10 Empregos com mais oferta na área da informática em 2016


Destaques PPLWARE

53 Respostas

  1. Rúben says:

    Sendo verdade ou não, Segunda-Feira começo a trabalhar, sendo o meu primeiro emprego, e é numa dessas áreas descritas.

  2. Jonas says:

    Nota de rodapé: Big data e Business intelligence não são propriamente áreas específicas da informática apesar de serem desenvolvidas pela utilização intensiva de sistemas de informação.

    • Sigsegv says:

      nao entendo onde quer chegar. A informática em si é uma área de suporte logo também se pode dizer que o desenvolvimento de aplicações não é específica da informática na medida em que as mesmas são usadas para potenciar várias actividades económicas. O bi está na mesma situação que qualquer aplicação informática.

  3. Insatisfeito says:

    Têm ideias de contratar, mas ou é por estágios do IEFP ou a pagar 600€.

    • YUP says:

      é um bocado por aí.

    • PT says:

      Tendo em conta que somos a China da Europa a nível de salário sera mesmo essa a razão para contratarem independentemente da area que escolheres. Deviam mesmo era fazer uma matéria onde descriminavam os sítios do mundo em que “valorizam” esse tipo de trabalhos e não saber o que é necessário para portugal.

    • Manuel Silva says:

      Claro!

      Mas há mais requisitos:
      – Têm que dominar as 10 áreas…
      – Dominar o inglês, francês, espanhol e alemão…
      – Ter viatura própria e estar disponível para deslocações (não pagas) …
      – Trabalhar em horário rotativo e aos fins de semana…
      – Licenciatura, idade até aos 25 e 10 anos de experiência…
      – Ser um asno!

      • NT says:

        Por acaso acho muita piada a isso
        – Licenciatura, idade até aos 25 e 10 anos de experiência…
        Tipo aos 15 anos a trabalhar ja com licenciatura. A isso e que se chama Eng.
        O pior e que ja vi varias vezes essa mesma lenga lenga 🙁

        P.S. Desculpem la a falta de assentos e/ou banco mas estou num pc com teclado em ingles e nao posso mudar.

    • Nuno says:

      Essa é que é essa. Além do desemprego nesta área não ser zero, como gostam de fazer crer, a realidade dos números ao fim do mês (que é o que interessa, digam o que disserem) é muito, mas muito triste, comparada com outras profissões, algumas bem menos exigentes.

    • CMLS says:

      Mas sempre será melhor que estar em casa a receber 0… Acho eu.

      • PMS says:

        É uma questão sensível.

        Tu em casa a receber 0 estás a dar prejuízo e não estás a produzir, é mau.

        Mas é desmotivante, mau para a auto-estima, para a motivação, para a felicidade…… seres uma pessoa de valor, que acrescenta valor à empresa e depois recebe um ordenado péssimo. De certa forma, estás a cansar-te, a trabalhar “de graça” para outros (os patrões) lucrarem quase de graça com a tua qualidade.

        • CMLS says:

          Concordo, em parte, contigo.
          Mas…
          Quando vais a uma entrevista de emprego acho que as hipoteses de seres seleccionado para a vaga aumentam bastante se a tua resposta a pergunta “O que tem feito profissionamente nos ultimos tempos?” for algo do genero “Tenho trabalhado nestes X projectos que estao implementados com sucesso” em vez de algo como isto “Nao tenho feito nada de relevante”.
          Ou sera que estou errado?

          • Jorge says:

            Podes sempre responder que tens andado à procura de projectos interessantes e a aprender novas tecnologias e que entretanto para pagar as contas tens trabalhado numa caixa de supermercado. De certo que é menos exigente que ter um mundo de responsabilidades em cima e receber menos que a Sra da limpeza.(não menosprezando a classe).

      • André says:

        Discordo totalmente com a tua opinião.

        A área da informática é uma das áreas em que a procura é muito superior à oferta. Como tal, se o pessoal se recusasse a receber os míseros 600 € (que são apenas mais 85€ que o salário mínimo), as empresas seriam obrigadas a pagar bem mais, para poderem manter o negócio.
        As empresas de consultoria são o exemplo da ganância e do aproveitamento da ingenuídade dos recém licenciados/ mestres. Algumas só pagam o estágio do IEFP e depois cobram mais de 15€/ hora aos clientes. Com isto, o cliente está a pagar menos que o justo, mas mesmo assim a empresa está a ter lucro com o estagiário.
        Na minha opinião, o estágio IEFP não deveria ser aplicado na área da informática.

        • CMLS says:

          Se a procura, por parte dos empregadores, é maior que a oferta, por parte dos trabalhadores… tens razao os salarios deviam subir. Mas a realidade é outra infelizmente.

          As empresas de consultoria sao uma m#!*a… tens razao. Mas tambem sao uma porta de entrada no mercado de trabalho, eu comecei numa e aprendi muito nos diferentes projectos onde me puseram. Pagavam me 1000e e cobravam 5000e ao cliente (e o Estado ganhava perto de uns 2000e com diferentes taxas e impostos).

