Dia Europeu da Internet Segura


Destaques PPLWARE

17 Respostas

  1. djx says:

    “68% dos adolescentes em Portugal usa activamente sites de redes sociais.”
    Eu acho que se enganaram… em princípio é 95%…

    • manel says:

      Em Portugal há muito jovem que não mais nada que fazer do que estar em redes sociais mas não são 95% de certeza.. Eu não uso isso e conheço muitos outros que não usam.

  2. 3nvy says:

    Realmente é preocupante ver estes numeros, no entanto eu acho que a maior parte da culpa disto é dos pais. Eu sei que alguns não têm tempo ou paciencia para aprender mas isto é como tudo e tamos a falar dos seus filhos. Maior parte dos putos não faz isto de propósito, apenas ouve os amigos a falarem, e sem conhecimento suficiente, entra neste mundo tambem. Decerto que os pais não deixariam os filhos sairem sozinhos a rua sem eles estarem preparados, na internet é exactamente a mesma coisa, deveriam informar-se primeiro para depois explicar aos filhos o minimo indespensavel.

    Por ixo acho que a microsoft tá a fazer um bom trabalho ao fazer este programa =D.

    • Vítor M. says:

      Não podemos imputar aos pais e educadores a responsabilidade, pelo menos total. Hoje em dia, com a frenética vida das pessoas, ter que “aprender informatiquez” não é fácil. As barreiras são muitas para que os pais possam dominar a tecnologia ao ponto de poder fazer um filtro.

      Se usarem “tábua rasa” acabam por estrangular o desenvolvimento dos seus educandos no meio tecnológico, contribuindo para uma info-exclusão cada vez mais segregadora.

      Depois há a velocidade estonteante do aparecimento das novidades. Eu, que disponibilizo bastante tempo a este mundo, tenho dificuldades em conseguir gerir o conhecimento de todas as novidades que aparecem como cogumelos (não consigo mesmo), imagino um pai ou uma mãe ocupados nos seus serviços 8 horas por dia!!!

      A responsabilidade está no órgão de supervisão. Tem de funcionar. As autoridades reguladores têm de deixar o estado de dormência que se apoderou delas e passarem a ter um papel activo e de decisão rápida.

      Enquanto assim não for, as crianças e adolescentes, serão uma presa fácil para muita coisa má que poluiu e povoa a Internet… mais especificamente rede sociais e serviços de chat.

      • Daniel says:

        Boas, concordo totalmente. É o mesmo que esperar que os professores de ensino básico sejam também babysitters como alguns pais pensam. (Talvez não o melhor exemplo mas tenho algum conhecimento nisto e surgiu-me na cabeça)

        Eu cá tenho um pai que nunca ligou nem desligou um computador e uma mãe que o uso que fez foi Office.

        Existe uma barreira para as pessoas a partir de certa idade, um miúdo com 10 anos percebe a lógica por de trás de uma interface(Exemplo: Telemóvel, Windows, leitores bluray, etc…) em menos de uma hora, algo que custaria muitas horas a uma pessoa com os seus 40 ou 50 anos.

        Especialmente se essa pessoa nunca mexeu num computador, como se fossemos por aqui algumas pessoas de repente a tratar da quinta de alguém e esperamos que tratem dela tão rápido como quem faz aquilo diariamente. Não é razoável.

        Como o Vítor disse muito bem, os pais estão ocupados nos seus serviços 8 horas por dia. Mas isto é no melhor dos casos, porque agora é comum estar algo no contracto a dizer algo sobre isenção de horário ou seja, há quem faça bem mais de 8 horas.

        Estamos numa situação delicada e é complicado generalizar porque cada pessoa tem uma situação diferente, no máximo pode-se criar práticas para vários grupos diferentes ou algo que todos possam fazer.

        Basta pensar que algumas gerações nem tinham telemóvel até terminarem os estudos, alguns só no secundário e agora os miúdos de ensino básico não só têm telemóvel como têm acesso à Internet.
        Nenhum Pai ou Mãe nasce ensinado, e com isto à mistura.. pode ser desastroso.

  3. Fábio Rocha says:

    Pessoalmente acho isto um caso de plena histeria, porra mas vocês andam na Internet e nunca falaram com estranhos? Eu próprio ao estar a comentar aqui já estou de certa forma a comunicar com estranhos!

    É também óbvio que a culpa não é dos pais, @3nvy por norma os pais trabalham, têm uma vida complicada e não tiveram oportunidade de andar a passear os livros como a maior parte do pessoal da minha faixa etária, não admira então que não estejam informados e muito menos tenham conhecimentos para supervisionar este tipo de situações. De qualquer forma enquanto fui menor não ia gostar certamente de ter os meus pais a espiar as minhas comunicações, é a privacidade que está aqui em jogo. Concordo só e apenas com o acompanhamento numa fase inicial, de resto sou contra. é preferível o dialogo.

