Análise – desempenho da rede 4G LTE da TMN

Depois de um teste pioneiro em Cascais e Braga, há cerca de 1 ano, a TMN disponibilizou-nos em primeira mão dois equipamentos capazes de utilizar o 4G LTE já implementado nas capitais de distrito de todo o país, ainda em condições limitadas.

O Pplware deslocou-se até à cidade dos estudantes onde foram feitos testes exaustivos à rede e aos terminais, essencialmente ao smartphone Samsung Galaxy S II LTE. Terão havido surpresas?! Vamos ver…


Ponto de situação

Como é sabido, a emissão de TV de sinal aberto sofreu recentemente grandes alterações em todo o país. A passagem do sinal de TV analógico para o digital era inevitável e a altura certa para adoptar a DVB-T foi agora. Juntando o “útil ao agradável” a ANACOM disponibilizou e levou a leilão várias frequências destinadas a redes móveis.

As 3 operadoras nacionais ficaram praticamente com a mesma quantidade de gamas de frequências, sendo elas nos 800, 1800 e 2600 MHz. A frequência mais apropriada para a máxima qualidade em redes LTE e que consegue maior penetração em espaços indoor, pondo de parte efeitos externos, é a dos 800 MHz, conseguindo maior alcance com o mínimo de perdas.

Como a migração da TV analógica para digital ainda não está terminada, também ainda não estão em funcionamento as antenas de rede móvel referentes a essa frequência onde, no caso da TMN, o 4G LTE actual está a utilizar apenas a frequência de 2.6 GHz. “Traduzindo por miúdos” isso significa que os valores obtidos neste teste, e posteriores conclusões, não são determinantes e não vão reflectir necessariamente aquilo que será a rede “final” de 4G LTE em Portugal, quer da TMN quer das outras operadoras.

Resumindo, se subscrever um tarifário 4G neste momento, e pelo menos até ao final do próximo mês de Abril, o que irá obter é algo próximo destes resultados.

 

Execução dos testes

Os testes foram efectuados em Coimbra. Por razões relacionadas com a concorrência, não me foi fornecida informação precisa relativa ao local e número de estações 4G em Coimbra. Andei literalmente a passear pela cidade e, recorrendo à aplicação Signal GSM Monitor identifiquei 3 zonas principais abrangidas pela rede 4G. O mapa abaixo traduz aproximadamente o que obtive.

A zonas são o Vale das Flores, Estádio/Solum e Celas. O valor máximo, em estrada, foi obtido na rotunda das palmeiras (Solum) com 96% de sinal (a potência de sinal, dada originalmente em dBm, é traduzida para percentagem pela aplicação utilizada).

São visíveis muitas estações de redes móveis no topo de prédios mas não me arrisquei a “adivinhar” quais as TMN, onde acresce ainda a incerteza de ser ou não 4G. Apenas estive convicto que, das antenas existentes no topo do edifício PT, alguma seria 4G. O objectivo era obter a força de sinal máxima mas isso, mesmo ali a 20 metros, não aconteceu… e não foi fácil que acontecesse.

Após presenciar estes e outros factos, já relacionados com os resultados em si, e com alguma pesquisa relacionada com a tecnologia, apercebi-me que há inúmeros factores que condicionam a qualidade de recepção do sinal. É também determinante que, para que a largura de banda seja máxima, sejam alcançadas simultaneamente várias estações.

Testei várias aplicações no Android para efectuar os testes de largura de banda (download/upload) e latência, inclusive pelo Browser em várias páginas que fornecem esse serviço (como a FCCN). Tudo se resumiu à aplicação Speedtest.net Mobile que foi de longe a mais estável e coerente. O dispositivo utilizado nos testes foi apenas o Samsung Galaxy S II LTE pois no Galaxy Tab 8.9 LTE as aplicações que obtêm o valor da força do sinal não funcionam correctamente, eventualmente devido à versão do sistema operativo. O tarifário subscrito é de 100 Mbit.

Resultados

Fiquei impressionado! Um “simples” aparelho alimentado a bateria, na palma da mão, a debitar uma módica largura de banda de mais de 50 Mbit! A tecnologia é fantástica :)
 

Teste recorrendo a um “speedmeter”

Sem mais demoras apresento uma tabela com alguns dos testes efectuados, ordenada na coluna Download, que demonstra com clareza a relação (ou falta dela) entre download, upload e latência.

De facto esses parâmetros parecem não se relacionar, em nenhum aspecto. Não sei se é ou não possível apontar algum facto responsável por estes resultados. Existem muitas condicionantes num teste “sintético” deste tipo. O Speedtest, em Portugal, disponibiliza 3 servidores: um da NFSI Telecom em Lisboa, outro da ZON também em Lisboa e outro da Vodafone no Porto. Alternei várias vezes entre eles e não notei qualquer padrão, ambos apresentaram resultados bastante idênticos fazendo o teste no mesmo local com as mesmas condições.

Será congestionamento do servidor de teste? Será congestionamento da rede móvel? Segundo a TMN, cada estação tem capacidade para 150 Mbit. Supondo que em determinado local, o número de estações que cobrem essa zona varia, poderá ser esse um dos motivos. Aponto a própria tecnologia como “responsável” por esta flutuação nos valores e espero voltar a construir uma tabela idêntica quando a implementação desta rede estiver estável e finalizada.

Seja como for, os valores máximos atingidos de 59373 kbps de download e 14509 kbps de upload, embora não simultaneamente, são valores extraordinários para uma tecnologia que acabou de chegar e está a dar os seus primeiros passos, pelo menos a nível de implementação. Os valores da latência são também bastante razoáveis, não estando muito longe do que normalmente se obtém na rede de cobre.
 

Teste prático

Não há nada como testar uma tecnologia numa situação real:

  • Liguei o Ponto de Acesso Wi-Fi do smartphone e liguei dois computadores portáteis a esse AP (a norma Wi-Fi utilizada foi a ‘g’).
  • Iniciei em cada computador um download via FTP do Ubuntu, daqueles servidores que “nunca vergam”
  • Liguei o Meo Go! e assisti descontraidamente o programa Boa Tarde da SIC!

