Como é um iPad feito na Fabrica da Foxconn?

Serão as polémicas realmente verdade?

Esta semana recebi o novíssimo The New iPad da Apple, e fiquei fascinada. A simplicidade, rapidez de manuseio e fácil integração entre serviços que o iOS 5 proporciona são, na verdade, os pontos que mais me surpreenderam na utilização deste novo dispositivo da Apple. No entanto, a maioria das críticas feitas à empresa de Cupertino são acerca das fábricas Foxconn, ver aqui, aqui e aqui. Mas terão essas polémicas fundamento? Um jornalista do Marketplace visitou a Foxconn e tirou conclusões diferentes.

foxconn_schmitz


A ideia que se tem das fábricas Foxconn é que utilizam uma má prática no que respeita ao trabalho humano. Os trabalhadores executam tarefas durante longo tempo, com baixos rendimentos e recompensas, e as condições de trabalho também deixam muito a desejar. Mas será esta a realidade?

Após o jornalista Mark Daisey ter criticado as condições de trabalho da Foxconn, o jornalista Rob Schmitz, correspondende da Marketplace China em Shanghai, decidiu contrapor essa opinião e entrar no mundo da fábrica chinesa de forma a comprovar que as condições não são aquilo que se julga. Schmitz foi a segunda pessoa que até agora teve a oportunidade de estar para lá dos portões da Foxconn.

Para isso,  Schmitz elaborou um vídeo com essa realidade, onde constata várias diferenças do que o senso comum induz.

A versão completa da reportagem está disponível em audio:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.


O jornalista capta momentos bastante interessantes, como o início do dia dos trabalhadores da Foxconn, pelas 7 horas da manhã, e podemos verificar uma vasta fila de pessoas que entram para o seu posto de trabalho. No entanto, antes de o fazerem ainda recebem recomendações e orientações de um supervisor.

P1060053_0 P1060081_0

Já na fábrica propriamente dita, Schmitz exporta momentos da construção do novíssimo iPad da Apple. Numa primeira fase, os trabalhadores montam a motherboard do aparelho, e o cenário onde é realizado aparenta ser bastante cuidado. O jornalista demonstra também que a Foxconn alberga várias máquinas e linhas de montagem que elaboram o trabalho mais minucioso, no entanto sempre com o olhar atento do humano.

P1060137_0 P1060127_0

Numa outra fase é a colocação e fixação da bateria no iPad 3. Schmitz ainda salienta que os trabalhadores da Foxconn, após alguns dias de trabalho, variam a tarefa realizada [de forma a não se adquirirem comportamentos automatizados, por estarem a fazer sempre a mesma acção].

P1060103  P1060205

Relativamente a salários, uma outra questão tão pertinente, o jornalista salienta que o valor é de 14 dólares por dia, podendo chegar aos 378 e 420 dólares/mês e que, após alguns anos esse valor duplica.

A colocação do ecrã LED é uma das últimas etapas para a montagem do iPad 3, e mais uma vez as condições parecem ser bastante aceitáveis. O vídeo mostra os funcionários com vestuário adequado e acessórios de segurança, um número máximo indicado de pessoas no mesmo local laboral, o espaço cuidado.. penso serem pontos chave para que as actividades fabris decorram com normalidade.

P1060148 P1060225

O iPad ainda é submetido a uma máquina que o faz rodar compulsivamente, de forma a testar o giróscopo, sistema importantíssimo no iPad, e outros sistemas móveis. Feito isso, são realizados mais alguns testes de ecrã, e o Novo iPad está pronto para ser embalado e distribuído pelo Mundo desenvolvido.

P1060229

O vídeo ainda demonstra o espaço dedicado à selecção e recrutamento de pessoal para a empresa e, como se pode verificar, são muitos aqueles que querem obter um trabalho na Foxconn que, por sua vez, recebe centenas de candidatos todos os dias. Candidatos esses que chegam a viajar durante dias desde a sua localidade, na esperança de um emprego. Não é por acaso que, comparativamente a outras fábricas na China, a Foxconn é considerada pelos próprios trabalhadores, como a melhor de todas.

P1060187 P1060193

E a pensar no bem estar dos seus trabalhadores, a empresa investiu também vários milhões de dólares na construção de campos e espaços onde estes praticam exercício físico e actividades lúdicas ao ar livre. E ainda, contrariamente a outras empresas, a Foxconn demonstra-se responsável ao realizar o pagamento de salários no prazo estipulado.

P1060033 P1060034_0

Na perspectiva do jornalista, é claro que existem incidentes e são naturais uma vez que a fábrica lida com pessoas e num número consideravelmente grande. No entanto, quando essas situações ocorrem, são por vezes sensacionalistas.

