Saiba como ser um melhor programador!

Por Luís Soares para Pplware.com

Destaques PPLWARE

51 Respostas

  1. darkvoid says:

    Está muito interessante.
    No entanto está demasiado orientado para programação Web, como se fosse o único tipo de programação existe.
    Mas sim, dicas que vou reler e guardar. Bom trabalho

    • Luís Soares says:

      Olá darkvoid. obrigado. Eu tentei ser o mais genérico possível… Pelo menos sem ser nos exemplos. Quanto aos exemplos, dei no que melhor conheço 🙂 mas obrigado pela sugestão.

    • Qwerty says:

      Por ter um exemplo HTML já é orientado para web?

      • Darkvoid says:

        Não foi só por isso.
        No inicio, por exemplo, fala de bibliotecas jquery.
        Mais a baixo fala de javascript. etc
        Basicamente devias ler o artigo completo antes de vires comentar.

        • Luís Soares says:

          é um facto. mas refiro que são exemplos do conceito que estou a transmitir. é mais fácil dar exemplos que mais pessoas conhecem. depois cada um deve conseguir transportar para o seu ramo. se eu metesse um exemplo de I.A. ou de controladores, era percebido por menos pessoas.

  2. Nuno Silva says:

    Mais um excelente artigo do Luís Soares. Parabéns!

  3. Tiago Dias says:

    Muito sinceramente e na minha perspetiva, este deve ser o melhor post que já li no pplware. Ótimas dicas, dadas de forma sucinta mas com as referências necessárias.
    Apesar de, a nível tecnológico, serem referidas várias tecnologias web, não concordo com o comentário do darkvoid. Tudo o que li é aplicável independentemente da plataforma ou linguagem na minha opinião.
    Parabéns Marisa!

  4. Bruno says:

    Um dos melhores, se não mesmo o melhor artigo que já li no pplware.
    Keep it up

  5. Zukunft says:

    Artigo muito bom!

  6. Pedro Silva says:

    Fantástico artigo. Mais uma vez, parabéns ao Pplware e Luís Soares pelo serviço público 🙂

  7. pedro says:

    melhor pratica ainda alem dessa indicada, é por os scripts no FIM, antes de fechar o body….

    assim o carregamento do html não ficará a espera e/ou bloqueado nos scripts….

    advice from google.

  8. André Ribeiro says:

    Bom artigo 😉

  9. Daniel Duarte says:

    Muito bom artigo 🙂 muitos parabéns mesmo.

    Continuação de bom trabalho.

  10. Manuel says:

    Excelente artigo. Como programador no activo há 20 anos, uma das dificuldades e preocupações que tenho é acompanhar a evolução constante. A formação continua é por isso muito importante, embora nem sempre possível por várias razões. Uma ideia para um grande artigo, seria disponibilizar informação sobre formações (pagas ou não) e mesmo informação sobre cursos superiores\mestrados, para pessoas no activo, mas que gostariam de melhorar o seu conhecimento, tirar outro curso (mesmo dentro da área), ou até uma especialização numa área especifica. O mundo do trabalho está mudado e temos de ter o máximo de ferramentas (conhecimento\curriculum) para o enfrentar.

  11. Sérgio J says:

    Fiquei intrigado com a frase pensa como engenheiro. A esmagadora maioria dos programadores não são engenheiros? Não lhes foi incutido filosofia do “engenheiro”?

    • Marisa Pinto says:

      Uma coisa é ser, outra coisa é pensar como 🙂

      Cumps,

      • Luís Soares says:

        não tens de ter tirado engenharia para pensar como um engenheiro. eu sou engenheiro mas acho que o querer fazer, criar, desmontar, montar, resolver, reconstruir (ex. Lego), está no DNA… tires o curso ou não.

    • Sérgio J says:

      Já agora, muitos parabens Luis. O artigo está mesmo muito bom.

      Em muitos projectos não é aconselhavel a todas as equipas conhecerem a fundo o big picture, nem a interface com o cliente. Em projetos grandes deve haver uma equipa independente para isso. As equipas mais tecnicas devem estar preocupadas com os problemas tecnicos (sem estar a desfazer, bem pelo contrário). É importante que haja uma visão mais operacional com o cliente e uma visão mais técnica na implementação. Mas não deixa de ser importante conhecer para o que se está a trabalhar.

  12. Joao says:

    muito bom o artigo.
    onde fala em “projetos open source via GitHub”, existe alguma coisa assim mas em pt-pt? e rever o código em pt-pt?
    parabéns Luís Soares

  13. Diogo Rolo says:

    “porque estou curioso em experimentar”
    Acho que se for um projeto pessoal, até é uma mais valia experimentar uma nova tecnologia porque estamos curiosos. Em ambiente profissional, obviamente que concordo que seja uma péssima forma de escolher a tecnologia a usar.

