Análise: Nokia E7

O novo Communicator da Nokia!

A Nokia é um dos maiores players no mundo dos telefones móveis. Foi em tempos até uma marca claramente dominante no segmento dos telemóveis, e é conhecida por fabricar terminais fiáveis e de grande qualidade. No entanto, com a explosão dos smartphones a que assistimos neste momento, há quem diga que a Finlandesa está a ficar para trás, não tendo produtos à altura dos grandes rivais, como o iPhone e o Android.

Mas a Nokia não se deixa ficar à “sombra da bananeira”, e mesmo com muitos dedos apontados, continuam a lançar para o mercado telefones de topo com o sistema operativo Symbian. Exemplo disso mesmo é o recentemente apresentado no mercado português Nokia E7, que hoje apresentamos aqui no PPLWARE!

O Nokia E7, como iremos ver ao longo desta análise, é um smartphone fundamentalmente virado para o mercado empresarial. Embora não seja oficialmente denominado de Communicator pela Nokia, não há dúvidas que é um telefone que segue essa linha tão conhecida de telefones empresariais. É sem dúvida um irmão mais novo dos famosos Nokia 9000 (1996), Nokia 9110 (1998), Nokia 9210 (2001), Nokia 9500 (2004) e Nokia E90 (2007).

Este novo terminal da Nokia tem também algumas semelhanças com o recentemente apresentado aqui no PPLWARE Nokia N8. No entanto, como veremos, o Nokia E7 tem características que marcam a diferença, sendo este um telefone profissional, enquanto o N8 é um telefone mais virado para multimédia, usado dessa forma em ambientes diferentes.

Caixa e Acessórios

O conteúdo da caixa recebida é o seguinte:

  • Smartphone Nokia E7-00;
  • Carregador;
  • Manual com instruções básicas;
  • Cabo USB para Micro USB;
  • Cabo conversor Micro USB para USB;
  • Cabo conversor Micro HDMI para HDMI;
  • Auriculares.

 

Abertura da Caixa

Em cima fica o vídeo do unboxing do Nokia E7. Conforme já estávamos habituados, também este telefone da Nokia vem numa embalagem compacta, com o equipamento e respectivos acessórios bem acomodados no seu interior. Cada vez mais se nota a preocupação das marcas em usar embalagens de pequenas dimensões nos seus produtos, de forma a reduzir os desperdícios, pelo que acho de louvar essa atitude e preocupação com o meio ambiente.

Das características que mais gostei na generalidade deste equipamento foi a sua excelente qualidade de construção e dos materiais utilizados, tanto no telefone como nos seus acessórios, conferindo a todo um conjunto uma estrutura muito robusta. Desde os cabos aos adaptadores, e obviamente o equipamento, transmitem uma sensação de grande robustez, indicando que são produtos feitos para durar, mesmo sob algumas condições mais agressivas do uso diário.

O carregador de tomada que acompanha este Nokia trata-se do modelo AC-10E, com ligação ao equipamento por tomada micro USB, respeitando a norma Europeia. Funciona entre 100 e 240 V em frequências entre os 50 e 60 Hz, com output de 5,0 V e 1200 mA. Tem um cabo com aspecto bastante robusto, característica importante neste acessório, visto ser por vezes aquele que sofre mais no uso diário.

Os auriculares têm uma boa qualidade de som, nada de extraordinário, mas o suficiente para desempenharem bem a sua função, tanto para ouvir música como para fazer chamadas, permitindo ouvir bem a voz da ou das pessoas do outro lado. Como é normal, possuem um botão para atender e desligar chamadas.

Tratam-se de auscultadores in-ear, e vêm acompanhados de dois pares de borrachas de substituição, existindo assim três pares de borrachas, todos de tamanhos diferentes. O fio dos mesmo tem também um aspecto bastante robusto, capaz de aguentar “esticões” normais do uso deste acessório.