P1050995 P1060004

Foxconn é uma empresa que desenvolve produtos de várias marcas, e uma grande fatia desses produtos pertence à Apple. Actualmente ocupa o 60º lugar no Global 500 e emprega quase 1,2 milhões de pessoas, dados actualizados até ao presente mês, no global dos vários países onde opera, China (Sede), Brasil, Hungria, Polónia, Eslováquia, Republica Checa, India, Malásia e no México, onde em cada uma, trabalham aproximadamente 200 mil pessoas (240 mil nas instalações em Shenzhen).

P1060014 P1060064_0

Schmitz considera a Foxconn mais que uma empresa, mas sim um estilo de vida, onde 240.000 pessoas trabalham e dessas 50.000 vivem em dormitórios partilhados e anexos à empresa. Na Foxconn existe ainda uma rua principal, revestida com ma variedade enorme de oferta comercial, como restaurantes de fast-food, bancos, cafés, mercearias, fotógrafos e bibliotecas.

Créditos de Imagem e Vídeo: Rob Schmitz/Marketplace

Qual a sua opinião acerca das práticas na Foxconn? Pensa que estas revelações podem promover a popularidade da Foxconn pela positiva?

Um agradecimento ao Hélder Ferreira pela colaboração neste artigo.
Homepage: MarketPlace





  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


75 Comentários

  1. Nao considero que essas condições de trabalho sejam assim tão más, aliás até devem ser dos melhores empregos dessa zona.

    Sinceramente, como isto vai , muitos desempregados aqui em Portugal ddesejariam uma empresa dessas só para terem um emprego

    • True ;)
      Talvez eles considerem abrir cá eheh

    • O único se não é que sempre que visito uma empresa parece tudo um mar de rosas. Só benefícios e vantagens. Então quando sabem previamente que vai lá alguém ainda mais rosas tem o mar. Mas quando vamos trabalhar para uma, os “buracos” começam a aparecer aos poucos.

      Não se falou nas horas de trabalho/dia e umas quantas coisas, de qualquer maneira, a realidade, ninguém melhor que os trabalhadores da empresa em questão, quando não coagidos obviamente. Cada caso é um caso.

    • são basicamente escravos.. vivem para trabalhar, dormem lá, praticam as actividades lá, recebem dinheiro para gastar lá..

      claro que todas as coisas ditas de uma certa forma até parecem ser boas, mas não é por isso que deixam de ser escravos…

    • Nunca te esqueças que têm sido sempre bons alunos … mas eu não posso dar nota positiva a quem vende as galinhas dos ovos de ouro … desculpem .Todos eles vão ser premiados com a nova fabrica que quase nem necessita de pessoas … quer eles se suicidem todos ou não … a foto http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2012/04/P10509951.jpg deve de ter sido sacada a ferros mas é contra essas condições que é obrigatório lutar …. Não acho ser nada aceitável … Não quero para mim mas também não quero para o vizinho … Assim qualquer um fica milionário … Isto de falarem em desenvolvimento com as praticas desumanas que se vê para mercado ver não considero evolução … Saúde !

    • Bruno… a questão é exactamente essa… A Apple é americana… no entanto, vai buscar mão de obra à China… Eu não sou nenhum anti-Apple, mas não sou parvo nenhum para ver que a decisão de preferirem dar emprego a estrangeiros prende-se com n factores, podendo ser, mão de obra mais barata, menos fiscalização, etc… (atenção, estou a fazer suposições… nunca perdi tempo com o assunto…)

      Acho que é tão errado falar mal da Apple porque saiu numa noticia em que diziam mal das condições de trabalho das suas adjuntas como acreditar logo na primeira noticia que vem a dizer “Eles afinal são bons e as condições de trabalho ainda melhores”…

      Derivado do meu primeiro pensamento (preferência da Apple pela mão de obra chinesa) cheira-me que aqui há gato… Mas não quero entrar em nenhuma guerra de fanboys… Cada um gosta do que gosta e apoia o que apoia… Há piores… Mas não estão nas luzes da ribalta, portanto escapam bem aos media ;)

  2. Espantoso. Podemos então dizer “Foxconn City”?

  3. Independentemente da marca e do modelo em questão, cada vez mais se torna pertinente questionar, até que ponto será sustentável para a nossa economia (ocidental), consumir produtos fabricados fora do nosso espaço.A este ritmo, nunca recuperaremos, empregos, riqueza e estaremos a hipotecar o nosso estilo de vida. É uma questão de tempo.

    • Vénia! Concordo Plenamente!