Não previ esta situação: por ambos os computadores portáteis terem Wi-Fi norma ‘g’, o AP do smartphone ficou igualmente limitado por esta norma, atingindo assim um máximo de cerca de 2.4 MB/s (cerca de 24 Mbit). Num pequeno gráfico sobre o captura de ecrã, podem ser vistos os valores de força do sinal (S), o seu histórico (barras), temperatura (t) e capacidade da bateria (B) e largura de banda (n).

Abro um parêntesis para referir que neste “desafio” o smartphone (nomeadamente o sensor de temperatura da bateria) atingiu a temperatura de 63ºC! No momento estava dentro do carro, com sol, temperatura amena e brilho do ecrã no máximo. A temperatura do ecrã não era suportável se o encostasse à costa da mão, pois queimava mesmo!

Mantendo os downloads anteriores em curso, iniciei também um download a partir do smartphone. A velocidade manteve-se relativamente constante e bastante encostada aos 4~4.5 MB/s, algo como 45 Mbit (considerando 20% para overhead TCP). Iniciei a reprodução de TV e não obtive qualquer arrastamento na reprodução ou atraso na mudança de canal. Tudo funcionou como “nada se passasse”.

Note-se que este teste foi feito com uma força de sinal de 2 traços (em 4) que na realidade corresponde a 80% de sinal.

Teste de alcance

A obtenção de resultados de forma a estimar o alcance não foi nada fácil e tem imensas lacunas. O desconhecimento da localização das antenas inviabiliza praticamente este teste.
Ainda assim, consegui chegar aos seguintes resultados:

  • O alcance máximo da rede 4G com a infraestrutura actual situa-se entre 1000 e 1500 metros.
  • A penetração em edifícios é muito reduzida.
  • A largura de banda imediatamente antes de “saltar” de 4G para 3G está apresentada na primeira linha da tabela acima, portanto, 16558/5377 de D/U em kbps.

São resultados muito vagos mas suficientes para ter noção de alguns comportamentos utilizando esta tecnologia.

 

Conclusões

Ter esta tecnologia funcional em casa parece o sonho de qualquer um. As suas potencialidades são bastantes e arriscaria a dizer que uma subscrição seria suficiente para um prédio inteiro (o que não é bom negócio para quem vende)!!… Isto claro, não fosse a existência de uma Política de Utilização Responsável muito muito baixa, apontada para os 15 GB de tráfego. Após consumido esse tráfego, a velocidade fixa-se nos 128 kbps.

Para quem vive numa zona já coberta com 4G e esteja indeciso na subscrição deste serviço, recomendo vivamente, desde que não seja um requisito fazer mais de 15 GB de tráfego. Em breve, principalmente quando começarem a ser utilizadas as outras frequências, certamente que a qualidade do serviço irá melhorar e eventualmente as suas condições poderão ser mais convidativas.

Relativamente aos gamers, não tive oportunidade de testar a viabilidade desta ligação nesse aspecto, no entanto os testes que fiz parecem-me suficientes para garantir que esta é uma ligação estável.

Acrescento que, como limitação inerente à tecnologia, sempre que o dispositivo está ligado a uma rede LTE e recebe ou efectua uma chamada de voz, a ligação salta imediatamente para a rede UMTS (utilizando a tecnologia CSFB – Circuit-Switched Fallback). Encontra-se actualmente em desenvolvimento uma tecnologia que permita o serviço de voz sobre a rede LTE, concretamente a VoLTE.

A cobertura 4G da TMN encontra-se neste momento a 20% a nível nacional, englobando todas as capitais de distrito e ilhas. Durante o mês de Abril espera-se que seja atingido 80% do território nacional. Em Dezembro chegará aos 90%, aí já com todas as frequências disponíveis.

 
tmn 4G





  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


142 Comentários

  1. 15GB de limite de tráfego acho que resume o estrangulamento que as operadoras fazem ao acesso a esta tecnologia.

    Vergonhoso. E não é alternativa à internet terrestre.

    Os contratos de 2 anos de subscrição também são giros, reservando-se a operadora ao direito de efectuar as alterações que bem entender na política de serviços.
    Ou seja, se hoje limitam a 15GB/mês, facilmente podem passar a 5GB ou 1GB, se entenderem, e o utilizador, agarrado a 2 anos de contrato não tem outra hipótese se não aguentar.

    Os contratos de 2 anos na área da tecnologia são muito arriscados, em 2 anos muda muita coisa…

    Em relação à tecnologia em si, não a vejo com maturidade suficiente. Num tarifário de supostos 100Mbps, obterem-se valores efectivos de em média 50Mbps é simplesmente fraco.

    Parabéns ao Hugo pela exaustiva análise e clara apresentação das limitações actuais da oferta da TMN. ;)

    • Bom artigo.

      Infelizmente o PUA de 15GB ofuscou-me um bocado o cerebro.

      Ridiculo, para que se quer tanta largura de banda se so se podem fazer 15GB?

      Isto não é alternativa a nada.

    • Na verdade não tem maturidade suficiente pois, como disse, ainda não existem condições óptimas de cobertura (e não só) para esta rede, essencialmente devido às frequências ainda não autorizadas.
      Considerando a tecnologia no seu pleno, de facto não está com maturidade suficiente. Se considerarmos as condições em que existe actualmente (e o timing em que surgiu), então está a um nível bastante aceitável!

      Obrigado. Um abraço :)

      • a politica de utilização entrou em vigor a partir do dia 1 de março, por isso quem fez contrato com trafego ilimitado antes e depois da data teem de levar com ela. Sei do que falo pois neste momento estou a espera de uma resposta de resolução do problema e informaram-me que é a nivel nacional, ou seja, Vodafone, optimus, TMN. é vergonhoso desenvolver-se tecnologia de ponta e depois não temos condições para usar.

  2. Numa palavra. Bravo.

  3. Grande artigo. Parabéns. Realmente a única razão para não subscrever esse serviço é mesmo a limitação após os 15GB para 128kbps :S.

    Sinceramente, passarem de 50000kbps para 128kbps é muito mau. Mas pronto, talvez um dia isso mude :)

  4. Sim senhor. Muito obrigado

    Gostei desta 1ª analise.

    A ver vamos o que nos espera

  5. Hugo,

    Parabéns pelo post. É de todo importante que as redes tecnológicas se desenvolvam no nosso pais, e uma explicação como a que acabas-te de dar proporciona aos menos conhecedores da tecnologia uma visão mais transparente.