No conjunto de acessórios vêm também incluídos cabos adaptadores de micro HDMI para HDMI, e de Micro USB para USB. O primeiro serve, como é obvio, para efectuar a ligação do smartphone a qualquer dispositivo que suporte HDMI, como televisores, monitores ou projectores, e o segundo tem como finalidade a ligação ao Nokia E7 de PEN’s USB ou discos rígidos externos, sendo possível a navegação dentro dos mesmos. Farei uma demonstração desta função mais à frente nesta análise.

Além destes dois cabos, o E7 traz ainda consigo o normal cabo USB – Micro USB, para a ligação ao computador (transferência de dados ou carregamento da bateria.

Características Técnicas

  • Rede: GSM 850/900/1800/1900 | HSPA 850/900/1700/1900/2100
  • Sistema Operativo: Symbian^3
  • Processador: ARM 680 MHz | GPU Broadcom BCM2727
  • Sensor: Acelerómetro / Sensores de  Proximidade
  • Memória: 16 GB armazenamento | 256 MB RAM | 1 GB ROM
  • Dimensões: 123,7 x 62,4 x 13,6 mm
  • Peso: 176 gramas
  • Ecrã: AMOLED
  • Dimensões: 4,0 polegadas
  • Resolução: 360 x 640 pixels
  • Cores: 16 000 000
  • Câmara Principal (traseira) : 8 MegaPixel | fixed focus
  • Flash: Duplo LED
  • Vídeo: Gravação HD – 720p a 25 fps
  • Câmara Frontal: VGA
  • Tipo: Li-Ion 1200 mAh (BL-4D)
  • Autonomia em Stand-By: até 432 h (2G) / até 480 h (3G)
  • Autonomia em Conversação: até 9 h (2G) / até 5 h (3G)
  • Bluetooth v 3.0 com A2DP
  • USB 2.0 com suporte a USB on-the-go
  • Wi-Fi 802.11 (b/g/n)

 

Hardware

O Nokia E7 tem uma constituição simples e elegante. Quando fechado é muito semelhante ao Nokia N8, apresentando pela frente um grande ecrã de 4 polegadas, sensível ao toque, e um único botão físico, mesmo abaixo do ecrã. Acima do ecrã encontram-se os sensores de proximidade, luminosidade e a câmara frontal para vídeo chamada. O botão frontal tem ainda um pequeno LED que dá um sinal luminoso quando há alguma notificação, como novas SMS ou chamadas não etendidas.

Na parte superior encontra-se, da esquerda para a direita, a entrada Micro USB, para carregamento da bateria e ligação ao computador, a entrada Micro HDMI, a tecla ON/OFF e a entrada dos auscultadores, jack 3,5mm.

Do lado esquerdo do telefone existe um único botão/tecla, deslizante, que serve para bloquear e desbloquear o telefone. Posso dizer que esta forma de desbloqueio e bloqueio foi muito bem implementada, sendo bastante prática a forma a localização da “tecla”.

Do lado oposto, ou seja, do lado direito do telefone, pode-se ver, de cima para baixo, a ranhura para o cartão SIM, outra tecla deslizante (esta com duas direcções) para controlo de volume, e uma tecla destinada à câmara fotográfica, tanto para lançar a aplicação da câmara, como para tirar fotografias e/ou iniciar e parar a gravação de vídeo.

Na parte traseira do telefone encontra-se, na zona inferior, uma coluna, e na zona superior, a câmara e o flash duplo LED. Trata-se de uma câmara de 8 Megapixel e é capaz de gravar vídeo em HD, ou seja, 720p. Mais à frente na análise irei deixar alguns exemplos de imagens captadas por ela em diferentes ambientes, para que possam tirar as vossas próprias conclusões acerca da mesma.

Este telefone não possui qualquer tampa amovível, e por isso a bateria não é facilmente removida. A única parte do telefone que é facilmente “desmontável” é o slot do cartão SIM. Embora esteja já divulgada quase toda a constituição deste aparelho, falta ainda mostrar o grande trunfo deste Nokia E7: o teclado físico. Deslizando o ecrã do telefone da esquerda para a direita, é revelada a característica mais marcante deste telefone, o seu magnífico teclado físico. Não se pode exigir melhor teclado num smartphone que este que acompanha o Nokia E7.