      E até digo mais, a ser um pouco como aquelas personagens dos filmes, em que vê conspirações em todo lado (não é costume meu ser assim :P), até ponho em causa algumas das informações fornecidas nesta reportagem. Porque alguma coisa têm de se passar naquelas “4 paredes” um grupo de centenas de pessoas, não decide fazer um “suicídio em massa” só porque sim..

      Aparentemente, a qualidade do posto de trabalho é óptima, mas e o resto? Carga Horária? etc..

      Temos de ser realistas, quando os media e os “olhos exteriores” chegam às fábricas/empresas (em geral), os defeitos são sempre omitidos.. sabemos isso de ante-mão… por isso.. pensem, até que ponto isto tudo pode ser verdade..

      Bom post, pplware! ;)

  4. Achei o ultimo paragrafo interessante. A Foxconn ganha a dobrar, ganha com o trabalho dos seus empregados e posteriormente ganha com o consumo destes (ou o fast-food, bancos, cafés, mercearias, fotógrafos e bibliotecas sao de borla?!). Daí ela nao lhe dás nada, ao investir (aqueles milhoes) nas infraestruturas, disfarçando assim a exploraçao sobre exploraçao. Enfim, eu nesta sociedade de consumo sinto-me culpado !

    • Concordo contigo. Criticam-se as marcas que produzem na Europa pelos elevados preços, mas para nós termos preços mais baixos, existem pessoas privadas de uma vida normal, que se submetem em prol de lucros empresariais. A própria comunidade europeia permite isto, bastava passar uma legislação impedindo a venda de produtos produzidos em países que não ostentassem um mínimo de condições laborais e sociais. Mas ai seria o caos, na vertente tecnológica e julgo que o pior sector seria o do vestuário…

    • Mas entretanto o funcionário usufrui dos produtos/equipamentos. É um estado dentro do estado

    • E qual é o mal de dentro da empresa existirem espaços lúdicos bem como lojas, restaurantes etc etc?

      Mesmo que os preços sejam similares aos de cá de fora, e seja a empresa a explorar os mesmos não estou a ver qual é o problema…

      Quem dera a muitas empresas conseguirem ter isso por cá…

      Critiquem, mas por coisas em condições, não inventem coisas para criticar.

      • basicamente estão a trabalhar à borla..

        • Funcionário público. Ganha do Estado e devolve ao estado através de impostos directos e indirectos (em tudo o que compra em Portugal). Não é a mesma coisa?

          • Não, não é a mesma coisa (e sou funcionário público)! Eu quando vou gasto o meu salário, não gasto 100% em impostos! Se não, os comerciantes não existiam… eram todos públicos! E os impostos que pagamos são para gastar/ investir noutras áreas (saúde, educação, transportes, e pagamento do meu salário e de todos os outros funcionários), tal como qualquer português que tenha o privilégio de trabalhar!

      • A minha critica é com o valor publicitario dado a este investimento da Foxconn “A Foxconn cuida dos seus empregados” quando na realidade (e nao sei os preços praticados là) é tudo para optmizar o lucro.

        Se a empresa onde estou tivesse estas infraestruturas ao mesmo preço de fora, sentir-me-ia explorado.

  5. Boas

    Eu não tenho opinião sobre estes apontamento jornalisticos das fábricas chinesas serem boas ou más. Por principio são más, são mal pagos e trabalham horas a mais, mas para a nossa realidade, a realidade ocidental. Para a realidade chinesa, o trabalho nestas fábricas é bem remunerado e têm melhores condições que na maioria das restantes áreas económicas chinesas. Se isso é suficiente? Na minha opinião não, mas há bem piores e até em países ocidentais.
    Por outro lado estes artigos, “permitidos” pelos chineses cheiram mais a propaganda e claro que os jornalistas nunca iriam conseguir ver algo de errado.
    Quanto à Apple, eu não sou um fã, mas quanto ao tablet considero-o o melhor dos tablets, tanto que adquiri um.
    Porém tive uma situação que me obriga a troca-lo por um com Android: eu trabalho muito com o e-mail, anexo montes de ficheiros e o IOs, talvez por não ter um “file-system”, tem grandes dificuldades em anexar ficheiros aos e-mails, após ter experimentado várias aplicações que em principio colmatavam essa falha do IOs, acabei por desistir pois não é prático. No resto continua a ser o melhor tablet, mas essa falha não me ajuda, antes pelo contrário.

    Fiquem bem.

  6. Salario médio, atenção médio, ronda os 180 €/mês e existe muita censura, o recente fecho de varios sites fora o controlo dos media chineses cujos administradores sao nomeados deixa muito a desejar em termos do que realmente se passa do que sai cá para fora.