    Gostava que desses uma opinião sobre o Samsung LTE, estou com ideias de adquirir LOL

    Bom trabalho

    • Rápido, muito rápido. O ecrã é deslumbrante (é de 4.5″ contra o de 4.3″ do GS II I9100). O GPU / CPU são também significativamente melhores que o “primo”.
      Um problema: a autonomia. Em utilização moderada, seja em 3G, 4G ou outra, dura um dia.

      • Engraçado que eu pensei que o SoC desta versão LTE fosse pior que o SGSII normal, mas depois de ler o que escreveste fui à procura de informação e de facto o GPU Adreno 220 é quase 2x mais potente que o Mali 400 que equipa o Galaxy SII GSM. Em termos de CPU é complicado avaliar porque a versão GSM está a 1,2ghz e a versão LTE a 1,5ghz (CPU’s diferentes e velocidades diferentes) mas não me admirava nada que o Snapdragon fosse mais potente…

        Muito interessante e muito curioso…

  6. Muito boa análise, bastante clara e útil :) desde já agradeço pela partilha com toda a comunidade. Continuem o bom trabalho

  7. O que nos espera é prometedor. A cereja em cima do bolo seria apanhar essas velocidades em todo o pais, mesmo no interior onde a adsl chega a 360kb…. xD

  8. “A temperatura do ecrã não era suportável se o encostasse à costa da mão, pois queimava mesmo!”

    agora é que os iphones vão parecer pipocas

    • É uma função inovadora!!! Já se pode fritar ovos com um smartphone! …ilol

    • O iphone deve ser algo muito cobiçado, ate mesmo num artigo que nada tem relacionado é mencionado bravo! nem precisa de referir q o mesmo nem suporta a rede em questão!!

    • Olha que, embora possas estar a dizer isso de forma jocosa… olha que eu acredito que o iPhone com LTE terá de ser “diferente” face ao que actualmente oferece, realmente e segundo testemunhou o Hugo… isto aquece muito e num iPhone vai ser como pipocas, não tenho dúvidas.

      Mesmo no iPad a coisa vai aquecer… a não ser que a tecnologia que será aplicada seja diferente da que a Samsung está a oferecer… vamos esperar para ver…

    • Atenção que no Galaxy Tab 8.9 LTE verificou-se o aquecimento normal, já existente nos dispositivos não LTE, em nada comparado ao aquecimento demonstrado no SGS II LTE.

  9. 2,4 MBps serão 19,2 Mbps.

    Sei que, pelo menos um operador que tem boa cobertura na minha zona, mudou recentemente a “forma” de comunicação entre as antenas e os servidores (diminuíram drasticamente a largura de banda, pois desistiram de circuitos dedicados).

    Desta forma lá se foi a velocidade do 3G.

    Vai ser bonito quando implementarem o 4G, e as velocidades não aumentarem…

  10. Excelente análise com grande qualidade!! Parabéns ao autor do artigo!!!

  11. Muito interessante xD
    Uma rede movel a ‘dar’ mais do que muita rede fixa!

  12. Na prática sente-se alguma diferença entre utilizar a rede 4G e uma internet de alta qualidade fixa, ao navegar na internet?

    • Boa análise Hugo.

      Isto é tudo muito giro mas passamos a ter dois radios no telemóvel, ou seja, bateria praticamente reduzida a metade, principalmente usando 4G. Não dá hipótese. Não vejo utilidade nenhuma nesta tecnologia em dispositivos móveis. Agora para se usar como alternativa a uma internet ZON ou uma Meo parece ser uma alternativa viável. Quando o país estiver mais coberto será óptimo podermos ligar a pen ao portátil e podermos sacar um Ubuntu a 10 mb/s enquanto estamos na viagem do comboio.

    • Comparando uma internet fixa de alta qualidade (digamos fibra) com esta… bem, tudo o que é sem fios está sujeito às adversidades inerentes. A qualidade de uma fibra será sempre superior a uma ligação sem fios, embora a largura de banda da fibra possa ser inferior em alguns casos.

      Resumindo, não, na prática não se sente diferença.

    • “uma internet de alta qualidade fixa”

      Tenho 100 Mega fixa e em testes já fiz 122.
      Mas o melhor download que fiz foi a 11 ou 12 mega. O normal é andarem pelos 4, 5, 6 e é um pau. Autoestradas engarrafadas, servidores superlotados… é caso para perguntar, para que são 100 mega?

  13. Bom artigo!
    Mas só mesmo quando todo o espectro estiver disponível é que um teste destes tem realmente interesse :)
    Além disso, com limites de tráfego como os apresentados (15GB) pouca gente arrisca trocar o fixo por LTE. Caso contrário, com custos mais adequados de hardware acho que trocaria!

  14. Política de Utilização Responsável
    =
    Política de Restrição por falta de investimento em melhor serviço.

  15. Nota: Segundo os standards LTE não é 4G visto que a velocidade teórica é de apenas 100Mbps, mas como é óbvio o que interessa é vender a “marca” e não interessa a ninguém que o HSPA+ (que é apenas 3.5G) consegue chegar aos 40Mbps (apenas 10Mbps de diferença da rede testada neste artigo).
    Vamos lá vender novos telemóveis/antenas para aumentar a velocidade em 10M…

    Espero que o LTE+ venha o mais depressa possível

    • É verdade. O LTE foi “marketerizado” para 4G LTE. É algo que nos ultrapassa, mas em rigor tens toda a razão.

    • Só uma pequena correcção, estás a comparar a velocidade máxima ‘teórica’ do HSPA+ com a velocidade ‘testada’ no artigo. Não devias antes comparar também com a velocidade ‘teórica’ do LTE? (Onde nesse caso obténs 2,5 vezes mais velocidade que com o HSPA+ e não apenas mais 10Mb/s..)

  16. Muito boa análise. Alias é a única até ao momento em Portugal, precisa, independente e com um rigor fabuloso… deixa-me só acrescentar que está muito concisa.

    Parabéns pelo trabalho Hugo.

