ao contrário do que a maioria pensa)
            Se depende de inteligência? Depende sempre. É significativo? Não muito. Apenas isto…não distorças…não gosto de joguinho de advogado =) pessoas realmente inteligentes tentam perceber para além das palavras que nem sempre expressam totalmente o que se quer dizer. Cumps

          • Filipedgb says:

            “caso contrario uma pessoa que ainda não tivesse pratica nunca conseguiria chegar ao nível de uma pessoa com pratica, pois no início nunca a tem, e nessa escalada crescente de desempenho, que inicia no nível zero de prática”

            Se eu percebi bem o que querias dizer…respondo já. Obviamente que uma pessoa sem prática chega ao nível de uma com prática, simplesmente pq a prática tem um limite. =) Chega a uma altura, em que é impossível teres mais prática, simplesmente. Nessa altura páras, e os outros que não têm prática atingirão o mesmo patamar, um dia. Para além desse patamar (qnd já sabes tudo o que já foi estudado), para descobrir novas coisas precisarás de usar a inteligência. Claro que antes, também necessitarás dela, obviamente. Estou apenas a tentar esquematizar e simplificar a ideia que estou a tentar explicar-te. De qualquer modo não tenho certeza de ter compreendido esse excerto que citei no início deste comentário -> por falta de horas de sono talvez, ou simplesmente porque não foste muito claro

  27. silva says:

    Se for como piada, até vai, mas sério?

  28. Emprego says:

    lol. estes estudos é só para rebaixarem o IE, ainda não perceberam? Como webdesigner tenho de usar varios browsers, então tenho um QI elevado… lol

  29. Prodígio says:

    Exacto.

    QI menor.

    Mesmo assim o suficiente para ser o browser pré-definido (e grande parte das vezes o único permitido) nas maiores empresas do mundo.

    E o burro só eú? Artigo ridículo e tendencioso.

  30. zhor says:

    😀

    É cada uma…

    Mas gosto de utilizar o opera, é bem mais rápido que os outros. É pena é a falta de extensões.
    Quanto ao IE, não sei onde é que se arranja extensões para o browser. O IE tem extensões?

  31. darth says:

    única coisa que na verdade acontece é que as pessoas usam o browser quem de base instalado na sua maquina… e so uma % menor se da ao trabalho de fazer upgrade para algo mais “seguro”…
    isto é daqueles estudos tipo revista “Maria” ou “CM”, que nao diz aboslutamente nada.
    mas sempre faz mais sentido a PPLWARE meter isto que um qualquer artigo-publicitario encomendado por uma empresa qualquer :S

  32. Joao Dias says:

    Eu,uso todos eles,o explorer tambem.Acho que sou burro.

  33. Armando Matos says:

    Coisa mais parva.
    Quem “encomendou” este “estudo”,deveria primeiro ter feito uma declaração de interesses.

  34. CMatomic says:

    Isto pode ate ser verdade na questão da utilização de novas tecnologias , mas acho que miguem tem baixo QI acho cada um tem o seu potencial.
    No meu caso que passei a utilizar sistemas operativos OpenSource ganhei um conhecimento de que não tinha antes, ate a minha definição de liberdade acho que esta mais evoluída.

    Mas uma coisa sei em termos de utilização de tecnologias o QI dos nosso Políticos estão muito em baixo, pois não tem uma visão futurista nem criativa da liberdade simplesmente acreditam que já vivem em liberdade, pois quem pensa assim, tem um QI baixo para sua definição de liberdade, e essas pessoas ficam mais vulneráveis a serem manipuladas no caso quando se fala de novas tecnologias.
    Como eu disse acima não existe pessoas de QI baixo cada um o seu potencial.

  35. CMatomic says:

    Que tal já agora fazer um estudo do QI entre utilizadores do windows,Mac e Linux 🙂

    Quem será tem maior QI ?

    🙂

  36. helder aka dr_psikick says:

    Meus amigos, parece-me que há uma confusão generalizado sobre o que é um teste de QI e seus resultados.

    Primeiro as avaliações de QI tendem para resultados relativos e standardizados, ou seja, não se avalia se o sujeito é bom a matemática, línguas ou whatever, mas sim a sua capacidade geral de raciocínio (ou destreza mental) em todas as dimensões – evidente que cada sujeito vai pontuar mais ou menos aqui e acolá;
    Os resultados são relativos, relativos a todos os outros sujeitos que fizeram esse teste no período experimental do mesmo – Quero dizer que se alguém pontar 95, esse 95 não é um valor numa escala absoluta mas sim relativo à distribuição normal da população referência.