  7. 14 dolares ao dia ?
    Quantas Horas tem o dia na china ?
    E os que se suicidaram , Foi por felicidade ?
    E as redes que colocam la, aqui ja nao aaprecem

    Ainda se lebram do post sobre o custo de fabrico do Iphone
    coloquem um com o custo o Ipad para.

    NOTA para que de uma vez percebam, se na minha empresa eu tivesse centenas de candidatos todos os dias a pedir emprego
    esses 14 euros baixavam ainda mais.

    • Lembrei de uma história antiga ao ler esta noticia:

      Em 23 de Junho de 1944, os nazis permitiram uma visita de uma delegação da cruz vermelha internacional ao campo de concentração de Theresienstadt. O relatório foi positivo e usado como propaganda.

    • Concordo! Aliás… a venda de 1 Ipad dá para pagar quase 2 salários… Acham justo isto? Tendo em conta que se vendem milhões pelo mundo fora… é só imaginar os lucros… só com o Ipad! Fora o resto!

  8. Esse Rob Schmitz ou é muito ingénuo ou é pago pela própria Foxconn. Parecem aquelas inspecções programadas em que as condições são maravilhosas no dia em que os inspectores aparecem e depois no dia seguinte volta tudo à mesma m…
    Sim, se calhar têm melhores condições que algumas empresas na China mas isso quer dizer o quê?
    Quer dizer que nenhum dos que compra Apple (ou outros) se dignaria a trabalhar nas mesmas condições e quando um dia perderem os empregos porque a empresa se mudou para a China vão-se queixar que a culpa é do nosso governo.

  9. É de lamentar que tudo o que é produto tenha a etiqueta “Made in China”. Por variadíssimas razões.
    Agora … 1.2 milhões de funcionários?!?! Desta não estava à espera, se pensarmos bem na magnitude deste numero … cerca de 10% da população portuguesa.

  10. Grande treta esta noticia!

    É mais que logico que quando se sabe que vai alguem de fora a uma empresa aquilo muda totalmente!

    Eu trabalhei na qimonda e acontecia o mesmo…
    Sendo programado e sem ser de surpresa e mesmo estas, eles empatavam um pouco para corrigirem mais oumenos as coisas XD

  11. É tudo boatos, o que é certo é que tiveram que colocar grades nas janelas para os operários não se matarem…

    Como tudo na china, parecem noticias para “inglês ver”…

  12. o interessante era negarem-se a comprar o produto. e isso é que não há “balls” para o fazer.

  13. “jornalista Rob Schmitz, correspondende da Marketplace China em Shanghai”
    Será que uma reportagem efectuada por um jornalista que trabalha para uma empresa chinesa, é uma reportagem isenta?

  14. PROPAGANDA pura e dura, tanto este como os vídeos (contra). Este apenas aparece porque a marca tinha de se defender. Os outros existem porque precisam denegrir a Apple. A verdade deve estar no meio dos dois extremos…

    Só acho que as marcas (esta é apenas mais uma) que vendem equipamentos e produtos a preços de ouro no Ocidente deviam estar proibidadas de os produzir à custa de mão-de-obra barata. Se querem construir barato, vendem barato…

  15. Pessoal as condições devem ser péssimas (ou perto disso), mas claro quando vai lá o presidente da Apple ou jornalistas convidados o cenário é montado, para enganar, lá vêm o ditado português: para inglês ver.

  16. Mesmo que as condições nas fábricas Foxconn sejam melhores do que as condições na maioria das fabricas chinesas isso por si só não significa que sejam boas ou mesmo aceitáveis, utilizar esse argumento é atirar areia para os olhos dos outros, compreendo que os mais consciênciosos não queiram ter a sensação de estarem a contribuir para a exploração e para a morte de alguém mas a ingenuidade não purifica ninguém…

  17. “… 378 e 420 dólares/mês”

    378/14=27 dias de trabalho/mês

    420/14=30 dias de trabalho/mês

    Só falta saber quantas horas tem o dia chinês, porque o mês tem muitos mais dias de trabalho que o nosso…

  18. Só esta fábrica acabava com o desemprego em Portugal…

    Já agora, com 1,2 milhões de trabalhadores não me admirava nada que de vez em quando houvesse um ou dois suicídios mas o problema é que por lá os suicídios são logo às dezenas e as ameaças então são às centenas. Então porque raio isso acontece, se a fábrica afinal não é nada má…!? Dá que pensar sobre quais serão as verdadeiras condições, não?

    E por último, fala-se da Apple e critica-se a mesma porque grande parte da fábrica faz I-Pads mas esta fábrica não trabalha apenas para a Apple, pois não? Até acho que os suicídios ou pelo menos as ameaças foram numa linha de montagem da Xbox não foi?