  17. Hugo , os meus sinceros parabéns pelo teu artigo detalhado e com o rigor que te foi permito chegar , esta tecnologia é fantástica , mas já todos ficamos a perceber que com a politica de utilização responsável que limita a 15 GB com velocidades destas , mesmo que elas se venham efectivamente a verificar-se em 90% do nosso território em Dezembro deste ano , irá valer de muito pouco , depois é a questão dos dispositivos a aquecerem desta maneira é impossível , algo tem de mudar no hardware , a mim não me espantava nada que os fabricantes a semelhança do que aconteceu com os portáteis , produziram transístores mais pequenos e velocidades de relógio mais baixas , http://pt.wikipedia.org/wiki/Trans%C3%ADstor

    De outra forma vejo a evolução em catadupa de processamento mas com efeitos colaterais enormes , podendo mesmo ser um empecilho para o desenvolvimento deste tipo de equipamentos se não se encontrar rapidamente uma solução .

    Mais uma vez HUGO um dos melhores artigos que li aqui no Pplware .

    Aceita os meus sinceros cumprimentos

    PS – Toda a equipa do Pplware está de parabéns com colaboradores tão empenhados .

    Serva

  18. A tecnologia promete, mas é preciso ainda melhorar o alcance dentro de edifícios (que se espera após a utilização de novas frequências), e é necessária maior cobertura nacional.

    O tráfego de 15GB acho que é ridículamente baixo para essas velocidades de acesso.
    Para muita gente esse tráfego não chega só para os vídeos do youtube que vêem…

    É possível que o 4G chegue primeiro que a fibra óptica em vários locais, mas com limite de 15GB de tráfego prefiro os 8Mbps que tenho de ADSL com tráfego ilimitado.

  19. Muito boa análise, só falta saber se é viável para quem joga jogos Online em termos de latência.

    • Segundo me informaram a partir da TMN, os tempos de latência que obtive deveriam ter sido substancialmente inferiores. Seja como for, entre 30 e 50 ms parece-me razoável para esse tipo de comunicação.

      • Se for até 100ms dá para jogar sem qualquer problema. Muitas vezes nem tem a ver com a velocidade da rede, eu tenho fibra da Zon a 130mbs e tenho uma latência de 40-45ms no WoW, enquanto que com o Meo conseguia valores na casa dos 30ms para baixo. Há mesmo muitas condicionantes que influênciam a latência. ;)

  20. Muito boa análise. Tal como já foi dito, se não fosse a tal limitação de 15gb até era capaz de aderir, mas desta forma nem pensar.. esse tráfego voava num instante, ainda por cima a essas velocidades.

  21. E em termos de duração de bateria do smartphone, os americanos dizem ser terrível em LTE mesmo sem dar uso ao telefone, dá para ter uma ideia do pouco tempo que o usaste?

    Há alguma forma de saber se a nossa área está coberta (ou quando)?

    Obrigado.

    • Não notei diferenças significativas entre utilização em 3G e 4G.
      A ideia que tenho, como referi aqui, é que se o utilizarmos um pouco mais que o normal (alguns sms e chamadas, emails e navegação por meia dúzia de sites) a bateria vai-se em menos de um dia… no SGS2 LTE.

  22. Eu estou super interessado em ter 4G onde trabalho, que é uma zona rural onde nem ADSL decente tem. 50Mb/s ia revolucionar a maneira de pensar na internet.

  23. podes mesmo confirmar q limitma a 15 Gb de tráfego? se for assim é simplesmente vergonhoso

    • Segundo pesquisei, sim, a PUR é para todos os tarifários de rede móvel.
      Entretanto pedi uma confirmação oficial do que afirmei no artigo, relativamente a esse facto. Quando a obtiver (se isso acontecer), vou clarificar e destacar devidamente essa informação.

    • Sim. O meu acesso foi reduzido a 128kbps aos 16.5 GBytes. Como estou abrangido pelo período de reflexão após a compra (14 dias), vou devolver o pacote e fazer reclamação. A minha utilização atingiu esse tráfego ao fim de 8 dias.

  24. Queria comprar o Samsung Galaxy S II mas para isso tinha de comprar já o que aguenta 4G…o problema é a inflação que aconteceu no preço :s

    • Eu estou a ver bem? O Samsung S II custa 649,90 euros bloqueado à Tmn, está tudo louco…

    • Nota que este Galaxy S II LTE tem várias vantagens face ao normal:
      - LTE vs HSDPA
      - ecrã de 4.5″ vs ecrã de 4.3″
      - câmaras são iguais
      - CPU dual-core 1.5GHz vs dual-core 1.2GHz
      - GPU Adreno 220 vs Mali-400
      - a autonomia do SGS2LTE é claramente inferior, mesmo com uma bateria de maior capacidade.

    • Olha, nem de propósito, o preço do Samsung Galaxy S II LTE foi alterado hoje, custa agora 509,90 euros.

  25. Excelente análise Hugo! Fantástica mesmo! :)

  26. Parabéns pelo artigo, bastante objectivo.

  27. Duas coisas a realçar…

    1 – “A cobertura 4G da TMN encontra-se neste momento a 20% a nível nacional, englobando todas as capitais de distrito e ilhas. Durante o mês de Abril espera-se que seja atingido 80% do território nacional. Em Dezembro chegará aos 90%, aí já com todas as frequências disponíveis.”

    Tretas! Nem 3G temos em 90% do país.

    2 – “o smartphone (nomeadamente o sensor de temperatura da bateria) atingiu a temperatura de 63ºC! No momento estava dentro do carro, com sol, temperatura amena e brilho do ecrã no máximo. A temperatura do ecrã não era suportável se o encostasse à costa da mão, pois queimava mesmo!”

    Embora fora do contexto da review, mas é gravíssimo para o fabricante do aparelho. Então, se receber uma chamada? Estou sujeito a queimar-me?

  28. Os tarifários Hiper e Mega não tem nenhum limite.´
    Estou à espera que chegue a Maio para meter o 4G (não há sombra da Fibra …)

    :-)

    • Têm sim, aliás só nesses é que se aplica a “política de utilização responsável”, olha novamente, desta vez para as letras pequenas.

      Btw, excelente artigo, pena as limitações já referidas.

      • Não é só nesses, é em todos. Até nos tarifarios 3G. Que a mim este mes já me aconteceu isso. 15G é muito pouco, é só ver alguns videos no youtube em 720p e pouco mais. Há pens com maior capacidade, é incrivel como deixam vender um produto (tarifario) com o rotulo de ILIMITADO quando 15G, hoje em dia, não chegam para nada. Enfim…

        • É verdade! E ainda acrescento que isto se trata de um produto «banda larga». Então, 128kbps é banda larga???? Desde quando???? Para quem está fidelizado, tentem aproveitar este argumento para anular o contrato. 128kbps não é considerado banda larga!