Trata-se de um teclado muito confortável e prático de utilizar, com teclas muito suaves e com uma boa resposta, grandes e espaçadas entre si, permitindo uma experiência muito boa a escrever texto, como seria impossível conseguir num teclado touch. Estão presentes todas as teclas necessárias à escrita em português, como o “ç”, e todos os acentos são de fácil acesso, fazendo com que a escrita neste smartphone se assemelhe bastante à escrita num computador, tornando-a rápida e intuitiva.

Durante todo o tempo que utilizei o E7 não tive nenhum ponto negativo a apontar ao teclado, sendo este ideal para quem usa intensivamente email e/ou necessita de escrever textos com alguma dimensão no smartphone. E com o teclado aliado ao enorme ecrã de 4’’, o E7 torna-se no companheiro ideal para a escrita on the go.

Como já devem ter reparado, não tenho nenhuma crítica a apontar à construção do Nokia E7. É um telefone extremamente robusto e com um grande qualidade de construção, tanto nos materiais utilizados como em todos os acabamentos. Inicialmente pode parecer um telefone enorme e pesado, mas depois de uns dias de uso acabamos por nos habituar facilmente a essas características.

 

Primeiras Impressões

Como já referi, ao segurar pela primeira vez o Nokia E7 tive a sensação de ser um telefone enorme e pesado. E é bem verdade, é um telefone bastante grande (123,7 x 62,4 x 13,6 mm) e pesado (176 g), mas perfeitamente compreensível, visto ter de albergar o grande ecrã de 4’’ e o fantástico teclado qwerty.

 

Ecrã

Além do teclado físico, já comentado, outra das características que se destacam no telefone é o ecrã. Trata-se de um ecrã sensível ao toque, capacitivo, de 4’’, 16:9 nHD (640 x 360 pixels), AMOLED, 16 milhões de cores e com tecnologia ClearBlack.

Esta tecnologia permite a visualização da imagem do ecrã mesmo quando exposto directamente ao sol. Embora não seja perceptível nas fotografias, é possível ver, sem qualquer problema, as imagens no ecrã no E7 quando exposto directamente aos raios solares, mostrando a eficácia da tecnologia ClearBlack.

No geral o ecrã tem muito boa qualidade, e aliado às suas dimensões muito generosas, é um dispositivo ideal para diversas tarefas, como por exemplo a leitura e escrita de textos e a visualização de filmes durante viagens ou situações semelhantes.

 

Câmara

O E7 traz consigo uma câmara traseira de 8 MP, não tendo herdado a impressionante câmara de 12 MP do seu irmão N8. Este é um ponto que reforça a ideia de o N8 ser um telefone mais virado para multimédia, e este E7 um telefone empresarial, não sendo dessa forma necessária uma câmara com a mesma qualidade. A câmara está acompanhada de flash LED duplo, tem software de reconhecimento facial, guarda as imagens no formato JPEG/EXIF e permite zoom digital até 2x (para fotos). De referir ainda o suporte ao Geotagging das fotografias e vídeos.

Embora no geral esta câmara se porte bastante bem, tirando boas fotografias tanto no interior como no exterior, tem, na minha opinião, um enorme defeito, que é a ausência de autofocus. Este é para mim um ponto em que a Nokia falhou redondamente, pois considero o autofocus bastante importante numa câmara de telemóvel, visto ter que servir para as mais variadas situações, e principalmente num telefone empresarial, em que dá muito jeito para digitalizar documentos fotografando os mesmos.

Quanto à câmara de vídeo, não há qualquer aspecto negativo a apontar. Grava vídeo em qualidade HD (720p), em 16:9, a 25 fps com codecs H.264, MPEG-4. Como o telefone está provido de uma saída HDMI, podem ser vistos directamente numa televisão os vídeos gravados no E7, característica de grande utilidade. Uma análise aprofundada será feita mais à frente neste artigo, tanto à câmara fotográfica como a modo de gravação de vídeo.