    • Apesar de compreender o que estás alertar, e apesar de reforçarem sempre esse facto, é errado! Não interessa que empresas fazem outsourcing com a Foxconn, mas sim a imagem que a esta empresa “vende” para o exterior..

      E sou da opinião de alguns comentadores acima, era os governos, organizações mundiais penalizarem as empresas que abusem da “mão de obra barata” da china e de outros países, esta mão de obra está a prejudicar a Economia Mundial, e alimentar os “vícios” do governo Chinês.

  19. Foi um jornalista à Foxconn e disse isto, foi outro e disse aquilo. Parecem as histórias da Carochinha.

    O facto de a Apple ter pedido à FLA (Fair Labor Association) uma auditoria às fábricas da Foxconn e os resultados dessa auditoria – que são públicos, ninguém deu por nada.

    Continuando os comentários que li acima, para não destoar, acrescento, “A Apple é o João Ratão que enganou a Carochinha, coitadinha”.

  20. E vocês acham que o jornalista ao ser convidado para visitar a fábrica, essa mesma visita não foi previamente preparada?

  21. Offtopic

    Olá pessoal,
    Queria saber uma coisa e pode ser que me possam ajudar.
    Quando se acede a um site através de um PC controlado remotamente o site sabe que o pc que o acede está a ser controlado por outro?
    Exemplo: estou no PC1 e controlo o PC2 com programa (teamviewer, logmein, etc)e acedo ao site Y. ele sabe o IP do PC1?

    Não se trata de nada ilícito, atenção!!! :)

    Cumps e obrigado!

  22. Até na tropa se pintam as paredes por onde passam as entidades em dia festivo.

    Meus amigos, não acreditem no Pai Natal. Ele não existe mesmo!!!

    No entanto, por muito que se fale nisso os Ipad’s continuam a vender como pipocas. E isso é que nos devia levar a pensar se existe alguma lógica em dar 600€ por um equipamento que teve custos fixos na ordem das dezenas de dólares…

    Pensemos nisso quando tivermos com um nas mãos…

    • O senhor falou muito bem.Essa prática que diz existir na tropa passei-a quando estive a fazer o serviço militar em Abrantes.É verdade o que diz.Sobre os iPad’s não posso dizer nada porque nunca tive um e provavelmente nunca terei.600 euros???É mais do que um salário mensal que eu tiro.Quer dizer,depois ia comer e beber o quê??Ia como as cabras para o monte ou como as vacas pastar??São 120 contos na moeda antiga,tenham atenção!!!Preferia 1.000.000 de vezes comprar um PC portátil que,por esse preço,já se encontram muito bons agora.Com discos rígidos de 500 GB,boas placas gráficas,uma boa memória de 4 GB,de 15 polegadas,com boa autonomia de bateria,etc,etc..Querem um exemplo(desculpem a publicidade)–»http://www.worten.pt/ProductDetail.aspx?pid=04861302&oid=30|131&c=1191529 Fiquem bem.Um abraço a todos.

  23. Vocês acham mesmo que estas condições são apenas na Foxconn? estão tão enganadinhos…

    Acham que Samsung’s, LG’s e por ai fora tem produção cara querem ver?

    Caiam na real.

  24. Boa tarde a todos ,

    Excelente post Marisa , eu subscrevo o que a maior parte dos nossos leitores escreveu , de facto as condições na China são deploráveis e ninguém sabe exactamente o que se passa , no chamado Ocidente desenvolvido existem umas alminhas que pensam que o target da Europa é acompanhar o que se passa nesse País aonde os direitos do Homem pura e simplesmente não valem nada , julgamentos sumários etc , etc .

    Aqui eu gostaria que pusessem de parte a questão Apple ou mesmo das outras marcas que a Foxconn fornece como é o caso da Microsoft , na verdade esta questão chama-se avidez desmedida que nos levou a crise do lehman brothers nos USA e toda a bola de neve que entretanto se gerou no Mundo inteiro .

    A falta de trabalho que se sente quer na Europa quer em outras partes do Mundo como nos USA é fruto de uma loucura do neo liberalismo mais selvagem que existe , e está a levar o Mundo para o abismo , é a nossa forma de vida que está e causa , trata-se de sobrevivência , provavelmente irá assistir-se a um retrocesso no que respeita ao comercio Mundial livre de outra forma não vejo como criar empregos na Europa ou mesmo proporcionar melhores índices de vida noutros Continentes , neste momento as divisas estão na China e outros Países emergentes que se servem da escravatura para produzirem o mais baixo possível e em alguns casos como por exemplo no sector das lâmpadas existe DUMPING , o governo Chinês dá-se ao luxo de o fazer com toas as receitas que colhe pelo Mundo inteiro , em Portugal foi a REN e a EDP , sectores essenciais que deveriam estar em mão Nacionais .