    • Pois, lá diz ILIMITADO, mas depois diz:

      “De forma a garantir uma elevada qualidade de serviço a todos os utilizadores, prevenindo situações abusivas ou que coloquem em causa a estabilidade da rede, a tmn poderá aplicar uma política de utilização responsável a todos os clientes que excedam quinze gigabytes de utilização mensal, reduzindo a sua velocidade até ao final desse mês para cento e vinte e oito kbps.”

      • Ou seja temos um Ferrari mas só podemos andar a 200Km/h durante 5 minutos, depois temos que andar a 20km/h…:-)

        • hehe… e na verdade não existe interdição de circulação, mas a auto-estrada é realmente muito curta.

          Considerando uma situação prática, para esgotar o “plafond” de 15GB, relativo à PUR, são apenas necessários cerca de 60 minutos de utilização da largura de banda que obtive nestes testes. Depois… puff!

          Nos tempos que correm é de facto uma limitação demasiadamente acentuada.

  29. Parabéns pelo artigo Hugo, gostei e o Pplware também está de parabéns.

    Mas primeiro falaste na FCCN e aseguir utilizaste o speedtest.net. Não seria melhor utilizar o speedmeter da FCCN? Ou não são bem a mesma coisa? Aqui na fixa a 100Mb/s este é o que me dá melhores resultados. Gostava duma opinião sobre estes dois testers.

    • Já sei, o speedtest.net tem uma versão mobile no Play Store e o speedmeter não, tem que ser usado num browser com flash tipo Opera Mobile e os resultdos são deprimentes.

      • Foi exactamente esse o motivo. Experimentei a interface flash e normal do speedmeter da FCCN. Na interface flash foi realmente deprimente, como descreves, na interface antiga os resultados são melhores mas, eventualmente devido a algumas limitações no browser e o tipo de comunicação negociada, é de longe inferior ao obtido pela aplicação Speedtest.net.

  30. Já me dou por contente, por a TMN ter actualizado os tarifários de internet no telemóvel quando lançou o serviço 4G… A Vodafone anda a dormir e neste momento oferece metade da TMN pelo mesmo preço.
    Enfim.
    Mas quanto ao 4G, Espero que venha aí em força para o país todo, parece valer a pena.

  31. Para testar a velocidade da Internet este é muito bom e pouco conhecido

    http://qos.sapo.pt/

    • É bom sim senhor, nos meus 100Mb/s com o speedmeter da FCCN tinha atingido num teste os 115 e passados alguns dias fui aos 117.
      Com este qos.sapo.pt fui aos 122 Mb/s. Waw
      Claro que isto só consigo com um dado portátil que tem condições para esta ligação. Com outro um ano mais antigo já não consigo.
      Depende dos equipamentos e ligações usados.

    • Lembrei-me desse mas a interface java não iniciou no Android.

  32. As minhas expectativas para o 4G em Portugal são francamente baixas.
    Porque? Actualmente só acho interessante essa tecnologia para o mercado residencial e os custos 4G/Rede fixa serão sempre maiores para o lado do 4G, e com limitações de tráfego mais que conhecidas (outras mal divulgadas). Outro problema é não existir uma verdadeira concorrência (será por acaso que os tarifários, se forem bem analisados, tem pouquíssimas diferenças entre os vários operadores?!).
    Apesar de viver numa não “Zona” de Internet, ou seja português de 2ª (na verdade fora dos centros das cidades é que não existe nenhuma concorrência – sei do que falo – vergonha do serviço de Internet em Portugal), o 4G pouco vai alterar.
    Então quando ouço dizer que para o final do ano 90% do país vais estar coberto por 4G só pode ser piada do dia 1 de Abril (nem 3G).

  33. Não esquecer que nos 2.6 GHz as celulas podem ter 150 Mbps (com a tecnologia actual), mas nos 800 MHz esse valor passa para metade (~75Mbps), porque cada operador só tem 10 MHz ao contrário dos 20 MHz nos 2.6 GHz.

    Claramente não vale a pena o tarifários dos 100 Mbps.

    Limite de 15 GB/mes… que tristeza!

  34. Aparentemente existe um acordo tendo em conta que estao em periudo pos teste.
    O limite e o mesmo imposto em todos os paises que tenho analizado 15GB trafego e mais nada quem nao gosta que chore alto.
    Possivelmente so havera liberalizacao/concorrencia para o final do ano.
    A titulo de exemplo UK Assinatura 18 meses 20 euros sem descontos nem truques de markting.
    Em franca e alemanha so devera estar disponivel em 2013 pq a Frequencia de TV ainda esta em uso.
    Ou seja deixem todas as operadores aderirem e depois sim havera concorrencia e obviamente precos mais baixos.
    Portugal como um pais mais rico faz todo o sentido o preco ,ja com desconto LOL!!!!, ficar 25% mais caro.

  35. Obrigado a todos. Foi um prazer fazer esta análise.

  36. “Abro um parêntesis para referir que neste “desafio” o smartphone (nomeadamente o sensor de temperatura da bateria) atingiu a temperatura de 63ºC”

    BOLAAAAASSSSSSSS!

    Quase que dá para fazer um churrasco!

    Quando ao 4G, 15Gb? Realmente vivemos num país excelente em termos de tarifários. Se quero velocidade é para sacar mais conteúdos no mesmo período de tempo! A titulo de exemplo, basta sacar alguns iso’s de 2 ou 3Gb que o tráfego vai pelo cano. E depois, vou por um caminho de cabras a 128Kbs com um Ferrari? Surreal!

    Saudações

  37. Acerca do PUR de 15 GB alguém se tem queixado que lhe tenham feito isso? Eu não quero defender as operadoras mas tenho tido uma banda larga ilimitada, acaba amanhã, tenho feito navegação e downloads a sério e nunca notei que me tivessem reduzido a velocidade.
    E sei o que isso é porque foi cancelada no dia 20 mas está operável até amanhã 31, só que no dia 21 baixaram-me a dita para 200 kb/s ou menos, ficou portanto inoperativa.
    Quer-me parecer que isso é um imperativo legal qualquer que está no papel por obrigação mas que não é cumprido.
    Posso estar enganado…

    • Acabei por não perceber.
      Tem feito navegação e nunca notou que tivessem reduzido a velocidade, mas afinal foi reduzido para 200kb/s ou menos e ficou inoperativo?