Além da câmara traseira, o E7 está também dotado de uma câmara frontal VGA (640 x 480 pixels), para a realização de chamadas de vídeo.

 

Bateria

Neste smartphone a bateria não é facilmente removível. O E7 vem equipado com uma bateria de iões de lítio de 1200 mAh (modelo BL-4D). O fabricante anuncia uma autonomia máxima em conversação até 540 min (9 h) em GSM e até 300 min (5 h) em WCDMA. Em Standby, a autonomia será de até 430 h em GSM e 470 h em WCDMA. Na utilização que dei ao smartphone, quando não foi ligado durante o dia ao computador, a bateria chegou ao final do dia já quase completamente descarregada.

 

Memória

A Nokia decidiu neste smartphone não manter a memória extensível por cartão Micro SD, estando este dotado de 16 GB de memória interna. No entanto, a memória do telefone e memória “de massa” está dividida.

 

Índice

Página 1 – Especificações técnicas, Abertura da caixa e Hardware
Página 2 – Testes: HDMI, USB e Câmara
Página 3 – O Sistema Operativo e a Interface
Página 4 – As aplicações
Página 5 – Prós & Contras e Conclusões

 

« Página Anterior   pág. 01/05   Página Seguinte »

 

Páginas: 1 2 3 4 5



  •   
  •   
  •  
  • Pin It  
  • Imprima este artigo
  • Post2PDF


38 Comentários

  1. Simplesmente excelente esta review. Mais uma vez parabéns Tiago!…Muito bom!

  2. A Nokia devia era meter o android ai dentro em vez do symbian ou o windows phone e isso sim é que era uma revolução no mercado e lucro para a nokia!

    • Li algures que a Nokia afirmou que não iria usar Android porque senão o mercado seria entre iOs e Android e a Nokia queria aparecer como uma terceira opção.

      Quanto ao E7, o telemóvel em hardware está fantástico para um tech-lover. Mas estaremos a adiar o inevitável(Symbian)?
      Este telefone com WP7 provavelmente daria à Nokia um ganho de confiança, mas como sempre, é quantidade acima de qualidade..

      A ver vamos, que eu por cá vou continuar com o meu X6 de 16GB..

  3. Tenho uma tristeza enorme pela Nokia não ter adoptado o Android há um ano pelo menos!
    Em hardware a Nokia é fantástica e com design muito bom.
    Enfim… vamos ver o que o futuro nos reserva…

  4. Parece um bom telemovel, grande pena falhar o autofocus. Faz tanta diferença que chego mesmo a dizer que inutiliza praticamente o facto de ter uma câmara.
    o meu boston e o meu sgs tem ambos uma câmara de 5mpx. As fotos do boston sao horriveis e as do sgs são impecaveis. A diferença é o AF.
    Pena.

    • Sim, faz toda a diferença o AF numa máquina fotográfica. Como refiro no artigo, senti mesmo muita falta. O jeito que dá para fotografar folhas A4, data sheets e chapas de características de motores :D

      Não fica inutilizada a câmara, porque tira excelentes fotos no exterior, mas com autofocus ficava uma máquina fotográfica muito boa, e assim tem esta grande falha…

    • há outras diferenças possíveis entre câmaras. Não é só o AF.

      • Mas clarifica, não fique só por aí. Francamente neste caso, não achei que fosse muito mais, considerando a minha experiência com os 2 telemóveis que tenho. Até os mesmos programas usei (camara360 e vignette).

        Desligando o AF, as fotos do SGS são em praticamente idênticas à do boston…

  5. É isto que mete pena… Telemóveis desta qualidade e depois vem com um SO cheio de bugs e ultrapassado. Ao menos a Nokia vai começar a por Windows. Já não é mau de todo.