    • Luís Soares says:

      sim. eu num ponto abaixo defendo que se deve tentar aprender algo novo. mas acho que não se deve usar uma tecnologia só porque é nova ou por capricho de alguém. tem de haver argumentos lógicos (isto num ambiente profissional, claro)

  14. Guillherme says:

    Bom Dia gostaria de deixar aqui uma pergunta talvez no contexto deste artigo.
    Tenho o seguinte problema como posso esconder ou atrapalhar o código para que da parte do cliente não consiga vasculhar o meu código? JavaScript
    Obrigado

  15. QuimBarreirosVaiComDeus says:

    Excelente artigo com muito boas linhas orientadoras para todo e qualquer programador.
    Digo todo, porque duvido que alguém no mundo real cumpra à regra todas as directrizes e “conselhos” sugeridos.
    Metaforicamente falando parece uma daquelas receitas culinárias que vemos num desses programas de tv com aspeto delicioso mas que na tentativa de a replicar, ou não conhecemos 1 terço dos ingredientes, ou não temos dinheiro para comprar outro terço dos ingredientes(e por falar em terço, rezar não ajuda), ou se formos a cumprir à regra todos os passos morremos de fome antes de termos a comida na mesa.
    Apesar de utópico, concordo com todos os pontos do artigo e em teoria há que cumprir estes ideais, na prática temos de arranjar shortcuts e ingredientes substitutos para no fim do dia termos que comer.
    Eu percebo que a vontade de auto superação deveria constituir motivação suficiente para fazermos “bolos melhores” mas hoje em dia as empresas só pagam para ter o “bolo na caneca feito no microondas”.

    Mas de programação não percebo nada, “eu é mais bolos”…

    Parabéns pelo artigo.

  16. Proud Troll says:

    Artigo sobre ser melhor programador e nada de Xcode? Objective-C? Swift?

    Pensei que fossem essas as 3 soluções para todos os problemas do mundo!!!

    😉

  17. Pedro Silva says:

    Acho que a melhor dica e que tento sempre incutir aos programadores mais juniores e’ esta:
    Não aprendas tecnologias sem aprender conceitos: as tecnologias são efémeras: nascem, vivem e morrem; os conceitos ficam. Saber programar não é saber linguagens de programação.

    E’ uma falha que encontro em muitos “programadores”, “engenheiros” tanto juniores como seniores.

    Bom artigo!

    Pedro

  18. Pereira says:

    Excelente artigo!

  19. DSpinola says:

    Muitos Parabéns pelo excelente artigo. De facil leitura e muito preciso nos mais variados “temas” da programacao!

  20. Felipe Teixeira says:

    Excelente artigo, parabéns.

  21. Kripper says:

    lol gostei da parte do gestor xD fez-me lembrar um artigo antigo que qualquer developer já deve ter lido ou senão leu deve ler aqui:
    http://www.slideshare.net/josenaldomatos/programao-orientada-a-gambiarra-30097904

  22. asbostrusbo says:

    Um artigo muito bem estruturado sobre os paradigmas e dicotomias mais comuns em projectos tecnológicos.
    Conselhos baseados no dia a dia que podem resultar ou não , mas vale a pena ter na cabeça na hora de tomada de decisões.

    Obrigado http://luissoares.com/

  23. Rui says:

    Eu estou de acordo com a maior parte do post e todos nos temos sempre algo a melhorar.
    Este post deixou-me a pensar na vida. Eu já fiz bastantes esforços para melhorar a qualidade do software que faço e até tenho bom feedback das duas pessoas que fazem codereview ao software que faço.
    No entanto tenho de fazer este esforço todo para no final do mês levar 950 euros e com quase 5 anos de experiência!!! Está algo de errado nisto e desmotiva bastante saber que o esforço não compensa.

  24. R Peres says:

    Em: ” (no GIT, isto é um pull request).” é errado. Pull Requests são uma feature do Github (platforma/serviço) e não do Git (SCM)

  25. José Fonseca says:

    Post verdadeiramente relevante para quem está na área de informática.
    Creio que quem está nesta área deve ler e refletir sobre os vários aspetos apresentados.
    Obrigado pela tua valiosa contribuição, Luís Soares

  26. lamares says:

    Na teoria e no mundo perfeito isto funciona, na pratica e por experiencia nem metade se aplica, se o cliente quer o cliente tem … se não te actualizas estas ultrapassado e o mercado nem te contrata, ja viram bem os perfis que pedem hoje em dia ? (Experiencia em A, B, C,D …. etc) No mundo em que existem frameworks novas todos os dias e que as empresas ( vulgo Consultoras ) andam sempre a caça de quem vista o que esta na moda e que seja um guru da progrmação desde o tempo antes dos mainframes… e depois como o RUI diz leva-se uma miseria para casa e um esgotamento.

    • Luís Soares says:

      Bom.. é um facto e percebo bem o teu comentário.. mas felizmente há muita oferta na nossa área. Quanto ao serem coisas utópicas, lembrei-me citar esta frase lamechas:

      “Ideals are like stars; you will not succeed in touching them with your hands. But like the seafaring man on the desert of waters, you choose them as your guides, and following them you will reach your destiny.”
      ~Carl Schurz, address, Faneuil Hall, Boston, 1859

  27. Nuno says:

    Excelente artigo. Muitos parabéns.

  28. Luciano Costa says:

    O melhor deste post é que se adequa perfeitamente a outras áreas laborais.
    É difícil pensar em tudo isto no começo de um novo projeto, mas a experiência ajuda a evoluir este aspeto.
    A experiência, humildade e facilitar são coisas que facilmente se descuram no trabalho em grupo.
    Grande Post, inteligente e completo.

  29. caipora says:

    Excelente texto!

  30. Paula Antunes says:

    Só para dizer que a minha área de trabalho não tem NADA a ver com o que se está a tratar aqui, que não percebo metade dos conceitos referidos, mas… como por um lado gosto de aprender e por outro a minha profissão anda de mãos dadas com esse gosto (Lic. Ciências da Informação) li tudo e devo dizer que até para outras áreas se consegue “repescar” princípios essenciais como aquele bastante básico (mas que muita gente não lembra ou não quer lembrar: não reinventar a roda).
    Não te vou elogiar Luís porque… não tenho capacidade 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.