      Seja como for, aqui em casa vou começar a utilizar exclusivamente o AP do Android, em 3G, para ver “até onde me leva” :)

      • Bom, é que no dia 20 comprei uma pen ZTE 4G Hiper e o contrato desta vai substituir o banda larga plus. Nunca notei redução enquanto utilizei esta 3G. Mas como me disseram que ia estar activo até dia 31 tentei continuar a usá-lo só que a partir de 21 era a arrasto de lesma. 200 kb/s por vezes menos. Foi só para confirmar que sei o que é uma redução destas se tal me tivesse acontecido algum dia.

        • Ok, agora percebi!
          Vou tentar verificar aqui.

          • Já agora para completar, com esta redução no antigo 3G e diversas encrencas com a operadora que me deixaram muito irritado pois o cartão 4G só ficou activo no dia 26, vi-me de repente “sem” internet. Mas hoje digo ainda bem, fui a uma loja ZON aqui perto de casa e adquiri um pacote de 100 Mega que estão em promoção.
            Agora tenho internet a sério. E a 4G fica-me 10 € mais barato do que a antiga 3G. E eu que gostava tanto da TMN !!!

          • E o SGT7″ aceita muito bem o cartão 4G. AA

        • Aconteceu-me exactamente o mesmo. No dia 21, pela primeira vez em 6 anos, parece que ultrapassei os ditos 15g, isto em 3G. A unica diferença é que eu nao mudei para outra tecnologia.

  38. Excelente análise, Hugo, gostei de ler sobre o estado actual da tecnologia a partir da experiência imparcial de alguém como tu.
    O que tu andaste para fazer isto… é de valor!

    Continua!

  39. O artigo está excelente e seguramente deu um trabalhão desgraçado.

    - A cobertura LTE nunca chegará a 90% do solo nacional. Nem a de 3G chega no momento que escrevo isto.
    - LTE não é 4G. Por favor chamem a atenção aos vossos amigos quanto a isso, LTE é 3.9G. 4G LTE é uma marca registada… É como ter uma empresa chamada VendoCarrosBaratos e o único que vendo são bicicletas.
    - Em ambiente de testes as velocidades são _sempre_ muito diferentes. Pois em operação as frequências são reduzidas para metade, e com o aumento de utilizadores a cobertura diminui bastante. Isto é real para qualquer tecnologia de comunicação wireless.
    - O LTE não vem substituir o 2G, mas o 3G. O 2G ainda é o que dá dinheiro. O que o 3G permite são os Internet dongles, que o LTE também permitirá.
    - A cobertura de rede _não_ é mais forte quando encostados às ‘antenas’ mas quando estão uns 20 metros afastados (na verdade depende da altura a que estão as células). Isto é complicado de explicar mas a radiação é ‘espalhada’ em cone. Estar por baixo da antena é quase como estar no centro de um furacão. :)
    - Temos a nível _mundial_ das melhores redes de comunicação do mundo. Tanto em termos wireless como fibra.

    Já joguei PS3 usando um dongle LTE. Não se nota qualquer diferença de estar ligado por cable.

    Mais uma vez grande artigo. Abraço!

  40. Gostei do artigo sim senhor.

    Não há dúvida que andamos às aranhas quanto ao 4G LTE, especialmente nos dispositivos móveis.

    Fiquei a saber bastante mais. A ideia que eu tinha era que o LTE ainda estava agora a “sair do papel”. Confirmou-se, ainda tem um longo caminho a percorrer.

    O meu receio é que leve a desinvestimentos no 3G/3,5G que me chegam e sobram (mais a internet por cabo).

  41. E relativamente aos smartphones, tablets e afins, estão estes preparados para aguentar isto? Maior escrita resultará em maior gasto da bateria certo?

    • Depende.
      Considerando um uso normal (pontos de acesso à parte), o tráfego será o mesmo, mas desta vez em LTE será bem mais rápido. Talvez compense a maior largura de banda pela rapidez, onde ao contrário o mesmo levaria mais tempo.
      É claro que o que disse é vago demais, apenas analisando o consumo individual de cada chip (e de certeza que está documentado) mas na experiência que tive não noto diferenças entre o 3G e o LTE.
      O tablet que nos foi enviado (Galaxy Tab 8.9 LTE) “porta-se” muito bem em termos de autonomia e está de longe mais bem preparado para isto (incluindo servir de ponto de acesso) que o Galaxy S 2 LTE.

      • Então isso significa que, imaginemos, em 10min de utilização, o gasto da bateria seria o mesmo, apenas se poderia fazer o download de uma maior quantidade de dados certo? No entanto, com todas estas tecnologias que nos oferecem, talvez existam casos em que haverá uma maior utilização dos dispositivos móveis (tempo de utilização), e nestes casos a evolução da capacidade das baterias não consigam acompanhar essa evolução.

  42. Esse vai ser um problema , se não existirem mudanças podemos fazer na boa umas pipocas .

    Cumprimentos

    Serva

  43. Bom trabalho Hugo. Uma boa analise e um bom teste. Parabéns.

    No entanto acho que o que foi feito em Portugal foi vergonhoso, quando se pensou acabar com a televisão analógica já havia negócio para a venda (leilão) das frequências.
    Agora existem dois serviços TDT e 4G ambos com problemas devido à sua novidade, e sem estar bem implementadas e testados.
    Mais uma vez as áreas urbanas ficam bem servidas com um serviço inovador, enquanto que quem reside numa área rural se limita a continuar a receber serviços de Internet que não ultrapassam os 8Mb, em condições óptimas, devido à inexistência que investimento(muitas zonas não ultrapassam os 2Mb).

  44. “Os valores da latência são também bastante razoáveis” 40ms valor razoavel? tendo em conta que estavas sem fazer trafego, este valor é o igual a uma linha DSL nos 80% a 90% da sua capacidade maxima, eu em casa, com 8 megas, 2 boxes meo ligadas tenho a latencia a rondar esse valor, não vejo onde isso é razoavel, desligando as boxes, fico com a latencia nos 20ms máximo

    • Tchii tão alto?! Com fibra consigo 8ms!