    O mais caricato de tudo isto é que por vezes mesmo que queiramos fazer uma triagem aos produtos Made in China , não se encontra alternativa tal é a migração que as empresas Europeias fizeram para a China , eu tento não comprar , mas no mundo tecnológico isso é quase impossível , o vale do silício é já uma miragem .

    Depois outra coisa que me incomoda até porque é nessa área que eu sou formado não existe nenhum líder dos ditos Países desenvolvidos que seja carismático e que tenha a coragem de tomar medidas , vão empurrando com a barriga olham só para o seu umbigo e é nesta miserável politica externa e interna que entretanto os cenários se vão desenrolando a ver quem se pode safar melhor no meio desta bagunça toda .

    Termino dizendo que o Mundo está a viver um paradigma extremamente perigoso aonde as tensões em determinadas regiões começam a ser preocupantes e que podem em última análise porem um fim ao maior período da história em que não existiram guerras Mundiais .

    Aceitem os meus sinceros cumprimentos

    Serva

    • Concordo plenamente contigo.

      Só acho que devo acrescentar algo mais:

      Que a China viola direitos humanos já todos sabemos, o Ocidente sabe-o e é a todos os níveis censurável o que eles fazem.

      Mas agora eu pergunto: não será mais censurável a conduta de quem conhece essas violações, critica-as, mas ao mesmo tempo quando se trata do seu lucrozinho, fechar os olhos à situação?

      Penso que esta última atitude merece mais censura que a primeira e é sobre isso que o Ocidente tem que pensar e o mais que tinha que fazer era isolar a China. Mas não o fazem porque lhes convém.

      Quanto ao restante post, está muito bem e concordo, não vou estar a acrescentar mais nada. Apenas que a ausência de ideologias trouxe-nos até onde estamos hoje, em que só uma predomina o negócio. Precisamos de um novo modelo económico.

      • Concordo , somos todos muito complacentes em permitir que os Lobbys económicos e que políticos corruptos , ou mesmo incompetentes nos continuem a governar e a mentir com todos os dentes que têm .

        Abraço

        Serva

    • Não aceito! :(

      Kidding! É um facto que silenciosamente caminhamos para a escravatura de uma forma abafada pela capa da “sociedade” e do “estamos bem enquanto tivermos algo”. :)

      Podia escrever um livro com a análise da sociedade (tóxica) dos dias de hoje e da impassividade (e impunidade) de todos nós! Somos todos culpados pela pouca vergonha que vai por esse mundo fora.. Uns mais do que outros, mas ninguém escapa.

      Cumps,

      M.

    • E do que precisamos? De uma política comunista? ou Trotskista?

  25. Pura propaganda da Apple e da China. Nem Mais.

  26. Tal como em nossa casa… quando vamos receber visitas, colocamos tudo limpinho e arrumado para dar-mos boa impressão mas não quer dizer que seja mesmo isso que sejamos… isto aplica-se a esta notícia lol

  27. Engenheiro suicida-se depois de perder iPhone 4G
    Um engenheiro chinês de 25 anos terá cometido suicídio depois de perder um protótipo da próxima geração de iPhones da Apple. De acordo com o site DigitalBeat, Sun Danyong era um engenheiro recém-licenciado a trabalhar na Foxccon, que terá cometido suicídio depois de sofrer pressões por ter perdido um dos protótipos do iPhone de quarta geração. De acordo com notícias originárias na China, a 9 de Julho Danyong recebeu 16 protótipos do iPhone de quarta geração, da linha de produção da Foxconn. Alguns dias depois, apercebeu-se que tinha perdido um dos modelos. Suspeitando que deixara o modelo em falta na fábrica, Danyong relatou o acontecido ao chefe na segunda-feira, dia 13 de Julho.
    Na quarta-feira seguinte, o seu apartamento foi revistado por empregados da Foxconn. Depois de várias acusações, Sun terá sido detido e agredido durante a investigação. Na quinta-feira, Danyong saltou da janela do seu apartamento.
    De acordo com um bloguer chinês que escreveu sobre este caso, «empregados nestas e noutras fábricas por vezes cometem suicídio devido à pressão do dia-a-dia. A maioria dos jovens não tem amigos que sejam advogados, pelo que não sabem como se proteger no sistema legal. Nem sequer chegam a procurar ajuda legal. Vão aguentando a pressão, acabando por encontrar uma forma extrema de acabar com os seus problemas».
    Segundo o DailyTech, a divisão de segurança da Foxconn foi suspensa devido aos acontecimentos. Li Jinming, chief executive e general manager of business da Foxconn pediu pessoalmente desculpa aos familiares de Danyong, afirmando que lamentava profundamente o sucedido.