          Os estagios do IEFP sao uma m#!*a… tens razao. Mas sao outra porta de entrada no mercado de trabalho. No entanto, jamais deveriam ser usados no esquema de trabalhador-mediador-cliente pela razao que indicaste. E, para as empresas que tratam os estagiarios como descartaveis, so podiam ter outro estagiario atraves do IEFP se, e so se, dessem emprego ao estagiario anterior ou provassem inequivocamente que ele nao era bom o suficiente ou o estagiario anterior escolhesse sair do estagio/rejeitar a proposta de emprego permanente.

    • Miguel says:

      Que diferença lhe faz ser estágio do IEFP? Recebe o mesmo e no fim se o seu trabalho tiver sido bom ainda lhe oferecem contrato.

    • Lopes says:

      Comecei a programar num estágio.
      Já acabou o estágio ha muito e continuo a programar.
      Acho que é de aproveitar os estágios como porta de entrada no mercado de trabalho.
      🙂

  4. Joao says:

    Na minha opinião, estas não são bem as 10 áreas dentro das IT’s com mais ofertas de trabalho.

    Ressalvo que a minha opinião é orientada por números e não por tendências.

  5. joaocarlos says:

    oferta? nao será procura? Perguntaram a tarbalhadores e nao empregadores!

    • Abilio Matos says:

      Trabalhadores que são responsáveis por áreas de TI, logo responsáveis por contratar novos trabalhadores?

      É que até o Director Geral é um trabalhador. 🙂

  6. Rui Afonso says:

    Por favor expliquem-me o ponto 4) Big Data, em que dizem: “Cerca de 36% dos respondentes vão procurar….”. Mas que raio de coisa é essa de respondentes??? Tal quisessem dizer inquiridos….

  7. Miguel says:

    Nota: Gosto da imagem, isto porque tem alguém com dois produtos da apple e mesmo assim precisa de um bloco de notas… LOL

  8. André X says:

    Na maior parte dos casos ou Querem sempre com experiência entre 2 a 5 anos, ou que saibam fazer tudo e BEM. O que é muito improvável encontrar um especialista em váreas áres da informática, o mais comum são “suficientes” especialistas em 2 áreas, “bons” especialistas em duas áres é muito raro.

  9. Pereira says:

    Estou incluído numa dessas areas, felizmente abri os olhos e meti a carta de demissão… Engordar Gordos? Nunca mais….

  10. Tiago Relvas says:

    Acho que agora o essencial é obter formações numa área especifica e não a saltar de área.
    Concordo com o André X e mesmo a recém-Licenciados pedem logo experiência de trabalho sabendo mesmo que se acabaram de graduar.

  11. PP says:

    Já trabalhei na 2 e na 3 (por esta ordem) e agora trabalho na 1, não posso propriamente dizer que estou a começar, porque já levo uns anos disto… só para terem ideia, no 2 trabalhei muito com Clipper 🙂

  12. Jeremias says:

    Pplware,users a fãs da tecnologia. Tenho um problema em mãos.

    Eu acedo á minha rede wi-fi de casa com sucesso,mas depois deixo de estar conectado a ele apesar de estar a dois metros do meu router. Qual a soluçõ para este problema? Obrigado a quem me ajudar.

  13. Pedro says:

    Só uma nota: hadoop não é uma base de dados.

  14. zezinho says:

    o problema dos ordenados, é o facto de o pessoal nao se saber vender…e ai começa uma bola de neve nos ordenados..
    A não ser que a oferta de emprego seja para alguma area muito especifica, ai sim pagam bem por haver pouca gente especializada

    • ACMSEBR says:

      Estava a criar um texto sobre isso: gente especializada.

      É a grande e real diferença.

      • int3 says:

        Eu sou especializado em Redes e Sistemas. Não sou propriamente o “informático” ou que é o que for. Estou a acabar o CCNA, já tenho o CCENT, e é nisto que conta bastante no CV. Mostra que se é especializado na área!

        • tezouro says:

          Espero que tenhas melhor sorte que eu que cheguei há dois anos a ir a uma entrevista onde queriam CCNA a pagar 650€! (tinha o CCENT e perdi a motivação para me candidatar ao CCNA).

  15. JorgeM says:

    Continuo a achar que a nossa profissão não é valorizada quanto devia. Desde, não preciso de um informático, “está tudo na NET”, a oferecer 600€ a licenciados e ainda obrigam os licenciados a passar cabo, etc,etc. Só chamam o informático depois de terem feito asneira, porque está tudo na NET. Não vejo isto em outras Licenciaturas, ex: arquitetura, Gestão, até nos diversos ramos da saúde. Mas todos precisam do informático, só não o valorizam. Ainda não descobri é o porquê?
    Quanto aos estagiários, é um problema. Após 6 meses por ex, quando o estágiario poderá começar a “render”, vai embora. Depois temos informáticos em caixas de supermercado, etc. Não há uma aposta no licenciado em informática, nem é valorizado.
    Depois é os anúncios em que pedem experiência de 2 anos, quando não dão a primeira oportunidade, e tem de ser craque em AD, SQL server, Oracle, MySQL, PostgreSQL, mongodb,msriadb, dot net, c#, redes, office, Photoshop, Corel Draw, Linux, aix, etc etc. É um oportunismo a toda a prova.
    Na área política, ainda não vi nenhum informático. Arquitetos e Advogados é aos montes. Enfim, com ou sem estágio, ou se tem sorte ou, já foste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.