      Eheh, fui irónico (não menti), mas não te esqueças que estamos a falar de uma ligação sem fios que utiliza ondas electromagnéticas. Sabes qual a latência de uma ligação UMTS? É mais nesses termos que estão a ser feitas estas comparações.

  45. “Número: tmn
    Conteúdo:
    banda larga: Atingiu 15GB de utilizacao mensal. A sua velocidade de acesso sera reduzida até final do mes.”
    Foi este o mail que recebi, de repente, sem qualquer pré aviso e sem que tivesse sido informado de qualquer limitação! Tenho uma pen de 7,2 Mbps e tráfego ILIMITADO e se na página 127 do contrato que assinei estava escrito em letras microscópicas a possibilidade desta redução sem aviso prévio, confesso que não li! A TMN podia, ao menos, ter a decencia de avisar préviamente os utentes das alterações que pretende fazer! Não sei o que se passa em relação às outras operadoras, mas ouvi falar em 250Gb para a Vodafone! Se esta política se mantiver para os 4G da TMN só me apetece chamar-lhes -”#&»*ªt%$§€-!

    • a ti ainda te avisaram. eu tive que gastar 0,20centimos para ouvir uma senhora a dizer que os 30e que pago todos os meses não chegam para ter o que eles prometem, tráfego ILIMTIADO.

    • Luis Filipe, estou com o mesmo problema, tirar ficheiro da plataforma da escola com 15 GB chego ao dia 10 e ja nao tenho net, é assim o país que temos….

  46. @LuiSousa e @Luis Filipe

    Obrigado pelo esclarecimento. Então é porque eu nunca ultrapassei os 15 GB, o que acho estranho.
    Num cartão internetPad (voz+sms+3g 1Gb/mes) avisam quando se atinge os 80% e depois 9x%.

  47. Os 15GB são absolutamente ridículos!!! A 100Mb/s faz-se o download de 15Gb em cerca de 30 minutos, o que equivale a MENOS de 0,001% (!!!) do período (1 mês). E depois baixam a velocidade contratada MIL vezes? Wow!

    Na prática, o tarifário mais baixo da TMN, o “Soft”, com 1GB de tráfego oferece mais tempo por mês à velocidade contratada. Aliás, mais do dobro do tempo, já que devem ser necessários uns 80 minutos para fazer o download de 1GB.

    Carrega Portugal!

  48. Confirma-se oficialmente a política de utilização responsável de 15GB.
    Segundo a informação que recebi, “o propósito primário das redes móveis não é o download de vários GB, onde para isso é recomendável a utilização de redes fixas”.

    Bem, entramos num dilema! Afinal de contas a largura de banda do 4G LTE é apenas para um “desenrasque”??!.. Só pode, pois dessa forma não substitui uma rede fixa.

    • É, e se eu estiver no algarve e a minha rede fixa no norte, se precisar de fazer uns downloads a sério não posso. Tenho que interromper as férias e ir ao norte faze-los. Parece anedota.

  49. Boas,
    só para indicar que na cidade da Guarda, na zona da Escola da Sé tenho 50.6 megas em média de download e 3.42 megas de upload.

    Apenas não estou satisfeito com o limite de 15gb. A esta velocidade, esses 15gb voam…

    cumps.

  50. Olá Hugo
    Gostava de saber o que há a mais nos dispositivos 4G em Definições… Redes Móveis/Modo de rede/aqui… para 3G temos GSM/WCDMA, Apenas GSM e Só WCDMA.
    Em 4G deve haver qualquer coisa mais como LTE, não é verdade?
    Obrigado
    Valente

  51. obrigado pela rápida resposta! :)

    Já agora, outra pergunta:

    adquiri também um sgs2 lte e tal como me disseram tive de pedir uma segunda via do cartão sim (para um micro-sim com lte).

    Não sei se é da zona onde estou (rossio, castelo), mas o sinal não passa o H+… (deveria aparecer 4G, certo? ou LTE?

    • Para já certifica-te que a opção de modo automático de rede está seleccionada (como no screenshot).
      A aparecer será “4G”. Se não aparece, então é porque ainda não existe cobertura nessa zona. Não conheço a cobertura em Lisboa.

  52. Sim, está em modo automático como no screenshot.

    Pois vou tentar noutra zona, ok. thanks again ;)

  53. Eu vivo numa chamada zona rural, as “alternativas” para mim são: – o Sapo (fora de zona), com a excelente ligação de 3/0.128 e quebras de sincronismo comuns.
    Com o não investimento em estruturas, tinha alguma esperança que o 4G pudesse ser uma alternativa válida para mim, como Net fixa.
    Com o limite de 15Gb, é óbvio que não é alternativa, 2 filhos que vem bastantes videos no Youtube, jogam online, mais uns downloads e o consumo médio mensal cifra-se entre os 40-50Gb. Com os conteúdos na Net cada vez mais pesados…

  54. Alguém já mediu quanto tráfego é gerado por exemplo a assistir ao Meo Go durante 5min?
    A ideia é calcular quanto tempo de TV posso assistir p.e. com os 15Gb…

  55. Mt bom artigo :).

    Fiquei um pouco impressionado com as velocidades atingidas dado que os testes foram feitos através de um smartphone que a partida é feito para consumir pouco. A uso do AP virtual a correr a norma 802.11G foi uma boa tentativa de saturar a ligação no entanto condiciona e em mt os resultados de largura de banda obtidos. Dado que o limite teórico é de 56Mbps e o prático na passa de módicos ~25Mbps o até menos.
    No caso de obter os mesmos resultados utlizando uma pen 4G ficaria um pouco desiludido, dado que estaria à espera de algo próximo dos ~90Mbps.

    Já agora para futuros testes à largura de banda da rede da TMN recomendo o http://qos.sapo.pt com essa ferramenta, à partida, os resultados obtidos serão mais fiáveis em termos de largura de banda disponível (uma vez que a mesma está instalada na rede da PT)

    MM

    • Experimentei essa mesma ferramenta e também as da FCCN. Não são viáveis pois quem trata da comunicação é o browser, no Android. Os resultados eram na ordem dos 5~10Mbps, poderá dever-se às configurações da ligação TCP que o browser trata, ou qualquer outra coisa…

      Mas se nos tivessem sido fornecidos modems USB LTE, sim, seria a melhor escolha.