    Sem comentários…..

  28. Olá a todos,

    Eu só deixo aqui uma questão, até que ponto são os media dos nossos tempos credíveis??
    Pessoalmente, cada vez menos acredito neste tipo de reportagens, como alguém referiu, ninguém entrevistou trbalhadores que demonstrassem descontentamento, nem tão pouco tentaram apurar quais as razões que levaram ao descontentamento de alguns, ninguém apurou as horas de trabalho que fazem os trabalhadores…
    Há muitas outras questões que estão por esclarecer.

    Cumprimentos.

  29. Boa tarde ,

    Hoje infelizmente o jornalismo de investigação já era , e sem esse jornalismo os jornais e os media vivem das noticias de agências , a grande maioria delas senão a sua totalidade são tendenciosas , assim estas agências têm um poder brutal sobre as noticias finais , é lamentável que uma profissão extremamente importante nas democracias de todo o Mundo esteja neste momento refém dos accionistas e respectivos conselhos de administração destas empresas , os casos mediáticos dos anos 70/80/90 , por exemplo o caso watergate que acabou por derrubar o presidente Americano Nixon , hoje seria difícil de acontecer , ainda restam alguns dinossauros do jornalismo ou algumas cadeias de televisão que apostam neste tipo de jornalismo como o programa 60 M da CBS americana , mas de facto cada vez são menos e com mais pressões , sinais dos tempos .

    Cumprimentos

    Serva

  30. Boa Tarde a todos.

    Ao ler a noticia bem como os comentários só tinha um pensamento na minha cabeça!
    Hipocrisia!! Hipocrisia na noticia, porque todas as pessoas com 2 dedos de testa sabem que quando existem visitas deste tipo, tudo corre bem! E não necessita de ser na Foxconn ou na China, o mesmo se aplica a Portugal ou qualquer país ocidental! Hipocrisia nos comentários das pessoas que aqui deixam os seu comentários, por acusarem a Apple destas práticas. Não que a Apple não possa ter culpa mas por apenas acusarem uma empresa! Tudo o que compramos “MADE IN CHINA” vem de fabricas como estas ou na minha opinião ainda piores!!

    Aquele plasma da samsung que tanto gostamos, a playstion que nos diverte tanto ou mesma a roupa de marca que compramos para passear ao domingo! Meus amigos, o nosso estilo ocidental é suportado por desgraça e fome do nosso semelhante, e vem agora falar da Foxconn…

    Digo mais, para os padrões da China a Foxconn deve de ser a nossa Autoeuropa! Quantas pessoas que aqui deixa opiniões não gostariam de trabalhar numa empresa como a Autoeuropa?? Mas de certeza que as pessoas que lá trabalham se queixam das condições porque se comparam com empresas do género que estão localizadas na Alemanha ou Dinamarca e dizem com razão que os outros tem melhores condições!!

    São realidades diferentes!
    “Shenzhen é a cidade chinesa com o salário mínimo mais elevado: 1.320 yuans, ou seja, menos de 150 euros, ao câmbio de hoje.” Tendo em conta esta noticias do Jornal de negocios a Foxconn é uma maravilha para se trabalhar!!

    Sejam coerentes! Infelizmente este é o mundo que TODOS criamos.

  31. @Paulo Resende ,

    Desculpa , mas estás enganado os salários mais altos na China são pagos na província de Shanghai , depois se considerares HONG kONG como fazendo parte da China que o é como sabes é melhor nem compares porque esses batem os salários de muitos Países Europeus e não me refiro só a Portugal .

    Depois esse teu comentário sobre a hipocrisia não deveria ser para mim eu disse logo no meu primeiro post que não era a Apple nem a Microsoft que estavam em causa mas sim o regime Chinês , depois quero ainda te dizer outra coisa não queiras comparar salários e condições de trabalho da Coreia com a China , haverá como em todos os lados excepções mas a Coreia do Sul a muito que passou essa fase do trabalho escravo , se és uma pessoa atenta na Coreia do Sul as pessoas lutam pelos seus direitos nas ruas por vezes de formas bem violentas , por isso são mundos que não são de todo comparáveis .

    Mais uma vez friso , e parece que não queres ver este pequeno grande pormenor , as empresas mudam-se de armas e bagagens para a China criam desemprego no Ocidente mas enchem os bolsos aos acionistas , sendo que assim estás a regredir socialmente , qualquer dia seremos comparados a qualquer País do chamado terceiro mundo aonde uns(poucos) são muito ricos e quase a totalidade muito pobres , essa sim é a verdadeira perversidade de tudo isto , tenho pena que não tenhas atingido o ponto G .