    E a tendência é ver perigo ainda mais acrescido na visualização de conteúdo pornográfico, quem é que já não viu? Morreram por isso?

    • 3nvy says:

      @Fabio Rocha
      eu percebo o que tas a dizer, eu não tou a referir o facto de falar com estranhos. Eu sou tecnico de informatica e todos os dias falo com estranhos pela internet lol. Eu tou a referir-me as situações do tipo: Olá eu sou o …, vivo em …, a minha morada é …

      Esta informação em redes sociais não pode trazer vantagens, eu nao disse que é extreitamente proibido falar com estranhos na internet, só digo que ha medidas a tomar e que se os filhos não compreendem essas medidas, acho que é responsabilidade dos encarregados de educação tomar previdencias.
      Tal como disseste, eu sei que os pais têm uma vida mas eu não tou a dizer para eles tirarem um curso intensivo de internet, basta dizerem aos filhos para terem cuidado, não divulgarem dados pessoais, e convinha tambem terem pelo menos uma idea do que é uma rede social, para poderem advertir os filhos de coisas do tipo:

      – Tem cuidado com quem adicionas;
      – Se tens informação privada, mantem o teu prefil privado apenas para os teus amigos;
      – Tem cuidado com as fotografias/videos que metes lá;

      Coisas básicas que qualquer pai consegue saber perguntando a alguem com o minimo de conhecimentos.
      É claro que também não se trata de espiar, quando os pais deixam os filhos ir sozinhos pa rua, tambem não sabem o que eles vão fazer mas decerto que estão mais descansados por saberem que dixeram aos filhos como se protegerem.

      Também não vejo mal nenhum em verem pornografia, tambem axo que nunca matou ninguem, se bem que tambem depende da idade.

      Por isso só axo que os pais poderiam-se procurar em saber o minimo indespensavel antes de deixarem os filhos entrarem neste “mundo” sem eles próprios saberem defender-se.

  4. Iv@n says:

    Acho que nem tanto do conhecimento da segurança na net que os pais teriam que possuir e passarem para os filhos. Vai mesmo da educação e caráter formado durante os anos desse filho. Certo que existe muitas armadilhas, mas a formação dessa criança vai levá-la sempre a procurar os pais, frente a elas. Diálogo e lembrar-se que ela não é mais aquele bebê que gostariam que sempre fosse. Como disse o Fábio Rocha, não esperem que não vão fazer o que sempre fazemos e sim procurar nossa ajuda frente ao “perigo”.

  5. viperbruno says:

    “mais de um em cada oito publica a morada de casa.”

    Isto é grave, muito grave!

    Principalmente com a segurança no estado que está. E nao pensem que é só em Portugal, isto anda assim por toda a Europa. Todo o cuidado é pouco.

    • viperbruno says:

      Para concluir, os pais que nao tem conhecimentos de informática deveriam de pedir a alguém (ou mesmo ter aulas) que ensinarem coisas básicas como contas de utilizadores ou controlo parental (incluídos desde do WVista).

      Bastaria saberem trabalhar com essas ferramentas para evitar algumas coisas em excesso (vicio na web por exemplo).

      Alguma duvida podem contactarem-me:
      mailto:mbruninho@vista.aero

      • mjmft says:

        Sem querer entrar em polémicas sem duvidar da tua boa intenção ao publicares o teu endereço de mail para os pais te contactarem e tu poderes ajudá-los,não vamos entrar num circulo vicioso? Os pais sabem quem tu és? Vão entrar em contacto com um desconhecido? Não é contra tudo aquilo que se tem dito? Eu não ponho em causa a tua boa vontade porque desde à muito que te vejo por aqui. Um abraço.

  6. Nuno says:

    Uma destas acções passou pela entrega de prémios alunos do primeiro ciclo, com textos “feitos por eles” referente ao tema da segurança na internet, um dos prémios foi entregue numa escola das caldas da rainha onde só tem 1 pc e que se encontra avariado, Microsoft ofereceu um teclado e um rato… internet na escola não existe… coisas deste País maravilhoso !

    • 3nvy says:

      ahahah, é um bocado off-topic mas por acaso não sabia dessa. Realmente é um bocado deprimente lol. Enfim… Portugal é aquela base xD. Já terem dado teclado e rato ja deve ter sido um esforço enorme 😀

  7. César says:

    Hoje é o dia que devemos todos alterar a nossa password de 1234 para 12345 🙂 ou 4321

  8. Pois says:

    pois…estas iniciativas nunca são poucas e são sempre de louvar, os pais têm de ser educados para o perigo que a internet pode ser para os seus filhos e também devem ser ensinados a evitarem muitos desses perigos, não se trata de tentar censurar ou não as crianças, trata-se de protecção quem é pai ou mãe entende se na real se protege sempre os filhos também entende que o espaço virtual muitas vezes é o “isco” para as ameaças reais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.