    Parabéns pelo artigo ;)

    • cheio de bugs e ultrapassado? bugs? eu tenho um c7 e ainda não tive nenhum. ultrapassado? porque? por a nokia ter dito que ia deixar symbian? bugs bugs bugs tem é o android

  6. “Esta tecnologia permite a visualização da imagem do ecrã mesmo quando exposto directamente ao sol. Embora não seja perceptível nas fotografias, é possível ver, sem qualquer problema, as imagens no ecrã no E7 quando exposto directamente aos raios solares, mostrando a eficácia da tecnologia ClearBlack.”

    Pela foto que ai está, diria que essa tal tecnologia não tem eficácia quase nenhuma.

    • Como está no excerto que citaste, na foto não é perceptível o efeito do ClearBlack. Asseguro que é possível ler perfeitamente naquele ecrã directamente exposto ao Sol. ;) (não deixa de ser mais difícil que em ambientes interiores, atenção).

  7. Um simples comentário.

    Desde o aparecimento do iPhone a Nokia desvalorizou 80% do valor em bolsa.

    Ainda continuam a martelar no mesmo ?

    Não é isto que se quer neste momento !!!

    Windows 7 já antes que acabem como a Palm.

    PS: Android tinha sido melhor aposta …

    Cumprimentos.

  8. um bom telemovel, não haja duvidas.
    Pena é ter um sistema operativo ultrapassado Symbian já era.
    Metam-lhe lá dentro o Windows phone, Android, ou iOS e aí teríamos um monstro ;)))

  9. Mas que bela análise… relativamente ao que vi fiquei surpreendido com a qualidade dos filmes e da máquina fotográfica apesar de não ter o AF conseguem-se fotos com alguma qualidade.
    Agora relativamente ao symbian… basta dizer que foi umas das razões que me levou a apostar em windows mobile e agora android… mas não deixo de usar um 2º telemovel com symbian…

  10. E o preço? Decididamente fora do mercado. Nokia (tenho um n97) nunca mais!!

  11. Eu gosto do Symbian. Se tivesse dinheiro acho que compraria uma maquina destas brevemente.

  12. android ainda ta muito verde. Problemas fragmentacao, virus, crashes, e roms instaveis.

  13. Gostei muito desta analise , os meus parabéns ! :D

  14. Boa máquina e boa análise. Só tenho pena é que neste e no N8 o teclado alfanumérico (T9) tenha as teclas de confirmar, setas e backspace na parte inferior. Deveria estar na parte superior como no 5800.

  15. A análise está muito boa, no entanto, colocaram os videos HD do telemóvel, no sapo vídeos, que faz resize!!!!

    É normal que o video esteja todo “pixelizado”…

    Sugiro que coloquem no Youtube de forma a que seja possível ver como se comporta – na verdade – o telemóvel a filmar.

  16. Mas que bela análise! Os meus sinceros parabéns Tiago Dias!

  17. Bem, este artigo está fantástico! Muitos parabéns, Tiago. Continua que nós cá ansiamos pelas tuas “reviews”.

    Relativamente à NOKIA, aguardo ansiosamente que evolua a parceria com a MICROSOFT para que possam aproveitar finalmente toda a capacidade do hardware que detêm. Quem sabe, não assistiremos a um renascimento da NOKIA, (re)iniciando uma luta com as principais marcas actualmente.

  18. fixe!!!!!!!!!analidse tambem ta nice, uma maqina destas oje em dia todos querem, os ultimx dos ultimx…..

  19. então, eu tenho um nokia e7, mas ele fica piscando um led branco no botão abaixo da tela quando fica em stand by .isto eh normal?

    • Sim, é normal. É uma forma de mostrar notificações (se reparares quando tens SMS ou chamadas não atendidas o led pisca com maior rapidez).

      É uma característica que já estava também presente, por exemplo, no Nokia E71, mas que pode ser desactivada facilmente nas opções.

  20. Obrigado pelo review, explicaste a sensação que tive quando da compra do telemovel, mas após a actualização do softwere de 3 para anna o telefone comporta-se de outra forma e já consegue gerir até 7 aplicações abertas sem crashes

Deixe o seu comentário

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.