      Obrigado pela opinião e sugestão.

  56. Viva,

    Vim desenterrar este tópico para fazer uma pergunta:
    há alguma app que dê +ara monitorizar o sinal das redes da “concorrência”, ie, das que não temos o sim? pergunto isto pq já testei n apps (sensorly, rf signal maps, antennas, opensignal maps, etc, etc) e todas elas me dão apenas, no meu caso, da vodafone…já que nas defs do android captamos as restantes redes (mas naturalmente não podemos registar-nos nelas), não há maneira de por o tmv a mostrar os dBm’s? Isso é que era óptimo para averiguarmos se numa detª zona, o operador x ou y terá, à partida uma melhor cobertura!

    ps: muitos parabéns pelo artigo e imagina o quão bom não teria sido se ao percorreres coimbra tivesses podido captar tb o 4G dos concorrentes para fazer uma análise comparativa! ;)

    • Conheço esta app. http://opensignalmaps.com/coverage-maps/

      Mas não sei se serve mt bem o teu propósito. Contudo dá para teres uma ideia da cobertura das três operadores.

      MM

    • Seria interessante, sim Sr, mas não conheço.
      Se nós fizermos uma pesquisa manual de rede dá para ver todas as redes existentes em determinado local (sem mais detalhes). Não sei se há alguma limitação em conhecer a força do sinal de cada uma delas sem estar ligado… eventualmente há, já que as aplicações existentes não contemplam essa funcionalidade.

  57. Boas,

    Pois, eu tb uso essa, mas tal como as restantes, só capta o sinal de rede do meu operador (e demora N semanas a actualizar os dados que lhes enviamos…)

    thx

    • Seria interessante, sim Sr, mas não conheço.
      Se nós fizermos uma pesquisa manual de rede dá para ver todas as redes existentes em determinado local (sem mais detalhes). Não sei se há alguma limitação em conhecer a força do sinal de cada uma delas sem estar ligado… eventualmente há, já que as aplicações existentes não contemplam essa funcionalidade.

  58. Tá lançado o desafio!

    Malta da programação, toca a “esmiuçar” maneira de por os nossos androids a “check out the competition”!

    ..digo eu que se eles têm capacidade de captar as outras redes, tb terão para fornecer os dBm’s respectivos…

  59. pois não faço ideia, mas o que é certo é que mesmo com o SIM, os tmv’s captam as restantes redes…

  60. Acho absolutamente vergonhoso e insultuoso que se use a designação de “Política de Utilização Responsável” para consumos superiores a 15Gb/Mês.
    Será que quem use um tráfego superior a 15Gb/Mês é irresponsável? Não existe ninguém que supervisione este tipo de linguagem e permite o insulto prévio condicionando o utente?
    Irresponsável, para além das operadoras é a entidade que supervisiona as mesmas e que permite este tipo de linguagem abusiva. Se querem limitar o uso de tráfego aos 15Gb/Mês à velocidade contratada basta informar que o consumo é limitado de acordo com uma “Política de Utilização …..” mas sem utilizar uma terminologia que qualifique o cliente, especialmente de forma negativa e insultuosa.

  61. Tenho uma pen 4g Kanguru, consegui um contracto de 12 meses em vez dos 24 (negociado na loja, e a pen em 12 X sem aumentos de preço (5€ mes), 50 mb de velocidade, nas férias saltei por aí e funciona em quase todo lado a 4g, em casa tenho um router com 2 pc e 2 portateis, a pen é partilhada através de 1 dos fixos, estou muito satisfeito, nunca me preocupei com os 15 gb, ainda nao tive nenhum corte de velocidade, acho que isso só se aplica se for uma constante sempre a sacar 24h dias (caso nao saibam na net por fios tb existe limite, só não está quantificada) se a operadora achar que estão a abusar vão baixando a velocidade até aos 128kb

  62. Grande cobertura 4G/LTE aqui onde moro. Com o pacote Hiper de 50 Mb/s chego a atingir os 51,2 no test qos.sapo.pt.
    .
    … mas os 15 GB mensais estragam tudo…

  63. Vergonha isto da PUR! A Anacom está a dormir? Uma autentica vergonha! Contratei 4G da TMN, sabendo eles que não existia outra alterantiva de cobertura na zona onde trabalho, mencionae a questão da PUR: “não se preocupe!” e agora estou a navegar a menos de 256k!
    Vergonha!
    É por estas e por outras que somos a rasquice que somos!
    O estado permite estas barbaridades, porque para eles é tudo igual: internet é para putos verem pornografia!
    Pois bem: deixem trabalhar que tem capacidade!
    Tenham vergonha!…

    • Alberto,
      Aconteceu-me o mesmo há 3 dias. Como ainda estou no período de reflexão (14 dias após a compra), vou devolver o pacote e rescindir o contrato. Hoje ligou-me alguém da TMN a desfazer-se em soluções para eu não abandonar o 4G. Contra a intransigência deles, fui intransigente também e a minha condição para ficar com o 4G era somente se me aumentassem ou anulassem o plafond de 15Gb de tráfego. Como o sujeito me respondeu que não podia fazer isso (óbvio), porque era uma imposição da ANACOM, vou mesmo rescindir. Veja se comprou e activou o tarifário há menos de 14 dias. Se sim, rescinda o contrato de imediato (se estiver de acordo e se puder). Só assim eles vão perceber que estão a começar a perder clientes devido à estupidez da Política de Utilização Responsável.

  64. é ridiculo

    15 Gb é simplesmente ridiculo

  65. No dia 18 as operadoras vão apresentar o Galaxy NOTE II 4G/LTE N7105. Eu já tenho há bastante tempo uma pen 4G + Cartão idem e andava a pensar neste NOTE II para usar com este cartão.
    Pois já desisti, pela minha prática de uso e pelos problemas aqui indicados sobre o limite de 15 GB mensais. Quanto a mim é um erro ir para um aparelho destes até porque o cartão da pen só tem 3G/4G e recepção de SMS. Não dá para falar e enviar… aderir a outro cartão nunca!
    .
    Já vi 4 casas onde se pode comprar cá, mais barato on line, o modelo N7100 3G. Vai ser este até porque é o modelo que já tem um grande suporte no XDA.
    .
    Portanto possíveis compradores do NOTE II, pensem bem!!!

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.