    Cumprimentos

    Serva

  32. @Serva

    Eu não me estava a referir a nenhum comentário em concreto, nem quis chamar de ninguém em especifico de hipócrita!
    Também não mencionei os salários na Coreia do Sul! E relativamente aos salários na China, não sou eu que o digo, apenas me limitei a colocar uma noticia do Jornal de Economia!

    Se reparares, acho que estamos ambos no ponto G! Sím é verdade o que dizes, as empresas estão a fugir para a China mas estão porque o ocidente, com o seu estilo de vida assim o permite e assim o obriga!

    Somos consumistas e necessitamos de comprar tudo, mas não somos ricos! Isto leva a que as empresas (para além de procurarem o lucro) tenham de ser competitivas e baixem os preços. Como tal tem de procurar mão de obra barata!

    Se nos (ocidentais ) deixarmos de comprar o quer que for “made in China” e só comprarmos “made in “UE” por uma questão de princípios , e pagando mais caro porque temos de manter o lucros das empresas e pagar a mão de obra e todos os benefícios dos ocidentais, todas as empresas voltavam logo para a Europa ou para os estados unidos meu caro! As empresas estão se a marimbar para tudo isso, desde que os lucros sejam assegurados!

    O grande problema é que nos, o povo, falamos muito sobre o mal que é tudo isto mas no final apenas queremos o melhor para cada um de nos! Um IPhone por o preço mais baixo ou um bmw quase dado e estamos nos a marimbar se foi os chineses explorados que os fizeram ou os alemães com todas as regalias!
    Cumprimentos a todos.

  33. ” o valor é de 14 dólares por dia, podendo chegar aos 378 e 420 dólares/mês e que, após alguns anos esse valor duplica”

    Deve ser quase isso deve. É por isso que eles se suicidam, porque recebem um salário altíssimo para um chinês… vocês acreditam em cada uma.

  34. A autora deste artigo fez questão de mostrar esta nova realidade porque aprecia muito o trabalho final da apple e de alguma maneira quer ter a sua consciência limpa.

    Basta fazer uma pesquisa no motor de busca para perceber como esses paises trabalham e porquê as empresas mundiais vão para lá.

    Se eu tivesse uma empresa que explorasse os meus trabalhadores e fosse denunciado, certamente que tentava mudar a opinião publica. Esse jornalista pode muito bem ser pago pela marca para limpar/confundir a opinião publica. Estratégias que estão contempladas nos livros de Relações Publicas.

    Mas mesmo que a autora deste artigo visse a miséria dessas pessoas, que fazem os brinquedos para você achar um máximo. Certamente, não a fariam voltar atrás. Porque o egoismo e a falta de consciencia da realidade estão presentes.

    • Só mais uma nota: Quem estuda jornalismo e é atento a esse tipo de trabalho sabe que o que esse senhor fez chama-se publireportagem. Não existe fator de noticia em todo o desenrolar. Existe sim uma tentativa clara de limpar a marca.

      A unica forma de considerar jornalismo é o autor das criticas vier a publico assumir que nao foi sério no seu trabalho.

      Aqui à tempos a SIC fez uma reportagem sobre uma barragem que a EDP estava a construir. Utilizaram o exelente ambiente de trabalho dos trabalhadores, os postos de trab criados, os ordenados que recebiam. Tudo isto para haver uma aceitação neste projeto. Estas tecnicas já existem nos manuais de Relações Publicas à muito tempo, basta adquirirem um para notarem muitas semelhanças.

      Essa reportagem, transvestida, não passou de uma publireportagem. Uma publireportagem feita por jornalistas é proibido, os jornalistas podem perder a carteira profissional.

      Como foi bem executada tudo passou como reportagem.

      No fim de semana seguinte, a EDP patrocinou um espetaculo do rui veloso na ponte do porto a transmitir pela sic.

      Este jornalista que descreve todo o percurso dos trabalhadores, não é sério. Porque em jornalismo em primeiro lugar não existe isso. No máximo sairia uma noticia a tentar provar que o trab do outro jornalista foi enganador. Tinha de existir provas. Jornalismo trabalha-se em cima de fatos, dos dois lados, e não só num. Isso não é jornalismo.

      Depois existe uma hierarquia dos fatos e das informações.

  35. Boas condições de trabalho ? Trabalham lá,moram lá tudo na frabrica provavelmente não sabem que existe mundo exterior são uns autenticos escravos recebem mal, a verdade é que a Foxconn é um campo de concentração da Apple.

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.