    É evidente que o Einstein tinha um QI elevadíssimo, tal como o Mozart ou Dali… ou seja a área em que usam as suas capacidades nada tem haver com os resultados, pois avaliam-se várias dimensões e geralmente ignora,-se os valores mais altos e os mais baixos 😉

    Por último o nome QI é que engana, pois não se está realmente a avaliar inteligência, mas sim o potencial de capacidades genéricas… Ou seja um gajo com um QI elevadíssimo pode ser um grande “burro”, pois se for daqueles que têm muito potencial e nunca fizerem nada de jeito na vida não se podem considerar inteligentes, digo eu… e o contrário também é verdade, sujeitos mais limitados em termos de capacidades conseguem ser muito inteligentes aproveitando ao máximo as suas poucas capacidades…

    Ah, é claro que quem usa IE tem o QI mais baixo! 😛

  37. eu mesmo says:

    só por causa de uma simples notícia já a aqui problemas?

  38. António Coutinho says:

    Só poderiam ter, para ainda usarem o IE.

  39. oi says:

    talvez o pessoal com o ie e QI elevado não tenham respondido a esta treta de QI, porque ter um QI elevado e usar o safari é um paradoxo.

  40. Miguel Fonseca says:

    Boas, penso que o helder aka dr_psikick começou bem, mas depois esqueceu-se do essencial. Este estudo foi feito, não com base no navegador (browser) utilizado, mas sim em perguntas efectuadas no âmbito dum teste de QI. Depois de feitas todas as perguntas, que levaram a uma percentagem de QI para cada individuo, foi então feita uma pergunta final. Que navegador (browser) usa? Então, com base nos resultados do teste de QI, verificou-se que as pessoas que utilizam o IE estão no grupo das que tiveram piores resultados no teste de QI! Estes são resultados concretos e válidos. Não são coincidências, nem tentativas de denegrir a Microsoft! Mas, (e há sempre um mas) o estudo não foi abrangente, logo perde peso tendo em conta a totalidade da população mundial e até da totalidade dos usuários de computadores existentes no planeta.
    “Tal como referido, o estudo foi levado a cabo pela empresa canadense AptiQuant e envolveu mais de 100 mil Internautas com idades superiores a 16 anos. Os testes foram realizados online, apenas em países de língua inglesa, e decorreram de uma forma natural sem que os utilizadores percebessem que a finalidade era a avaliação do seu QI.”
    O estudo é válido, como já disse, a sua finalidade era a avaliação do seu QI!
    Agora, não é exacto! Pois não foi feito a nível Mundial, logo, os seus resultados são apenas fidedignos para o o grupo descrito no artigo.
    São, no entanto, um indicativo que poderá mostrar uma tendência no caso de um estudo global, que poderá vir a comprovar os resultados.
    De qualquer maneira, cada um utiliza o que quiser, mediante os seus gostos! Mas, tendo em conta a necessidade de segurança, rapidez e riqueza de conteúdos, as pessoas deverão mudar e adaptar-se ao navegador que melhor satisfizer estas condições. E isso, na minha opinião, revela vontade de melhorar, aprender e evoluir, resumindo, revela inteligência!

    Cumps.

  41. afonso says:

    Artigo desnecessário, mas estamos no verão, enfim

  42. afonso says:

    vou até outro blog mais interessante, fui

  43. KOizo says:

    QI Elevado é não usar nem Internet explorer, nem Safari nem Google! Chrome!…Sou esperto o suficiente para pelo menos tentar defender um bocadinho a minha privacidade.

  44. Ruaben says:

    já sei porque todos os benfiquistas usam(que conheço) usam IE
    just kidding 😛
    não admira que o socrates utilize IE

  45. Marcos Santos says:

    Eu que uso IE9 e Chrome onde me agrupo? loool 😉

  46. HelderS says:

    Humm, bem me parecia… para não utilizarem o Firefox… ou por serem demasiado “preguiçosos” e não mudarem de browser nativo!

  47. Jose says:

    Sem comentários.. só serve para arranjar mais guerras, sinceramente…

  48. Bom eu uso o Opera como podem verificar no wakoopa que monitoriza todas as minhas máquinas. http://social.wakoopa.com/eduardosilva E o sistema operativo, qual será o que tem os maiores cérebros?

  49. says:

    Não uso o IE e acho este artigo bem dispensável. Como todos sabemos, a maioria usa o que lhes é dado à partida, não precisamos de uma estatística idiota para o mostrar. Em primeiro lugar porque, inteligente ou não, provavelmente nem precisam de mais do que o que é dado.

  50. enjoy_and_Relax says:

    safari ou opera ?? no gráfico o opera esta com valores mais elevados …

  51. Este estudo vem confirmar o que era obvio.
    Interessante é um estudo sobre os sistemas operativos e o QI dos seus utiilizadores.
    Façam as vossas apostas sobre o QI dos utilizadores do sistema operativo do fabricante do IE. A minha aposta está feita.

  52. Ppietra says:

    Este estudo é uma fantochada – literalmente!
    http://www.bbc.co.uk/news/technology-14389430

  53. oi says:

    e a noticia no pplware a dizer que afinal isto foi um hoax onde está?

  54. MaX says:

    Atenção que infelizmente esta noticia já foi desmentida pelo próprio autor do dito “estudo”, como podem ver no próprio site da AptiQuant: http://goo.gl/k1wHT .

    Continuação de um bom trabalho para o pessoal do pplware.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.